Jovens do Projeto Zona Verde conquistam vagas em universidades

68

Graciely e Guilherme

Do Jornal Nossa Cidade:

Conciliar trabalho e estudo aos dezessete anos é um desafio que muitos poucos conseguem superar. São raros os jovens dispostos a enfrentar uma jornada diária dividida entre as aulas no colégio, as horas no trabalho e ainda o estudo suplementar em casa. No entanto, dois alunos cambeenses encararam o desafio e conseguiram vagas em grandes universidades da região. Graciely Antunes Gonçalves começou o curso de Arquitetura e Urbanismo no Centro Universitário Filadélfia, a Unifil, e Guilherme Lopes de Jesus é calouro do curso de Filosofia na Universidade Estadual de Londrina. Os dois são funcionários do Projeto Zona Verde e passam as tardes orientando o trânsito nas ruas de Cambé.

Graciely começou a pensar no futuro profissional cedo, desde os quinze anos procurava decidir em qual profissão se encaixaria melhor. A escolha por Arquitetura e Urbanismo foi facilitada quando conheceu o trabalho de uma arquiteta amiga de igreja. “A profissão de arquiteto concilia regras, técnica e criatividade, características que combinam perfeitamente comigo”, justifica Graciely. A jovem conseguiu uma bolsa de estudos integral na Unifil através do PROUNI devido a excelente qualificação no Exame Nacional do Ensino Médio, o ENEM. “Eu realmente não acreditava que conseguiria entrar na faculdade. Não pude fazer cursinho e não achava que tinha chances com os outros concorrentes que tinham mais tempo que eu para estudar”, explica. Moradora do Jardim Ana Rosa, Graciely ia todas as manhãs para Londrina estudar no Colégio Grabriel Martins e voltava no começo da tarde para Cambé para o trabalho no Projeto Zona Verde. Fã de música clássica, a jovem ainda conseguiu ajustar o tempo dos estudos e do trabalho para frequentar aulas de piano e inglês.

O esforço para alcançar o status de universitário também foi grande para Guilherme. Sem fazer um curso preparatório para o vestibular, o jovem utilizou os salários do Projeto Zona Verde para comprar os livros e se preparar em casa para as provas. Contrariando a vontade da mãe, Guiherme escolheu o curso de Filosofia incentivado pelos professores. “Acredito que a filosofia é a única que pode trazer respostas para perguntas que sempre tive, como o por quê de estarmos aqui e de sermos o que somos”, argumenta o calouro. Morador do conjunto Cambé II, Guilherme afirma não querer parar de estudar nunca. “Quero ser professor, sempre quis a licenciatura. Depois de graduado no curso, vou fazer um mestrado em história e antropologia e engatar logo depois em um doutorado”, profetiza.

Segundo Graciely e Guilherme a experiência de trabalho no Projeto Zona Verde é muito positiva e ajudou na conquista pela vaga nas universidades. “O trabalho me fez perder um pouco da timidez e me ensinou a me comunicar melhor e isso com certeza vai influenciar na minha carreira”, afirma Graciely.

O Projeto Zona Verde é mantido pela Associação de Proteção à Maternidade e Infância de Cambé. Emprega cerca de 40 alunos entre 15 e 17 anos além de oferecer acompanhamento com profissionais nas áreas de assistência social e psicologia. (Da Secom/PMC.



Portal Cambé, site de informações e serviços de Cambé – PR.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *