Câmeras de seguranças deixam de funcionar em Cambé

41

As as 23 câmeras de monitoramento instaladas em 2011 para monitorar as ruas e avenidas de Cambé, que teria como objetivo principal proporcionar mais segurança aos moradores e ajudar nas investigações policiais, não estão funcionando.

Segundo informações recebidas pelo Portal Cambé, já faz algum tempo que a sala de acompanhamento e controle está fechada, todos os equipamentos desligados e as câmeras estão “empilhadas” no local.

As 23 câmeras foram implantadas através de recursos do Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci), do Ministério da Justiça, que foram repassados ao Consórcio de Segurança Pública e Cidadania da Região Metropolitana de Londrina (Cismel), para a aquisição dos equipamentos.

Em contato com a Prefeitura de Cambé fomos informados que o sistema de monitoramento por câmeras do Consórcio Intermunicipal de Segurança Pública e Cidadania de Londrina e Região (Cismel) instalado em Cambé está desativado devido a falta de manutenção nos equipamentos.
Todos os equipamentos são de responsabilidade do consórcio e a Prefeitura não está legalmente autorizada a fazer o reparo ou manutenção das câmeras e dos outros dispositivos de monitoramento.
Em outubro de 2016, a MultiCast, empresa especializada em manutenção de equipamentos de monitoramento, emitiu um laudo técnico sobre a situação do sistema em Cambé. O laudo constata que naquela época 18 câmeras estavam danificadas e que os demais equipamentos já apresentavam defeitos. A empresa alertou para importância de uma manutenção urgente dos aparelhos para evitar danos permanentes.
Em janeiro deste ano, o Departamento de Tecnologia da Informação da Prefeitura também elaborou um relatório sobre as condições da central de monitoramento. Foi verificado que do total de 23 câmeras, apenas 3 estavam em funcionamento e que todos os no-breaks estavam danificados. Havia problemas também no sistema de refrigeração da central e, por conta disso, os servidores funcionavam com uma temperatura elevada sob o risco de danos permanentes. Os técnicos da Prefeitura recomendaram a suspensão do monitoramento a fim de evitar mais danos aos equipamentos. O departamento de TI estima que o custo para o conserto dos equipamentos ultrapasse o valor de R$ 120.000,00.
De acordo com o secretário de Administração de Cambé, Conrado Scheller, a Prefeitura está buscando uma solução com o Cismel para a reativação da central. “O departamento jurídico está negociando esse impasse com a nova diretoria do consórcio. A proposta é de que o Cismel faça os reparos nos equipamentos ou ceda a estrutura de forma permanente para a Prefeitura para que possamos investir recursos para reativar o sistema de monitoramento”, explicou Conrado Scheller.
O secretário reiterou que monitoramento por câmeras é essencial para a segurança da comunidade e que a Prefeitura vai continuar cobrando uma solução rápida do Cismel.



Portal Cambé, site de informações e serviços de Cambé - PR.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *