Manchete dos Jornais desta sexta-feira, 07 de agosto de 2015
Postado por: Equipe Portal Cambé Em 7th agosto 2015

PT pede ajuda contra crise e é alvo de novo panelaço
Por governabilidade, Dilma reúne ministros; oposição quer novas eleições
No momento em que Dilma Rousseff tem seu pior índice de aprovação —8%, segundo o Datafolha—, o PT admitiu no programa do partido que foi ao ar ontem que o governo errou na condução da economia e pediu ajuda à população para evitar que a crise política piore…


O Globo

Manchete : Panelaço silencia PT ; Dilma recorre a Renan
Durante programa do partido, houve protestos em ao menos 21 capitais e no DF
Firjan e Fiesp divulgam nota de apoio ao pedido de união feito pelo vice-presidente Michel Temer: ‘O momento é de diálogo’
O programa político do PT insuflou ontem protestos em pelo menos 21 capitais e no Distrito Federal. Com ironias ao panelaço e críticas ao PSDB, o partido provocou reações país afora, num dia em que pesquisa Datafolha mostrou que a popularidade da presidente Dilma Rousseff chegou ao pior nível registrado pelos institutos de pesquisa no período democrático. Na TV, Dilma disse que “sabe suportar pressões e injustiças”. Ela passou o dia tentando contornar a crise política que se agravou nesta semana. Diante do clima bélico com a Câmara, apelou por um pacto com o Senado, em reunião com o presidente da Casa, Renan Calheiros. A Firjan e a Fiesp apoiaram em nota o pedido de união política feito na véspera pelo vice-presidente Michel Temer. (Págs. 3 e 4)

Seis caminhos para o futuro
De pactos com a oposição à reforma ministerial , analistas sugerem caminhos para o país tentar sair da crise que atinge em cheio o governo. (Pág. 8)

MP denuncia Jorge Zelada
O ex-diretor da Petrobras Jorge Luiz Zelada foi denunciado pelo Ministério Público por corrupção, lavagem de dinheiro e evasão de divisas. (Pág. 9)

Petrobras paga tributos, e lucro cai 89%
O lucro da Petrobras caiu 89% no segundo trimestre, para R$ 531 milhões, devido ao pagamento de uma dívida de R$ 1,6 bilhão com a Receita Federal e à previsão de pagar outros R$ 2,6 bilhões ao Fisco. O resultado decepcionou o mercado, que previa lucro entre R$ 2,6 bilhões e R$ 4,6 bilhões. Analistas afirmam que o reconhecimento de débitos com a Receita mostra mais transparência nas contas da Petrobras e lembram que estes recursos vão reforçar os cofres do governo e ajudar no ajuste fiscal. (Pág. 21)

Na Braskem, 748%
Lucro da petroquímica, que é citada na Lava-Jato, saltou 748% no segundo trimestre, para R$ 1 bilhão. (Pág. 21)

OAB do Rio diz que Uber é legal
A Comissão de Trânsito da OAB-RJ concluiu que o Uber, serviço de transporte em carros particulares, não é ilegal. Em Brasília, o governador Rodrigo Rollemberg vetou lei que proibia o aplicativo. (Pág. 13)

Nível de docente afeta desempenho
Números do Enem evidenciam a influência dos professores no desempenho dos alunos. Dados mostram que 40% dos docentes não têm formação adequada na disciplina que ensinam. (Pág. 26)

Secretário vaiado na estação
Um dia depois de a barca recém-comprada da China ter enguiçado, o secretário de Transportes do estado, Carlos Osorio, resolveu vistoriar o serviço e foi vaiado pelos passageiros em Niterói. As principais queixas são longas filas, atrasos e desconforto das viagens. (Pág. 12)

Eleições na Venezuela – Oposição denuncia irregularidades
A coalizão opositora na Venezuela denunciou a mudança de local de votação de 1,2 milhão de eleitores, alegando ser manobra para beneficiar o governo. (Pág. 28)

Merval Pereira
O governo perde espaço, poder e capacidade de administrar o país (Pág. 4)

Nelson Motta
PT está caindo aos pedaços, e petistas inteligentes sabem que sonho acabou (Pág. 19)

Míriam Leitão
Forte alta do dólar já é uma ameaça para a inflação e preocupa o BC (Pág. 22)

Cora Rónai
Collor e Dirceu poderiam ter feito diferença. Preferiram enriquecer (Pág. 10)

Editorial
‘Manipulação do Congresso ultrapassa limites’ (Pág. 18)


O Estado de S. Paulo

Manchete : Sob pressão, Dilma mobiliza aliados para mudar governo
Planalto começa a negociar mudanças em ministérios e pretende reforçar articulação com Congresso
Pressionada por partidos da base e com queda de popularidade, a presidente Dilma Rousseff começou a negociar uma reforma ministerial. O plano é reforçar a articulação política do governo. Ministros dão como certo rearranjo na participação do PMDB. Também devem entrar na dança de cadeiras o PDT e o PTB, que anunciaram independência do governo. O presidente do Senado, Renan Calheiros, esteve com Dilma. Seu discurso é o de que o governo precisa cortar cargos, revisar contratos, anunciar medidas para aquecer economia e mudar a relação com a base. Uma ala do PMDB diz aceitar abrir mão de cargos, desde que o PT faça o mesmo. A Casa Civil estuda redução do número de ministérios – hoje são 38. Parte do governo, porém, acha difícil enxugar a máquina quando Dilma precisa de cargos para agradar a aliados e está com baixíssima popularidade – segundo o Datafolha, 71% avaliam seu governo como “ruim” ou “péssimo”. (Política / Págs. A4 e A6)

Panelaço para PT com tom eleitoral
O PT repetiu na noite de ontem o formato de programas de campanha eleitoral da então candidata Dilma Rousseff no ano passado. A peça, que foi ao ar em cadeia nacional, voltou a atacar a oposição, exaltar conquistas petistas e atribuir a crise ao cenário internacional. No final, ironizou os panelaços, que voltaram a ocorrer em várias cidades. (Pág. A7)

Lucro da Petrobras cai 89% no 2° trimestre
A Petrobrás fechou o segundo trimestre com lucro líquido de R$ 531 milhões, queda de 89% ante o mesmo período de 2014. O resultado é o terceiro pior da década para o período e foi atribuído pela companhia a “eventos extraordinários” no cenário externo e a um período de ajustes” nas finanças. A queda evidencia a atual fragilidade financeira da estatal. Bancos e analistas projetavam lucro na casa dos R$ 4 bilhões. O resultado deve repercutir nas ações negociadas nas bolsas. (Economia/Pág. B4)

MPF denuncia Zelada e aponta propina para o PMDB
O Ministério Público Federal denunciou o ex-diretor de Internacional da Petrobrás Jorge Luiz Zelada por corrupção, lavagem de dinheiro e evasão de divisas. Também acusou João Augusto Rezendo Henriques de pagar propina ao PMDB. Segundo procuradores, outros quatro investigados – Eduardo Vaz da Costa Musa, Hamylton Pinheiro Padilha Junior, Raul Schmidt Felippe Junior e Hsin Chi Su – atuaram como intermediários na contratação de navios-sonda e cometeram os mesmos crimes de Zelada. (Política/Pág. A9)

Collor xinga procurador
Em discurso na tribuna do Senado, anteontem, Fernando Collor (PTB-AL) xingou o procurador-geral da república, Rodrigo Janot, de “filho da puta”. (Pág. A9)

Crise leva dólar a R$ 3,53 e BC vai intervir no câmbio
A crise política aumentou a percepção de risco com a economia brasileira. Dólar, juros futuros e risco país tiveram forte alta. O BC vai atuar mais no mercado para conter a escalada da moeda americana, que ontem subiu 1,35% e fechou o dia a R$ 3,5360, maior valor desde 5 de março de 2003. (Economia/Pág. B1)

Aprovadas contas de Itamar a Lula
A Câmara aprovou contas dos governos Itamar Franco, Fernando Henrique Cardoso e Luiz Inácio Lula da Silva e abriu caminho para apreciação de contas de Dilma Rousseff. (Pág. A8)

Supremo decide que GCM pode multar
O STF decidiu, por 6 votos a 5, que guardas municipais podem fiscalizar o trânsito e aplicar multas. A orientação será aplicada a todos os processos sobre o mesmo assunto. (Metrópole/Pág. A16)

Comissão dá aval a vacina contra dengue (Metrópole/Pág. A24)

Fóruns Estadão – Brasil competitivo
Terceirização
Relações mudam
OIT aponta avanço da informalidade no mercado global de trabalho. País tem 13 milhões de terceirizados.

Eliane Cantanhêde
Alguém
Maior partido, o PMDB se comporta como pêndulo, ora vai para o PSDB, ora para o PT. Neste momento, move-se para os tucanos, mas há vários PSDBs e um nó na política . (Pág. A6)

Celso Ming
Inconsistências
A ata do Copom responde menos do que a crise e o galope dos fatos sugeriam. A política é manter a Selic nos 14,25% por um bom tempo. (Economia/Pág. B2)

Notas&Informações
O País à matroca
A base de apoio ao Planalto no Congresso desintegrou-se, ao que tudo indica de modo irreversível. (Pág. A3)


Estado de Minas

PRESSÃO MÁXIMA
Desta vez acompanhado de buzinaço, panelaço contra Dilma e PT volta a ecoar no país
O dia já havia começado com más notícias para Dilma Rousseff (PT), com a divulgação da nova pesquisa Datafolha em que a avaliação negativa da petista atingiu 71%, o que a torna a presidente mais impopular na série histórica do levantamento, iniciada em 1987, superando Collor às vésperas do impeachment (68%). Ficou pior com a aprovação pela Câmara das contas dos ex-presidentes Itamar, Fernando Henrique e Lula, o que abre caminho para a votação –epossível reprovação, devido às “pedaladas fiscais” – das contas de Dilma, o que pode levá-la a responder por crime de responsabilidade. E terminou péssimo, à noite, com intensas manifestações de repúdio contra ela e contra o PT, em vários bairros de BH e em outras capitais, durante a apresentação do programa do partido na TV e no rádio, em que a legenda ainda ironizou o uso das panelas pelos brasileiros nos protestos. Pág. 2A5

‘Laranja’ preso na Operação Lava-Jato depõe e diz que comprou a casa onde mora a mãe do ex-ministro José Dirceu. Pág. 2

Dólar valorizado, poupança esvaziada Pág. 10

Lucro trimestral da Petrobras cai 89,3% Pág.8

PENSAR
A realidade do sonho
O conceito original de utopia, criado no início do século 16 pelo renascentista Thomas Morus,esua relação com diferentes correntes do pensamento serão debatidos no ciclo de palestras “Utópico, o novo espírito”, em Belo Horizonte. Durante 16 semanas, 13 pensadores vão discutir o tema e mostrar por que a ideia é tão necessária. CAPA

Ou bebe ou assiste o jogo
A lei, publicada ontem, permite venda e consumo de cerveja nas arenas de Minas até o fim do intervalo dos jogos, mas fora das arquibancadas e cadeiras.Já valerá domingo, na partida Cruzeiro x Palmeiras, no Mineirão, restrita aos bares, com fiscalização da PM e seguranças. Nos outros estádios, em que não há áreas separadas de bares, serão definidos os locais. As normas do Independência serão divulgadas hoje. OMP, porém, recorrerá à Justiça contra a lei estadual por entender que fere o Estatuto do Torcedor, uma legislação federal. Pág. 13

DIREITO JUSTIÇA
Para a proteção do consumidor
No caderno, que volta encartado ao EM Cultura nesta edição, o juiz Fábio Torres, mestre em direito, defende os limites ao crédito consignado…

STF autoriza a guarda de BH a aplicar multas pág. 15

Natação Brasil tem 1º pódio feminino em mundiais pág. 17


Gazeta do Povo

DEVOLUÇÃO TRIBUTÁRIA
Lojistas têm dificuldades para registrar Nota Paraná
Reportagem da Gazeta do Povo conversou com 15 proprietários, gerentes ou caixas de lojas, restaurantes e padarias do comércio de Curitiba. Dez deles disseram desconhecer o programa Nota Paraná ou que ouviram falar, mas ainda não sabem como registrar o CPF na nota.

CADERNO G
Botero em Curitiba
Exposição na Galeria Simões de Assis, em Curitiba, faz um panorama da trajetória artística do pintor e escultor colombiano – que hoje tem 82 anos e continua trabalhando.

AVALIAÇÃO
Redação do Enem reprova metade das escolas
Dados nacionais do Enem mostram que 47,5% das escolas avaliadas no país não conseguiram média 500 em Redação. No Paraná, dos 957 estabelecimentos de ensino que tiveram as notas divulgadas, 496 (51,8%) não chegaram a 500 pontos.

BALANÇO
Petrobras registra lucro 90% menor no 2.º trimestre
A Petrobras obteve lucro líquido de R$ 531 milhões no 2.º trimestre deste ano, queda de 89,3% em relação ao mesmo período de 2014. A dívida da empresa caiu de R$ 332,45 bilhões no 1.º trimestre para R$ 323,9 bilhões nos três meses seguintes.

ENKONTRA VEÍCULOS
Os mais vendidos no Paraná
Se no país o Fiat Palio está no topo dos emplacamentos, no mercado paranaense o posto é do Sandero.

CONSUMIDOR
Presente do pai com direitos garantidos
Para fugir de incomodações de certas promoções, o Procon elaborou algumas dicas para o consumidor ir às compras preparado. Confira.


Zero Hora

Manchete : Sartori propõe extinção de fundações e nova previdência
Governador apresentou 10 projetos que enviará hoje à Assembleia para reestruturação do Estado, incluindo a adoção de plano complementar para aposentadoria de futuros servidores. maioria das medidas não tem impacto financeiro imediato.

Outras medidas
Criação da Banrisul Cartões
Fim de plebiscito para a Cesa
(Notícias|12)
Com base esfacelada, Dilma tenta coalizão no Congresso
Após derrota em votação na Câmara, e com rejeição cada vez maior, presidente convoca vice e ministros petistas para traçar estratégia para sair do labirinto político. Preocupados com rumos da economia, empresários emitem nota defendendo manutenção da estabilidade. (Notícias! 8 a 10, 27 e 31)

Editorial

O momento exige responsabilidade para tirar o país da crise. (Pág. 30)


Folha de S. Paulo

Manchete : PT pede ajuda contra crise e é alvo de novo panelaço
Por governabilidade, Dilma reúne ministros; oposição quer novas eleições
No momento em que Dilma Rousseff tem seu pior índice de aprovação —8%, segundo o Datafolha—, o PT admitiu no programa do partido que foi ao ar ontem que o governo errou na condução da economia e pediu ajuda à população para evitar que a crise política piore. Durante a inserção, houve panelaços em pelo menos 14 capitais e no DF. Com a piora nos quadros político e econômico, parlamentares de PSDB e DEM defendem que a população desista de pedir o impeachment nas manifestações do dia 16 e clame por novas eleições. Parte da oposição rejeita se alinhar ao eventual governo de Michel Temer, que assumiria. Após o peemedebista dizer que alguém precisa reunificar o país, Dilma reuniu-se com ministros para buscar uma solução de governabilidade. Falou-se em reforma ministerial. Uma estratégia definida pelo Planalto é recorrer a líderes empresariais. Dilma quer encontro com executivos dos principais grupos privados do país a fim de obter apoio para influenciar o Congresso a não aprovar projetos que afetem as contas públicas. (Poder A4 A8)

Petrobras sofre com preço de barril e lucro despenca 89%
A Petrobras teve no segundo trimestre lucro líquido de R$ 531 milhões, queda de 89%, em relação a 2014. O balanço sofreu impacto do menor preço do barril de petróleo, da venda menor de combustíveis e da desvalorização do real. O resultado da estatal foi afetado ainda pela baixa de investimentos em ativos e pelo pagamento de dívidas tributárias.(Mercado A19)

BC eleva atuação no câmbio para frear alta do dólar
Após o dólar fechar em R$ 3,53, o Banco Central decidiu aumentar o volume de contratos que equivalem à compra da moeda e serão leiloados, de 6.000 para 11 mil. O objetivo da intervenção é tentar segurar a cotação da moeda. (Mercado A19)

Governo acelera tratativas para cordos bilaterais
Com queda nas exportações, o governo abriu uma consulta ao setor privado para tentar acelerar acordos comerciais com Líbano, Tunísia, Cuba, México, Canadá e o bloco formado por Islândia, Noruega, Suíça e Liechtenstein. (Mercado A17)

Brasil omite ‘Israel’ da nacionalidade de brasileiro que nasce em Jerusalém (Mundo A16)

Em SP, elite das escolas públicas no Enem tem alunos com alta renda (Cotidiano B1)

Com MP do Futebol, 9 clubes grandes devem refinanciar as suas dívidas (B7)

Vladimir Safatle
Radicalização da democracia é o caminho para sair do impasse
Não há mais atores políticos no Brasil. Os principais falharam, e é desonestidade intelectual crer que a troca de presidente mudará algo. A saída da crise não se dará por meio de conchavos de bastidores, mas pela radicalização da democracia. (Ilustrada C12)

Brasil em crise
Fisiologismo – Mônica Bergamo
Negociação de cargos se escancara e pedido chega até por escrito (Ilustrada C2)

Política econômica – Laura Carvalho
Desenvolvimentismo adotado pelo governo trouxe arrocho de volta (Mercado A24)

Câmara independente – Eduardo Cunha
Deputados exercem, no voto, vontade de seus representados (Opinião A3)

Projetos pessoais – Hélio Schwartsman
Classe política relega o pacto social, e país finge ter renda sueca (Opinião A2)

Ser petista – Tati Bernardi
Não está fácil rebater com “mas tanto foi feito pelos pobres” (Cotidiano B2)

Editoriais
Leia “Poço sem fundo”, acerca de agravamento da crise política, e “Perdidos na tradução”, sobre dificuldades para a ratificação de tratado comercial. (Opinião A2)


Edição: Equipe Fenatracoop, 07 de Agosto de 2015, ás 08:29

Compartilhe nossa Matéria