Manchete dos Jornais nesta quinta-feira, 09 de junho de 2016
Postado por: Equipe Portal Cambé Em 9th junho 2016

Cúpula do PMDB agiu para impedir delação, diz Janot
Para procurador, houve ainda combinação de versões; Sarney, Jucá e Renan negam
O pedido de prisão de três integrantes da cúpula do PMDB feito pela Procuradoria- Geral da República afirma, segundo a Folha apurou, que eles combinavam versões de defesa e estratégias para evitar serem atingidos pela Operação Lava Jato. A investigação sugere que o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), o ex-presidente José Sarney (PMDB-AP) e o senador Romero Jucá (PMDB-RR) atuaram para impedir a delação do ex-presidente da Transpetro e aliado Sérgio Machado. Para o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, há ainda indícios de que o grupo tentaria influenciar o Judiciário e produziria documentos para maquiar desvios na gestão de Machado. O delator, que gravou diálogos com os peemedebistas, disse ter repassado para eles R$ 70 milhões do petrolão. Ainda não há prazo para decisão do Supremo Tribunal Federal sobre os pedidos. Renan afirmou que nunca agiu para evitar a aplicação da lei. Sarney se disse perplexo e indignado com o pedido de prisão. A defesa de Jucá nega que ele tenha recebido recursos ilegais…


O Globo

Manchete: Delator: repasse na Suíça foi para campanha de Dilma
Zwi diz que depositou US$ 4,5 milhões para marqueteiro a pedido de Vaccari
Dinheiro foi repassado a uma conta de João Santana de 2013 até o fim da campanha eleitoral de 2014
Novo delator da Lava-Jato, o engenheiro polonês Zwi Skornicki afirmou que os US$ 4,5 milhões que transferiu para conta do marqueteiro do PT, João Santana, na Suíça tinha o objetivo de financiar a campanha de reeleição de Dilma Rousseff em 2014, informa THIAGO HERDY. O dinheiro de caixa dois, segundo o delator, que representa um estaleiro contratado pela Petrobras, foi pedido pelo ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto, preso desde 2015. Os repasses foram feitos entre setembro de 2013 e novembro de 2014. Mônica Moura, mulher de Santana, já confessara ter recebido R$ 10 milhões não declarados. Dilma disse que as acusações são mentirosas. (Pág. 3)

Editorial
‘Estrutura partidária calamitosa agrava crise política’ (Pág. 16)

Ameaçado de prisão, Cunha continua a manobrar
Partido aliado troca três integrantes de comissão para tentar alterar regra e salvar presidente afastado
Alvo de pedido de prisão por obstruir investigações, o presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha, é acusado de patrocinar mais uma manobra para evitar sua cassação. O PR trocou, sem aviso, três deputados na comissão que votará regra que pode salvar o peemedebista. Os substitutos são tidos como votos certos pró- Cunha. Partidos como PSDB e DEM levantam suspeita de que o governo Temer atua para livrá-lo. Segundo o colunista LAURO JARDIM, Fábio Cleto, ex-vice-presidente da Caixa, entregou à Lava-Jato nomes de operadores de Cunha. (Pág. 6)

PF bate na porta do Japonês da Federal
Famoso por prender investigados da Lava-Jato, Newton Ishii, o Japonês da Federal, foi preso por colegas da PF por facilitar contrabando. (Pág. 5)

Colunistas
Merval Pereira
Antecipar eleição pode acirrar mais os ânimos. (Pág. 4)

Míriam Leitão
Leve esperança na economia, incerteza na política. (Pág. 20)
Alvo de protestos, Maranhão teve de abandonar sessão de novo (Pág. 7)

Foto- legenda: Inimigo meu
Janaína Paschoal, autora do pedido de impeachment, e José Eduardo Cardozo, defensor de Dilma, trocam gentilezas na comissão que analisa impedimento. (Pág. 4)

Dólar cai mais e fecha em R$ 3,37
Com o otimismo no mercado externo e a percepção de que o novo presidente do BC, Ilan Goldfajn, fará menos intervenção no câmbio, o dólar comercial caiu 2,34%, para R$ 3,37. O turismo já é negociado abaixo de R$ 3,50. O BC manteve a taxa básica de juros em 14,25% ao ano. (Págs. 19 e 22)

