Núcleo Regional de Educação depende agora da confirmação das necessidades de cada escola e da logística de transporte para repor os três dias perdidos com a paralisação.

As escolas da rede estadual de ensino que tiveram o calendário afetado pela greve dos caminhoneiros vão repor os dias letivos de acordo com a realidade de cada cidade. O calendário de reposição será elaborado pelos Núcleos Regionais de Educação em parceria com as secretarias municipais e as equipes das escolas.

De acordo com a secretária estadual de Educação, Lucia Cortez, as reposições vão ser analisadas pelos Núcleos Regionais caso a caso.

A chefe do Núcleo Regional de Educação de Londrina, Luzia Alves, afirma que a reposição será definida em conjunto com os 19 prefeituras da região e com as escolas, de acordo com o planejamento pedagógico e a logística do transporte escolar.

Os municípios que não tiveram a rotina alterada pela greve seguem o calendário normal. Os alunos que não puderam comparecer por falta de transporte terão as faltas lançadas no sistema, mas elas serão justificadas, e os conteúdos, repostos. Pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação, todos os estudantes devem ter 800 horas e 200 dias de aulas.

Em caso de dúvida, os pais ou responsáveis devem entrar em contato com as escolas ou com o Núcleo Regional.

Com CBN Londrina

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.