Manchete dos Jornais deste domingo, 17 de maio de 2015

81

Câmara discute com Supremo novas normas para o tribunal
Ministros do Supremo Tri­bunal Federal tentam garan­tir que eventuais mudanças nas regras de composição e permanência na corte só va­lham para novos integran­tes, informa Ranier Bragon.
Os presidentes do STF, Ri­cardo Lewandowski, e da Câmara, Eduardo Cunha, discutiram o projeto que ti­ra do Executivo a prerrogati­va de nomeações e cria man­datos de 11 anos para minis­tros. Hoje, eles devem deixar o cargo aos 75 anos…

————————————————————————————

O Globo

Manchete: Dinheiro público paga farra de partidos
Mais de 90% do orçamento de 17 legendas vêm dos imposto
Prestação de contas mostra que recursos pagaram carro de luxo e até um avião particular
Dois terços da verba que os 32 parti­dos políticos do país têm para gastar com sua estrutura saem dos cofres públicos, revelam Chico de Gois e Sérgio Roxo. Levantamento feito pelo GLOBO na prestação de contas dos partidos em 2013, a mais recente já processada pela Justiça Eleito­ral, mostra que 66% dos R$ 546 mi­lhões arrecadados pelas siglas na­quele ano vieram do Fundo Partidá­rio, uma parcela do Orçamento da União que teve seu valor triplicado este ano. Nas justificativas das des­pesas, estão mordomias como a compra de um avião. Há até uma fa­mília inteira empregada na direção de um partido. (Págs. 3 a 5)
Contas que não fecham
Famílias sem folga na renda
Há seis anos, as famílias brasileiras não passavam tanto aperto nas contas, informa Lucianne Carneiro. A renda que sobra após gastos essenciais, como habitação e alimentos, é de 36%, mostra estudo. As dívidas, segundo outro indicador, consomem 22,36% dos ganhos. (Pág. 37)
Cigarros polêmicos
Mesmo proibidos no país pela Anvisa, cigarros eletrônicos, em que a dose de nicotina pode ser controlada, são cada vez mais consumidos. (Pág. 43)
Operação Lava-Jato
Ex-senador do PTB é citado por Pessoa (Pág. 11)
Especulação sem freio na Rocinha
Com vista para o mar de São Conrado, ao lado de uma sede de UPP em construção, um prédio irregular de cinco andares no alto da Rocinha (à direita) teve as obras embargadas, mas uma liminar impede a demolição, revela Selma Schmidt. Outro edifício com 50 quitinetes é anunciado em painel de LED. “Aqui é o refúgio dos falidos do asfalto”, diz Rafael Matoso, dono do negócio. Segundo a Associação de Moradores de São Conrado, há 210 casas em áreas de preservação da favela. (Pág. 12)
Fernando Gabeira
Qual seria a posição de Fachin no STF diante da Lava-Jato? (Segundo Caderno)
Míriam Leitão
Governo precisa ter coragem para reformar a Previdência (Pág. 38)
————————————————————————————

Zero Hora

Manchete: A brigada de um homem só
Em pequenas cidades, a escassez de efetivo reduz o policiamento a apenas um brigadiano, o que preocupa os próprios PMs, expostos a quadrilhas equipadas com fuzis, e gera insegurança na população. Comando da BM reconhece deficiência, mas diz que isso não é motivo de preocupação. Pág.1 /Notícias 112 a 15
O ministro dos quatro gabinetes
Como Eliseu Padilha conquistou seu espaço no governo Dilma Pág.1/Notícias 20
Com a palavra Marco Aurélio Mello
“Quem tem algo para esconder não deve aceitar cargo público” Pág.1 Notícias 8 a 10
————————————————————————————

Folha de S. Paulo

Manchete: Arrocho do governo deixa construção civil em crise
Sob juros altos e corte de gastos, setor teve o pior desempenho desde 2003
Após um período de crescimento acelerado, beneficiada pela expansão do cré­dito e da renda e por progra­mas de investimento do governo, a construção civil enfrenta momento de retração. O PIB do setor cairá 5,5% neste ano, o pior desempenho desde 2003, estima a Fundação Getúlio Vargas.
Juros altos e corte dos gas­tos públicos afetaram a de­manda por novos negócios. O panorama piorou com a fuga de recursos da poupan­ça, principal fonte de finan­ciamento para moradia. De janeiro a março, emprésti­mos com verba da poupan­ça tiveram a primeira queda nesse período em 13 anos.
O setor é um dos que lide­ram as demissões no Brasil. Nos primeiros três meses deste ano, as construtoras cortaram 50 mil vagas. Em 12 meses, foram fechados 250 mil postos. “Chegamos ao fundo do poço”, afirma José Carlos Martins, presidente da Câmara Brasileira da In­dústria da Construção.
Para especialistas, a reto­mada só virá após a fase mais dura do ajuste fiscal e monetário. Para aliviar a si­tuação, o governo deve lan­çar nova etapa do Minha Ca­sa, Minha Vida e estuda me­didas para destravar os financiamentos habitacionais para consumidores das clas­ses média e alta. (Mercado, pág. 1)
Câmara discute com Supremo novas normas para o tribunal
Ministros do Supremo Tri­bunal Federal tentam garan­tir que eventuais mudanças nas regras de composição e permanência na corte só va­lham para novos integran­tes, informa Ranier Bragon.
Os presidentes do STF, Ri­cardo Lewandowski, e da Câmara, Eduardo Cunha, discutiram o projeto que ti­ra do Executivo a prerrogati­va de nomeações e cria man­datos de 11 anos para minis­tros. Hoje, eles devem deixar o cargo aos 75 anos. (Poder A4)
A beleza de Dilma
O médico argentino Máxi­mo Ravenns, 63, criador do método que fez Dilma emagrecer 15 quilos, disse que a beleza da presidente lhe causou impacto. “Ela merece pesar menos que 70 quilos, porque é uma mulher muito bonita.” (Mônica Bergamo C2)
4 de 10 viciados largam ação anticrack da gestão Haddad
Quatro de cada dez viciados abandonam o programa de Fernando Haddad (PT) para enfrentar a cracolândia paulistana — que está com­pletando 20 anos de existên­cia. O Braços Abertos ofere­ce trabalho remunerado (R$ 15 ao dia) e teto a usuá­rios de crack, que são incen­tivados a reduzir o consu­mo. A prefeitura diz que os desistentes migram para ou­tros programas. (Cotidiano B1)
Petrobras descobre “exército” que cuida da comunicação
A nova diretoria da Petrobras descobriu que 1.146 pessoas atuam no setor de comunicação, número fora do padrão para empresas desse porte. A Shell, que fatura o triplo da estatal, tem metade dessa equipe. Na Vale, são 45. A Petrobas tenta reestruturar a área. (Mercado pág. 6)
Editoriais
Leia “Horizonte curto”, sobre fontes de financiamento da economia, e “Paliativos e curas”, acerca de problemas na formação de médicos. (Opinião A2)

————————————————————————————

Veja

Manchete: Lava -Jato / Grampo
Sabotagem ou negligência. Entenda as forças em jogo que podem minar o trabalho anticorrupção do juiz Moro
Tamanho real
O ditador da Coreia do Norte é acusado de usar munição antiaérea em execuções
————————————————————————————

Época

Manchete: O inimigo número 1 do governo
O presidente do Senado, Renan Calheiros, faz o que pode para sangrar Dilma Rousseff-e parte com tudo para barrar a nomeação de Luiz Fachin ao Supremo nesta semana
Luta inglória
O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, fala à Época: “é o setor privado que fará o Brasil crescer”
Luta infame
Setenta anos depois, a Alemanha permite a publicação do livro maldito de Adolf Hitler
————————————————————————————

ISTOÉ

Manchete: Medicina- vidas salvas antes mesmo de nascer
Cirurgias em fetos e novos tratamentos para prematuros aumentam os índices de sobrevivência dos bebês, representam um salto gigantesco da Medicina e estão cada vez mais disponíveis no País
Exclusivo: Os escândalos de um padre golpista
Lava Jato: Empreiteiro envolve a campanha de Dilma
————————————————————————————

ISTOÉ Dinheiro

Manchete: O Brasil vai à guerra
Os investimentos de R$ 190 bilhões do governo nas Forças Armadas até 2028 recolocam o País no mapa da indústria bélica mundial e impulsionam os negócios de empresas como Embraer, Avibras, Helibras, Imbel e Condor
Exclusivo: A saga dos funcionários para salvar uma fábrica bombardeada na guerra da Ucrânia
————————————————————————————

Carta Capital

Manchete: CBF: Barco furado
O futebol, esporte mais popular do país, vai mal e está nas mãos de quem se esconde atrás da bandeira nacional
————————————————————————————

Época

Manchete: Luta gaiata
O humor que faz troça dos políticos tenta reconquistar os brasileiros

EBC



Portal Cambé, site de informações e serviços de Cambé – PR.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *