Manchete dos Jornais nesta Segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

77

Governo busca saída para obras em rodovias
O governo federal já tem em mãos propostas para estimular a retomada de obras em concessões de rodovias feitas nos últimos três anos que estão empacadas. A regra é similar à discutida para aeroportos: reavaliações podem ser feitas, desde que os consórcios mudem, em um esforço claro para bloquear as empresas envolvidas na Operação Lava-Jato…


O Globo

Manchete : Propinas rastreadas em 3 anos somam R$ 4 bi
Propina distribuída no posto de gasolina, repassada na paróquia e até escondida na calcinha. Às vésperas de completar três anos no próximo dia 17, a Operação Lava-Jato rastreou pelo menos R$ 4,1 bilhões pagos a políticos, partidos e funcionários públicos — aponta levantamento do GLOBO. (Pág. 3)

Uruguaio que ajudaria operação é achado morto
O secretário uruguaio de Luta contra a Lavagem de Dinheiro, Carlos Díaz, de 69 anos, foi encontrado morto na piscina de sua casa, em Punta del Este, na noite do último sábado. Autor de um projeto de lei considerado estratégico pelo governo do presidente Tabaré Vázquez na cruzada contra a lavagem, Díaz também pretendia colaborar com as investigações brasileiras da Operação Lava-Jato.(Pág. 5)

Governo busca saída para obras em rodovias

O governo federal já tem em mãos propostas para estimular a retomada de obras em concessões de rodovias feitas nos últimos três anos que estão empacadas. A regra é similar à discutida para aeroportos: reavaliações podem ser feitas, desde que os consórcios mudem, em um esforço claro para bloquear as empresas envolvidas na Operação Lava-Jato.(Pág. 15)

Ricardo Noblat
Yunes não resiste a seis perguntas. (Pág. 2)

————————————————————————————

O Estado de S. Paulo

Manchete : Odebrecht tem US$ 16 bi em contratos sob risco no exterior
Após divulgação de dados pela Lava Jato sobre pagamento de propina no exterior, países começaram a cancelar projetos
A onda de rejeição à Odebrecht no mercado internacional põe em risco contratos de quase US$ 16 bilhões. Até setembro passado, dois terços da carteira de obras da empreiteira tinham origem lá fora, em países como Venezuela, Angola e Panamá. Juntos, esses três países tinham mais obras contratadas com a empresa do que o Brasil.
A política de expansão da Odebrecht no exterior ganhou força nos anos 2000, com apoio do BNDES à internacionalização das construtoras. Mas, com a Operação Lava Jato, as conquistas começam a se perder. Desde que o Departamento de Justiça dos Estados Unidos divulgou os dados sobre pagamento de propina da empresa em cada país, a participação virou foco de turbulência e preocupação. Em nota, a Odebrecht afirma acreditar que conseguirá manter os contratos e conquistar novos projetos assim que firmar acordos de leniência nos países. (Economia / Pág. B1)

Empreiteira diz ter pago propina com primo de Macri
Em seu acordo de colaboração com a Justiça, a Odebrecht confirmou ter pago, na Argentina, propina relacionada à obra do trem subterrâneo Sarmiento, que liga Buenos Aires a Moreno, na região metropolitana.
A empreiteira aponta para pagamentos de suborno nas gestões da família Kirchner e também relata repasses feitos pela construtora Iecsa, do primo de Mauricio Macri, atual presidente do país. A Iecsa integra o consórcio da obra em Sarmiento. A Odebrecht não cita pagamentos diretos a Macri. (Internacional / Pág. A8)

MINISTRO DO STF E PRESIDENTE DO TSE – ‘SUPRESSÃO DE FORO DEVE SER PARA TODOS’
Entrevista : Gilmar Mendes
Para o ministro Gilmar Mendes, é uma “irresponsabilidade” apresentar a limitação do foro privilegiado como solução dos problemas nacionais. Ele garante que sua proximidade com Temer não vai comprometer o julgamento da ação que pode levar à cassação do mandato do presidente pelo TSE. (Política / Pág. A4)

Cida Damasco
O agravamento da crise política compromete a negociação das reformas constitucionais. (Economia / Pág. B4)

NOTAS & INFORMAÇOES
Retrato do Brasil
Brasileiros aplaudem o Poder Judiciário e repudiam tanto o Executivo quanto o Legislativo, responsáveis diretos pela governabilidade do País. (Pág. A3)

O incorrigível José Rainha
Ele e seus comparsas usam os sem-terra como massa de manobra para dar vida fácil aos líderes da patota. (Pág. A3)

————————————————————————————

Folha de S. Paulo

Manchete : Um a cada cinco bebês é filho de adolescente
Gravidez precoce agrava pobreza das famílias
Adolescentes deram à luz 431 mil bebês em 2016, 0 equivalente a 21% dos nascimentos no ano no Brasil. Na última década, 0 país não conseguiu reduzir a taxa de nascidos vivos de jovens menores de 20 anos — eram 21% em 2007, de acordo com 0 Datasus. Em período semelhante, de 2007 a 2015 (último dado disponível), foi 44% a queda na taxa de mães adolescentes nos Estados Unidos.
Segundo médicos, métodos contraceptivos de longa duração seriam uma opção eficaz. Foram um dos recursos que ajudaram os EUA a reduzir suas taxas. A gravidez precoce agrava a situação financeira das famílias: jovens pobres engravidam mais, abandonam a escola e têm dificuldade para trabalhar. Estudo do Ipea aponta que 76% das mães brasileiras de 10 a 17 anos não estudam, e 58% não estudam nem trabalham. (Cotidiano B5)

Celso Rocha de Barros
Direita passa por disputa e precisa decidir sobre Temer
Uma pequena guerra civil começou na “nova direita”. O banaco dos conservadores é uma disputa real, que deve se acirrar. A direita precisa se decidir sobre Temer: abandoná-lo é pôr em lisco reformas de mercado, apoiá-lo é ficar no centro da Lava Jato. (Poder A6)

Luiz Felipe Pondê
Esquerda encena uma ópera-bufa da ‘pós-verdade’
No mundo retórico das opiniões, ninguém sabe onde a verdade está. Muitos dos que criticam a era das “fake news” têm agenda ideológica escondida: a associação direta entre ser de esquerda e dizer a verdade, (Ilustrada C6)

Declaração do IR começa na quinta; veja as novidades (Mercado A13) ======================

Resgate de FGTS inativo libera fundo de ações (Mercado Al7)

Editoriais
“Babel tributária”,acerca de reforma do sistema de impostos e contribuições sociais, e “Privatização paulistana”, sobre programa de João Doria. (Opinião A2)

———————————————————————————




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *