Manchete dos Jornais desta sexta-feira, 24 de julho de 2015
Postado por: Equipe Portal Cambé Em 24th julho 2015

Os polêmicos habeas corpus da Lava Jato
Tentativas para evitar prisões antes mesmo de serem decretadas despertam curiosidade sobre o alcance deste tipo de ação…

‘Janela de infidelidade’ vai alterar forças entre governo e oposição
Diversos dispositivos que permitem a troca de partidos sem perda de mandato vão mudar a correlação de forças entre governo e oposição no Congresso Nacional. São previstas pelo menos 30 trocas de legendas por deputados e seis por senadores nos próximos meses, caso todas as mudanças na legislação entrem em vigor…


O Globo

Manchete: Renda tem maior queda em 11 anos e desemprego sobe
O rendimento real do brasileiro (já descontada a inflação) caiu 2,1% de janeiro a junho em relação ao mesmo período de 2014, no pior primeiro semestre desde 2004, mostram números do IBGE relativos às seis maiores regiões metropolitanas. Economistas já preveem piora, com a renda encerrando o ano em baixa de 4%. A queda está diretamente ligada ao aumento do desemprego. Com ganhos menores, mais gente nas famílias procura vagas. O desemprego subiu para 6,9% em junho. E a taxa entre a população de 18 a 24 anos deu um salto em um ano, de 12,3% para 17,1%. O número total de desocupados subiu 44,9%, para 1,7 milhão. (Pág. 17)

‘Pedaladas’: relator no TCU busca apoio (Pág. 5)

Esforço fiscal vai afetar nota do país, avisa agência Fitch
A agência Fitch, de classificação de risco, indicou que a nova meta fiscal terá influência negativa na nota de crédito do Brasil. Para o ministro Joaquim Levy, é possível evitar a perda do selo de bom pagador do país. (Pág. 19)

Dólar dispara após nova meta fiscal
Em meio aos temores de uma piora nas contas do governo, o dólar comercial fechou ontem em alta de 2,16%, a R$ 3,296. Essa cotação, que já tinha sido atingida em março deste ano, é a maior desde 1° de abril de 2003. A escalada da moeda americana pesou para quem vai viajar. Nas agências e casas de câmbio, o dólar turismo chegou a ser vendido a R$ 3,76 para cartões pré-pagos e R$ 3,56 em espécie, já incluindo o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF). O Ibovespa, principal índice da Bolsa, recuou 2,18%, praticamente zerando os ganhos do ano.(Pág. 19)

Baiano usava 19 contas no exterior
O lobista Fernando Baiano usava uma rede de 19 contas no exterior, segundo a Lava-Jato, para movimentar propina de desvios na Petrobras paga a políticos do PMDB. Baiano foi denunciado à Justiça junto com o ex-diretor Nestor Cerveró e mais dois acusados. (Página 3)

Filme de terror?
O jornal inglês “Financial Times” comparou o Brasil a um filme de terror. O ministro Jaques Wagner rebateu: o filme é de superação. (Pág. 3)

Irã planeja investir US$ 185 bi
O Irã concluiu contratos de US$ 2 bilhões com a Europa e, até 2020, planeja investimentos de US$ 185 bilhões. (Pág. 24)

Oposição se une contra Maduro
Como estratégia para vencer a eleição legislativa, 29 partidos da oposição venezuelana se uniram em lista única. (Pág. 25)

Míriam Leitão
Levy diz que não jogou a toalha e que ajuste não pode ser feito com números imaginários. (Pág. 18)
Merval Pereira
Agências devem rebaixar a nota de risco do Brasil, confirmando temor do governo. (Pág. 4)
Ancelmo Gois
Caetano e Gil serão recebidos por Shimon Peres antes do show em Israel. (Pág. 10 e 11)


