Manchete dos Jornais nesta quinta-feira, 02 de maio de 2016
Postado por: Equipe Portal Cambé Em 2nd junho 2016

Para petistas, Dilma não teria condições de governar
Petistas e aliados de Dilma convenceram a presidente afastada a, mesmo se conseguir voltar, propor plebiscito por novas eleições. Para eles, ela não teria mais como governar….
SP tem 1 estupro de menor ou incapaz por dia
A cada dia, o Estado de São Paulo registra pelo menos um estupro de mulher menor de 14 anos ou adulta sem condição física ou mental de resistir a ato sexual praticado por parente ou pessoa próxima. Só neste ano houve 144 casos, a maioria no interior…


O Globo

Manchete : PIB retrocede cinco anos
Economia cai 0,3%, mas pior momento já passou
Taxa de investimento é a menor em 21 anos
Brasil fica na lanterna global, atrás até da Grécia
O PIB brasileiro caiu 0,3% no início deste ano, na comparação com o fim do ano passado. Frente ao início de 2015, o tombo foi ainda maior, de 5,4%, marcando o oitavo trimestre seguido de recessão. Com isso, a economia brasileira retrocedeu ao patamar de cinco anos atrás. O resultado deixou o Brasil na lanterna do crescimento global. A taxa de investimento, de 16,9% do PIB, foi a menor em 21 anos. Mas, diante da magnitude da crise, analistas dizem acreditar que o pior já passou e que, agora, a trajetória da economia começa a mudar. As projeções para o PIB deste ano foram revistas, e a retração deve ser inferior ao tombo de 3,8% de 2015. A retomada da atividade econômica, porém, dependerá de reformas e ajustes. (Págs. 19 a 26 e editorial “PIB e desemprego clamam pelas reformas”)

Apesar do ajuste, R$ 64 bi para servidores
Temer pediu rapidez em votação, e Câmara começa a aprovar aumentos para funcionalismo
Apesar da previsão de déficit de R$ 170,5 bilhões nas contas públicas este ano, a Câmara começou a aprovar ontem aumentos para 16 categorias de servidores. Numa decisão que surpreendeu por causa do ajuste fiscal e provocou mal-estar entre os tucanos, aliados do governo, o presidente interino, Michel Temer, pediu que os projetos fossem votados ainda ontem. O impacto previsto, em 4 anos, é de R$ 64 bilhões. Só o aumento do Judiciário, aprovado no começo da noite, terá impacto de R$ 8 bilhões. O Ministério do Planejamento sustenta que o rombo não será ampliado porque os valores estão previstos no Orçamento. (Pág. 9)

‘E AGORA, BRASIL?’ – Reformas urgentes
Em debate, Malan afirma que país não pode ficar à deriva. (Págs. 27 a 30)

BNDES vai atuar em privatizações
Na posse da presidente do BNDES, Maria Silvia Bastos Marques, o ministro Henrique Meirelles disse que o banco coordenará as privatizações. (Pág. 25)

Petrobras sem ingerências
Pedro Parente, novo presidente da estatal, diz que o governo não vai interferir nos preços dos combustíveis. (Pág. 25)

Relator vê ‘provas robustas’ contra Cunha
Deputado recomenda cassação do mandato de presidente afastado da Câmara por ‘escancarada tentativa’ de omitir bens
Aplaudido e às lágrimas, o deputado Marcos Rogério (DEMRO), relator do processo no Conselho de Ética contra o presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), pediu ontem a cassação do mandato do peemedebista, réu na Lava-Jato e acusado de receber propina em contas não declaradas no exterior. O relator afirmou ter encontrado “provas robustas” sobre vantagens indevidas obtidas por Cunha com o desvio de recursos da Petrobras. As trusts usadas por ele na Suíça foram apontadas pelo relator como “instrumentos para tornar viável a prática de fraudes: escancarada tentativa de dissimular a existência de bens”. O longo processo no Conselho de Ética, marcado por manobras de aliados de Cunha que ontem conseguiram adiar a votação para semana que vem, completa hoje seis meses. (Págs. 3 e 4)
Lava-Jato só aceita delação de Odebrecht se patriarca falar (Pág. 7)

Para petistas, Dilma não teria condições de governar
Petistas e aliados de Dilma convenceram a presidente afastada a, mesmo se conseguir voltar, propor plebiscito por novas eleições. Para eles, ela não teria mais como governar. (Pág. 6)

Mulheres protestam nas ruas contra estupro (Págs. 11 e 12)

