Manchete dos Jornais desta sexta-feira, 17 de julho de 2015
Postado por: Equipe Portal Cambé Em 17th julho 2015

Minha Casa para famílias de baixa renda é suspenso
O governo suspendeu novas contratações da faixa inicial do programa Minha Casa Minha Vida – para famílias com renda mensal de até R$ 1,6 mil. A ordem é não fechar contratos até que se coloque em dia pagamentos atrasados de obras.


O Globo

Manchete: Cunha acusado de receber propina e intimidar doleiro
Delator diz ter pagado US$ 5 milhões ao deputado, que nega
Preso pela Lava-Jato, Alberto Youssef também depôs ontem à Justiça Federal no Paraná e afirmou que um ‘pau-mandado’ do presidente da Câmara na CPI da Petrobras tem intimidado sua família
Lobista da Toyo Setal e delator da Lava-Jato, Júlio Camargo disse ter pagado propina de US$ 5 milhões ao atual presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB), em 2011. O depoimento à Justiça Federal no Paraná foi gravado em vídeo. Camargo contou já ter feito a denúncia à Procuradoria Geral da República, que investiga Cunha, e alegou que até então não citara o deputado por medo de retaliação. Segundo ele, Cunha o pressionou a pagar US$ 10 milhões desviados na contrata ção de navios-sonda pela Petrobras. Metade do dinheiro te-ria sido pedida diretamente pelo parlamentar, num encontro no Rio, e paga por intermédio de Fernando Soares, acusado de ser operador do PMDB no esquema. Cunha reagiu dizendo que o procurador-geral, Rodrigo Janot, “obrigou Camargo a mentir’. O doleiro Youssef, que também depôs ontem, acusou um “pau-mandado” do presidente da Câmara na CPI da Petrobras de intimidar sua família. (Págs. 3 a 5)

Investigação sobre Lula avança no MP
Procuradoria da República no Distrito Federal apura suposta atuação do petista em favor da Odebrecht
O ex-presidente Lula virou alvo de investigação da Procuradoria da República no Distrito Federal, que apura se o petista fez ou não tráfico de influência internacional em benefício da Odebrecht. O MP analisava o caso e decidiu abrir investigação. O Instituto Lula classificou de “absolutamente irregular, intempestiva e injustificada” a apuração do MP. (Pág. 7)

Requerimentos suspeitos partiram de Cunha, conclui Procuradoria
A Procuradoria Geral da República encontrou provas de que são de autoria do presidente da Câmara, Eduardo Cunha, os requerimentos apresentados por aliados dele que teriam sido usados para pressionar empresa com contratos com a Petrobras, informa Vinícius Sassine. (Pág. 4)

Brasil deve ter nota de crédito reduzida
A agência Moodys deve reduzir a nota de crédito brasileira, preveem analistas. Enquanto o Brasil tem dívida de 62% do PIB, outros países com a mesma nota têm endividamento, em média, de 41% do PIB. Outros indicadores, como PIB e déficit externo, também são piores no Brasil. Técnicos da agência estão em visita ao país avaliando sua situação econômica. (Pág. 19)

Tesouro vende ações do BB
Em meio à dificuldade para cumprir a meta fiscal, o Tesouro está vendendo ações do Banco do Brasil para fazer caixa. Os papéis caíram 3,25% ontem. (Pág. 20)

Míriam Leitão
Crise política aumenta a incerteza econômica. (Pág. 2)
Merval Pereira
País avança com instituições democráticas. (Pág. 4)
Nelson Motta
O tempo dos “roubos políticos” acabou. (Pág. 17)
————————————————————————————

O Estado de S. Paulo

Manchete: Acusado de pedir propina de US$ 5 mi, Cunha culpa Janot
Delator de desvios na Petrobrás, Julio Camargo diz que presidente da Câmara exigiu dinheiro pessoalmente. Contrato envolveu compra de navios-sonda.
Para deputado, procurador-geral obrigou depoente a mentir
Um dos delatores da Operação Lava Jato, Julio Camargo declarou à Justiça Federal que o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), exigiu dele US$ 5 milhões de propina em dois contratos da Petrobrás de compra de navios-sonda em 2011. Segundo o delator, Fernando Soares disse que estava sendo pressionado pelo deputado. Soares, conhecido como Fernando Baiano, é apontado como operador do PMDB na estatal. Camargo teria então se encontrado com Cunha no Rio e, por “medo” e “receio”, cedido à pressão.
“Eduardo Cunha é conhecido como uma pessoa agressiva, mas confesso que comigo foi extremamente amistoso, dizendo que não tinha nada pessoal contra mim, mas que havia um débito meu com o Fernando do qual ele era merecedor de US$ 5 milhões.” Alvo de inquérito no STF, Cunha reagiu afirmando que o “delator foi obrigado a mentir” pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, e a delação “pode ter o Poder Executivo por trás”. Em nota, a Procuradoria-Geral da República informou que “não tem qualquer ingerência sobre a pauta de audiências do Poder Judiciário, tampouco sobre o teor dos depoimentos prestados perante o juiz”. (Política págs. A4 e A6)

