Manchete dos Jornais nesta quarta-feira, 12 de outubro de 2016
Postado por: Equipe Portal Cambé Em 12th outubro 2016

‘Onde você destampa tem algo errado’
E m seu quarto ano como ministro do STF, Luís Roberto Barroso disse a Luiz Maklouf Carvalho – ao falar sobre a Operação Lava Jato – que o que mais o impressiona é que “um Direito Penal absolutamente ineficiente não funcionou como mínima prevenção geral” contra “uma delinquência generalizada”. Barroso defende foro privilegiado “apenas para os chefes de poder e, talvez, ministros do Supremo”…


O Globo

Manchete: De saída, Beltrame diz que UPPs ainda são desafio
Roberto Sá assumirá o cargo e pretende reforçar policiamento nas ruas
Secretário de Segurança que implantou a política de pacificação no estado há quase dez anos diz acreditar que projeto terá continuidade porque homicídios caíram e moradores aprovam o programa
Após quase dez anos à frente da Segurança do estado, o secretário José Mariano Beltrame decidiu deixar o governo, como antecipou ontem ANCELMO GOIS, e disse ter certeza de que, apesar dos problemas, as UPPs, marco de sua gestão, provam que é possível pacificar territórios antes dominados pelo tráfico. “Poupamos muita vidas. Especificamente, 21.060 vidas em nove anos e nove meses”, disse, um dia após confrontos que aterrorizaram a Zona Sul. Na segunda, assumirá o cargo um de seus principais assessores, o delegado Roberto Sá, que quer reforçar o patrulhamento nas ruas. Favelas vão ganhar 25 bases blindadas. (Págs. 8 a 12)

ANCELMO GOIS
UPP não é panaceia, mas não há outro caminho. (Pág. 12)

MÍRIAM LEITÃO
Beltrame alertou para os riscos nas UPPs. (Pág. 20)

ZUENIR VENTURA
Ipanema expõe sua tragédia urbana. (Pág. 17)

Candidatos divergem na Segurança
Candidatos a prefeito do Rio defenderam propostas distintas na área de Segurança. Crivella sugeriu o uso da Força Nacional e a contratação de PMs aposentados. Freixo, políticas de ações sociais em áreas de UPP. (Pág. 3)

PEDRO DORIA
Algo aproxima Freixo, Crivella e Trump. Não são suas ideias. (Pág.5)

Temer busca ampliar maioria
Após conseguir aprovar com folga na Câmara a proposta que limita gastos públicos, o governo tentará enquadrar aliados que não votaram a favor da medida e avançar com as reformas. Segundo o ministro Padilha, o presidente Temer vai “discutir a relação” com os aliados. O Senado prevê concluir a votação até o fim do ano. (Pág. 20)

MERVAL PEREIRA
Medidas para recolocar o país na rota do crescimento. (Pág. 4)

ELIO GASPARI
Proposta tem de morder andar de cima para ter êxito. (Pág. 16)

Temer: Previdência terá regras iguais
O presidente Michel Temer disse ontem que a reforma da Previdência vai prever que não haverá mais distinção entre as regras dos setores público e privado. (Pág. 20)

BNDES suspende repasses
O BNDES suspendeu US$ 4,7 bilhões em financiamentos a obras no exterior de cinco empreiteiras investigadas pela Lava-Jato. (Pág. 23)

Editorial
‘PEC do teto ajuda Brasil a fazer Orçamento de fato’ (Pág. 16)


O Estado de S. Paulo

Manchete: BNDES bloqueia verba de empreiteiras para obra no exterior
Banco suspende liberação de US$ 4,7 bi para construtoras investigadas na Lava Jato
O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) suspendeu em maio o desembolso de recursos para 25 operações de exportação de serviços de engenharia prestados por empresas investigadas na Operação Lava Jato em nove países: Angola, Cuba, Venezuela, Moçambique, Argentina, Guatemala, Honduras, República Dominicana e Gana. Os projetos de Odebrecht, OAS, Queiroz Galvão, Camargo Corrêa e Andrade Gutierrez somam US$ 7 bilhões em financiamentos, dos quais US$ 4,7 bilhões tiveram a liberação congelada. A suspensão em bloco foi motivada por ação civil da Advocacia-Geral da União. Ontem, o diretor de Comércio Exterior do banco, Ricardo Ramos, anunciou que a instituição vai refazer a análise de crédito dos 25 empréstimos, que poderão ser cancelados definitivamente ou retomados. (ECONOMIA / PÁGS. B1 e B3)

Mudança de regras
O BNDES adotará novos procedimentos para financiamento a exportação de bens e serviços de engenharia. (PÁG. B3)

‘Onde você destampa tem algo errado’
E m seu quarto ano como ministro do STF, Luís Roberto Barroso disse a Luiz Maklouf Carvalho – ao falar sobre a Operação Lava Jato – que o que mais o impressiona é que “um Direito Penal absolutamente ineficiente não funcionou como mínima prevenção geral” contra “uma delinquência generalizada”. Barroso defende foro privilegiado “apenas para os chefes de poder e, talvez, ministros do Supremo”. (POLÍTICA / PÁG. A8)

