Manchete dos Jornais nesta segunda-feira, 17 de outubro de 2016
Postado por: Equipe Portal Cambé Em 17th outubro 2016

Mudança no comando ameaça dividir o PT
Sem acordo sobre a estratégia do partido para tentar uma reconstrução, dirigentes da esquerda petista já admitem um racha, relata Ricardo Galhardo. A crise na legenda ficou exposta na sexta-feira, quando o Muda PT, grupo que reúne as cinco maiores correntes de esquerda do partido, divulgou documento no qual anuncia a realização de plenárias pelo País para pressionar a corrente majoritária a não adiar para 2017 a renovação da direção petista…


O Globo

Manchete : Contratações para o Natal caem ao nível de 2006
Pesquisa mostra que apenas 23% dos empresários estão otimistas com as vendas de fim de ano, enquanto 35% acreditam que volume de negócios será o mesmo de 2015.
O Natal deste ano vai gerar um número menor de contratações em todo o país. Levantamento da Federação Nacional das Empresas de Terceirização e de Trabalho Temporário mostra que serão criadas 101 mil vagas, número 3% inferior a 2015, o menor nível em dez anos. A pesquisa mostra que apenas 23% das empresas estão otimistas com as vendas de fim de ano. Com grande oferta de trabalhadores, ter o ensino médio completo é uma exigência para 65% dos empregadores. (Pág. 17)

Governo confia que BC cortará juros, e analistas já apostam em PIB maior
Ao participar da reunião do Brics, na Índia, o ministro das Relações Exteriores, José Serra, disse que as condições atuais dão suporte para o BC cortar os juros. O Copom se reúne esta semana. O presidente Michel Temer destacou que o Brasil começa a entrar nos trilhos. Otimistas, analistas estão revisando para cima as projeções de crescimento da economia. (Pág. 17 e 18)

Entidades repudiam livro de Crivella
As posições do candidato do PRB a prefeito, Marcelo Crivella, no livro “Evangelizando a África”, reveladas ontem pelo GLOBO, foram repudiadas por representantes de religiões de matriz africana e grupos LGBT, para quem as afirmações levam ao ódio e ao preconceito. Marcelo Freixo (PSOL) disse que falas como as contidas no livro estimulam o homicídio de gays. Crivella voltou a se desculpar e disse que hoje “não teria usado aquelas palavras”. (Pág. 5)

Ricardo Noblat
Político que não sabe ‘ouvir os trilhos’ acaba atropelado. (Pág. 2)

George Vidor
Ambiente é todo favorável para que o BC comece a cortar os juros. (Pág. 18)


O Estado de S. Paulo

Manchete : Bancos públicos têm juros mais altos que os privados
Taxa do rotativo do cartão de crédito da Caixa, que já foi a menor do mercado, é hoje a segunda maior
O Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal, que nos governos Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff mantiveram os juros mais baixos do mercado, já operam hoje com algumas das taxas mais altas, informa Fernando Nakagawa. Na contramão da concorrência privada, as instituições estatais ajustaram gradualmente o juro cobrado dos clientes nos últimos meses, num movimento que alterou radicalmente o ranking do crédito do Banco Central. Após a eclosão da crise internacional em 2008, os bancos estatais ganharam protagonismo ao baixar os juros para estimular o consumo. Mas já no ano passado – ainda durante o governo Dilma – os dois bancos federais começaram a elevar lentamente as taxar como forma de reagir à subida da taxa Selic e diante de necessidade de recuperar a rentabilidade perdida, como revelou o Estado no início do ano. A taxa do rotativo do cartão de crédito da Caixa, por exemplo, que já foi a mais baixa do mercado, hoje é a segunda maior. (Economia B1)

Risco alto trava microcrédito
As altas taxas de inadimplência, hoje em 6,5%, ainda fazem os bancos pensarem duas vezes antes de liberar dinheiro a pequenos empreendedores – mesmo com a expectativa de retomada da economia. (B14)

Mudança no comando ameaça dividir o PT
Sem acordo sobre a estratégia do partido para tentar uma reconstrução, dirigentes da esquerda petista já admitem um racha, relata Ricardo Galhardo. A crise na legenda ficou exposta na sexta-feira, quando o Muda PT, grupo que reúne as cinco maiores correntes de esquerda do partido, divulgou documento no qual anuncia a realização de plenárias pelo País para pressionar a corrente majoritária a não adiar para 2017 a renovação da direção petista. (Politica A4)

Na Índia, Temer ataca protecionismo (Economia B12)

OAS será vigiada para evitar corrupção (Economia B6)

Coluna do Estadão
Após obter votação expressiva em duas eleições presidenciais, a ex-senadora Marina Silva ainda não decidiu se lança candidatura para a corrida de 2018. (Política A4)

Vera Magalhães
Temer e FHC assentam bases para novo ‘eixo de estabilidade’. (Política A6)

Bernard Appy
Em comparação com os últimos anos, a PEC 241 é um avanço. (Economia B2)

Notas&Informações
É preciso ter o que dizer – Partidos e candidatos veem-se ante desafio de fazer campanha eleitoral de verdade (A3)

Freio nos privilégios (A3)


Folha de S. Paulo

Manchete : Governo quer criar prazo para adoção de crianças
Polêmica, proposta também facilita processo para pleiteante estrangeiro
O governo pretende enviar ainda neste ano ao Congresso projeto que cria novas regras para a adoção de crianças. A meta é reduzir o número de meninos e meninas nos abrigos e o tempo de espera de quem quer adotar. As propostas estipulam normas para a entrega voluntária de bebês, determinam prazos para a adoção e estimulam estrangeiros a aderir ao procedimento. Hoje, não há prazo para a finalização do processo de adoção — depende do trâmite de cada caso na Justiça. Uma das novas medidas fixa em 90 dias o estágio de convivência entre os pretendentes e a criança, com mais 120 dias para a conclusão da adoção. Os dois prazos podem ser prorrogados pelo mesmo número de dias. Outra, que a criança que passar mais de um ano sem ser adotada no Brasil seja encaminhada para adoção internacional, independentemente de decisão judicial. O assunto gera preocupação em especialistas, que temem desrespeito aos direitos das crianças. (Cotidiano B1)

Receita da União com impostos cai 7% em setembro
Com fraca produção industrial e queda nas vendas, o ganho da União com impostos caiu 7% em setembro ante o mesmo mês de 2015, diz estudo da FGV, indicando revés na retomada da atividade econômica. (Marcado A13)

Queixa contra teto não virá da saúde, afirma especialista
Especialista em contas públicas, Raul Velloso diz que a possível aprovação de um limite para os gastos federais causará “chiadeira”, mas que ela não virá da saúde ou da educação e sim de outras áreas. (Entrevista da 2a. pág. A12)

Pior em índice de bem-estar urbano, cidade no MA tem lixo sobre árvore
Sem rede de esgoto e com abastecimento de água irregular, Presidente Sarney (MA) ocupa o último lugar em índice de bem-estar urbano da UFRJ. “Ser prefeito é um sofrimento”, diz Edson Chagas (PMDB) a Marco Aurélio Canônico. Ele foi derrotado no 1° turno por Valéria Castro (PC do B). (Cotidiano B4)

Celso Rocha de Barros
Debate fiscal deveria considerar a taxação de rendas mais altas (Poder A8)

Editoriais
Leia “Ritmos desiguais”, sobre lentidão das investigações no STF, e “Circo da CPI”, acerca de comissão da Câmara que apura irregularidades na Rouanet. (Opinião A2)


Edição: Equipe Fenatracoop, Segunda-Feira, 17 de Outubro de 2016

Compartilhe nossa Matéria