Colunas
Merval pereira – Ideia de chamar plebiscito é golpista e farsesca. (Pág. 4)

Míriam Leitão – Anemia econômica (Pág. 20)

Carlos A. Sardenberg – Conserto vai levar tempo (Pág. 16)


O Estado de S. Paulo

Manchete : PIB cai 0,3% e economia do País volta ao nível de 2011
Redução no consumo das famílias ajudou a puxar queda, que, no entanto, foi menor que a prevista
A economia manteve o quadro de recessão no primeiro trimestre do ano, com queda de 0,3% do PIB, e recuou ao patamar do início do governo Dilma Rousseff, em 2011. Apesar de ser a quinta queda consecutiva (no trimestre comparado ao período anterior), o resultado do PIB foi melhor do que o esperado pelo mercado, que previa retração de 0,8%. Para analistas, a queda menos acentuada indica que o fundo do poço está próximo. A aposta é de estabilização no segundo semestre e avanço em 2017. Para o Ministério da Fazenda, números apontam “a mais intensa recessão da história”, mas com processo de recuperação nos próximos meses. Na comparação com o primeiro trimestre de 2015, a economia encolheu 5,4%. Houve redução em investimentos e consumo das famílias. Segundo a agência Austin Rating, o Brasil teve o pior resultado entre 31 países. (Economia B1 a B5)

Celso Ming – Queda menor que esperada do PIB deve reforçar aposta de que a recuperação pode chegar antes do que se previa. (B2)
José Paulo Kupfer – Se antes um tombo de 4% na atividade econômica era o piso das estimativas para 2016, agora pode vir a ser um teto. (B4)

Câmara aprova pacote de reajuste para servidores
A Câmara aprovou mais de dez projetos de reajuste de servidores de várias carreiras públicas federais. O aumento médio concedido foi de 21,5%, dividido em quatro anos. Os projetos custarão pelo menos R$ 56 bilhões aos cofres públicos até 2019, sem contar o efeito cascata. Quase todas as propostas agora passarão pelo Senado. A maioria não tinha previsão de votação até terça-feira. Ontem, porém, numa tentativa de reduzir a pressão do PT e de sindicatos dos servidores, Michel Temer orientou líderes da base a votarem a matéria. Tiveram salários reajustados funcionários do Judiciário e ministros do Supremo Tribunal Federal, do Ministério Público da União, do Executivo, Legislativo, Tribunal de Contas da União e da Defensoria Pública. Ainda ganharam aumento servidores da Educação, de agências reguladoras, das Forças Armadas e de ex-territórios. (Política A5)

Lava Jato é base para pedido de cassação de Eduardo Cunha
O relator Marcos Rogério (DEM-RO) usou investigações da Operação Lava Jato para recomendar ontem a cassação do mandato do deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) por ter mentido à CPI da Petrobrás no ano passado ao negar que tivesse contas no exterior. Rogério disse que há provas fartas que comprovam a prática de condutas graves e ilícitas do peemedebista, incluindo recebimento de propina de esquema de corrupção. Como aliados de Cunha pediram vista, o pedido só deve ser discutido e votado na terça- feira. (Política A4)

Delator cita repasse a amigo de Pimentel
Delator da Operação Lava Jato, o contador Roberto Trombeta disse que o governador de Minas, Fernando Pimentel (PT), estava em reunião na casa do dono do Grupo Caoa, em agosto de 2014, em que foi solicitada ao empresário participação no repasse de R$ 3 milhões a Benedito Rodrigues de Oliveira Neto, apontado como operador de propinas do petista. (Política A10)

Corrêa diz que FHC ‘comprou’ 50 votos
O ex-deputado Pedro Corrêa (PP-PE) disse em delação à Lava Jato que líderes governistas “compraram os votos” de “mais de 50 deputados” para aprovar a reeleição no País em 1997, e que o governo à época “abafou” o caso. (A9)

SP tem 1 estupro de menor ou incapaz por dia
A cada dia, o Estado de São Paulo registra pelo menos um estupro de mulher menor de 14 anos ou adulta sem condição física ou mental de resistir a ato sexual praticado por parente ou pessoa próxima. Só neste ano houve 144 casos, a maioria no interior. (Metrópole A15)

Balança comercial registra saldo recorde (Economia B6)

MTST invade prédio da Presidência em SP
Integrantes do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto invadiram o hall do prédio onde fica o escritório da Presidência da República, na Avenida Paulista. Houve confronto com PMs. Até o final da noite, o local não havia sido desocupado. (Política A6)

