O último boletim da dengue divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde, nesta quarta-feira (1º), mostra que de 1º de agosto de 2011 a 31 de janeiro de 2012, 237 casos da doença foram confirmados no Paraná. Além disso, 48 pessoas contraíram dengue fora do estado. O número é 92% menor do que o registrado no mesmo período de 2010/2011, quando 3.122 casos foram confirmados.

As ocorrências estão espalhadas em 67 dos 399 municípios do estado, sendo Londrina, na região norte, o com a maior quantidade de pessoas infectadas. A todo foram 38. Destas, duas adquiriram a doença fora do estado.

Em seguida, tem-se Alvorada do Sul, com 27 casos, Foz do Iguaçu, com 25 e um importado, Cambé, com 22, e Maringá, com 19, sendo um adquirido fora.

De acordo com o governo estadual, o número de notificações também caiu. Em 2010/2011 foram 13.088 notificações, e em 2011/2012 foram 12.395. Isso significa uma redução de 5,29%.

O governo atribuiu à redução dos casos a responsabilização dos municípios, que assumiram o compromisso de se adequar ao roteiro de supervisão aplicado pelas Regionais Estaduais de Saúde e também a melhor capacitação dos profissionais de saúde envolvidos no combate aos pontos de reprodução do mosquito Aedes aegypti e no diagnóstico da doença.

Como evitar a proliferação do mosquito
A Secretaria de Saúde alerta que, apesar da redução, os cuidados devem permanecer. As orientações básicas são colocar areia no prato das plantas ou trocar a água uma vez por semana. Mas não basta esvaziar o recipiente. É preciso esfregá-lo, para retirar os ovos do mosquito depositados na superfície da parede interna, pouco acima do nível da água. O mesmo vale para qualquer recipiente com água.

Pneus velhos devem ser furados e guardados com cobertura ou recolhidos pela limpeza pública. Garrafas pet e outros recipientes vazios também devem ser entregues à limpeza pública. Vasos e baldes vazios devem ser colocados de boca para baixo. Limpe diariamente as cubas de bebedouros de água mineral e de água comum. Seque as áreas que acumulem águas de chuva. Tampe as caixas d’água.

 

(Com informações do G1)

Portal Cambé, site de informações e serviços de Cambé – PR.

2 Comentários

  1. Enquanto o Prefeito Joao Pavinato varre a sujeira de seu governo para debaixo do tapete(caso da Flora Eventos com video de corrupção e gente bem íntima indiciada pelo Gaeco; Caso Atlantico não explica a diferença de milhoes e ainda renovou o contrato por mais seis meses com uma entidade que arrombou os cofres públicos réu confesso em londrina) a cidade de Cambé vive no abandono. Os vereadores da CPI tinham razão, a Prefeitura gastou milhões e milhões com o atlantico e é a 4 pior cidade do Panara. Aonde vamos parar com este governo que só sabe fazer jornal e programa de rádio para camuflar a verdade? Vai PAvinato, fica só pensando em viajar para ganhar cargos e apoio para reeleição enquanto isto em Cambé o povo morre por causa de um mosquito. Volta Adelino, o Cambé de Fato acabou com você e com o PMDB mas o prefeito Joao Pavinato está bem pior pois agora além de péssimo administrador e omisso é arrogante e ditador. Valeu Luis e Eduardo pela grande contribuição. Um abraço e Dale Gaeco. 4 PIOR CIDADE DO PARANÁ. FALA ISTO NA RADIO JP-JOAO PAVINATO E NO CAMBÉ DE FATO

Responda

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.