Manchete dos Jornais deste sábado, 16 de janeiro de 2016
Postado por: Equipe Portal Cambé Em 16th janeiro 2016

Brasil ainda se mostra frouxo contra o terror :: L. F. Carvalho Filho
A Olimpíada do Rio reúne todos os povos e, eventualmente, os seus ódios. O Brasil corre riscos? Está aparelhado para monitorar grupos islâmicos radicais (a ameaça concreta) ou apenas para combater terrorismo de gênero e “subversão” interna? Temos agentes versados no idioma árabe? Como controlar a vigilância?

Dilma defende mais impostos
A presidente Dilma voltou a defender a CPMF e afirmou, em entrevista ontem, que o reequilíbrio econômico será feito com mais impostos.


O Globo

Manchete : Acuado, Maduro recorre a emergência econômica
Decreto abre brecha para expropriar; oposição critica poderes excepcionais
Críticos temem que medida dê sinal verde ao governo para confiscar bens de empresas tidas como adversárias
Com a Venezuela acossada por uma inflação estimada em mais de 270% ao ano e crise de desabastecimento, o presidente Maduro decretou emergência econômica por 60 dias. Entre as medidas está a possibilidade de requisitar bens e imóveis privados, levando ao temor de que o governo use expropriações contra adversários. A oposição criticou o decreto, que será apreciado pelo Legislativo, e disse que o verdadeiro problema é o modelo chavista. Na Assembleia, Maduro reconheceu cifras “catastróficas”, mas se disse vítima de uma guerra econômica. (Pág. 25)

País já tem mais de 9 milhões de desempregados
A crise econômica produziu 2,5 milhões de desempregados no Brasil em apenas um ano, informou ontem o IBGE. O país tem agora 9,1 milhões de desocupados. A taxa de desemprego subiu pelo 10º mês e bateu recorde no trimestre encerrado em outubro, chegando a 9%. Para analistas, passará de 10% em 2016. (Págs. 19, 20 e Míriam Leitão)

Dilma defende mais impostos
A presidente Dilma voltou a defender a CPMF e afirmou, em entrevista ontem, que o reequilíbrio econômico será feito com mais impostos. (Pág. 3)

União pode socorrer Petrobras
Caso o preço do petróleo continue a derreter, a presidente não descarta capitalização da Petrobras. A Transpetro pode ser vendida. (Pág. 21)

Só para servidores – Hospital público tem ala exclusiva
Em plena crise da saúde pública no Rio, com filas de pacientes nas portas das unidades, médicos e funcionários concursados do Hospital Rocha Faria, em Campo Grande, criaram um serviço exclusivo de atendimento para eles mesmos e seus parentes: um ambulatório privativo no hospital público, com 57 profissionais, revela GUSTAVO SCHMITT. (Pág. 9)

Lava-Jato – ‘Pauta com Brahma’
Mensagens interceptadas pela Lava- Jato no celular do empreiteiro Léo Pinheiro, ex-presidente da OAS, mostram uma lista de assuntos de interesse da empresa a serem tratados com o ex-presidente Lula. “Pauta c/ Brahma”, diz uma mensagem. (Pág. 6 e Merval Pereira)

Novas regras na Saúde – Planos farão atendimento 24h
A partir de 15 de maio, os planos de saúde terão de oferecer aos usuários atendimento telefônico 24 horas, inclusive nos fins de semana, para esclarecer
dúvidas sobre procedimentos e cobertura. (Pág. 20)

Casos de dengue batem recorde
O número de casos de dengue no Brasil foi recorde em 2015. Houve 1.649.008 notificações, com 863 mortes. A vacina brasileira contra a doença, desenvolvida pelo Instituto Butantan, não deve ficar pronta em menos de três anos. (Pág. 10)


O Estado de S. Paulo

Manchete : Maduro decreta emergência e abre brecha para intervenção
Medida passará pela Assembleia; governo da Venezuela poderá reter bens para garantir abastecimento
O governo venezuelano publicou um decreto de Emergência Econômica que prevê intervenção no setor produtivo primário, como objetivo de tirar o país da grave crise. A inflação de janeiro a setembro de 2015, anunciada ontem, foi de 141,5%. Para entrar em vigor, o decreto depende do aval da Assembleia Nacional, de maioria oposicionista. Se aprovada, a medida será válida por 60 dias, com renovação por mais 60. Em discurso na Assembleia no início da noite ,o presidente Nicolás Maduro defendeu o pacote e falou em aumento no preço da gasolina para aliviar o caixa da estatal do petróleo PDVSA. O decreto ainda dispensa licitações se permite que o governo disponha de bens, mercadorias e instalações privadas para garantir o abastecimento. A economia venezuelana, dependente do petróleo, atravessa o pior momento desde a chegada de Hugo Chávez ao poder,em1999. (Internacional/Pág.A10)

Petróleo abaixo de US$30 derruba ação da Petrobrás
A cotação internacional do barril de petróleo fechou abaixo de US$ 30 pela primeira vezem12 anos, refletindo temores com o crescimento da China e com o aumento de exportações do Irã. Em Londres, o barril foi cotado em US$ 28,94 e em Nova York, US$ 29,42. O efeito no Brasil foi a desvalorização de 9,14% nas ações da Petrobrás, que puxou o resultado do Ibovespa, principal índice da Bolsa, para o menor nível desde 9 de março de 2009, com queda de 2,36%. As ações da Petrobrás já haviam recuado no início da semana, depois de a estatal anunciar que trabalha com projeção de cotação média de US$ 45 por barril, considerada muito otimista pelo mercado. Na estimativa da agência Standard & Poor’s, o preço médio deste ano ficará em US$ 40 por barril. A Petrobrás defendeu suas estimativas e afirmou que só haverá revisão se os valores se consolidarem abaixo dos de ontem. (Economia / Pág. B1)

Subsidiária à venda
A Petrobrás colocou à venda a Transpetro, responsável pelos navios, terminais e oleodutos. A estatal diz que não vai recorrer ao Tesouro para aliviar o caixa. (Pág. B1)

Dilma defende CPMFe se diz preocupadacom desemprego
A presidente Dilma Rousseff afirmou que o retorno da CPMF, cuja proposta tramita no Congresso com resistência da base aliada e da oposição, e o combate ao desemprego serão as bandeiras do governo. Dados divulgados ontem mostram que mais de 9 milhões buscaram uma vaga entre agosto e outubro e a taxa de desemprego chegou a 9% no período. Sobre o impeachment, Dilma disse que a impopularidade não deve ser motivo para a destituição de um presidente. (Política / Pág. A4 e Economia / Pág. B4)

Direto da fonte
Antes de sair da Fazenda, Joaquim Levy deixou emendas modificando a MP sobre tributação. Na ânsia de melhorar as contas, pedia a equalização de impostos atingindo mercado de capitais e cartões de crédito. (Caderno2/ Pág. C2)

Planos de saúde terão atendimento presencial (Metrópole Pág. 15)

EUA orientam grávidas a adiar viagem ao Brasil (Metrópole / Pág. A15)

Michel Temer : A verdadeira Federação
É fundamental a elevação da autonomia municipal ao patamar de uma das principais entidades federativas. E nada mais oportuno do que este ano. (Espaço Aberto / Pág. 2).

Notas & Informações
Uma decisão controvertida
Se a comissão especial é formada por indicação, não cabe falar em eleição. (Pág. A3)

Um trabalho a ser preservado
Sufocar a Lava Jato interessaria só àqueles que têm a ganhar com o mar de lama que invadiu o País. (Pág.. A3)


capa (1)

OPERAÇÃO QUADRO NEGRO
Autoridades receberam R$ 13 milhões desviados de escolas, diz testemunha
CASO CARLI FILHO
‘Sendo otimista’, júri de Carli vai ocorrer no 1.º semestre, diz advogado
DENUNCIADOS
Juiz recebe denúncia da Operação Quadro Negro e dá 20 dias para as defesas
OPERAÇÃO QUADRO NEGRO
Gaeco prende esposa de dono de empresa envolvida em esquema de corrupção na Seed
SAÚDE
Falta transparência nos gastos para o combate à dengue
2ª. FASE
Caderno Justiça & Direito promove correção do XVIII Exame de Ordem
NOVAS REGRAS
Planos de saúde serão obrigados a ter central 24 horas a partir de maio
BRASIL IMPÉRIO
Conheça a história do polêmico marquês do Paraná… que nunca pisou no Paraná
CRISE POLÍTICA
Lava Jato não pode influenciar processo de cassação no TSE, diz advogado de Temer
QUADRO NEGRO
Pepe Richa nega envolvimento em esquema de desvio na educação
POLÍTICA ECONÔMICA
Governo tenta remendar a economia
NEGÓCIOS
MVC diversifica produção e dribla crise
EDUCAÇÃO
ESIC abre nova unidade em Curitiba e entra na briga pelo Ensino Médio
VAREJO
Walmart confirma fechamento de 60 lojas no Brasil
ENERGIA
Petrobras supera meta de produção pela primeira vez em 13 anos
MERCADO
Petróleo cai a menos de US$ 30 o barril pela primeira vez em 12 anos
TRABALHO
Desemprego vai a 9%, com mais 2,5 milhões de pessoas buscando uma vaga
QUALIFICAÇÃO
Confira cursos e palestras com inscrições abertas em Curitiba


