Manchete dos Jornais nesta segunda-feira, 26 de agosto de 2016
Postado por: Equipe Portal Cambé Em 26th setembro 2016

Apenas 0,16% dos eleitores deram dinheiro a candidatos
Total de 229 mil doadores é menor do que o número de concorrentes a prefeito, vice ou vereador no País
Três Maracanãs quase lotados. Esse é o contingente de eleitores que, até a semana final da campanha, fizeram doações a candidatos, na primeira eleição sem financiamento oficial de empresas. São 229 mil pessoas, ou 0,16% do total. O número fica ainda menos significativo quando se sabe que candidatos a prefeito, vice e vereador em 2012 lotariam mais de seis Maracanãs. Ou seja, há mais candidato que brasileiro disposto a financiar política. O número ainda pode ser revisto para baixo se a Justiça Eleitoral confirmar suspeitas de fraude que atingem 28% dos contribuintes, incluindo políticos que doam a si mesmos. Há suspeita de que CPFs de beneficiários do Bolsa Família estejam sendo usados para registrar doações. Cerca de 16 mil bolsistas aparecem como supostos financiadores. Para Marlon Reis, do Movimento Contra a Corrupção Eleitoral, aspectos culturais explicam a baixa participação. “Grande parcela do eleitorado ainda tem expectativa de receber vantagens de candidatos, não de ter de doar para eles.”…


O Globo

Manchete: Previdência vai consumir 20% do PIB em 2060
Gasto, que hoje é de 9,9%, deve dobrar se não houver reforma
Envelhecimento da população reduzirá universo de quem contribui para o regime previdenciário, mostra estudo do Ipea
Estudo do Ipea obtido pelo GLOBO mostra que os gastos com aposentadorias e pensões representarão 20% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro em 2060. Hoje, o percentual é de 9,9%. Em 2100, ele chegará a 24,7%, já que o envelhecimento da população reduzirá o número de pessoas que contribuem para a Previdência. Segundo os autores do estudo, que usou dados da ONU, isso mostra a necessidade de se fazer ajustes. GERALDA DOCA e ANDREA FREITAS revelam ainda que, pela proposta de reforma, quem começar a trabalhar com 18 anos terá de contribuir por 47 anos até se aposentar. As novas regras valerão para os que tiverem menos de 50 anos quando a mudança for promulgada. (Pág. 19)

Réu na Lava-Jato, Lula tenta salvar aliados
O ex-presidente Lula, réu duas vezes na Lava-Jato, mergulha nas campanhas de Fernando Haddad (PT), em 4º lugar em SP, e Jandira Feghali (PCdoB), no Rio. Em Porto Alegre, a associação com Lula tem prejudicado Raul Pont (PT). (Pág. 3)

RICARDO NOBLAT
PT parece destinado a recomeçar. (Pág. 2)

Receitas de popularidade
Candidatos à reeleição em cinco capitais explicam por que mantêm índices altos de avaliação, em tempos de crise financeira, relata MARA BERGAMASCHI. (Pág. 8)

As duas faces da UFRJ
Universidade líder em ranking nacional tem pesquisa de ponta e problemas estruturais. (Pág. 24)


O Estado de S. Paulo

Manchete: Apenas 0,16% dos eleitores deram dinheiro a candidatos
Total de 229 mil doadores é menor do que o número de concorrentes a prefeito, vice ou vereador no País
Três Maracanãs quase lotados. Esse é o contingente de eleitores que, até a semana final da campanha, fizeram doações a candidatos, na primeira eleição sem financiamento oficial de empresas. São 229 mil pessoas, ou 0,16% do total. O número fica ainda menos significativo quando se sabe que candidatos a prefeito, vice e vereador em 2012 lotariam mais de seis Maracanãs. Ou seja, há mais candidato que brasileiro disposto a financiar política. O número ainda pode ser revisto para baixo se a Justiça Eleitoral confirmar suspeitas de fraude que atingem 28% dos contribuintes, incluindo políticos que doam a si mesmos. Há suspeita de que CPFs de beneficiários do Bolsa Família estejam sendo usados para registrar doações. Cerca de 16 mil bolsistas aparecem como supostos financiadores. Para Marlon Reis, do Movimento Contra a Corrupção Eleitoral, aspectos culturais explicam a baixa participação. “Grande parcela do eleitorado ainda tem expectativa de receber vantagens de candidatos, não de ter de doar para eles.” (POLÍTICA / PÁGS. A4 a A7)

Doria e Marta viram alvo dos rivais em SP
Na reta final da campanha, o debate dos candidatos à Prefeitura de São Paulo na TV Record foi marcado por ataques. João Doria (PSDB) e Marta Suplicy (PMDB) foram os principais alvos dos rivais. (POLÍTICA / PÁG. A8)

Ministro da Justiça antecipa mais uma fase da Lava Jato
O ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, afirmou ontem a integrantes do Movimento Brasil Limpo que uma nova etapa da Lava Jato será deflagrada nesta semana. “Teve semana passada e esta semana vai ter mais, podem ficar tranquilos. Quando vocês virem esta semana, vão se lembrar de mim”, disse, num evento do deputado tucano Duarte Nogueira em Ribeirão Preto. Ao Broadcast, Moraes disse que a Lava Jato é uma “belíssima operação” e a continuação das investigações, com “apoio total à Polícia Federal”, é um compromisso dele. Mais tarde, o Ministério da Justiça disse que a declaração foi “força de expressão”. (POLÍTICA / PÁG. A9)

