Manchete dos Jornais nesta sexta-feira, 18 de dezembro de 2015
Postado por: Equipe Portal Cambé Em 18th dezembro 2015

Operação Sangue Negro
A PF prendeu 4 suspeitos de desvios em contratos da SBM com a Petrobras desde 1997, no governo FH …
Dilma, o Fed e o rebaixamento – Ela encerra o primeiro ano do segundo mandato com o País degradado e na contramão do mundo…
Abstinência forçada de WhatsApp
A decisão judicial que deixou quase cem milhões de brasileiros sem o popular aplicativo WhatsApp por 12 horas ontem provocou adesões recordes a concorrentes dele, como Telegram e ZapZap


O Globo

Manchete : STF dá ao Senado poder de barrar impeachment
Governo vence, e comissão eleita na Câmara por voto secreto é anulada
Processo contra a presidente Dilma terá de voltar ao início e, com o recesso parlamentar, só deverá recomeçar em fevereiro, após o carnaval, numa derrota para Eduardo Cunha
Numa vitória do governo e contrariando o rito que vinha sendo imposto pelo presidente da Câmara, Eduardo Cunha, o STF decidiu que o processo de impeachment da presidente Dilma deve seguir o trâmite adotado em 1992, quando Fernando Collor foi cassado. Com a anulação dos procedimentos adotados até aqui, a Câmara terá de eleger novamente, e em sessão aberta, a comissão que fará o parecer a ser votado em plenário. O STF decidiu que o Senado, onde a base governista é mais forte, pode rejeitar o processo, caso ele seja aberto pela Câmara. Com o recesso, o caso só será retomado após o carnaval. (Págs. 3 e 4)

Merval Pereira – Decisões do STF dão alívio momentâneo a Dilma (Pág. 4)

Picciani e Renan têm dia de vitória
Contrário ao impeachment, o deputado Leonardo Picciani recuperou a liderança do PMDB na Câmara após deflagrar operação para levar aliados ao Legislativo. O presidente do Senado, Renan Calheiros, comemorou e ainda atuou para que a Casa peça ao TCU auditoria sobre supostas “pedaladas” do vice Michel Temer, com quem está em guerra. (Págs. 6 e 7)

Futuro de Cunha fica para fevereiro
O ministro do STF Teori Zavascki adiou para fevereiro, após o recesso do Judiciário, a decisão sobre o pedido de afastamento do presidente da Câmara, Eduardo Cunha. (Pág. 10)

Governo de SP corrige público
O governo Alckmin (PSDB) reviu de 3 mil para 50 mil o público do ato contra o impeachment de Dilma na capital. Assim, no país, ele foi superior ao de domingo pela saída. (Pág. 8)

Levy cobra reformas para ficar
Em entrevista à repórter MARTHA BECK, o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, disse que sempre buscou medidas além do ajuste nas contas públicas: “O que me irrita é uma fixação que existe no governo com a agenda fiscal.” Perguntado sobre quanto tempo ficaria no cargo, afirmou que “a extensão da minha permanência” depende de uma sinalização do governo de que pretende adotar reformas. Pouco antes, em reunião do Conselho Monetário Nacional (CMN), Levy se despediu dos outros membros do colegiado, segundo relato de presentes ao encontro. (Pág. 25)

Míriam Leitão – Um ministro que a presidente nomeou, mas nunca quis ouvir (Pág. 26)

Editorial – ‘Dilma decreta agravamento da crise econômica’ (Pág. 22)

Novo museu – Viradão na festa do Amanhã
A presidente Dilma participou da inauguração do Museu do Amanhã, que será aberto ao público amanhã e terá viradão cultural (Pág. 16)

Ministro manda soltar fundador do BTG
O ministro Teori Zavascki, do STF, revogou a prisão de André Esteves, ex-presidente do BTG Pactual, por constatar que ele não participou de reuniões para planejar fuga de Nestor Cerveró, ex-diretor da Petrobras. O banco perdeu R$ 14,35 bi nos 23 dias em que Esteves ficou preso. Já o senador Delcídio Amaral (PT) foi mantido na cadeia. (Pág. 9)

Operação Sangue Negro
A PF prendeu 4 suspeitos de desvios em contratos da SBM com a Petrobras desde 1997, no governo FH (Pág. 10)

Abstinência forçada de WhatsApp
A decisão judicial que deixou quase cem milhões de brasileiros sem o popular aplicativo WhatsApp por 12 horas ontem provocou adesões recordes a concorrentes dele, como Telegram e ZapZap (Págs. 27 a 29)

Investigação sobre tráfico
O bloqueio foi ordenado após a empresa não fornecer dados de traficante investigado. (Pág. 28)

Rio quer acabar com 6 fundações
Para economizar por ano R$ 100 milhões, o governador Luiz Fernando Pezão pretende acabar com seis fundações e uma autarquia. A proposta precisa da aprovação da Alerj. (Pág. 12)


