Manchete dos Jornais nesta quarta-feira, 27 de abril de 2016
Postado por: Equipe Portal Cambé Em 27th abril 2016

Para evitar mais impostos, Temer quer ‘cortes radicais’
Caso assuma a Presidência, o vice-presidente, Michel Temer, admite realizar “cortes radicais” no Orçamento a fim de tentar, sem novos tributos, recobrar as contas públicas e reverter o corte de vagas formais em até oito meses, informa Valdo Cruz.
Em um primeiro momento, seriam cortados 60% dos investimentos, mantendo só obras em andamento. A economia de R$ 31 bilhões reduziria o deficit esperado para 2016, quase R$ 100 bilhões.
O tamanho do ajuste, porém, será definido com o novo ministro da Fazenda. A interlocutores Temer diz que o mais cotado é Henrique Meirelles, ex-presidente do BC.
A solução para o rombo das contas públicas passa pelo aumento de tributos, como a CPMF, ou redução de despesas. Dois dos cinco especialistas ouvidos pela Folha consideram inevitável a elevação da carga tributária.
No campo político, Temer quer atrair o “PSDB por inteiro” para o governo. O senador José Serra (SP) assumiria uma pasta na área social, mas os tucanos ainda divergem sobre a adesão.
O peemedebista planeja implementar uma gestão descentralizada em seu futuro ministério, em oposição à da presidente Dilma Rousseff….


O Globo

Manchete : Preferido de Temer, Meirelles anima mercado
O vice-presidente Michel Temer admitiu ter sondado o ex-presidente do Banco Central Henrique Meirelles para ocupar o Ministério da Fazenda caso assuma o governo com o possível impeachment da presidente Dilma, o que provocou reações positivas no mercado, contribuindo para a alta de 2,35% da Bovespa. A Jorge Bastos Moreno, Temer disse que delegaria “ao Meirelles” o direito de indicar o presidente do BC. O vice também sinalizou que quer o senador tucano José Serra na Educação e o advogado Antônio Mariz de Oliveira na Justiça. O nome de Mariz, que assinou manifesto de advogados crítico à Lava-Jato, causou polêmica. O PMDB do Rio planeja influenciar escolhas no Esporte e no Turismo. (Págs. 3 e 4)

Aécio recua, e PSDB terá cargos no governo
Pressionado, o presidente do PSDB, Aécio Neves, e a cúpula do partido recuaram e decidiram apoiar o governo Temer, inclusive com a ocupação de cargos. (Pág. 4)

Comissão do impeachment avança
A comissão do impeachment confirmou: votação que pode afastar Dilma será dia 11 de maio. (Pág. 6)

STF mantém preso Marcelo Odebrecht
O STF libertou dois executivos do grupo, mas manteve preso o ex-presidente Marcelo Odebrecht. (Pág. 8)

Delator confirma propina de R$ 4 milhões para Cunha (Pág.7)

Consórcio de ciclovia é proibido de participar de licitações no Rio
A prefeitura decidiu ontem, cinco dias após o acidente, proibir o consórcio de empresas responsável pela construção da Ciclovia Tim Maia de participar de licitações públicas até o fim das investigações. (Pág. 11)

Inativos do Rio devem receber hoje
O Tribunal de Justiça do Rio prometeu que aposentados e pensionistas do estado receberão hoje. O órgão confiscou R$ 648 milhões em contas do estado para garantir o pagamento a cerca de 137 mil aposentados que ganham acima de R$ 2 mil e ainda não receberam este mês. (Pág. 13)

Do plano de saúde para a rede pública
A recessão e o desemprego levaram 196 mil pessoas a desistirem de ter planos de saúde no Rio, queda maior do que a média nacional. Esse grupo já engrossa as filas da precária rede pública. (Pág. 10)

Rombo da União pode ir a R$ 402 bi
O STF decide hoje se a dívida dos estados deve ser corrigida por juros simples. Segundo o Ministério da Fazenda, isso provocaria um rombo de R$ 402 bilhões nas contas da União ao fim deste ano. (Pág. 22)

Portos do Rio recebem R$ 4 bi
A CSN vai investir R$ 2,7 bilhões em Itaguaí, informa Danilo Fariello. Os portos fluminenses atraíram R$ 4 bilhões em investimentos nos últimos meses. (Pág. 19)

FAB é obrigada a transportar órgão
A Justiça Federal mandou o governo usar a frota da FAB para transportar órgãos para transplantes. O GLOBO revelou que um menino morreu por não receber um coração. (Pág. 9)

Elio Gaspari
Eduardo Paes vive realidade própria e é um personagem com toques de Donald Trump. (Pág. 16)
Zuenir Ventura
Desabamento de ciclovia traz a sensação de que o Rio é a bola da vez do azar. (Pág. 17)
Míriam Leitão
Meirelles enfrentará muitos problemas se assumir. Pág. 20)
Merval Pereira
STF terá de dizer se Dilma poderá usar Alvorada na oposição. (Pág. 4)
Ilimar Franco
Núcleo duro será formado por PMDB, PSDB e DEM. (Pág. 2)
Roberto da Matta
Tomar partido foi um ato fora do comum para deputados. (Pág.17)


O Estado de S. Paulo

Manchete: PSDB negocia adesão total a eventual governo Temer
Para tucanos, Serra tem de deixar de ser único interlocutor e PMDB não deve disputar eleição em algumas cidades
A direção nacional do PSDB impôs condições ao vice-presidente Michel Temer para aderir totalmente a seu eventual governo. A primeira é que qualquer conversa com o partido deve ocorrer em “caráter institucional”, o que significa dizer que o senador José Serra não é o único nome entre os tucanos a ser procurado pelo vice. A segunda e mais complexa é que Temer e o PMDB devem se manter distantes das eleições municipais deste ano em cidades que o PSDB considera prioridade, como São Paulo. O vice está disposto a conversar sobre esses pontos e, ontem mesmo, o presidente do PSDB, Aécio Neves, mudou o discurso. Disse que o partido não deverá se opor a eventual participação de seus membros num futuro governo Temer. Aécio também confirmou para a próxima semana apresentação de “agenda emergencial” para o País. Nos bastidores, tucanos dizem se tratar de lista de sugestões para as áreas econômica e social que o PSDB quer impor ao peemedebista. (Política/Pág. A4)

Vice-presidente define Meirelles para a Fazenda
O vice-presidente Michel Temer admite que o ex-presidente do Banco Central Henrique Meirelles é o nome para assumir o Ministério da Fazenda. O senador Romero Jucá (PMDB-RR) é o mais cotado para o Planejamento. Antônio Claudio Mariz de Oliveira é o favorito de Temer para a Justiça.(PÁGS. A5 e A6)

Lobista diz que repassou a Cunha propina de R$ 4 milhões
O lobista Fernando Falcão Soares, o Fernando Baiano, condenado na Operação Lava Jato, confirmou aos membros do Conselho de Ética da Câmara que repassou R$ 4 milhões em propina ao presidente da Casa,Eduardo Cunha (PMDB-RJ), entre 2010 e 2012. Baiano disse que o peemedebista o ajudou a pressionar o lobista Júlio Camargo a pagar uma “dívida” de US$ 10 milhões relacionada à Petrobrás e,por isso, Cunha recebeu o dinheiro. A assessoria do peemedebista disse que as alegações são antigas e sem provas. (POLÍTICA/PÁG. A11)

Aliado de Aécio será relator da comissão de impeachment
O governo sofreu nova derrota com a eleição de Antonio Anastasia (PSDB-MG) para relatar o processo de impeachment no Senado. Ele foi eleito apesar dos argumentos de que sua imparcialidade seria comprometida em função da sigla. Raimundo Lira (PMDB-PB) presidirá a comissão. (PÁG.A8)

Comissão votará relatório no dia 6
Senadores decidiram calendário do impeachment na Casa. Votação no plenário será dia 11. (PÁG. A10)

Repasses suspeitos
A Lava Jato achou repasses da Andrade Gutierrez de R$ 231 milhões a empresas suspeitas e de fachada, algumas usadas no esquema da Petrobrás.(PÁG. A12)

TSE multa tucanos por contas de 2010
O Tribunal Superior Eleitoral autuou o PSDB em R$ 1,1 milhão por irregularidades nas contas de 2010. Elas foram aprovadas com ressalvas, assim como as de PMDB e mais 6 partidos. (PÁG. A12)

Coluna do Estadão
Os focos das próximas fases da Operação Lava Jato seriam BR Distribuidora, Transpetro, Sete Brasil e os “sindicalistas da Petrobrás”, o que inclui a área de marketing e comunicação da empresa, tida como feudo do PT. (PÁG. A4)

Dora Kramer
Carta fora do baralho
Além de anunciar medidas que possam dar um “choque de animação” na economia, se vier a assumir a Presidência, Michel Temer deve anunciar o fim de sua pretensão em concorrer a cargos eletivos. (PÁG. A6)

Liminares da dívida tiram R$ 2,5 bi da União (ECONOMIA / PÁGS. B1 e B3

Monica de Bolle
Protagonistas do subsolo
Pouca atenção é dada ao País, salvo a curiosidade de tentar compreender como pôde o Brasil ter ido do céu ao inferno em tão pouco tempo. (ECONOMIA / PÁG. B4)

Notas & Informações
Pauta-bomba no Supremo
Se o desastre ocorrer, a piorado quadro fiscal tornará muito mais difícil a retomada do crescimento. (PÁG. A3)

Só restou a truculência
Lula deixou de lado o pouco que lhe restava de responsabilidade e partiu para o ataque frontal às instituições. (PÁG. A3)


Folha de S. Paulo

Manchete : Para evitar mais impostos, Temer quer ‘cortes radicais’
Caso assuma a Presidência, o vice-presidente, Michel Temer, admite realizar “cortes radicais” no Orçamento a fim de tentar, sem novos tributos, recobrar as contas públicas e reverter o corte de vagas formais em até oito meses, informa Valdo Cruz.
Em um primeiro momento, seriam cortados 60% dos investimentos, mantendo só obras em andamento. A economia de R$ 31 bilhões reduziria o deficit esperado para 2016, quase R$ 100 bilhões.
O tamanho do ajuste, porém, será definido com o novo ministro da Fazenda. A interlocutores Temer diz que o mais cotado é Henrique Meirelles, ex-presidente do BC.
A solução para o rombo das contas públicas passa pelo aumento de tributos, como a CPMF, ou redução de despesas. Dois dos cinco especialistas ouvidos pela Folha consideram inevitável a elevação da carga tributária.
No campo político, Temer quer atrair o “PSDB por inteiro” para o governo. O senador José Serra (SP) assumiria uma pasta na área social, mas os tucanos ainda divergem sobre a adesão.
O peemedebista planeja implementar uma gestão descentralizada em seu futuro ministério, em oposição à da presidente Dilma Rousseff. (Poder A4 e Mercado A13)

Lava Jato reage à possível ida de criminalista para a Justiça
Para investigadores da Lava Jato, a possível nomeação de Antonio Claudio Mariz de Oliveira para o Ministério da Justiça em eventual governo Temer será sinal de descompromisso com a luta contra a corrupção no país.
O criminalista Mariz é um dos advogados que assinaram em janeiro manifesto comparando a Lava Jato à Inquisição e à ditadura militar (1964-1985). (Poder A5)

Alckmin faz crítica à Fapesp por verba para ‘estudo inútil’
Em reunião, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) criticou a Fapesp, principal órgão de fomento à ciência no Estado, que, segundo ele, prioriza estudos sem serventia e dá pouco apoio ao desenvolvimento da vacina da dengue. Procurada, a fundação, que destina quase 30% das verbas à saúde, não comentou. (Ciência B5)

Lobista afirma na Câmara que levou propina a Cunha
Ouvido como testemunha no processo de cassação de Eduardo Cunha (PMDB-RJ), o lobista Fernando Baiano confirmou ao Conselho de Ética da Câmara que fez pagamentos de propina ao presidente da Casa. Ele afirmou ter entregado cerca de R$ 4 milhões em espécie no escritório do deputado no Rio. Cunha nega. (Poder A8)

Vice se torna alvo central de grupo que ridiculariza políticos (Poder A8)

STF decide, por 3 a 2, manter prisão de Marcelo Odebrecht (Poder A7)

Aliados
Aécio Neves (PSDB-MG) cumprimenta Antonio Anastasia (PSDB-MG), relator da comissão do impeachment no Senado; à esq., Raimundo Lira (PMDB-PB), presidente do colegiado, que deve avaliar o pedido em 6 de maio (Poder A6)

Mônica Bergamo : Para ministros do STF, antecipação de eleições seria ilegal
A proposta de antecipação das eleições presidenciais, debatida por aliados de Dilma e tema de encontro entre Lula e Renan, pode ser considerada inconstitucional, segundo ministros do Supremo.
O vice, Michel Temer, está preocupado com a hipótese de progresso da ideia de “Diretas Já”, classificada por ele de “golpe”. (Ilustrada C2)

Editoriais
Leia “Tudo pelo social”, sobre programas assistenciais em eventual governo Temer, e “Imagem em jogo”, a respeito de Olimpíada no Rio de Janeiro (Opinião A2)


Edição: Equipe Fenatracoop, Quarta-Feira, 27 de Abril de 2016

Compartilhe nossa Matéria