Folha de S. Paulo

Manchete : Decreto de Maduro abre margem para confiscos
Presidente venezuelano anuncia emergência econômica, que permite ao governo tomar bens privados
Em medida inédita, alegadamente para enfrentar a crise econômica na Venezuela, o presidente Nicolás Maduro decretou “estado de emergência econômica”. O plano, válido por 60 dias, abre brecha para o confisco de bens de empresas e cidadãos. O pacote foi divulgado horas antes de Maduro apresentar à Assembleia Nacional o seu informe de gestão, no qual afirmou ser vítima de uma “guerra econômica”. Segundo ele, a queda do preço do petróleo diminuiu as receitas em 62%. A medida mais polêmica é a possibilidade de tomada temporária ou definitiva pelo governo de bens e instalações de empresas públicas e privadas para garantir o abastecimento de alimentos, remédios e gêneros de primeira necessidade. As ações, que incluem ainda a dispensa de licitação para compras urgentes, já entraram em vigor. Porém podem ser derrubadas pela Assembleia Nacional e pelo Supremo. Os dois Poderes têm até oito dias para analisar o plano e se manifestar. Para o deputado oposicionista José Guerra, o decreto não resolverá a crise no país porque não muda a política econômica atual. (Mundo a11 análise)

Líder venezuelano abandona o socialismo do século 21 e caminha para o fracassado velho socialismo, escreve Clóvis Rossi.(a12)

Procuradores da Lava Jato e juízes rebatem advogados
Procuradores da Lava Jato e a Ajufe (associação de juízes federais) rebateram o manifesto de advogados que diz que a operação não tem respeitado o amplo direito de defesa.O procurador Deltan Dallagnol considera as acusações “genéricas”. Para a Ajufe, o documento é “mero falatório, fumaça”. (Poder a4)

Para signatário de manifesto, operação é pior que a ditadura (Poder a4)

Sob influência de petróleo e China, ações se desvalorizam
A preocupação com a desaceleração da economia chinesa e a forte queda nos preços do petróleo voltaram a influenciar investidores. Bolsas tiveram novas perdas, e algumas acumulam desvalorização superior a 8% no ano. Principal índice brasileiro, o Ibovespa caiu 2,36% e atingiu o menor nível desde 2009. O dólar subiu, fechando em R$ 4,05. (Mercado pág. 1)
Desemprego atinge 9%, pior taxa desde 2012; procura por trabalho aumenta (Mercado pág. 4)

Engenheiro afirma ter alertado sobre risco em barragem
Em depoimento à Polícia Federal, o engenheiro que projetou a estrutura da barragem que cedeu em Mariana (MG) disse ter alertado, um ano antes da tragédia, a Samarco sobre um “princípio de ruptura” devido a uma trinca. A mineradora não comentou. ( Cotidiano b1)

Ao analisar a crise, presidente do Ipea manifesta negação :: Demétrio Magnoli
Em entrevista à “Ilustríssima”, Jessé Souza, presidente do Ipea, diz que a crise em curso decorre da reação do “grande capital especulativo” contra o governo Dilma, que tentou “comprar a briga” contra a“ grossa corrupção” universal do capitalismo. No estágio da negação, o paciente bloqueia o mundo dos fatos, racionalizando suas próprias emoções. (Poder a5)

Brasil ainda se mostra frouxo contra o terror :: L. F. Carvalho Filho
A Olimpíada do Rio reúne todos os povos e, eventualmente, os seus ódios. O Brasil corre riscos? Está aparelhado para monitorar grupos islâmicos radicais (a ameaça concreta) ou apenas para combater terrorismo de gênero e “subversão” interna? Temos agentes versados no idioma árabe? Como controlar a vigilância? (Cotidiano b2)

Editoriais
Leia “O caso Dayan”, sobre nomeação de novo embaixador de Israel no Brasil, e “Microcefalia e aborto”, acerca de descriminalização da prática. (Opinião A2)


Edição: Equipe Fenatracoop, Sábado, 16 de Janeiro de 2016

Compartilhe nossa Matéria