Manchete dos Jornais nesta sexta-feira, 09 de outubro de 2015
Postado por: Equipe Portal Cambé Em 9th outubro 2015

Delator envolve nome de Richa à fraude na Receita
Declaração do auditor fiscal Luiz Antônio de Souza, delator da Operação Publicano, sugere ligação do governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), com servidores acusados de corrupção na Receita Estadual. O governo considerou absurda a declaração…
Paraná estuda cinco novos lotes de pedágio
O governo do Paraná planeja ceder à iniciativa privada 1.380 quilômetros de rodovias estaduais. A informação sobre os lotes e a possibilidade de criação de praças de pedágio constam de um documento do DER enviado à Assembleia Legislativa


O Globo

Manchete : Contas na Suíça têm endereço de Cunha no Rio
Presidente da Câmara fechou 2 das 4 contas no país um mês após Lava-Jato
Após receber documento da Procuradoria Geral da República, PSOL decide pedir cassação do deputado
Documentos do Ministério Público da Suíça mostram que os registros das contas naquele país atribuídas ao presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), têm o endereço na Barra da Tijuca, no Rio, onde o deputado mora. Segundo procuradores suíços, em abril de 2014, um mês após o início da Lava-Jato, Cunha fechou duas das quatro contas no banco Julius Baer. Nas duas que continuaram ativas, a Suíça bloqueou US$ 2,5 milhões. Ontem, o PSOL anunciou que pedirá ao Conselho de Ética abertura de processo de cassação do deputado, que nega ter conta no exterior. (Pág. 3)

Governo ainda paga pelas ‘pedaladas’
Repasses a BNDES, BB e FGTS para cobrir subsídios, represados em 2014, já chegam a R$ 14,4 bi este ano
O Tesouro Nacional já repassou a BNDES, Banco do Brasil e FGTS, nos primeiros oito meses deste ano, R$ 14,4 bilhões com o objetivo de cobrir os gastos que as instituições e o Fundo de Garantia tiveram com juros subsidiados de programas federais, revelam MARTHA BECK e BÁRBARA NASCIMENTO. No ano passado, foram R$ 3,4 bilhões no mesmo período. A fatura dos subsídios deveria ter sido quitada pelo governo em 2014, mas, numa “pedalada”, a despesa foi adiada para este ano para melhorar o resultado fiscal. Sem os desembolsos, as contas públicas, que estão R$ 14 bilhões no vermelho até agosto, teriam superávit de R$ 425 milhões no mesmo período. Os repasses podem chegar a R$ 20 bilhões até dezembro. (Pág. 19)

Dilma: decisão do TCU é ‘página virada’
O governo desistiu de recorrer ao STF contra a rejeição das contas de 2014 pelo TCU. “A batalha agora é no Congresso, não no Judiciário”, disse Jaques Wagner (Casa Civil). A presidente reuniu seu novo Ministério, pediu ajuda no Congresso, e governo vê caso como “página virada”. (Pág. 4)

Dólar cai abaixo de R$ 3,80
Pela primeira vez em mais de um mês, a moeda americana fechou abaixo de R$ 3,80. Seguindo tendência internacional, recuou 2,14% e encerrou o dia cotada a R$ 3,794. A Bovespa teve a oitava alta seguida, de 0,39%, no mais longo período de valorização desde março de 2014. (Pág. 20)

FMI vê Brasil em ‘território negativo’
Em sua reunião anual, FMI afirma que economia do Brasil preocupa, assim como as de Venezuela e Equador , e recomenda reformas. (Pág. 21)

Aprovada vacina contra a dengue
Comissão de Biossegurança liberou vacina contra dengue da Sanofi-Pasteur , que espera registro da Anvisa. El Niño deve favorecer o vírus. (Pág. 23)

Merval Pereira
TCU constatou visão autoritária e sem transparência fiscal (Pág. 4)

José Paulo Kupfer
Crises política e econômica são gêmeas, mas distintas (Pág. 17)

Nelson Motta
Petista erra ao dizer que decisão do TCU foi política (Pág. 17)

Míriam Leitão
Uso dos bancos públicos pelo governo foi deliberado (Pág. 20)