O Estado de S. Paulo

Manchete : STF dá ao Senado poder de barrar impeachment
Ministros também anularam votação secreta de eleição na Câmara; decisões favorecem Dilma
O Supremo Tribunal Federal reconheceu a autonomia do Senado para barrar o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff, mesmo após eventual aprovação na Câmara. Essa tese foi a defendida pelo governo. A decisão teve apoio de 8 dos 11 ministros da Corte e estabeleceu que só a aprovação por maioria simples dos senadores instaura o procedimento e, portanto, gera afastamento de Dilma do cargo por 180 dias. O julgamento de ontem dividiu o Tribunal. A maioria seguiu proposta do ministro Luís Roberto Barroso, que abriu a divergência com relação ao relator, Edson Fachin, cujo voto anteontem havia sido amplamente desfavorável ao governo. Os ministros também derrubaram a eleição da comissão especial do impeachment formada na Câmara após votação secreta e rejeitaram a exigência de defesa prévia de Dilma antes da abertura do processo. Para o Planalto, o novo rito definido pelo STF dá fôlego a Dilma, que agora tem chance de se salvar. O presidente da Câmara, Eduardo Cunha, disse respeitara decisão, mas prometeu recorrer. (Política/A4 a A8)

De saída do ministério, Levy faz críticas ao governo
Embora não confirme, Joaquim Levy (Fazenda) praticamente admitiu estar deixando o governo. Ele se referiu à gestão Dilma Rousseff como se não fizesse parte dela: “O governo só fala do fiscal. Por quê? Eu não sei. Nunca entendi. Parece que tem medo de reforma, não quer nenhuma”. Ele disse a Adriana Fernandes ter evitado “pedaladas” e se referiu ao “final do ano legislativo”, como se marcasse o fim de sua missão. Nelson Barbosa (Planejamento) é cotado para a vaga. (Economia/B1 a B3)

Orçamento prevê R$10 bi de CPMF

O governo conseguiu ontem aprovar o Orçamento 2016 com meta fiscal de 0,5% do PIB e previsão de receita de R$ 10 bilhões com o retorno da CPMF (B4)

Ex-banqueiro André Esteves sai da prisão
O ministro do STF Teori Zavascki revogou a prisão do ex- banqueiro André Esteves, do BTG Pactual, mas manteve a do senador Delcídio Amaral (PT-MS). Esteves cumprirá medidas restritivas, mas não terá de usar tornozeleira eletrônica. (Política/A11)

Cerveró acusa Delcídio
O ex-diretor da Petrobrás Nestor Cerveró disse que Delcídio Amaral recebeu propina de contratos da Alstom e da GE em 2001, no governo FHC. (A12)

Afastamento de Cunha será julgado em 2016
O ministro Teori Zavascki, do STF, definiu que o pedido da Procuradoria- Geral da República de afastamento do deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) de seu mandato parlamentar será julgado em fevereiro, após recesso. (A7)

Picciani volta ao cargo de líder do PMDB
Em operação comandada pelo Planalto, o deputado Leonardo Picciani (RJ) foi reconduzido ontem ao posto de líder do PMDB na Câmara. O parlamentar voltou ao cargo após apresentar assinaturas de 36 dos 69 integrantes da bancada. (A9)

Operação mira contratos da época de FHC
O MPF denunciou 12 pessoas, incluindo quatro ex-funcionários da Petrobrás, por pagamento de US$42 milhões em propinas em contratos da SBM Offshore, de 1997 a 2012, período que também abrange a gestão Fernando Henrique Cardoso. (A13)

Bloqueio do WhatsApp afeta mais de 100 milhões. (B16)

Fernando Gabeira
Sobre o ato de respirar – O governo respira os gases envenenados da corrupção que emanam a cada investida da Polícia Federal, a cada novo documento revelado (Espaço Aberto/A2)

Celso Ming

O bloqueio do WhatsApp – Caso sugere que ainda não foi descoberto jeito de obrigar o cumprimento desse tipo de determinação judicial por empresas ou aplica (Economia/B2)

Notas&Informações

Estratégia imoral – Interessa ao governo espalhar a versão de que a Lava Jato é responsável pela instabilidade (A3)

Dilma, o Fed e o rebaixamento – Ela encerra o primeiro ano do segundo mandato com o País degradado e na contramão do mundo (A3)


Gazeta do Povo

Manchete: Supremo impõe novas regras ao impeachment
Reviravolta no Supremo assegura rito do impeachment “favorável” a Dilma

PEDÁGIO
Estudo para prorrogar contratos da Econorte indica que tarifa pode cair até 38%
FOSFOETANOLAMINA
Pesquisa com ‘pílula do câncer’ não terá pacientes terminais
PARANÁ
Polícia deflagra operação para combater facção criminosa no PR
SURTO
Cidades apuram 21 casos de microcefalia no interior de SP
CAMPEÃ DE CASOS CONFIRMADOS
Entulho se acumula em Paranaguá e moradores temem novos focos de dengue
CÂMARA MUNICIPAL
Derosso terá de devolver R$ 5,9 milhões aos cofres públicos
LAVA JATO
E se Cunha cair? Sucessor tem de ser do PMDB, diz deputado paranaense
LEGISLATIVO
Renan anuncia recesso legislativo e descarta convocação do Congresso
IMPEACHMENT
Cunha cobra mais clareza do STF após decisão sobre rito do impeachment
CORRUPÇÃO
PF deflagra Sangue Negro, que investiga desvios na Petrobras pré-Lava Jato
MÁFIA DA RECEITA ESTADUAL
Empresas investigadas pela Publicano terão de pagar R$ 833 mi em multas ao governo do PR
PALÁCIO IGUAÇU
Em balanço do ano, Richa diz que 29 de abril foi arquitetado para gerar desgaste político
JUSTIÇA
Tribunal mantém 5 anos de prisão para Cerveró, o novo delator-bomba da Lava Jato
LAVA JATO
Ministro do STF manda soltar André Esteves, mas mantém Delcídio preso
IMPEACHMENT
Deputados do Paraná divergem sobre decisão do STF
CRISE POLÍTICA
Dilma agradece Renan por desafiar Temer
PMDB
Após polêmica, Picciani volta à liderança do PMDB; Cunha diz que vai retaliar
ANÁLISE
Com saída de Levy, governo tem poucas opções para o ministério da Fazenda
TRABALHO
Homem com curso superior começa ganhando 52% mais que mulher
SEU BOLSO
Nos gastos, brasileiro é mais emocional do que racional
ORÇAMENTO
Congresso aprova meta fiscal de 2016 em 0,5% do PIB
NA CORDA BAMBA
Levy fala em tom de despedida em reunião do Conselho Monetário Nacional


Zero Hora

Manchete : STF dá ao Senado poder para barrar impeachment
Ministros do Supremo anularam eleição com votação secreta que escolheu membros de comissão especial e definiram que Senado poderá derrubar decisão da Câmara, contrariando a posição do relator Edson Fachin

Macri libera câmbio e peso se desvaloriza 40%


Folha de S. Paulo

Manchete : Dilma obtém vitória no STF sobre rito de impeachment
Decisão de ministros anula votação secreta de comissão e dá mais poder ao Senado no processo
No julgamento que definiu ontem (17) o rito para o processo de impeachment da presidente Dilma, o Supremo considerou inválida a votação secreta que elegeu, na semana passada, a comissão que analisará na Câmara se a ação deve ser aberta. A decisão representa uma derrota do deputado Eduardo Cunha (PMDB), chefe da Casa, que conduziu a eleição que escolheu uma chapa com maioria favorável à destituição da presidente. Na prática, a Corte também deu mais poder ao Senado. Dos 11 ministros, 8 entenderam que os senadores não são obrigados a instaurar o impeachment caso a Câmara o autorize, podendo até recusar o processo. O resultado agrada ao Planalto, que conta com os senadores para fazer contrapeso à oposição que vem enfrentando na Câmara. (Poder A4)

Marcelo Coelho – Definição do STF sobre ritual favorece transparência e dá mais tempo e chance à Dilma. (A5)

Análise de pedido para afastar Cunha fica para fevereiro
O ministro do STF Teori Zavascki deixou para fevereiro, após o recesso do Judiciário, a análise do pedido de afastamento do presidente da Câmara, Eduardo Cunha. O deputado do PMDB é acusado pela Procuradoria de elo com o petrolão e obstruir a investigação, o que ele nega. (Poder A6)

Justiça tira da prisão o banqueiro André Esteves, ex-BTG
O ministro do STF Teori Zavascki determinou a soltura do banqueiro André Esteves, ex-presidente do BTG, que estava detido desde o dia 25 por supostamente participar de esquema de sabotagem à Lava Jato. A prisão do senador Delcídio do Amaral (PT-MS) foi mantida. (Poder A7)

Levy dá adeus em reunião, e governo busca um substituto
O ministro Joaquim Levy (Fazenda) disse no Conselho Monetário Nacional, ao se despedir da última reunião do ano, que não virá à próxima, no fim de janeiro. Para os presentes, ele praticamente oficializou a saída do governo. Levy, via assessoria, não confirmou nem desmentiu. (Mercado A17)

Painel – Nelson Barbosa (Planejamento) passa a ser cotado por Dilma para assumir o posto de Levy (A4)

Planalto age contra Temer, e Picciani volta a liderar PMDB
Oito dias após ser destituído, o deputado Leonardo Picciani (RJ) retomou o posto líder do PMDB na Câmara. Com apoio do Planalto e de senadores, ele reuniu assinaturas de 36 dos 69 membros da bancada. A ofensiva foi uma retaliação da presidente Dilma Rousseff contra o vice, Michel Temer. (Poder A6)

Para presidente da Fapesp, Belo Monte sem barragem é um absurdo completo (B4)

Editoriais
Leia “Jogo de comparações”, acerca de atos contra o impeachment, e “A saúde da medicina”, a respeito de exame de proficiência para a área. (Opinião A2)


Edição: Equipe Fenatracoop, Sexta-Feira, 18 de Dezembro de 2015

Compartilhe nossa Matéria