José Roberto de Toledo
Enquanto o cisne não vem – Temer não tem poder para demitir unilateralmente ministros bancados por outros caciques do PMDB. Entradas e saídas dependem de negociação (Política A6)

Veríssimo
Gravações – Sérgio Machado pode concorrer a um Grammy: suas gravações são sucesso! Não entendi se são grampos ou se ele anda com um gravador. (Caderno2 C8)

Notas&Informações
Torcer contra só piora – Temer é o que temos para reverter o pessimismo que um PT revanchista tenta incutir nos brasileiros (A3)

Buscando o fundo do poço – O fundo do poço está próximo, dizem os otimistas, e no segundo semestre a economia deve estabilizar-se (A3)


Folha de S. Paulo

Manchete : Recessão se aprofunda, mas surgem sinais de estabilização
PIB soma 7,1% de queda desde o 2º trimestre de 2014, derrocada mais longa e intensa em 22 anos
Após fechar 2015 com a maior recessão em um quarto de século, a economia brasileira encolheu menos que o previsto no primeiro trimestre deste ano — o último sob comando de Dilma Rousseff, afastada em 12 de maio. O Produto Interno Bruto, medida dos bens e serviços produzidos, caiu 0,3% nos três primeiros meses de 2016 em relação ao quarto trimestre de 2015. O consumo das famílias, que recuou 1,7%, teve maior peso no resultado. Completaram-se cinco trimestres consecutivos de queda no PIB. Pelos critérios da Fundação Getúlio Vargas, o ciclo de contração já dura dois anos. Acumula-se no período um decréscimo de 7,1%, a derrocada mais longa e intensa desde que o Real derrubou a hiperinflação, em 1994. A queda no trimestre foi menor que a prevista no mercado (-0,8%) e já surgem sinais de estabilização do quadro. Índice que sintetiza dados sobre expectativas registrou em abril a terceira melhora mensal seguida. (Mercado a17)

Análise PIB
José Augusto de Castro – Comércio exterior evitou resultado negativo pior (Mercado a20)

Armando Castelar – É provável que o fundo do poço esteja próximo (Mercado a19)

Felipe Salles e Rodrigo Miyamoto – Indústria tem primeiros indícios de recuperação (Mercado 19)

Relator diz que Cunha mentiu em CPI e pede a sua cassação
Relator do Conselho de Ética que analisa o caso de Eduardo Cunha, o deputado Marcos Rogério (DEM-RO) pediu a cassação do mandato do presidente afastado da Câmara alegando que o peemedebista mentiu à CPI da Petrobras, em 2015, ao negar possuir contas no exterior. Cunha, acusado de quebra de decoro parlamentar, alega que as contas na Suíça não são dele, mas de administradoras de recursos que contratou. (Poder a10)

Para PF, presidente do Bradesco sabia de negociações
Relatório de indiciamento da Polícia Federal diz que o presidente do Bradesco, Luiz Trabuco, sabia das supostas ações do banco no Carf (conselho de recursos fiscais), órgão vinculado à Fazenda. O texto é baseado em declarações de investigados na operação que apura pagamento de propina para reverter multas do fisco. O banco nega atos ilícitos. (Mercado a18)

Temer concorda com pauta-bomba de R$ 58 bilhões
Mesmo com a expectativa de fechar o ano com deficit de R$ 170 bilhões nas contas públicas, o presidente interino, Michel Temer (PMDB), avalizou a aprovação de pacote de reajuste para o funcionalismo federal (Executivo, Judiciário, Legislativo e Ministério Público), que tramita na Câmara. O impacto será de ao menos R$ 58 bilhões até 2019. (Mercado a23)

Responsável pelo ajuste fiscal no RJ ganha supersalário
Responsável pelo rígido ajuste nas contas do Rio, o secretário de Fazenda, Júlio Bueno, recebe um supersalário, acima do teto do Estado, informa Italo Nogueira. Cedido pela Petrobras, ele ganha R$ 49 mil pela estatal e R$ 16,6 mil pelo Estado. O governo diz que a regra que permite a Bueno ter dois vencimentos na função não foi criada por ele. (Poder a11)

Editoriais
Leia “Questão de perspectiva”, sobre nova queda do PIB no trimestre, e “Operação censura”, acerca de decisões contra a liberdade de expressão. (Opinião a2)


Edição: Equipe Fenatracoop, Quinta-Feira, 02 de Maio de 2016

Compartilhe nossa Matéria