O Paraná é o primeiro Estado a homologar acordo direto para o pagamento de dívidas fiscais estaduais com precatórios. O detalhe é o tempo record em que a empresa Sotran, com sede em Cambé, conseguiu o deferimento de seu pedido, em apenas 2 meses.

A Transportadora Sotran Ltda, que atua no ramo de transporte de comodities em âmbito nacional, com sede em Cambé (PR), foi a segunda empresa do Paraná, e do Brasil, a conseguir deferimento do pagamento de 75% da dívida de ICMS com precatórios. Em tempo record, o Estado do Paraná analisou e deferiu o pedido no prazo de apenas dois meses, sendo que o prazo para o cumprimento da determinação legal havia sido estabelecido em cinco anos. No Estado, mais de 500 empresas já entraram com o pedido de conciliação de precatórios de acordo com a Câmara de Conciliação.

 

O pedido de pagamento foi feito pelo escritório Premebida Advogados Associados, conforme legislação estadual. “O deferimento demonstra a satisfação da contribuinte que teve a maior parte de seu débito quitado perante o ente estatal. Dessa forma, voltamos a acreditar que o Estado é um cumpridor das leis que ele próprio se submete. Isso nos traz a esperança de que estamos vivendo e tratando com um Estado democrático de direito, que apesar de ter deixado de cumprir suas obrigações por um período, está reparando o passado e de uma forma muito apropriada fomentando as empresas paranaenses e a sociedade consequentemente”, comenta a advogada Valéria Premebida dos Santos.

 

Paraná, na vanguarda das questões envolvendo tributos

Em 2009, a Constituição Federal determinou que os Estados em atraso ou em falta de pagamento dos precatórios estaduais, deveriam destinar o percentual de 2% da receita corrente líquida para pagamento dos precatórios em atraso, sob pena de retenção deste percentual do fundo de participação dos Estados (FPE) que é repassado pela União. Em fevereiro de 2010, o Estado do Paraná publicou o Decreto 6.335/2010, adotando a determinação da União e fazendo o repasse do percentual para pagamento dos precatórios em atraso.

 

Posteriormente, através da lei 17.082/2012 e do Decreto 5.007/2012, o Paraná criou a comissão de conciliação de precatórios, que permitiu que 75% da dívida de ICMS fosse paga com precatórios e 25% em moeda corrente, de forma parcelada. Importante citar que a referida lei não estipulou qual o montante de dividendos máximo passível de parcelamento, ela apenas determinou ser válida para débitos anteriores a outubro de 2011, condicionando o beneficio para quem está regular com os impostos gerados agora.

 

Para tanto, foi previsto um prazo de cinco anos para o cumprimento da determinação legal, contudo o Estado do Paraná, sempre na vanguarda das questões envolvendo tributos, analisou e deferiu o pagamento de 75% da dívida de ICMS com precatórios oferecidos pela contribuinte Transportadora Sotran Ltda, no prazo de apenas dois meses.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.