Eletrobrás admite perdas por propina em contratos
A Eletrobrás admitiu que uma investigação independente feita na empresa encontrou superfaturamentos relacionados a pagamentos de propina que variavam de 1% a 6% do valor dos contratos, “além de montantes fixos”. Também identificou práticas de cartel. As informações estão em documentos enviados à Securities and Exchange Comission, comissão de valores mobiliários americanos, referentes a 2014 e 2015. (ECONOMIA / PÁG. B4)

Delcídio confirma desvios
O senador cassado Delcídio Amaral disse ao Tribunal Superior Eleitoral que a campanha de Dilma-Temer recebeu dinheiro desviado de Belo Monte. (POLÍTICA / PÁG. A10)

Beltrame deixa Secretaria da Segurança do Rio após 10 anos
O delegado federal José Mariano Beltrame pediu demissão do cargo de secretário da Segurança do Rio, encerrando a mais longa gestão à frente da pasta: dez anos. A saída foi anunciada oficialmente ontem, um dia depois que três pessoas morreram em confronto entre traficantes e policiais e o comércio ficou fechado em Copacabana. O subsecretário de Planejamento e Integração Operacional, Roberto Sá, deve assumir o cargo. (METRÓPOLE / PÁG. A19)

País vê êxodo de venezuelanos
Cerca de 30 mil venezuelanos já cruzaram a fronteira em Roraima para se refugiar no Brasil, informa Felipe Corazza. O Estado reluta em decretar emergência, mas a fila para analisar documentação passa de um ano. (INTERNACIONAL / PÁG. A14)

Temer: aposentadoria de político terá reforma (Economia / Pág. B7)

Notas & Informações
Um passo promissor
PEC 241 simboliza o início da recuperação das finanças públicas destroçadas na era lulopetista. (PÁG. A3)

A cara burocracia portuária
A importância econômica dos portos contrasta com sua burocracia, excessiva, cara e complexa. (PÁG. A3)


Folha de S. Paulo

Manchete: Total de acidentes com mortes nas marginais cai 52%
Após redução da velocidade nas vias de SP, atropelamentos fatais passaram de 24 para 1; Doria promete reverter medida
Um ano após a implantação da redução de velocidade nas marginais Tietê e Pinheiros, a soma de acidentes fatais nas vias paulistanas caiu pela metade, segundo dados compilados pela CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) obtidos pela Folha. De julho de 2014 a junho de 2015, foram 64 acidentes com mortes, contra 31 ocorrências do tipo nos 12 meses seguintes, até junho de 2016. Com isso, a queda foi de 52%. Na mesma base de comparação, o número de colisões fatais passou de 40 para 30; o total de atropelamentos com mortes caiu de 24 para um. Não é incomum encontrar ambulantes em meio a veículos nos horários de pico ou pedestres atravessando as vias. A redução dos limites, em julho de 2015, dominou o debate eleitoral e ganhou força na transição entre as equipes do prefeito Fernando Haddad (PT) e de João Doria (PSDB). Na campanha, o tucano disse que daria fim “à indústria da multa” elevando os limites, em janeiro de 2017. Mesmo com a queda das mortes, as multas por excesso de velocidade —que podem variar de R$ 85 a R$574—triplicaram nas vias. Mas o tucano já admite rever a promessa. Em conversa com cicloativistas, disse que pode manter a velocidade reduzida em alguns trechos das marginais. (Cotidiano B1 e B4)

Com aprovação de teto de gasto, mercado prevê queda de juros
A vitória do governo ao aprovar, em primeira votação na Câmara, a PEC (emenda constitucional) que cria um teto para os gastos públicos faz investidores reforçarem as apostas de que a taxa básica de juros do país cairá. Para analistas, a Selic, hoje em 14,25%, pode ser reduzida em até 0,5 ponto percentual na próxima semana. A segunda votação da PEC na Câmara deve ocorrer no final do mês. Se aprovada, irá para o Senado. (Mercado A15)

Elio Gaspari
Para PEC ser eficaz, precisará ter dentes afiados. (Poder A8)

Após uma década, Beltrame deixa a Segurança do Rio
O mais longevo secretário da Segurança do Rio, José Mariano Beltrame, deixará na semana que vem o cargo que ocupa há quase dez anos. Beltrame implantou e viu decair um dos programas de maior sucesso na área de segurança pública, as UPPs (Unidades de Polícia Pacificadora). (Cotidiano B9 e B10)

João Doria
Desestatização vai trazer para a cidade ganhos imediatos
Pretendo, sim, colocar à venda o complexo do Anhembi e o autódromo de Interlagos e entregar à iniciativa privada, em regime de concessão, o direito de explorar o estádio do Pacaembu. A prefeitura deixará de gastar com a manutenção dos espaços e, com o dinheiro obtido, investirá em educação e saúde, o que resultará em benefícios imediatos para a população. (Opinião A3)

Editoriais
Leia “O avanço do teto”, sobre aprovação de proposta que limita gastos públicos, e “Divisível e imperfeito”, a respeito de pacote contra a corrupção. (Opinião A2)


Edição: Equipe Fenatracoop, Quarta-Feira, 12 de Outubro de 2016

Compartilhe nossa Matéria