Manchete dos Jornais nesta sexta-feira, 28 de agosto de 2015
Postado por: Equipe Portal Cambé Em 28th agosto 2015

Dilma barrada no Planalto
Chefe interino do cerimonial do Planalto, Fernando Igreja barra a presidente Dilma durante recepção a participantes dos Jogos ParapanAmericanos. Ele deu preferência a cadeirantes e outros atletas. A presidente não escondeu a irritação.


O Globo

Manchete : Congresso e empresários repudiam volta da CPMF
Pezão e outros governadores apoiam tributo, desde que recebam recursos
Proposta do governo prevê alíquota de 0,38% e cobrança por quatro anos. Objetivo é arrecadar R$ 84 bilhões anuais. Para especialistas, porém, volta do imposto do cheque provocaria mais inflação
O governo decidiu enviar ao Congresso na segunda-feira proposta para recriar a CPMF, que vigoraria por quatro anos com alíquota de 0,38%. A volta do imposto sobre transações bancárias sofreu duras críticas de parlamentares e empresários. O presidente do Senado, Renan Calheiros, disse que é “um tiro no pé”. Eduardo Cunha, da Câmara, também condenou. Para Paulo Skaf, da Fiesp, se for para subir impostos, o ministro Levy deveria “arrumar a mala e ir para casa”. Entidades repudiaram a proposta. O governo espera arrecadar R$ 84 bilhões, a serem divididos com estados e municípios. Com isso, conseguiu apoio de governadores como Pezão e do prefeito do Rio, Eduardo Paes. (Págs. 21 e 22)

Contas do governo têm rombo de R$ 7 bi
Tesouro, Previdência e BC gastaram mais do que arrecadaram e, com isso, o governo central teve déficit de R$ 7,2 bilhões em julho, o pior resultado para o mês em 19 anos. (Pág. 23)

Dólar cai graças a PIB dos EUA
O PIB americano cresceu 3,7% no 2º trimestre. Com isso, o dó- lar recuou 1,33%, para R$ 3,552. A Bovespa subiu 3,64%. (Pág. 24)

Foto-legenda : Dilma barrada no Planalto
Chefe interino do cerimonial do Planalto, Fernando Igreja barra a presidente Dilma durante recepção a participantes dos Jogos ParapanAmericanos. Ele deu preferência a cadeirantes e outros atletas. A presidente não escondeu a irritação. (Pág. 6)

Grevistas da UFRJ mandavam na Reitoria
Um grupo de 25 professores eméritos da UFRJ escreveu carta ao ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, denunciando que, na greve na universidade, questões acadêmicas eram resolvidas pelos grevistas e não pela Reitoria. Segundo o documento, o comando de greve “prejudicava gravemente a reputação da universidade”. (Pág. 14)

Janot planeja novo inquérito
Reconduzido ao cargo, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pretende abrir um segundo inquérito para investigar outras suspeitas sobre o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, na Lava-Jato. (Pág. 3)

STF mantém validade de delação de Youssef
Por unanimidade, os ministros do Supremo Tribunal Federal consideraram válida a delação do doleiro Youssef feita na Lava-Jato. (Pág. 4)

PT já perdeu 20% de seus prefeitos em SP (Pág.7)

Duplamente expulsos
Expulsos pela Venezuela, muitos colombianos tinham buscado refúgio no país diante de ameaças das Farc. Bogotá e Caracas convocaram seus embaixadores. (Pág. 27)

Nelson Motta
Berzoini ignora a comunicação moderna (Pág. 19)
José Paulo Kupfer
Quem ouvir lero-lero sobre câmbio ficará tonto (Pág. 19)
Míriam Leitão
Proposta vem na hora errada e por motivo errado (Pág. 22)
Editorial
‘Recriar CPMF seria mais uma estupidez econômica’ (Pág. 18)


