De acordo com o último LIRAa (Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti), realizado entre 20 e 25 de novembro em Cambé, foi constatado o índice de 1,3% de infestação predial.

O levantamento anterior, realizado em agosto, registrou um índice de 0,2% por casa. Os dados foram levantados pela Secretaria de Saúde, através do Departamento de Vigilância em Saúde.

Foram 1.752 imóveis vistoriados pelos agentes de endemias e 29 focos positivos de criadouro do mosquito. A maior incidência encontra-se em materiais recicláveis, bebedouros de animais e vasos de plantas.

Os bairros com maior índice por casa foram o Morada do Sol (10%) e o Campos Verdes (11,1%). O índice que anteriormente, de acordo com as recomendações do Ministério da Saúde, era considerado de baixo risco (até 1%), agora representa risco médio para ocorrência de infestação e proliferação do mosquito, e consequentemente das doenças transmitidas, como a dengue, zika vírus e chikungunya.

De acordo com a diretora da Vigilância Sanitária, Carla Alice Chinaglia Vitturi, um dos motivos do aumento desse índice é a característica da estação do final do ano. “O aumento da temperatura e as chuvas formam os ambientes que facilitam a eclosão dos ovos e o desenvolvimento das larvas e depois do mosquito”, completou Vitturi.

Responda

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.