A Companhia Paranaense de Energia (Copel) e a Federação das Indústrias do Paraná (Fiep) estabeleceram parceria para dar início, ainda neste ano, à construção de nove laboratórios que servirão como incubadoras de conteúdos digitais e serviços de valor adicionado para as redes de banda larga.

O Projeto BEL-i9 já conta com R$ 15 milhões, obtidos pela Copel junto à Finep – Financiadora de Estudos e Projetos, ligada ao Ministério de Ciência e Tecnologia. Uma parcela de recursos adicionais, de valor não divulgado, também está sendo negociada com a Fundação Araucária.

Os laboratórios serão erguidos em área da Fiep, no Jardim Botânico, em Curitiba, denominada Campus da Indústria. Além de conteúdos para banda larga, o BEL-i9 também servirá ao desenvolvimento de projetos de saúde e qualidade de vida, bem como de tecnologia no esporte. Adicionalmente, atuará na área da “Internet das Coisas”, considerada a próxima evolução da rede mundial de computadores, quando esta passará a interligar não somente computadores e aparelhos celulares, mas também todos os tipos de equipamentos e objetos.

“Esperamos lançar ainda este ano editais para a inscrição de projetos inovadores que contribuam para o desenvolvimento socioeconômico, científico e tecnológico do Paraná”, explica a diretora de Gestão Corporativa da Copel, Yára Christina Eisenbach. “Nosso objetivo é dotar jovens empreendedores de condições para transformar ideias inovadoras em produtos que possam ser rapidamente absorvidos pela indústria, pelo comércio e pela própria Copel”.

DESENVOLVIMENTO – O lançamento da pedra fundamental dos laboratórios do BEL-i9 deve ocorrer simultaneamente ao cumprimento da meta de levar a malha de fibras ópticas da Copel Telecomunicações a todos os 399 municípios do Estado.

“Viabilizar essa ampla oferta de redes de banda larga é condição estratégica para que possamos fomentar, pelo BEL-i9, a produção de conteúdos especializados que beneficiem todos os municípios do Paraná”, explica o diretor de Geração, Transmissão e de Telecomunicações da Copel, Jaime de Oliveira Kuhn. “Banda larga de alta capacidade e confiabilidade, aliada a conteúdos e aplicações, são instrumentos importantes de desenvolvimento de setores e regiões, e também para a criação de novas oportunidades de negócios”.

PIONEIROS – O mercado de aplicativos e conteúdos para as redes movimenta cerca de 10 bilhões de dólares no mundo, com tendência a crescer rapidamente. “O Brasil tem participação muito pequena neste mercado, e nossos aplicativos são em sua maioria importados. Parcerias como o da Copel e da Fiep são importantíssimas para estimular este setor”, avalia o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo.

“Este projeto é uma iniciativa pioneira que certamente terá sucesso, já que ambas possuem a tradição de realizar trabalhos inovadores e a capacidade gerencial para desenvolver laboratórios que podem ter um efeito poderoso no estímulo à criação de grandes empresas de conteúdos no país”, complementa o diretor do BEL-i9, Marcos de Lacerda Pessoa.

EMPREENDEDORES – Segundo Marcos, o projeto também permitirá identificar e atrair empresas que já possuem conteúdos desenvolvidos e que poderão ser rapidamente disponibilizados nas redes de banda larga.

O presidente da Fiep, Edson Luiz Campagnolo, acrescenta que o BEL-i9 possibilitará “melhorar a qualidade de vida dos paranaenses pela oferta de mais e melhores serviços, com a geração de novos empreendimentos sustentáveis, bem como de novos empregos e novas receitas”.

No âmbito da Copel, o projeto BEL-i9 será gerido pela universidade corporativa da Companhia, a UniCOPEL. Criada em maio de 2012, a universidade implementará nas instalações do Campus da Indústria uma escola de empreendedorismo voltada à formação e reciclagem de lideranças para os quadros da Copel.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.