O Estado de S. Paulo

Manchete : Empresários e Congresso rejeitam volta da CPMF
Tributo sobre movimentação financeira pode ter alíquota de 0,38%
O governo vai propor a recriação da CPMF com alíquota de 0,38%, a mesma que vigorava em 2007 quando foi extinta, e já enfrenta resistência de parlamentares e empresários. Os presidentes da Câmara, Eduardo Cunha, e do Senado, Renan Calheiros, avisaram que são contra. A decisão foi tomada por ministros da equipe econômica e pela presidente Dilma Rousseff. A expectativa é de que o tributo sobre movimentações financeiras renda aos cofres públicos cerca de R$ 70 bilhões por ano. A renda seria destinada exclusivamente à saúde e o valor arrecadado, dividido entre governo federal, Estados e municípios. O Planalto está convencido de que, com a queda na arrecadação, o imposto anunciado pelo ministro Arthur Chioro como Contribuição Interfederativa da Saúde é a única saída no horizonte. De janeiro a julho deste ano, as contas de Tesouro Nacional, INSS e Banco Central registraram déficit de R$ 9,05 bilhões,o pior resultado para o período em 18 anos. (Economia / Págs. B1 a B5)

Celso Ming
Aumentar impostos implica sangrar mais a economia porque retira recursos do orçamento doméstico e da produção. Exumar a CPMF é pior ainda, porque é um tributo que cria distorções. (Pág. B2)

Em evento com Temer, Skaf pede saída de Levy
Após jantar com o vice Michel Temer (PMDB) e 22 grandes empresários na sede da Fiesp, o presidente da entidade, Paulo Skaf (PMDB), defendeu a demissão do ministro da Fazenda, Joaquim Levy. “O ministro não demonstra preocupação com o desemprego, com os setores produtivos. Entendo que esse não é o perfil de um ministro que faça bem ao País”, disse. Skaf prometeu bombardear a ideia de uma nova CPMF. (Política / Pág. A12)

CPIs bancadas por Cunha investem contra Lula
As três CPIs bancadas por Eduardo Cunha (PMDB-RJ) na Câmara (Petrobrás, BNDES e fundos de pensão) investiram contra o governo de Dilma Rousseff, o PT e as relações do ex-presidente Lula com empreiteiros. Foram aprovados requerimentos para ouvir executivos presos pela Operação Lava Jato, ex-presidentes do BNDES e o ex-ministro José Dirceu. Luciano Coutinho, atual presidente do BNDES, foi ouvido ontem. O alvo prioritário das perguntas foi Lula. (Política / Pág. A4)

STF reconhece delação de doleiro
Por unanimidade, o STF rejeitou pedido de habeas corpus de um executivo da Galvão Engenharia e reconheceu a validade do acordo de delação premiada do doleiro Alberto Youssef com o MPF. (Pág. A8)

Mujica sai em defesa de Dilma
Em palestra no Rio, o ex-presidente do Uruguai José Mujica defendeu Dilma Rousseff. Pela manhã, foi homenageado e almoçou rabada e feijoada, com cerveja, num típico botequim carioca. (Internacional / Pág. A16)

Dilma barrada
Dilma Rousseff se irrita durante cerimônia dos dez anos do Bolsa-Atleta no Planalto. Ao ser chamada para subir ao palco, presidente teve passagem interrompida por funcionário do cerimonial, que estendeu braço à sua frente para dar prioridade a cadeirantes. (Política / Pág. A12)

Garota de 15 anos é 19ª vítima de chacina (Metrópole/Pág. A19)

Fernando Gabeira
Banqueiros, empresários
Os que pedem um Fiat Elba para o impeachment de Dilma vão se deparar com verbas que dariam para comprar muitas Ferraris e Lamborghinis. (Espaço Aberto / Pág. A2)

Eliane Cantanhêde
De derrota em derrota
Pode ser só impressão, mas Joaquim Levy consegue ser, ao mesmo tempo, o homem forte do governo e o que perde todas. Ele vai suportar? (Política / Pág. A8)

Notas&Informações
Do desespero à aberração
O governo estuda a recriação da CPMF, uma aberração desconhecida no mundo civilizado. (Pág. A3)

Um espetáculo deprimente
A sabatina de Rodrigo Janot esteve longe de honrar as melhores tradições do Senado. (Pág. A3)


Estado de Minas

Manchete: S.O.S. Cirurgias
Falta de verba está tornando cada vez mais difícil marcar operação pelo SUS em Minas A crise no Sistema Único de Saúde, com dificuldades nos repasses de recursos federais,fez com que fossem suspensas em BH desde 1º de julho as cirurgias eletivas (marcadas com antecedência) para pacientes de outros municípios.
E, no estado, chegaram a ser suspensas 60% dessas operações, que caíram de 20 mil para 8 mil por mês. Para amenizar a situação, o Ministério da Saúde anunciou a regularização do pagamento de R$ 48 milhões do chamado Fundo de Ações Estratégicas e Compensação (Faec).
A verba, no entanto,foi usada para quitar procedimentos feitos só até fevereiro. De março em diante, o Ministério da Saúde tem garantidos para Minas até o fim do ano mais R$ 16 milhões, a serem pagos depois de comprovadas as cirurgias.
A Secretaria de Estado da Saúde, por sua vez, anunciou o aporte de outros R$ 42 milhões, assegurando a retomada do ritmo normal de intervenções cirúrgicas, mas só até o fim de setembro. A partir de outubro, avisa,revisará os protocolos para priorizar os casos “realmente necessários”.

SORRIA…

Polícia passa a filmar blitz da Lei Seca

Agentes começaram a gravar vídeos das abordagens de motoristas em operações nas ruas de BH para usar as imagens como eventuais provas de embriaguez. Na primeira ação, seis condutores foram flagrados alcoolizados e um, preso por crime de trânsito. Pág. 17

Retorno da CPMF revolta os setores produtivos

A proposta do governo de recriar a Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira foi criticada por entidades como a Confederação Nacional da Indústria, Sindicato da Indústria da Construção Pesada e Federação das Indústrias de Minas Gerais(Fiemg). “Querem que a economia definhe mais?”, indaga o presidente da Fiemg, Olavo Machado. Pág. 6 e Editorial na 8

CPI convoca José Dirceu e empresários

Foram chamados a depor na semana que vem o ex-ministro, executivos das construtoras Andrade Gutierrez e Odebrecht e ex-diretores da estatal. Mas o advogado de Dirceu, Roberto Podval, avisou que o petista ficará em silêncio na Comissão Parlamentar de Inquérito. Pág.4

Youssef STF reconhece validade da delação do doleiro

Maioria da corte votou a favor da homologação do acordo de Youssef como MP, feita pelo ministro Teori Zavascki, que era questionada por um réu da Lava-Jato. Pág. 3

CONFINS terá o terminal 3 antes do 2

O terminal 2 deveria ser entregue em abril. Mas a construção nem começou e vai atrasar. Já o terminal 3, o chamado “puxadinho”(acima), está pronto para receber os voos internacionais, faltando apenas licença de operação. Pág. 10


Gazeta do Povo

TRIBUTOS
Manchete: Proposta de nova CPMF com alíquota de 0,38% provoca reações do Congresso e empresas
A Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que o governo estuda para recriar a Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF) prevê alíquota de 0,38%. Este foi o porcentual que vigorou de 1999, no governo FHC, até o final de 2007, quando a contribuição foi extinta pelo Congresso no governo Lula. O Palácio do Planalto espera dificuldades para aprovar a medida no Congresso Nacional em meio a um ambiente político desfavorável. O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB), se manifestou pessoalmente contrário ao retorno do imposto. A volta do tributo também não agrada aos empresários

TEMPESTADE
Depois da tempestade
Um vendaval com ventos de até 107 km/h atingiu pelo menos 18 municípios do Paraná na madrugada de ontem, deixando um rastro de destruição. Mais de 600 residências foram danificadas no estado. Em Curitiba, placas de sinalização e 150 semáforos sofreram danos

ESCÂNDALO DA PETROBRAS
STF considera válida delação do doleiro Alberto Youssef
As delações do doleiro Alberto Youssef e do ex-diretor Paulo Roberto Costa, ambas homologadas pelo Supremo Tribunal Federal, originaram a maioria dos inquéritos contra 35 parlamentares por envolvimento em corrupção na Petrobras

SETOR AUTOMOTIVO
Volks estuda reduzir jornada e salários em fábrica no PR
A Volkswagen no Paraná, que desde fevereiro de 2014 promove o regime de layoff (suspensão dos contratos de trabalho), vai discutir com o Sindicato dos Metalúrgicos alternativas para lidar com o excedente de pessoal na unidade

REPAR
TCU conclui que Petrobras dava “cheque em branco a cartel
”Em julgamento referente a obras da Refinaria Getúlio Vargas (Repar), em Araucária, no Paraná, os ministros do Tribunal de Contas da União apontaram diversas irregularidades nos contratos

POLÊMICA
Câmara aprova efetivação de titular de cartório sem concurso
Os deputados aprovaram ontem, em primeira votação. proposta que efetiva os responsáveis e substitutos que assumiram cartórios sem concurso público. A medida beneficiaria 426 titulares no Paraná

PLANEJAMENTO URBANO
Propostas para melhorar o transporte em Curitiba criam alternativas ao uso do carro na área central
O novo Plano Diretor de Curitiba recebeu 27 emendas de vereadores até o momento, nove delas para melhorar ou diminuir os deslocamentos na cidade. São propostas que criam opções para quem quer deixar o carro em casa e estimulam um transporte público de qualidade.


 Zero Hora

Manchete : CPMF ganha forma no Planalto e recebe críticas na sociedade
Ministro da Saúde confirma proposta que prevê alíquota de 0,38%. Considerada absurda por entidades empresariais, ideia é classificada por Renan Calheiros como “tiro no pé”. (Notícias | 24)

Estado abre duas frentes na Justiça
Governo tenta evitar bloqueio nas contas por atraso e vai questionar contrato da dívida (Notícias | 16)

Crise afetará segurança
Secretário diz que parcelar salários reflete no trabalho de servidores da área (Notícias | 22)


Folha de S. Paulo

Manchete : Volta da CPMF é condenada por políticos e empresários
Para Renan, ideia é ‘tiro no pé’, e para indústria, ‘absurda’
O governo Dilma montou uma operação para convencer economistas, empresários e governadores a apoiar a volta da CPMF, após o Congresso e o setor privado reagirem contra a recriação do imposto sobre transações bancárias, extinto em 2007. A estratégia é reduzir a resistência no Legislativo. O governo pretende resgatar o tributo para tentar equilibrar as contas no ano que vem. Os presidentes do Senado, Renan Calheiros, e da Câmara, Eduardo Cunha, criticaram a ideia. Renan a considera um “tiro no pé”. Para empresários, é “absurda”. “Num momento de retração da economia, aumento de imposto é péssima ideia”, afirmou o presidente da Confederação Nacional da Indústria, Robson Andrade. A equipe econômica prevê que a CPMF tenha a mesma alíquota de antes: 0,38%. Se ela vigorar, pode gerar R$ 80 bilhões anuais. (Poder a4 )

Vinicius Torres Freire
Buraco nas contas e tumulto político explicam

volta do imposto zumbi. (Mercado a22)
Lobista ligado ao PMDB pode delatar Renan no petrolão
Apontado como operador do PMDB, Fernando Baiano indicou, em negociação para se tornar delator na Lava Jato, que pode dar detalhes sobre a suposta participação dos peemedebistas Renan Calheiros, Henrique Eduardo Alves e Eduardo Cunha no petrolão. Os três não comentaram o caso. (Poder a11)

Foto-legenda : Primeiro eles
Dilma em evento no Planalto com a presença de atletas deficientes; na ida ao palco, repreendeu funcionário que a barrou para dar prioridade à passagem de cadeirantes (Poder a9)

Desmontada há 4 meses, favela do crack volta ao centro de SP
Símbolo do tráfico de drogas no centro de São Paulo, as barracas de lona nas quais são vendidas as pedras de crack voltaram à cracolândia. O retorno da “favelinha” ocorre quatro meses após operação das gestões Haddad (PT) e Alckmin (PSDB). ( Cotidiano B1)

CNBB afirma que descriminalização de drogas pode legalizar o tráfico (Cotidiano B5)

Vladimir Safatle
No Brasil, ‘liberdade de opinião’ nutre o ódio a gay e travesti
Uma das razões para o Brasil liderar rankings de assassinatos de homossexuais e travestis é que há muita gente que compreende preconceito e violência como “liberdade de opinião”. (Ilustrada C12)

Painel
Batizada de ‘projeto impeachment’, ideia irrita Michel Temer (Poder A4)
Editoriais
Leia “Energia flácida”, a respeito de planejamento precário no setor, e “Disputa inconveniente”, sobre investigação de chacina na Grande São Paulo ( Opinião A2)


Edição: Equipe Fenatracoop, 28 de Agosto de 2015, ás 08:42

Compartilhe nossa Matéria