A determinação da Receita Federal de incluir companheiros homossexuais como dependentes no imposto de renda está causando polêmica no Congresso.

A Consultoria de Orçamento da Câmara publicou uma nota técnica que considera ilegal a medida adotada pela Receita. O parecer jurídico sustenta que renúncias fiscais dessa natureza só podem ser feitas por meio de lei aprovada no Congresso, posição que é defendida pelo deputado Ronaldo Fonseca, do PR do Distrito Federal.

“O que está acontecendo hoje, com esse parecer da Receita Federal, eles estão legislando, é uma coisa absurda. O poder de legislar é do Congresso Nacional, não da Receita Federal. Eles estão usando de doutrina na área jurídica para poder consolidar esse parecer, então ele é absolutamente ilegal.”

Ronaldo Fonseca disse que irá buscar parlamentares a fim de discutir medidas para cassar a possibilidade prevista na entrega das declarações do Imposto de Renda.

No lado oposto, o deputado Jean Wyllys, do Psol do Rio de Janeiro, lembra que o Judiciário e o Executivo repetidas vezes já reconheceram direitos civis para homossexuais. Para ele, a polêmica é evidência de homofobia.

“Por trás desse discurso de legalidade do deputado Ronaldo Fonseca, amparado pela nota técnica da Câmara, há uma homofonia muito mal disfarçada. É uma pessoa que está se colocando contra a extensão da cidadania a um conjunto da população que tem deveres civis, mas não tem todos os seus direitos civis contemplados.”

Não há consenso jurídico sobre a decisão da Receita Federal. O professor de Direito Tributário da UnB, Antônio Borges, considera a dedução justa, e avalia que a Receita Federal apenas interpretou uma lei existente para acompanhar a evolução da sociedade.

“E a lei especifica como sendo dependentes companheiros que vivem pelo prazo de, no mínimo, cinco anos, e não faz essa discriminação em relação a homossexuais. Então a lei existe, não de forma tão expressa como talvez alguns gostariam. A lei existe e foi feita apenas a interpretação adequada.”

O período de entrega da declaração de imposto de renda vai do dia primeiro de março até 29 de abril.

De Brasília, Daniele Lessa

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.