Manchete dos Jornais nesta quinta-feira, 10 de setembro de 2015
Postado por: Equipe Portal Cambé Em 10th setembro 2015

Após tempestade, tempo muda de novo com chuva e risco de granizo
Depois do temporal que afetou pelo menos 112 mil mil pessoas no Paraná, o Simepar prevê risco de novas tempestades. Chuvas fortes e temperaturas baixas devem chegar hoje ao estado, com mais força no Oeste
No Senado, Moro defende lei que acelera ações
Responsável pela Lava Jato, o juiz Sérgio Moro defendeu em audiência no Senado projeto de lei que prevê cumprimento de penas para crimes graves a partir da condenação em segundo grau. Ele criticou o “sistema de recursos sem fim”.


O Globo

Manchete : Perda de selo de bom pagador agrava crise
S&P rebaixa Brasil e cita déficit no Orçamento
Levy: projeto será alterado para incluir superávit
Oposição vê ‘desastre’ e empresários lamentam

A agência de classificação de risco Standard&Poor’s rebaixou a nota do Brasil, que, agora, não tem mais o selo de bom pagador e é considerado investimento especulativo. A decisão surpreendeu o governo e economistas porque foi tomada apenas dois meses após a agência ter piorado suas perspectivas para o país. Pesou na decisão, segundo a S&P, o déficit fiscal de R$ 30,5 bilhões previsto no Orçamento de 2016, que, se confirmado, levará o país a registrar três anos seguidos de rombo nas contas públicas. Analistas temem que as agências Fitch e Moody’ s repitam a S&P e alertam que o rebaixamento vai agravar a crise econômica no país. O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, prometeu ajustar o Orçamento de 2016 para obter superávit fiscal de 0,7% do PIB. Para a oposição, a decisão da S&P é “desastre anunciado”. (Págs. 21 a 23)

Dilma agora afirma que cortará gastos obrigatórios
Antes da notícia do rebaixamento do Brasil, a presidente Dilma disse ao “Valor Econômico” que vai estabelecer meta de superávit primário de 0,7% do PIB para 2016. Anunciou ainda que pretende cortar gastos obrigatórios e buscar novas fontes de receitas , que incluiriam aumentos ou criação de impostos. O Congresso rejeitou a proposta de elevação do IR que, segundo o ministro Levy, está em estudo no governo. (Pág. 4)
Paes promete dar reajuste de 10% a servidores (Pág. 13)

Jornalista tem sigilo quebrado
O ministro Dias Toffoli, do STF, cassou liminar que impedia a quebra de sigilo telefônico para descobrir a fonte de reportagem de um jornalista de São José do Rio Preto. (Pág. 9)

Foto-legenda : Por mais decoro
Servidoras protestam, na Câmara, contra a proposta em discussão de criar regras de vestimenta na Casa, inclusive proibindo decotes. (Pág. 6)

Merval Pereira
Sem rumo – Tendência negativa da S&P corresponde ao grau de desorganização do governo (Pág. 4)
Editorial
‘Remédio amargo é para o contribuinte’ (Pág. 18)


O Estado de S. Paulo

Manchete : Brasil perde grau de investimento; agência cita déficit no Orçamento
Standard & Poor’s foi a primeira a retirar selo de bom pagador obtido pelo País em 2008

Mercado trabalhava com possibilidade, mas em um prazo maior
Além da recessão e da falta de perspectiva nas contas públicas, crise política também pesou na decisão
Nove dias depois de o governo Dilma Rousseff enviar ao Congresso projeto de Orçamento com déficit inédito de R$ 30,5 bilhões, a agência internacional de classificação de risco Standard & Poor’s retirou do Brasil o grau de investimento – uma espécie de selo de bom pagador que dá confiança a investidores para aplicar dinheiro em um país. O rating brasileiro caiu de BBB- para BB+, com manutenção da perspectiva negativa de nota. A perda ocorre sete anos após a S&P pôr o Brasil num seleto grupo de nações. O País, porém, ainda mantém grau de investimento das agências Fitch e Moody’s. Além da recessão e da falta de perspectiva nas contas públicas, pesou a crise política – sem sinais de melhora. Para a agência, a mudança da meta de 0,7% do PIB de superávit para 0,3% de déficit “reflete divergências internas sobre a composição e a magnitude das medidas necessárias para corrigir a derrapagem nas finanças públicas”. (Págs. B1 a B5)