49% das grandes empresas já não pagam nem juro da dívida
Em quase metade das grandes empresas do País, a geração de caixa não é suficiente nem para pagar juros da dívida. O quadro explica o aumento da inadimplência, das renegociações com credores e da escalada de pedidos de recuperação judicial. Para economistas, a situação é tão grave quanto a dívida pública. O enfraquecimento financeiro das companhias representa risco iminente de quebradeira, aumento do desemprego e atraso na reativação da economia. (ECONOMIA / PÁG. B1)

Colômbia e Farc põem fim hoje a 52 anos de guerra
Após quatro anos de negociação, o presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, assina em Cartagena acordo de paz com líderes das Farc, encerrando 52 anos de guerra. O último conflito armado da América Latina deixou 220 mil mortos e 25 mil desaparecidos, informa Fernanda Simas. A cerimônia terá 2,5 mil convidados, entre eles o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, e o secretário de Estado dos EUA, John Kerry. (INTERNACIONAL / PÁG. A10)

Nº de aposentadorias sobe 16,5% até agosto (Economia/Pág. B7)

Vera Magalhães
Com Operação Arquivo X, a Lava Jato chega mais perto do “coração” dos governos de Lula e Dilma. Personagens centrais do petismo devem aparecer nesta fase. (POLÍTICA / PÁG. A6)

Notas & Informações
Diversidade e desunião
O PMDB deixou de ser coadjuvante. Mas continua sendo a tal federação, na qual cada um fala por si. (PÁG. A3)

O lado mais cruel da crise (PÁG. A3)


Folha de S. Paulo

Manchete: Desoneração vira alvo da Receita e pode gerar R$ 15 bi
Pressão nas contas públicas estimula estudo sobre 300 incentivos fiscais
A Receita Federal prepara um estudo que embasará o primeiro pacote tributário do governo Temer. Estão sob avaliação cerca de 300 incentivos fiscais que, caso sejam cancelados ou modificados, podem gerar R$ 15 bilhões para os cofres públicos a partir de 2017, segundo estimativas iniciais. Herdados das administrações petistas, muitos desses benefícios tributários eram questionados pelos técnicos do fisco. Agora, entraram na mira do Ministério da Fazenda, que pretende calcular a efetividade dos programas. Ainda não existe, contudo, uma decisão quanto à revisão dos incentivos. As discussões envolvem, entre outros, os descontos de IPI para fabricantes de eletrodomésticos, bebidas,bicicletas, motos e eletroeletrônicos, além de desoneração sobre a folha de pagamento. A previsão de isenções no Orçamento para o próximo ano é de R$ 282,8 bilhões. A maior parte (29%) vai para o setor de comércio e serviços e para programas do Ministério do Trabalho (15%) ou voltados à indústria (12%), à área da saúde (12%) e à agricultura (9,3%). A ideia é cancelar programas e distribuir melhor os recursos. Os que atendem uma ou duas empresas seriam cancelados. (Mercado pág. 1)

Temer quer usar decisão de SP para ficar elegível
Decisão sobre disputa em Louveira (SP) pode ser usada para afastar o risco de que Michel Temer seja declarado inelegível em 2018. O TRE-SP entendeu que Julliano Gasparini (PV), condenado por doação acima do teto — assim como Temer—, pode concorrer. (Poder A4)

Entrevistas de 2ª – Frank Pearl

Divisão política na Colômbia pós acordo é paradoxo
Para Frank Pearl, único remanescente das negociações de paz desde o primeiro contato com as Farc, em 2009, “o grande paradoxo é que, depois de tanto esforço, estejamos tão divididos entre nós, cidadãos”. O acordo deve ser assinado nesta segunda-feira (26) em Cartagena. (Mundo A12)

Seca ameaça o fornecimento de energia elétrica
Falhas de abastecimento e aumento na conta de luz podem ocorrer em 2017 devido a secas severas previstas no Norte e no Nordeste no período de outubro a abril. Sobradinho, reservatório baiano que é o maior da região, deve atingir o volume morto neste ano. A estiagem também ameaça termelétricas a carvão, que usam água para o resfriamento. (Mercado pág. 3)

Vinicius Mota
Com Haddad, PT se afasta do eleitor pobre de São Paulo
Candidatos vermelhos são aqueles cuja votação cresce à medida que a renda do eleitor cai. Com os azuis é o contrário. Pela primeira vez neste século, um nome do PT disputa a Prefeitura de São Paulo no campo azul. (Opinião A2)

Candidatos elevam tom em debate a uma semana de eleição a prefeito (Eleições 2016 pág. 2)

Insultado, senador Lindbergh Farias briga na rua no Rio (Poder A6)

Aécio Neves
Plano de reforma do ensino médio é acerto do governo (Opinião A2)

Editoriais
Leia “Resgatar o ensino”, acerca de reforma educacional proposta por Temer, e “Baixa próxima”, a respeito de condições para queda da taxa Selic. (Opinião A2)


Edição: Equipe Fenatracoop, Segunda-Feira, 26 de Setembro de 2016

Compartilhe nossa Matéria