Avança restrição a foro privilegiado
Um dia antes de o Supremo Tribunal Federal voltar a analisar, hoje, uma restrição do foro privilegiado que pode enviar à primeira instância 90% dos casos contra políticos, a CCJ da Câmara aprovou projeto que vai na mesma direção e restringe o benefício apenas às cúpulas dos poderes. …
Ninguém acredita que os escândalos no Rio acabaram
O Rio acordou ontem com três ex-governadores presos. Também estão na cadeia os três últimos presidentes da Assembleia Legislativa. E ninguém acredita que os escândalos vão parar por aí. Ou os eleitores de Pezão acham que o governador misturou-se aos porcos, mas não se enlameou? E o ex-prefeito Eduardo Paes, outrora presidenciável, atualmente forte candidato a citações em delações premiadas?
—————————————————————–

O Globo

Manchete: Unidos pela Lava-Jato
Garotinho e Rosinha são presos e se juntam a Cabral e Picciani
Delator cita pagamento de R$ 450 mil em dinheiro para Crivella

Com a prisão de Anthony e Rosinha Garotinho, acusados de financiamento ilegal de campanha, a Lava-Jato conseguiu reunir no cárcere os principais comandantes da política do Rio desde os anos 1990. Na cadeia de Benfica, Garotinho se juntou ontem a seu ex-aliado Sérgio Cabral e aos deputados Jorge Picciani, Paulo Melo e Edson Albertassi. Rosinha, que foi presa em Campos, também deverá passar por Benfica. O novo personagem nessa trama é Marcelo Crivella: um dos delatores do esquema de corrupção na Fetranspor disse ao MP que fez pagamentos de R$ 450 mil em espécie ao atual prefeito do Rio entre 2010 e 2012. (Págs. 3 a 7)

Muito a conversar em Benfica
Na cadeia de Benfica, onde estão os políticos presos da Lava-Jato no Rio, os inimigos Garotinho e Cabral devem se encontrar hoje, a partir das 8h, quando todas as celas forem abertas para o banho de sol dos detentos. (Pág. 6)

EDITORIAL
‘Política fluminense confronta Justiça e MP’ (Pág. 20)

MÍRIAM LEITÃO
Intervenção federal no Rio seria ação do roto no rasgado. (Pág. 24)

MAIÁ MENEZES
A trajetória do poder no Rio até a cadeia de Benfica. (Pág. 4)

Temer dá alívio de R$ 15 bi a municípios
Para obter o apoio de prefeitos à reforma da Previdência, o presidente Temer concordou com um alívio de R$ 15 bilhões nos débitos dos municípios com o INSS. Com o apoio do Planalto, o Congresso derrubou um veto do Executivo. O novo texto da reforma, apresentado ontem, mantém exigência de 25 anos de contribuição para os servidores. (Págs. 23 e 24)

Avança restrição a foro privilegiado
Um dia antes de o Supremo Tribunal Federal voltar a analisar, hoje, uma restrição do foro privilegiado que pode enviar à primeira instância 90% dos casos contra políticos, a CCJ da Câmara aprovou projeto que vai na mesma direção e restringe o benefício apenas às cúpulas dos poderes. (Pág. 12)

Alckmin e o ajuste fiscal
Em evento no Rio, o governador defendeu “rigoroso tratamento” da questão fiscal e agenda de reformas para colocar o país nos trilhos. (Págs. 8 a 11)

————————————————————————————

O Estado de S. Paulo

Manchete: Aprovação a Huck dispara e atinge 60%, mostra pesquisa
Conforme levantamento inédito Estadão-Ipsos, apresentador de TV cresceu 17 pontos em ranking de imagem
Pesquisa Barômetro Político Estadão- Ipsos mostra que Luciano Huck (sem partido), possível candidato à Presidência da República, teve melhora significativa de imagem nos últimos dois meses e passou a ser a personalidade com melhor avaliação entre as apresentadas aos entrevistados. A aprovação ao nome do apresentador passou de 43% a 60% desde setembro. A desaprovação caiu de 40% para 32% no mesmo período. Os demais 22 nomes do Barômetro Político, porém, são do mundo político ou do Poder Judiciário, mais sujeitos ao desgaste do noticiário. “Esse salto (de Huck) tem muito a ver com o fato de seu nome ter sido cogitado como candidato e de ele próprio ter dado indícios de que gostaria de concorrer. Mas o ponto é se isso vai se converter em votos”, disse Danilo Cersosimo, diretor do Ipsos. Depois de Huck, os primeiros a aparecer no ranking de aprovação do Barômetro Político são o ex-presidente Lula (PT), com 43% de avaliação positiva, e o ex-presidente do STF Joaquim Barbosa (sem partido), com 42%. (POLÍTICA / PÁG. A4)

Eliane Cantanhêde
Apresentador vira o ‘novo’, com Doria fora
Em política não há vácuo. Doria vai deixando o campo, mas a torcida insiste em alguém com as mesmas características e expectativas. (PÁG. A4)

Vera Magalhães
Huck se beneficia da insatisfação com políticos
Pesquisa mostra ainda que, até aqui, o sucesso de Jair Bolsonaro é maior nas redes sociais. No conjunto do eleitorado, o deputado tem 60% de rejeição. (PÁG. A6)

Governo libera verbas por apoio à Previdência
Em troca da articulação entre governadores e prefeitos com parlamentares em prol da reforma da Previdência, Temer garantiu compensações aos Estados por perdas com a Lei Kandir e prometeu R$ 2 bilhões para municípios. (ECONOMIA / PÁGS. B1, B3 e B4)

Pressionado, Temer recua de nomeação de Marun
A ida de Carlos Marun (PMDB-MS) para a Secretaria de Governo no lugar de Antonio Imbassahy já havia sido anunciada, mas Temer recuou após Aécio Neves argumentar que a troca faria com que tucanos votassem contra a Previdência. (POLÍTICA / PÁG. A12)

Garotinho e a mulher, Rosinha, são presos no Rio
Os ex-governadores são acusados dos crimes de corrupção e participação em organização criminosa, entre outros. A investigação inclui pagamento ilegal de R$ 3 milhões feito pela JBS à campanha de Garotinho em 2014. É a terceira prisão do ex-governador e a primeira da mulher. (POLÍTICA / PÁG. A10)

Grávida pede ao STF aval para abortar (Metrópole / Pág. A20)

Zeina Latif
É inacreditável a lista de fraudes cometidas para se ter acesso a recursos públicos no Brasil. (ECONOMIA / PÁG. B5)

Notas & Informações
Gastar menos e fazer mais
Estudo do Banco Mundial contém material de alta qualidade para discussão na campanha eleitoral. Falta saber se haverá candidatos bastante sérios para tratar desses assuntos. (PÁG. A3)

Lula e a Previdência
Lula faz hoje contra o País o mesmo que seus correligionários fizeram contra ele há 14 anos. (PÁG. A3)

————————————————————————————

Folha de S. Paulo

Manchete: Para aprovar Previdência, Temer compromete ajuste
Governo aceita abrir mão de receitas em troca de apoio de deputados à reforma
Para tentar aprovar a reforma da Previdência, o governo Michel Temer (PMDB) admite apresentar proposta com três medidas que comprometem o ajuste fiscal. A negociação seria feita em troca do apoio dos deputados às principais mudanças nas regras de aposentadoria. Integrantes da equipe econômica afirmam que o governo avalia manter o reajuste dos servidores para 2018, ceder a ruralistas nas dívidas do Funrural (fundo de contribuição de produtores à Previdência) e agradar a governadores desonerando impostos sobre exportações. Assim, o Planalto espera aprovar idade mínima, norma de transição e unificação de regras de aposentadoria para os setores público e privado. A proposta também deve prever contribuição de 40 anos para aquisição do benefício máximo. São necessários 308 votos. A concessão deve resultar em revisão da meta fiscal, de déficit de R$ 159 bilhões. O ministro Henrique Meirelles (Fazenda) diz que o novo texto terá impacto equivalente a 60% do original. A economia em dez anos seria R$ 320 bilhões menor do que a prevista inicialmente. (Mercado A15)

Sob pressão, governo recua em troca na articulação
Após definir que o deputado Carlos Marun (PMDB-RS) substituiria Antonio Imbassahy (PSDB-BA) na pasta da articulação política, o presidente Michel Temer decidiu adiar a sua escolha. O vazamento da informação irritou ala dos tucanos que apoia o governo. Às vésperas de uma nova tentativa de votar a reforma da Previdência, Temer quer evitar atrito com o partido. (Poder A4)

Marco Aurélio Canônico
Ninguém acredita que os escândalos no Rio acabaram
O Rio acordou ontem com três ex-governadores presos. Também estão na cadeia os três últimos presidentes da Assembleia Legislativa. E ninguém acredita que os escândalos vão parar por aí. Ou os eleitores de Pezão acham que o governador misturou-se aos porcos, mas não se enlameou? E o ex-prefeito Eduardo Paes, outrora presidenciável, atualmente forte candidato a citações em delações premiadas? (Opinião A2)

Acusado de arrecadar caixa 2, casal Garotinho é preso (Poder A8)

Editoriais
Leia “Estado da desigualdade”, sobre ineficiência do gasto público, e “Fogo contra o Ibama”, acerca de ataques para intimidar trabalho do instituto. (Opinião A2)

————————————————————————————

Responda

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.