Gazeta do Povo

LEGISLATIVO
Manchete:‘Janela de infidelidade’ vai alterar forças entre governo e oposição
Diversos dispositivos que permitem a troca de partidos sem perda de mandato vão mudar a correlação de forças entre governo e oposição no Congresso Nacional. São previstas pelo menos 30 trocas de legendas por deputados e seis por senadores nos próximos meses, caso todas as mudanças na legislação entrem em vigor. As trocas devem afetar em especial a polarização entre PT e PSDB e fortalecer legendas “neutras”, como o PSB. A primeira “janela de infidelidade” foi aberta pelo Supremo Tribunal Federal e já provoca impacto na distribuição das bancadas no Senado. Em maio, a corte restabeleceu o entendimento de que políticos eleitos para cargos majoritários – senador, prefeito, governador e presidente – podem mudar de sigla e manter o mandato.
DESCOBERTA
A prima da Terra
Usando o telescópio Kepler, da Nasa, cientistas encontraram um planeta fora do sistema solar “muito parecido” com a Terra. O novo corpo, cerca de 60% maior do que o de nosso planeta, está localizado a 1.400 anos-luz e dentro da chamada “área habitável” – ele orbita uma estrela a uma distância em que é possível haver água.
BRASÍLIA
Brasil espera manter grau de investimento
Os ajustes promovidos pelo governo na meta fiscal não foram surpresa para as agências de classificação de risco, na avaliação do ministro da Fazenda, Joaquim Levy. Ele diz não acreditar em rebaixamento da nota do Brasil a ponto de se perder o selo de grau de investimento.
PESQUISA
Curitibano teme a dengue e ignora a febre zika
Apesar de mais de 71% dos curitibanos confirmarem temer a dengue, a desinformação quanto a outras doenças que também são transmitidas pelo Aedes aegypti é bastante grande. Oito em cada dez pessoas desconhecem moléstias como a febre zika.
JUSTIÇA & DIREITO
Os polêmicos habeas corpus da Lava Jato
Tentativas para evitar prisões antes mesmo de serem decretadas despertam curiosidade sobre o alcance deste tipo de ação
ESPORTIVA
Copa Sul-Minas será formatada hoje em SC
Reunidos em Balneário Camboriú, 12 clubes se reúnem hoje para tirar ideias no papel e tentar promover a primeira edição já em 2016.


O Estado de S. Paulo

Manchete: Mercado reage mal à meta fiscal; Dilma defende Levy
A redução da meta de superávit de 1,13% para 0,15% do PIB provocou ontem disparadado dólar, derrubou a Bolsa e abalou a confiança de investidores. O dólar avançou 1,98%, para R$ 3,291, e atingiu a cotação mais elevada desde 19 de março. A Bolsa de São Paulo recuou 2,18%, o menor nível desde 16 de março. Para agentes econômicos, a mudança no cenário fiscal fez subir o risco de a nota do País ser rebaixada. Também causou apreensão a redução do superávit dos próximos anos – prevista para 2016, a meta de 2% só deverá ser cumprida em 2018. No Planalto, a preocupação foi com a imagem de enfraquecimento do ministro da Fazenda, Joaquim Levy. A presidente Dilma Rousseff telefonou para assessores pedindo que destacassem a importância de Levy como avalista da política econômica. No Congresso, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, disse que a nova meta fiscal não será cumprida. Já os tucanos afirmaram que o Executivo ressuscitou a “alquimia fiscal” dos últimos anos. (Economia págs. B1 a B4)

Barbosa quer limite de gasto
O ministro Nelson Barbosa (Planejamento) afirmou estar unido a Joaquim Levy (Fazenda) para reequilibrar as contas públicas e defendeu metas de crescimento de gastos para barrar sua expansão. (Pág. B3)

MPF pede condenação de Cerveró, Baiano e dois delatores
O Ministério Público Federal pediu a condenação do ex-diretor da Petrobrás Nestor Cerveró e de Fernando Soares, o Fernando Baiano – apontado como operador do PMDB na estatal -, por corrupção e lavagem de dinheiro. Procuradores ainda pedem que sejam condenados os delatores Alberto Youssef e Julio Camargo, que disse ter sido pressionado pelo presidente da Câmara, Eduardo Cunha, a pagar propina de US$ 5 milhões. O deputado nega. (Política pág. A4)

TCU não pode ser político
Para o ministro, o TCU, que analisa as pedaladas fiscais, não pode se transformar em instituição política. “Se for para revisar o passado, temos de condenar todos os governos anteriores”, disse. “Não dá para escolher a condenação.” (Política pág. A7)

Desemprego sobe e renda tem 5ª queda
O desemprego alcançou 6,9% em junho, maior taxa para o mês em cinco anos. Já a renda média caiu 2,9% em relação ao ano passado. Foi a quinta queda consecutiva. (Economia pág. B5)

Lei de Resíduos não alivia lixões
A Política de Resíduos Sólidos pouco mudou nos lixões desde 2010, relata Giovana Girardi. Há 5 anos, 42,4% dos resíduos iam para lixões. Em 2014, 41,6%. (Metrópole pág. A12)

Eliane Cantanhêde
Travessia no deserto
Ao reduzir o superávit fiscal e anunciar mais cortes no Orçamento, o governo Dilma joga a toalha e reconhece que não consegue estancar a crise.
(Política pág. A6)

Celso Ming
Incertezas
Se todo o quadro político mudar para pior, as projeções e os parâmetros de ação do governo na área econômica acabarão mudando. (Economia pág. B2)

Antero Greco
Alegria sem preço
A centena de medalhas no Pan não deve nos iludir com a falsa ideia de nos termos transformado em uma potência olímpica. (Esportes pág. A19)

Notas & Informações
A política frouxa venceu
Custo do financiamento aumentará e sobrará menos espaço para políticas de crescimento. (Pág. A3)


Estado de Minas

Manchete: PERUEIROS CAMUFLADOS Disputa táxis x Uber abre caminho para clandestinos burlarem a fiscalização com carros de passeio
A concorrência do transporte pelo aplicativo Uber com os taxistas desviou a atenção da nova estratégia de atuação de perueiros. Em trajetos urbanos ou viagens intermunicipais, eles atraem passageiros com preços competitivos, apesar da falta de segurança. As tradicionais vans com vidros fumê estão dando lugar aos carros de passeio. Os veículos ficam parados no Hiper-centro ou em estacionamentos (D), que viraram ponto de embarque e desembarque de clientes. O DER-MG garante que fiscaliza o transporte irregular. Segundo o órgão,foram feitas 435 blitze entre janeiro e julho na Grande BH, com 78 veículos apreendidos. Em Minas,foram 3,2 mil operações e 364 apreensões no mesmo período. Mas perueiros se sentem livres: “Não existe fiscalização e não há risco de sermos parados no caminho”, disse ao Estado de Minas um motorista clandestino que chama passageiros na Praça da Rodoviária para o trajeto BH-Sete Lagoas. PÁ

ATESTADO DE BOM PAGADOR EM XEQUE CORTE DRÁSTICO DO GOVERNO NA META FISCAL LEVA AGÊNCIA DE CLASSIFICAÇÃO DE RISCO AR E BAIXAR NOTA DO BRASIL. DECISÃO DEVE SER SEGUIDA POR OUTRAS PÁGINA 8 E O EDITORIAL, “PRA ONDE VAI A CREDIBILIDADE?”, NA 6

LAVA-JATO
MP aumenta pressão sobre Eduardo Cunha O Ministério Público Federal (MPF) pediu a condenação de quatro investigados, entre eles o lobista Júlio Camargo, um dos delatores do esquema na Petrobras. Para os procuradores,o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), ficou com parte do dinheiro da corrupção. PÁGINA 3

