Agentes de endemias retiraram dois caminhões de lixo de uma casa habitada por uma mulher em Rolândia (Foto: Reprodução/RPC TV)
Agentes de endemias retiraram dois caminhões de lixo de uma casa habitada por uma mulher em Rolândia (Foto: Reprodução/RPC TV)
Agentes de endemias retiraram dois caminhões de lixo de uma casa habitada por uma mulher em Rolândia (Foto: Reprodução/RPC TV)

Agentes de endemias retiraram dois caminhões de lixo de uma casa habitada por uma mulher em Rolândia, no norte do Paraná, na manhã desta sexta-feira (9). A limpeza foi feita durante um mutirão realizado em várias regiões da cidade para evitar o crescimento de casos de dengue. A estimativa da Vigilância Sanitária é que mais de uma tonelada de lixo foi retirada do quintal da residência, localizada no conjunto San Fernando.
A moradora contou que era recicladora, mas ficou viúva, e o material acabou acumulando na residência. No local foram encontrados diversos objetos com água parada, como baldes, sucatas, brinquedos, panelas e outros materiais, além de muito lixo e comida estragada dentro da casa. “Buscamos retirar da casa objetos que acumulam água, para que a residência não se torne um criadouro do mosquito da dengue”, diz a agente de endemias Eliete de Petris.
Rolândia vive em estado de alerta contra a dengue. Em 2014, a cidade já registrou duas mortes pela doença, ambas confirmadas pela 17ª Regional de Saúde. Desde janeiro foram registrados 86 casos confirmados e outras 295 notificações, conforme a Secretaria Municipal de Saúde.
Os agentes de endemias estão passando pelas residências para verificar se há focos do mosquito Aedes aegypti. Desde o começo da ação, na segunda-feira (5), foram recolhidas quase dez toneladas de lixo, segundo a Secretaria Municipal de Saúde.
“Estamos realizando ações mais específicas, principalmente na região central, e que se estenderam por toda a cidade. Nós removemos os possíveis criadouros, desde uma tampinha de garrafa até uma calha entupida. Na sequência, aplicamos o inseticida para realmente abater esse mosquito”, explica Rafael Dias, gerente de saúde ambiental da Prefeitura de Rolândia.
Além disso, a Secretaria Municipal de Saúde anunciou que vai aplicar multas em casos reincidentes. O morador é notificado quando larvas são encontradas pela primeira vez e, se a situação for recorrente, o órgão aplicará multa de R$ 200 a R$ 5 mil.
“Precisamos do apoio da população para evitar essa proliferação do mosquito. Muitas pessoas ainda armazenam um ou outro material no quintal que se torna um local de proliferação do mosquito transmissor, causando assim um problema grave na região”, orienta Dias.

Portal Cambé, site de informações e serviços de Cambé – PR.

Responda

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.