Chuvas deixam Cambé em estado de calamidade
Postado por: Equipe Portal Cambé Em 12th janeiro 2016
As chuvas torrenciais que caíram em Cambé desde a madrugada da segunda-feira, dia 11 de janeiro, causaram um saldo de destruição em vários pontos da cidade, segundo o secretário da Defesa Civil,  Luiz Carlos Giroto, houve uma precipitação de 107 mm de chuva em apenas 24 horas.  Em pelo menos três bairros houve alagamento de casas, sendo que o Conjunto Ulysses Guimarães foi o mais atingido.  O bairro já tinha sofrido com as chuvas do dia 9 de outubro passado, quando foram feitas diversas obras para conter a água que desce do terreno vizinho ao bairro. Com o grande volume de chuvas da noite do dia 11, segunda-feira, as obras não foram suficientes e mais de 20 residências foram atingidas. No Jardim Ana Rosa, pelo menos duas casas, próximas à PR 445 foram invadidas pela água. A Defesa Civil registrou um total de 63 casos de alagamento na cidade.
Equipes da Prefeitura de Cambé, coordenadas pela prefeita em exercício, Cidinha Pascueto, estiveram durante toda a noite e madrugada prestando socorro às famílias atingidas pelos alagamentos. “Nossos funcionários prestaram atendimento emergencial às famílias, socorrendo os mais atingidos no primeiro momento, com a distribuição de colchões e cobertores ainda durante a noite”, disse Cidinha Pascueto.
Equipes da Prefeitura, coordenadas pelo secretário de Obras e coordenador da Defesa Civil em Cambé, Osmarino Manzoni também fizeram, durante a madrugada, a interdição de vias, como a passagem da Rua Bento Munhoz da Rocha Neto, que liga o Castelo Branco ao Jardim Bela Itália, que teve desmoronamento total; e ainda na passagem da rua Rio Paraná, que liga o Jardim Bela Suiça ao Santo Amaro, que teve desmoronamento parcial mas está com a estrutura comprometida e foi totalmente interditada. Também a passagem que liga a rua Rio Jequitinhonha, no Santo Amaro à rua Bernardino de Campos, no Jardim São Paulo, foi gravemente atingida e foi parcialmente interditada, permitindo apenas a passagem de veículos e pedestres em meia pista.
Logo no amanhecer da terça-feira, dia 12 de janeiro, todas as equipes da prefeitura foram mobilizadas com a missão de desobstruir ruas, onde era possível, como foi o caso da pista de acesso da rua Curitiba para a rua Belo Horizonte, por baixo da trincheira da linha férrea e no viaduto Madre Leônia Milito, no entroncamento da BR 369 com a avenida Roberto Conceição. Nos dois casos, houve desmoronamento de terra dos taludes para as pistas, que foram limpas. As equipes também trabalharam na sinalização das vias interditadas, ruas Rio Paraná e Bento Munhoz da Rocha Neto. No atendimento de socorro às estradas e pontes rurais, como as pontes do Rio Vermelho e do Ribeirão Três Bocas, que foram invadidas pela água e vão precisar de obras de desassoreamento, limpeza e contenção.
Outra parte da equipe iniciou o dia prestando socorro às vitimas dos alagamentos e rachaduras. Equipes da Assistência Social estiveram nos locais atingidos prestando o atendimento emergencial às famílias que tiveram suas casas alagadas e equipes de engenheiros das secretarias de Obras e de Planejamento, visitaram famílias que tiveram casas que apresentaram rachaduras devido a movimentação de terras decorrente do grande volume de chuvas. Segundo relatos da Defesa Civil, que concentrou as informações, mais de 140 casas apresentaram rachaduras devido às chuvas, sendo que pelo menos quatro casas foram consideradas de alto comprometimento e as famílias foram orientadas a sair de suas moradias.
Além das casas e ruas atingidas, 17 das 19 Unidades Básicas de Saúde da Secretaria Municipal de Saúde sofreram com infiltrações e alagamentos que prejudicaram o atendimento de público. A falta de energia e as chuvas também afetaram o abastecimento de água potável da Sanepar em grande parte da cidade. A Santa Casa de Cambé, hospital que atende o SUS na cidade, também teve seu atendimento prejudicado em parte do dia, devido a falta de água, que foi suprida com caminhões pipa pela Prefeitura de Cambé.
O balanço parcial da Defesa Civil, registrou, até às 17 horas desta terça, 86 pessoas desabrigadas, seis por alagamento e 80 por rachaduras nas casas; 165 casas afetadas e 18 unidades de saúde danificadas. Também foi divulgado que um carro foi arrastado pela enxurrada na passagem do Campos Verdes para o Rancho Ringo, onde quatro pessoas foram resgatadas com ferimentos por equipes do Corpo de Bombeiros.
O prefeito João Pavinato solicitou que fosse decretado o Estado de Calamidade Pública, já que 521 pessoas foram atingidas diretamente e que os prejuízos, somente da parte pública com a reconstrução de vias, pontes e de remediação em próprios públicos está sendo estimada, inicialmente na casa de R$ 20 milhões. “Nossa equipe está atendendo a comunidade da melhor forma e trabalhando em regime contínuo para atender todas as famílias atingidas. Vamos fazer todos os esforços para reconstruir o que foi destruído pelas chuvas e precisamos de toda ajuda possível, particularmente dos governos do Estado e Federal, para fazer frente a estes investimentos de reconstrução”, disse Pavinato.
As famílias atingidas podem registrar suas ocorrências e solicitar atendimento através da Ouvidoria Municipal, fone 156, em horário de expediente e através do site da Prefeitura de Cambé www.cambe.pr.gov.br.
Confira alguns dos muitos locais atingidos pela força das águas no município de Cambé:
estragos_chuvas
Compartilhe nossa Matéria