Mercado prevê alta do dólar e de juros
Para profissionais do mercado financeiro, o rebaixamento da nota de risco do Brasil pela Standard & Poor’s causará alta do dólar e dos juros hoje, enquanto a Bolsa de Valores de São Paulo tende a cair em um primeiro momento. (Pág. B4)

Análises
José Paulo Kupfer
Fim de Linha – O carimbo da S&P significa uma pá de cal na forma hesitante e politicamente tumultuada como a economia vem sendo conduzida. (Pág. B3)

Tânia Monteiro
Surpresa – O governo aguardava a decisão da S&P, mas tinha esperança de que tivesse mais tempo para achar receitas que cobrissem o rombo das contas. (Pág. B3)

Congresso exige menos gasto antes de mais tributo
Ônus da elevação de impostos ficaria com governo
O PMDB decidiu deixar exclusivamente para o governo – e para o PT – o desgaste de defender aumento de impostos como forma de salvar as contas públicas. Apesar de entenderem que não há saída para crise econômica sem melhorar a arrecadação, os peemedebistas, que comandam Senado e Câmara, querem que, primeiro, o Executivo reduza gastos para depois retomar negociações sobre a elevação de tributos. Por ora, o PMDB insistirá na redução de ministérios, cargos comissionados e até programas que são vitrines da administra petista. (Política / Pág. A4)

Câmara restabelece doação eleitoral de empresas
A Câmara restabeleceu ontem o financiamento privado de campanha que havia sido derrubado pelo Senado. Deputados aprovaram texto do relator Rodrigo Maia (DEM-RJ) que desfez alterações aprovadas pelos senadores na noite anterior, como o veto a doações de empresas. (Política/Pág. A6)

No Senado, Moro defende lei que acelera ações
Responsável pela Lava Jato, o juiz Sérgio Moro defendeu em audiência no Senado projeto de lei que prevê cumprimento de penas para crimes graves a partir da condenação em segundo grau. Ele criticou o “sistema de recursos sem fim”. (Política / Pág. A7)

UE vai distribuir 120 mil imigrantes entre membros
A União Europeia adotará um sistema de cotas para refúgio e asilo político e abrirá as portas para acolher até 120 mil estrangeiros, em especial os provenientes de Síria, Iraque e Eritreia. Os governos serão obrigados a abrigar refugiados. (Internacional/Pág. A10)

Foto-legenda : SP proíbe o Uber
Em dia de protestos e ruas interditadas por taxistas, a Câmara de SP aprovou projeto que veta transporte particular por aplicativos como Uber. Emenda abre brecha para se regulamentar serviço no futuro. (Metrópole/Pág. A18)

José Serra
Vai passar. Que bom!
O petismo precisa parar de confundir seus delírios autoritários com a História do País, que fez uma escolha inequívoca : a democracia. (Espaço Aberto/Pág. A2)

Notas&Informações
Lula na oposição – Ex-presidente procura descolar sua imagem da impopularidade do poste que pôs na Presidência. (Pág. A3)

O PMDB e a falência de Dilma – Rombo de R$ 30,5 bilhões é irrelevante se comparado com déficit de representatividade e competência. (Pág. A3)


Estado de Minas

Manchete: REBAIXAMENTO DO BRASIL AGRAVA CRISE
Agência corta nota de crédito do país e dificulta a obtenção de investimento externo A agência de classificação de risco Standard and Poor’s (S&P), uma das três mais respeitadas do mundo,tirou do Brasil o grau de investimento. A nota do país foirebaixada de “BBB-” para “BB+”, com perspectiva negativa, ou seja, possibilidade de novos rebaixamentos. O grau de investimento é uma espécie de certificado de bom pagador que as agências dão aos países considerados de baixo risco para investidores. Na justificativa do corte, a S&P assinalou os desafios políticos que o Brasil enfrenta eadificuldade do governo em submeter ao Congresso um Orçamento consistente com o ajuste fiscal, além da corrupção. As outras duas grandes agências, Moody’s e Fitch, ainda mantêm o grau de investimento. Mas especialistas preveem fuga de capitais, disparada do dólar e aprofundamento da recessão. Para líderes da oposição, o rebaixamento era um “desastre anunciado”, como classificou o presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves. O ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, admitiu que a notícia não é boa e que o governo foi“pego de surpresa”. Já o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, disse que a população deve estar“preparada para pagar mais impostos”, se necessário. P. 9 e 10

OBSTÁCULOS TRAVAM OBRAS CONTRA CHUVA DE SEIS GRANDES INTERVENÇÕES PROGRAMADAS PARA A CAPITAL ATÉ 2017, QUATRO NÃO TÊM MAIS PRAZO PARA TERMINAR. P. 13

TRAVESSIA DO VELHO CHICO EM REFORMA
Por meio de parceria entre uma empresa e as prefeituras de Pirapora e Buritizeiro, será reformado o piso de madeira da histórica Ponte Marechal Hermes da Fonseca, erguida sobre o Rio São Francisco para ligar as duas cidades. Inaugurada em 1922, a ponte foiaprimeira construída em estrutura metálica no país. Uma das duas passarelas, para motos, está interditada, e a outra (foto), insegura, já causou acidentes, como a morte de uma menina que caiu no rio. P. 18

TUBARÃO VOADOR
Alunos do Centro de Estudos Aeronáuticos da UFMG, coordenados pelo professor Paulo Iscold (à frente), comemoram os cinco recordes mundiais de velocidade batidos pelo avião monomotor CEA-311, construído por eles. O modelo foi batizado de Anequim, o mais veloz tubarão da costa brasileira. E o sucesso dele é atribuído ao ensino de excelência aliado ao financiamento da iniciativa privada. P. 17

Chuva traz frio
Chegada do período chuvoso derrubou temperatura mínima em BH para 15,9 graus e obrigou a população a se agasalhar. Já choveu mais este mês do que em setembro inteiro em 2014. P. 14

Refugiados Europa se propõe a abrigar 160 mil em 28 países p. 11

 Montes claros vereadores são suspeitos de receber propina p. 5

Ipad  Pro novo Tablet da Apple é 1,8 vez mais rápido p. 9

LAVA-JATO MORO DEFENDE PRISÃO PARA CONDENADOS EM 2ª INSTÂNCIA
Para juiz federal, medida deveria ser aplicada a quem cometeu crimes graves, sem esperar esgotamento de todos os recursos na Justiça. Mas outros juízes e advogados são contra. P. 4

Senado gasta R$ 2,37 mi em contrato de nova frota P. 2

REFORMA POLÍTICA
Volta a doação de empresas a candidatos A Câmara dos Deputados restabeleceu o financiamento privado de campanhas políticas, que havia sido derrubado no Senado. Como o texto já havia sido aprovado pela Câmara em julho, antes de ser modificado pelos senadores, ele segue agora para sanção ou veto da presidente Dilma. P. 3


Gazeta do Povo

CONTAS PÚBLICAS
Manchete: Agência de risco tira do Brasil “selo” de bom pagador
Após nove dias da decisão da presidente Dilma Rousseff de enviar o projeto de Orçamento com déficit em 2016, a agência internacional de classificação de risco Standard & Poor’s (S&P) retirou do Brasil o grau de investimento – uma espécie de selo de bom pagador que dá confiança aos investidores para aplicarem o dinheiro num país. O Brasil agora entrou para a categoria de país com risco especulativo, o que vai encarecer o custo de financiamento das empresas brasileiras. O ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, disse que a notícia foi recebida com surpresa pelo Planalto

CONGRESSO
Moro defende punição rápida para corruptos
O juiz federal Sergio Moro (foto), responsável por processos da Operação Lava Jato, esteve ontem no Senado, “casa” de mais de uma dezena de políticos investigados por suspeitas de participação no esquema de corrupção na Petrobras. Moro defendeu a aprovação de um projeto de lei que torna regra a prisão após sentença condenatória de 2ª instância para casos de crimes hediondos e contra administração pública, como peculato e corrupção

CLIMA
Após tempestade, tempo muda de novo com chuva e risco de granizo
Depois do temporal que afetou pelo menos 112 mil mil pessoas no Paraná, o Simepar prevê risco de novas tempestades. Chuvas fortes e temperaturas baixas devem chegar hoje ao estado, com mais força no Oeste

DRAMA HUMANITÁRIO
Estados Unidos e sul-americanos estudam receber mais refugiados
Autoridades norte-americanas estudam aumentar suas cotas de reassentamento para refugiados no próximo ano. Ao mesmo tempo, países da América do Sul fazem aceno ao acolhimento de mais imigrantes

REFORMA ELEITORAL
Câmara derruba fim da doação de empresas
Os deputados aprovaram ontem a volta das doações de empresas a partidos políticos. Essa proposta havia sido aprovada anteriormente pela Câmara, mas foi reprovada no Senado e voltou para votação


Zero Hora

Manchete : Agência tira do Brasil selo de bom pagador
Standard & Poor’s aponta preocupação com déficit no orçamento de 2016. Sem grau de investimento, dólar tende a subir ainda mais. (Notícias | 14 e 23)

Força Nacional teria ação limitada
Especialistas analisam eficácia da presença de tropa federal, caso fosse pedida pelo Piratini para suprir falta de policiais (Notícias | 8 e 9)

Campo ajuda mas PIB gaúcho cai 0,6% (Notícias|20)


Folha de S. Paulo

Manchete : País perde selo de bom pagador
Ao rebaixar nota, S&P questiona capacidade do governo de se articular politicamente e ajustar contas
A agência de classificação de risco Standard& Poor’s cortou ontem (9) a nota de crédito do Brasil. Com a decisão, o país perdeu o selo de bom pagador da dívida. O Brasil teve a nota rebaixada de BBB- para BB+. A S&P ainda colocou a nota em perspectiva negativa, o que indica a possibilidade de novos rebaixamentos. Para a S&P, a incapacidade da gestão Dilma de equilibrar as contas e as divergências de membros do governo foram motivos para a perda do grau de investimento, concedido em 2008. A agência ressaltou que a proposta do Orçamento de 2016 enviada ao Congresso inclui revisão da meta de superavit primário menos de seis semanas após o governo ter anunciado redução. Para o ministro Nelson Barbosa (Planejamento), a decisão foi uma surpresa. Com a notícia, o Brasil passa a ter risco maior de perder investidores, e o dólar deve ser ainda mais pressionado. Nas duas outras principais agências de classificação de risco, a Fitch e a Moody’s, o Brasil mantém o status de bom pagador. (Mercado)

Dilma promete superavit de 0,7% do PIB em 2016
A presidente Dilma Rousseff implementará um conjunto de medidas de corte de despesas obrigatórias e também de aumento de receitas para cumprir a meta de superavit de 0,7% do PIB em 2016 . A estratégia foi elaborada na manhã de ontem (9) para tentar evitar a perda do selo de bom pagador das agências de risco, o que acabou acontecendo à noite. A equipe econômica busca saídas para o déficit de R$ 30,5 bilhões (0,2% do PIB), previsto na proposta de Orçamento para 2016. Para interlocutores da presidente, o governo errou ao dar maior visibilidade a propostas de aumento na arrecadação para equilibrar as contas da União, deixando a redução de gastos em segundo plano. (Mercado A21)

Universidades federais atingem 106º dia de greve
Universidades federais enfrentam o 106º dia de greve. A paralisação de funcionários afeta 60 das 63 instituições; professores fazem greve em 37 universidades. Alunos reclamam de prejuízos, como a perda de estágios. Os servidores pedem 27% de reajuste e, os docentes, reposição da inflação. O Ministério da Educação diz que busca solução. (Cotidiano b1)

STF proíbe governo de congelar verbas para construção e reforma de prisões (Cotidiano b4)

Servidoras da Câmara protestam contra tentativa de regular as vestimentas (A9)

Foto-legenda : Pressão
Taxistas protestam contra o Uber no centro de São Paulo; a Câmara de Vereadores aprovou projeto que proíbe aplicativos de transporte particular (Cotidiano b4)

Vinícius Torres Freire
Descrédito prolongará recessão e levará política à beira do abismo (Mercado A18)

Dilma Rousseff
Brasil está com os braços abertos para dar amparo aos refugiados
Desde o início da guerra na Síria e da multiplicação de conflitos no Oriente Médio e África, o governo tem oferecido vistos humanitários aos refugiados sírios. Já são 7.752. O Brasil, mesmo em momento de superação de dificuldades, tem braços abertos para acolher refugiados. (Opinião a3)

Editoriais
Leia “Ameaças às pesquisas”, sobre projeto contra sondagens de opinião, e “Seguro indefeso”, acerca de suspeita de fraude em auxílio para pescadores. (Opinião A2)


Edição: Equipe Fenatracoop, 10 de Setembro de 2015, ás 05:49

Compartilhe nossa Matéria