MP investiga Lula por tráfico de influência
A Procuradoria da República no Distrito Federal abriu procedimento investigatório criminal para apurar suposta prática de tráfico internacional de influência cometida pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em favor da construtora Odebrecht – uma das investigadas na Operação Lava Jato – entre 2011 e 2014. Segundo o documento, a suspeita é de que Lula teria obtido “vantagens econômicas da empreiteira Odebrecht, a pretexto de influir em atos praticados por agentes públicos estrangeiros, notadamente dos governos da República Dominicana e de Cuba (neste caso, em relação a obras financiadas pelo BNDES) e por agentes públicos federais brasileiros”. (Pág. A8)

Instituto nega irregularidades
Nota do Instituto Lula diz que o ex-presidente é alvo de “manipulações e arbitrariedades” para criar constrangimentos e “manchar sua imagem”. (Pág. A8)

Planalto vê Cunha ‘incontrolável’
Para o governo, Eduardo Cunha está “incontrolável” e o cenário será ainda mais difícil após o recesso. Ontem, o presidente da Câmara avisou o vice-presidente Michel Temer de que pretende atormentar mais o Planalto. (Pág. A6)

TCU não vai abrir sindicância interna
O TCU não abrirá investigação sobre denúncias de tráfico de influência e corrupção envolvendo o advogado Tiago Cedraz, filho do presidente da Corte, Aroldo Cedraz, e o ministro Raimundo Carreiro, citados na Lava Jato. política. (Pág. A7)

Minha Casa para famílias de baixa renda é suspenso
O governo suspendeu novas contratações da faixa inicial do programa Minha Casa Minha Vida – para famílias com renda mensal de até R$ 1,6 mil. A ordem é não fechar contratos até que se coloque em dia pagamentos atrasados de obras. (Economia pág. B1)

Levy busca apoio para reforma do ICMS (Economia pág. B4)

CPI quebra sigilo do presidente da Mitsubishi (Economia pág. B11)

Fernando Gabeira
Para sair dessa maré
Precisa surgir um desejo real de superar a crise. No momento, estamos saudando a mandioca e vivendo um parlamentarismo do crioulo doido. (Espaço Aberto Pág. A2)

Eliane Cantanhêde
Ruptura
Quando reúne toda sua cúpula e sela publicamente a ruptura branca com o governo, o PMDB está preparando a posse já de Michel Temer. (Política pág. A7)

Notas & Informações
Renan, Cunha e o projeto do PMDB
Tendência de ruptura de aliança com o PT parece irreversível (Pág. A3)

————————————————————————————

Zero Hora

Manchete : Delator diz que Eduardo Cunha pediu US$ 5 milhões
Julio Camargo declarou à Justiça que presidente da Câmara fez cobrança pessoalmente. Cunha nega a acusação. (Notícias 14 e 16)

Lula e Odebrecht investigados por tráfico de influência (Notícias 14 e 16)

11 terrenos emperram obras da copa

Projetos de mobilidade da Capital estão parados por falta de acordo entre prefeitura e Estado, proprietário das áreas. (Sua Vida 32 e 33)

Mais de 5 mil fora de casa
No ginásio de São Sebastião do Caí (foto), uma amostra do drama que aflige milhares de pessoas em mais de 40 cidades. Os governos estadual e federal prometem ajuda aos atingidos. (Notícias 24 e 53)

Sob pressão Piratini pede mais tempo
Com ameaça de greve geral,governo lança nota informando que ainda estuda parcelamento. (Notícias 8, 9 e 12)

————————————————————————————

Brasil Econômico

Manchete: “Recuperação, só em 2018”
O economista José Márcio Camargo, professor da PUC-Rio, faz uma análise dura dos governos petistas, que, em sua opinião, provocaram desequilíbrios graves. E só com um ajuste forte, sem hesitações ainda em 2015, é que o país conseguirá ter fôlego, a partir de 2017 — quando o desemprego já deverá estar perto dos dois dígitos. (Pág. 4 a 7)
José Negreiros

AGOSTO, O MÊS DOS PROBLEMAS
Agosto, tradicional mês do mau agouro na política brasileira, reserva pelo menos três eventos delicados a serem operados pela presidente Dilma Rousseff. O primeiro é o julgamento de suas contas de 2014, na primeira quinzena do mês, por parte do TCU…

Carlos Thadeu de Freitas
CENÁRIOS PARA O VAREJO
A interação entre preços elevados, renda restrita e crédito limitado tem sido o pano de fundo para o desempenho especialmente enfraquecido do comércio que está sendo visto desde o início de 2015. Em maio, as vendas no varejo restrito, apuradas pela Pesquisa Mensal de Comércio (PMC), do IBGE, cederam 4,5% ante maio de 2014…

Nadja Sampaio
DORES E AVANÇOS DOS CONSUMIDORES
Há dois anos comecei a escrever esta coluna, e quero começar esta última oportunidade de falar com meus leitores agradecendo por ter podido, nesse tempo, acompanhar e refletir sobre as dores que passamos como consumidores e os avanços, que, mesmo com muita dificuldade, conquistamos…