R$ 5,7 bi: A receita da legalização
O comércio formal de maconha no Brasil poderia movimentar R$ 5,7 bilhões por ano, com projeções de arrecadação tributária de R$ 5 bilhões, segundo estudo elaborado por consultores da Câmara dos Deputados. (Pág. 28)

Governo ‘pedalou’ com tarifas
A meta fiscal deste ano prevê o pagamento de R$ 2,7 bilhões em tarifas bancárias devidas a Banco do Brasil e Caixa pelo governo Dilma. Teto para gastos deve ser temporário. (Pág. 21)

Dornelles decide cortar R$ 1,4 bi
O governador em exercício, Francisco Dornelles, anunciou o fim de cinco secretarias e de programas sociais, o corte de 30% nos gastos e revisão de cem grandes contratos. A economia deve chegar a R$ 1,4 bi. (Pág. 10)


O Estado de S. Paulo

Manchete: Senado articula acordão para barrar prisão de Jucá e Renan
Mesmo em caso de determinação do Supremo, tendência é de que parlamentares se posicionem contra
Líderes da base aliada e da oposição no Senado articulam um grande acordo para barrar no plenário da Casa a prisão de seu presidente, Renan Calheiros( PMDB-AL), e do senador Romero Jucá (PMDB-RR). Os pedidos de prisão foram feitos pelo procurador-geral Rodrigo Janot e serão avaliados pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Caso haja aval da Corte, os dois só podem ser presos após aprovação do Senado. O mesmo ocorreu com Delcídio Amaral (ex-PT-MS). Em novembro, o plenário decidiu mantê-lo preso. Com Renan e Jucá, a tendência é de desfecho diferente. Lideranças dizem que as conversas gravadas pelo ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado que vieram a público não são suficientes para prisão. Também há receio em relação à delação de Marcelo Odebrecht, que pode levar a novos pedidos de detenção. Na Câmara, integrantes do Conselho de Ética criticaram ação do Planalto sobre o PRB para pressionar Tia Eron a votar contra cassação de Eduardo Cunha. (Política/Págs. A4 e A6)

Coluna do Estadão
Rodrigo Janot também pediu ao ministro do STF Teori Zavascki busca e apreensão nos endereços de Renan Calheiros, Romero Jucá e José Sarney. As solicitações serão analisadas com os pedidos de prisão. (Pág. A4)

Delator diz ter pago campanha de Dilma por conta na Suíça
Apontado como operador de propinas pela Operação Lava Jato, o lobista Zwi Skornicki disse, em delação premiada, ter repassado US$ 4,5 milhões para a conta secreta na Suíça do marqueteiro do PT João Santana – preso com a mulher, Mônica Moura, em Curitiba. Também revelou que o valor foi solicitado pelo então tesoureiro do PT João Vaccari Neto “para ajudar a financiar a campanha de reeleição de Dilma Rousseff”. (Política/Pág. A7)

Correios ficam sem dinheiro nos próximos meses
Os Correios precisarão de empréstimo para poder honrar compromissos, incluindo pagamento de salários. A projeção é de que o dinheiro em caixa da empresa acabe no segundo semestre. No ano passado os Correios registraram prejuízo de R$2,1 bilhões. (Economia/Págs. B1 e B3)

Dilma tem dia de derrota na comissão
Os advogados Janaina Paschoal e José Eduardo Cardozo na reunião da Comissão Especial do Impeachment. Senadores da base de Michel Temer barraram a realização de perícia em decretos de créditos suplementares e pedaladas que sustentam o pedido de afastamento da petista. (Política/Pág. A8)

Tribunal de Justiça veta 660 cargos na Câmara Municipal
Desembargadores do Órgão Especial do Tribunal de Justiça vetaram, por unanimidade, projeto de lei que criou 660 cargos comissionados na Câmara Municipal de São Paulo. Ontem, a Mesa Diretora da Casa deu o primeiro passo para acabar com “supersalários” de 129 servidores. (Metrópole/Pág. A13)

Eugênio Bucci
Corporativismo e democracia
Como um cometa em céu limpo, que se mostra a olho nu, ele passou diante dos olhos do Brasil sem nenhum disfarce. O bicho é grande. (Espaço Aberto/Pág. A2)

Fábio Alves
Precisamos falar de Trump
Não chega a ser surpresa empresários americanos preferirem Hillary Clinton. Avanço de republicano pode levar a tombo da bolsa e do dólar. (Economia/Pág. B5)

Notas & Informações
O estranho pedido de Janot
Criou-se uma situação que desafia a já frágil relação entre os Poderes. (Pág. A3)

A política como gazua
Será difícil impedir que saneadora cassação de Cunha acabe sepultada no Conselho de Ética. (Pág. A3)

BC mantém juro em 14,25% na saída de Tombini
Em decisão unânime, o Copom manteve a Selic em 14,25%. Com isso,Alexandre Tombini deixa o BC com os juros no maior nível de sua gestão, e em um dos piores momentos da história da economia brasileira, como disse Ilan Goldfajn, futuro presidente do banco. (Economia/Pág. B5)

Dólar fecha em R$ 3,368
Moeda caiu 2,28%, influenciada pela troca no comando do BC. Patamar foi o menor desde 29 de julho. (Pág. B4)


Folha de S. Paulo

Manchete: Cúpula do PMDB agiu para impedir delação, diz Janot
Para procurador, houve ainda combinação de versões; Sarney, Jucá e Renan negam
O pedido de prisão de três integrantes da cúpula do PMDB feito pela Procuradoria- Geral da República afirma, segundo a Folha apurou, que eles combinavam versões de defesa e estratégias para evitar serem atingidos pela Operação Lava Jato. A investigação sugere que o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), o ex-presidente José Sarney (PMDB-AP) e o senador Romero Jucá (PMDB-RR) atuaram para impedir a delação do ex-presidente da Transpetro e aliado Sérgio Machado. Para o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, há ainda indícios de que o grupo tentaria influenciar o Judiciário e produziria documentos para maquiar desvios na gestão de Machado. O delator, que gravou diálogos com os peemedebistas, disse ter repassado para eles R$ 70 milhões do petrolão. Ainda não há prazo para decisão do Supremo Tribunal Federal sobre os pedidos. Renan afirmou que nunca agiu para evitar a aplicação da lei. Sarney se disse perplexo e indignado com o pedido de prisão. A defesa de Jucá nega que ele tenha recebido recursos ilegais. (Poder a4)

JANIO DE FREITAS
A menos que contenha razões não divulgadas, pedido de Rodrigo Janot é impulso tático, emocional ou político. (Poder a8)

‘Falhamos’, diz Odebrecht em comunicado a funcionários
Investigada na Lava Jato,a Odebrecht afirmou, em carta enviada a funcionários, que cometeu erros de conduta. “Falhamos por acatar o convívio com práticas incompatíveis com padrões de governança empresarial”, escreveu Newton de Souza, que assumiu a Odebrecht S.A. depois da prisão de Marcelo Odebrecht em 2015. Ele também anunciou medidas que permitam à empresa “virar a página”. (Poder a8)

Dólar cai e atinge a menor cotação em quase 11 meses
Sob influência de China, EUA e petróleo, o dólar comercial fechou nesta quarta (8) em R$ 3,37, menor valor desde 29 de julho de 2015. Os dados da balança comercial da China mostraram importações acimadas projeções; o preço do petróleo atingiu o maior nível no ano; e os EUA devem manter os juros inalterados. O Ibovespa encerrou o dia em alta de 2,26%. (Mercado a17)

Alckmin estuda repassar linhas de trem a empresas
O governo Alckmin(PSDB) analisa proposta para repassar a operação das linhas 8-diamante e 9-esmeralda da CPTM, consideradas nobres, para a iniciativa privada. O objetivo é reduzir custos. Em troca, a interessada precisaria modernizar e construir estações. (Cotidiano B5)

Samarco não fez obras para evitar outros desastres (Cotidiano B3)

Editoriais
Leia “Sem concursos”, sobre fim da expansão do funcionalismo público, e “Má-fé corporativa”, a respeito de ações contra jornalistas no Paraná. (Opinião a2)


Edição: Equipe Fenatracoop, Quinta-Feira, 09 de Junho de 2016

Compartilhe nossa Matéria