O Estado de S. Paulo

Manchete : Dilma cobra ação de ministros para deter impeachment
Após derrotas no TCU, Congresso e TSE, presidente pede unidade da base; Temer e Berzoini se reunirão com peemedebistas para exigir fidelidade
Na primeira reunião com o novo Ministério, a presidente Dilma Rousseff cobrou ação para barrar pedidos de impeachment. Após ter balanço rejeitado pelo Tribunal de Contas da União, sofrer derrotas seguidas no Congresso e ver o Tribunal Superior Eleitoral abrir ação de impugnação de seu mandato, a presidente disse aos ministros que é preciso unidade para virar o jogo. “Querem pôr em anda: mento um golpe democrático”, disse. “Precisamos mobilizar nossas bases para dar respostas e mostrar que temos apoio.” O apelo foi dirigido principalmente ao PMDB. Dilma prometeu estudar pedidos de parlamentares e pediu cuidado na escolha de auxiliares, para que não haja interrupção de projetos caros ao governo. Também ficou acertado que o vice Michel Temer e o responsável pela articulação do governo, Ricardo Berzoini, farão reuniões rotineiras com ministros peemedebistas para garantir fidelidade em votações. (Política/ Pág. A4)

Oposição quer processo já
Deputados pressionam Eduardo Cunha a abrir processo de impeachment da presidente. Aécio Neves disse que o PSDB dará apoio, caso o processo vá a votação. OAB criou comissão para analisar o caso. (Pág. A4)

Janot confirma que Cunha tem contas em banco da Suíça
O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, confirmou a deputados do PSOL que o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, e parentes dele têm contas bancárias na Suíça, que foram bloqueadas por autoridades do país. Com base nessas informações, o PSOL vai entrar terça-feira com representação contra Cunha no Conselho de Ética da Câmara. As contas do peemedebista foram abertas no Julius Baer, mesmo banco usado por ex-diretores da Petrobrás investigados na Operação Lava Jato. (Política/ Pág. A8 )

Deputado evita assunto
Eduardo Cunha disse ontem que já falou “o que tinha de falar”. “Se eles (PSOL) entrarem (no Conselho de Ética), é direito deles. Responderei na hora que tiver de responder.” (Pág. A8)

Reunião do FMI – A ajuda de Lagarde para Levy
Pressionado por jornalista da CNN a falar sobre pedaladas fiscais e a possibilidade de impeachment de Dilma Rousseff, o ministro Joaquim Levy (Fazenda) foi salvo por intervenção da diretora-gerente do FMI, Christine Lagarde, que desviou o assunto, informa o enviado Rolf Kuntz. Em outro momento, Lagarde recomendou que o Brasil tome medidas para melhorar o ambiente de negócios, com reformas na educação e no mercado de trabalho. (Economia / Pág. B3)

Fundos de pensão no vermelho
Cerca de 40 fundos de pensão fecharam o primeiro semestre com déficit de R$ 46 bilhões. A Funcef, o fundo de previdência da Caixa, divulgou plano para solucionar o seu rombo, de R$ 5,5 bilhões. (Pág. B1)

Fernando Gabeira
As fontes da ira – O momento é uma encruzilhada entre a ira popular e a enrolação institucional. A raiva nas ruas é que tem mais potencial transformador (Espaço Aberto/Pág. A2)

Notas&Informações
Os efeitos da decisão do TCU – A rejeição das contas presta ao País o serviço de expor o ethos do lulopetismo no poder (Pág. A3)

Que luz Dilma vê ? – A alta dos preços é ignorada pela presidente, numa demonstração de seu descolamento da realidade do País (Pág. A3)


Estado de Minas

Manchete: Congresso só julgará as pedaladas em 2016
Presidentes da Câmara e do Senado sinalizam não ser possível avaliar contas de Dilma ainda este ano.
O Tribunal de Contas da União (TCU) recomendou a reprovação das contas do governo, mas a posição final é do Congresso. O julgamento, porém, tem um rito que exige meses, o que inviabiliza concluí-lo em 2015.“Não será um embate rápido”, avisou o presidente da Câmara, Eduardo Cunha.“Todo julgamento, inclusive o político, se submete a regras e a prazos. Não há como fazer diferente”, emendou o presidente do Senado, Renan Calheiros. Primeiro, as contas serão apreciadas pela Comissão Mista de Orçamento. A presidente da comissão, senadora Rose de Freitas (PMDB-ES), acredita ser possível cumprir essa primeira etapa ainda este ano. Mas o confronto promete ser acirrado. Dos 32 membros do colegiado, 18 foram fiéis ao governo e compareceram à sessão de quarta-feira para votação dos vetos de Dilma, enquanto 14 não bateram ponto. Confira o percurso do julgamento, que poderá resultar num processo de impeachment, e também como correrão as ações no TSE que pede ma cassação do mandato de Dilma.
Relator do processo das contas de 2014 de Dilma no TCU, ministro Augusto Nardes diz ter sofrido ameaças e afirma haver fortes indícios de pedaladas fiscais também nas contas do governo de 2015 Rodrigo Janot, procurador-geral da República, confirma a existência de contas de Eduardo Cunha na Suíça. O MP daquele país informa que duas delas foram fechadas após o início da Lava-Jato. Páginas 2 a 4,8 e o editorial ‘o fato e as consequências’, na 6


Gazeta do Povo

CRISE POLÍTICA
Manchete: Oposição traça calendário para derrubar Dilma até dezembro
A análise das contas do governo Dilma (PT) pelo Congresso Nacional vai se estender até o ano que vem, mas a oposição planeja concluir a primeira etapa do processo do impeachment neste mês e afastar a presidente até dezembro. A estratégia foi acertada em reunião do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB), com líderes de PSDB, DEM e PPS. Pelo acordo, Cunha deve rejeitar a denúncia do advogado e ex-petista Hélio Bicudo contra Dilma. Em seguida, um parlamentar entraria com recurso para reverter a decisão em plenário. A aprovação do recurso dependeria de maioria simples

INFRAESTRUTURA
Paraná estuda cinco novos lotes de pedágio
O governo do Paraná planeja ceder à iniciativa privada 1.380 quilômetros de rodovias estaduais. A informação sobre os lotes e a possibilidade de criação de praças de pedágio constam de um documento do DER enviado à Assembleia Legislativa

INFRAESTRUTURA
Rebaixamento de nota compromete novas concessões
O recente rebaixamento da nota de crédito do Brasil pela agência Standard & Poor’s ameaça o sucesso das concessões do governo federal. Com o dinheiro mais caro, as empresas brasileiras enfrentarão mais dificuldades para obter financiamento

SUSPEITAS NA RECEITA
Delator envolve nome de Richa à fraude na Receita
Declaração do auditor fiscal Luiz Antônio de Souza, delator da Operação Publicano, sugere ligação do governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), com servidores acusados de corrupção na Receita Estadual. O governo considerou absurda a declaração

G FIM DE SEMANA
Peter Pan reaparece em carne, osso e purpurina
Mesclando realismo e fantasia, filme derrapa no roteiro, mas deve agradar crianças despreocupadas


Zero Hora

Manchete : Dilma cobra apoio de ministros para recompor base aliada no Congresso
Reunida com equipe, presidente diz que rejeição de contas é “página virada” e quer atuação de auxiliares nas bancadas (Notícias | 10, 32 e 33)


Folha de S. Paulo

Manchete : Cunha afirma que é execrado e não renuncia
Para chefe da Câmara, divulgação de 4 possíveis contas na Suíça visa constrangê-lo; Aécio sugere seu afastamento
O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), declarou em entrevista a Mônica Bergamo ser alvo de execração no caso das possíveis contas secretas que ele manteria na Suíça. “Estou sendo execrado por uma divulgação seletiva, vazada de forma criminosa, para tentar me constranger”, disse o peemedebista. Às autoridades suíças o banco Julius Baer atribui quatro contas a Cunha e familiares. Duas foram fechadas em abril de 2014, um mês após o início da Lava Jato. Questionado sobre as contas, ele se negou a responder e citou depoimento à CPI da Petrobras. Cunha disse na comissão que não possuía contas no exterior. O senador Aécio Neves (PSDB) sugeriu a Cunha se afastar do cargo a fim de reunir apoio para manter seu mandato. Os tucanos têm interesse na questão pois o presidente da Câmara pode deflagrar processo de impeachment contra a presidente Dilma (PT). “Eu não vou renunciar”, afirmou o deputado. (Poder a6 e a7)

Mais da meta de das empresas brasileiras está inadimplente
O país registrou em agosto 4 milhões de empresas inadimplentes entre as 7, 9 milhões em atividade, segundo a Serasa Experian. As dívidas totalizam R$ 92 bilhões —em julho de 2014, 3,5 milhões de firmas deviam R$ 80 bilhões. Empresários falam em crédito e capital de giro escassos e queda nas vendas. (Mercado a15)

Oposição acerta impeachment sem análise das contas de Dilma
Os políticos que articulam o impeachment da presidente Dilma (PT) decidiram iniciar o processo na semana que vem, sem esperar que o Congresso dê a palavra final sobre as contas do governo. Para eles, a aprovação unânime pelo Tribunal de Contas da União já é suficiente politicamente para forçar a saída da petista. (Poder a4)
Erro médico no país afeta 40% dos pacientes, diz associação (C5)

Editoriais
Leia “Terra arrasada”, acerca de danos causados pelo desajuste orçamentário, e “As ciências do Nobel”, a respeito de prêmios atribuídos em 2015. (Opinião A2)


Edição: Equipe Fenatracoop, 09 de Outubro de 2015, 07:13

Compartilhe nossa Matéria