Luiz Sérgio Guimarães
PREGÃO OSCILA NA CORDA BAMBA
Os mercados financeiros equilibraram-se ontem numa corda bamba fustigada por ventos imprevisíveis. Externamente, discurso da presidente do Federal Reserve (Fed), Janet Yellen, em tom otimista sobre a recuperação da economia americana, crescimento chinês mais robusto…

Rodrigo Carro
Crise faz compartilhamento de aeronaves crescer na aviação executiva.(Pág. 11)
Julio Gomes de Almeida
A preocupante deterioração da venda do comércio varejista e da receita de serviços. (Pág. 8)
Patrycia Monteiro
Indústria paulista fechou 62,5 mil postos de trabalho no primeiro semestre. (Pág. 10)
Deco Bancillon
Setor de serviços desacelera e cresce 1,1% em maio. (Pág. 11)
André Boudon
Banco Central Europeu eleva assistência emergencial para bancos gregos. (Pág. 21)
Eduardo Miranda
Ministério Público vai investigar Lula por suposto tráfico de influência. (Pág. 3)
Alessandra Taraborelli
Cenário externo, com ajuste na Grécia, impulsiona negócios em bolsa. (Pág. 20)
————————————————————————————

Folha de S. Paulo

Manchete: Cunha levou US$5mi,diz delator
O lobista e delator na Lava Jato Júlio Camargo afirmou em depoimento ao juiz Sergio Moro que foi chanta-geado e teve de pagar US$ 5 milhões (R$ 15,79 milhões) em propina ao presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), para assegurar contrato com a Petrobras.
É a primeira vez que Camargo, que colabora com as investigações de corrupção na Petrobras desde dezembro, cita Eduardo Cunha como destinatário da propina.
O acordo de delação corre o risco de ruir porque a Procuradoria identificou omissões para proteger políticos. Camargo disse não ter falado antes por temer represálias.
Segundo o lobista, o pedido de propina ocorreu pessoalmente, no Rio. Ele relata ter sido chantageado pelo deputado federal em razão de dois contratos de US$ 1,2 bilhão com diretoria controlada pelo PMDB na estatal.
O valor teria sido pago pelo doleiro Alberto Youssef e por Fernando Baiano, apontado por investigadores como operador do PMDB.
Cunha nega a acusação e diz que o delator mentiu. O deputado atribuiu o depoimento a uma operação conjunta entre governo federal e Procuradoria-Geral da República. “Parece que o Executivo quer jogar a sua crise no Congresso”, afirmou. (Poder A4)

Procuradoria do DF abre investigação contra Lula
A Procuradoria da República no DF abriu uma investigação criminal formal contra o ex-presidente Lula. Ele será investigado por suspeita de tráfico de influência em favor da Odebrecht, no Brasil e exterior, para obras financiadas pelo BNDES.

O caso já era analisado em caráter preliminar e, agora, ganha caráter oficial.

O Ministério Público Federal poderá pedir quebras de sigilo de Lula e buscas relacionadas às apurações.

A Odebrecht pagou viagens de Lula ao exterior após ele deixar o Planalto.

O Instituto Lula disse que tudo foi feito dentro da legalidade, e a Odebrecht negou interferência de terceiros em seus contratos. (Poder A6)

Não é preciso violar a legalidade para cassar corruptos
Será necessário violara legalidade para cassar corruptos? Não! PF, Ministério Público e Justiça Federal, cada um por seu turno e, às vezes, em ações conjugadas, têm ignorado princípios básicos do Estado de Direito. As prisões preventivas têm servido como antecipação depena. (Poder A8)

CPI das fraudes fiscais quebra sigilo de empresas
A CPI que apura fraudes em julgamentos de recursos fiscais aprovou a quebra de sigilo de duas empresas e sete pessoas ligadas à MMC, alvo da Operação Zelotes, da PF, que já confirmou prejuízo de R$ 6 bilhões aos cofres públicos. A MMC, autorizada a fabricar a marca Mitsubishi no Brasil, não quis se pronunciar. (Mercado A15)

Governo vende ações do BB para fazer superavit
O governo decidiu vender papéis do Fundo Soberano para melhorar as contas públicas diante da baixa arrecadação. Cerca de 1 milhão de ações do Banco do Brasil já foram vendidas. O dinheiro deve garantir menor redução na meta fiscal. (Mercado Al3)

Cortes e falhas travam obrasde mobilidade em SP
Falhas em projetos, cortes de verbas e disputas judiciais travam obras de mobilidade prometidas pelo governo para interligar cidades paulistas. Para a gestão Alckmin (PSDB), a crise econômica e a complexidade dos projetos causam atrasos. (Cotidiano B1)

Crise faz Brasil perder para os EUA a liderança em cirurgia plástica (Pág. B5)

Editoriais
Leia “Gregos e troianos”, sobre novo pacote de resgate do país europeu, e “Tesouros de pedra”, acerca de contrabando de fósseis para o exterior. (Opinião A2)


Edição: Equipe Fenatracoop, 17 de Julho 2015

Compartilhe nossa Matéria