PATRIMÔNIO CASAS DA LAGOINHA E BONFIM PASSARÃO POR INVENTÁRIO
Intenção é identificar imóveis com potencial para serem tombados devido à importância histórica. Bairros abrigaram imigrantes durante a construção de BH. PÁGINA 15

NOVA TERRA
Nasa revela imagem do planeta mais parecido com a Terra já descoberto. Envolto por atmosfera espessa capaz de ter água em estado líquido,oKepler 452b está distante 1.400 anos-luz. PÁGINA 12

RIQUEZA OCULTA
O rico legado da cultura negra na formação da identidade do Brasil ainda é esquecido por muitas instituições de ensino, apesar de a legislação obrigar a inclusão do tema nas salas de aula. Em busca de novas perspectivas para combater o racismo, o Pensar traz à luz textos que abordam matrizes e expressões afro-brasileiras. PÁGINAS2E3 ● O queniano Ngugi wa Thiong’o fala de sua literatura política. CAPA


Folha de S. Paulo

Manchete: Governo tenta conter reação negativa após recuo no ajuste fiscal
No primeiro dia de negócios após o governo admitir a possibilidade de deficit nas contas públicas em 2015, o dólar chegou a R$ 3,29, maior nível desde março.
A redução do superavit primário de 1,1% para 0,15% do PIB (Produto Interno Bruto) também derrubou a Bolsa, que passou a registrar baixa de 0,4% no ano, destoando dos outros mercados de ações do mundo.
Diante da dificuldade do governo em controlar os gastos, investidores cogitam rebaixar a avaliação de risco do país, que pode perder o selo de bom pagador da dívida. A agência Fitch informou que revisará novamente a classificação do país.
A reação negativa do mercado levou a equipe econômica a tentar reverter o clima adverso ao Brasil entre economistas e investidores.
Assessores dos ministérios do Planejamento e da Fazenda tentaram passar a mensagem de que a redução da meta não se traduz em “abandono do ajuste fiscal”.
Em conferência com economistas e investidores brasileiros e estrangeiros, Joaquim Levy (Fazenda) justificou a medida e frisou que ela não alterará de forma significativa a dinâmica da dívida do país. (Mercado A15)

Planalto apoia contato entre FHC e Lula e inclui Dilma
Por meio do ministro Edinho Silva (Comunicação Social), o Planalto apoiou a iniciativa do ex-presidente Lula (PT) de procurar seu antecessor, o tucano FHC, para conversar sobre a atual crise política e tentar conter pressões pelo impeachment.
Edinho ainda indicou que Dilma Rousseff está disposta a participar. “Em todos os países democráticos é natural que ex-presidentes conversem e, muitas vezes, sejam chamados pelos presidentes em exercício.” (Poder A4)

Absolvido, irmão de ex-ministro vai buscar reparação
Preso na Lava Jato por suspeita de integrar esquema de lavagem de dinheiro, Adarico Negromonte Filho foi absolvido pelo juiz Sergio Moro por falta de provas. Irmão do ex-ministro Mário Negromonte, ele deverá buscar reparação judicial pelos quatro dias na prisão. Adarico não quis dar entrevista. (Poder A6)

Bilionário pode bagunçar corrida eleitoral nos EUA
Um dos 16 pré-candidatos republicanos à Presidência dos EUA, Donald Trump ameaça romper com o partido, lançar candidatura independente e bagunçar a corrida à Casa Branca. Pesquisa aponta que o bilionário tem hoje a maior intenção de voto entre o eleitorado republicano, cerca de 20%. (Mundo A10)

Editoriais

Leia “Para onde vamos?”,
a respeito de dificuldades econômicas do país, e “Método cosmético”, sobre programa de metas da Prefeitura de São Paulo. (Opinião A2)


Edição: Equipe Fenatracoop, 24  de Julho de 2015, ás 07:12

Compartilhe nossa Matéria