DSC03940Na primeira semana de janeiro de 2011, a Prefeitura de Cambé anunciou que a cidade ganharia um novo terminal. “Serão duas obras importantes para a população. O novo terminal de ônibus na rua Belo Horizonte e a reforma completa da Praça Getúlio Vargas, de forma que a administração municipal possa proporcionar a melhoria da qualidade de vida de todos”, afirmou à época, o prefeito João Dalmácio Pavinato. Passados mais de dois anos e meio, a situação só piorou. 
O polidor de veículos Amauri Aparecido Martins, 54 anos, criticou que está tudo abandonado. “Quando chove, o pessoal toma banho de graça. É vento e água pra todo lado. É criança, idoso, todo mundo tomando chuva”, detonou o trabalhador, que usa o terminal todos os dias. A vendedora ngela Aparecida Torres, 24 anos, concordou. “(O terminal) É péssimo. Na hora do almoço isso aqui é um fuzuê de gente e falta até lugar para sentar. É muito desorganizado e para mim nem deveria ser chamado de terminal”, desabafou. 
A opinião é compartilhada também por motoristas e cobradores. “O banheiro tem que derrubar e fazer outro. Quando temos sede, precisamos ir até uma padaria e tirar do bolso, porque nem um bebedouro tem aqui. Tanto nós que paramos aqui a trabalho como os usuários não queremos luxo, mas o básico, o mínimo de estrutura para fazer o intervalo com dignidade”, reclamaram.

DSC03941

(Fonte: Jornal Nosso dia On-Line)

 

Matéria Relacionada:
http://www.portalcambe.com.br/terminal-urbano-de-cambe-uma-triste-realidade/

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.