Programa da Saúde elevou uso de álcool
O programa #Tamojunto, criado pelo Ministério da Saúde para prevenir o uso de drogas entre alunos de escolas públicas, acabou tendo efeito contrário: elevou em 30% o risco de os jovens usarem álcool pela primeira vez, relata VINICIUS SASSINE. A constatação é de estudo do governo. O programa foi suspenso…
A mais baixa popularidade
Governo Temer bate recorde de rejeição e só é aprovado por 3% dos brasileiros. ..

Ataque populista é pior ameaça, afirma reitor de jornalismo
O maior desafio do jornalismo hoje é resistir aos ataques raivosos de governos populistas e à proliferação de “fake news”, afirma Steve Coll, reitor da Faculdade de Jornalismo da Universidade Columbia, nos EUA. Para ele, a questão é ainda mais urgente que a dificuldade de encontrar modelo viável de financiamento na era da internet…


O Globo

Manchete: Rio pode ter que receber de volta 55 chefes do tráfico
Uma semana depois, Forças Armadas deixam hoje a Rocinha
Defensoria Pública da União tenta devolver aos estados de origem os presos que estão em penitenciárias federais há dois anos ou mais
Em ação protocolada no Supremo, a Defensoria Pública da União pediu que todos os presos levados para presídios federais há dois anos ou mais sejam enviados de volta a seus estados, relatam ANDRÉ DE SOUZA e RENATA MARIZ. Se o pedido for aceito, o STF poderá determinar o retorno ao Rio de 55 chefes do tráfico, entre eles, Fernandinho Beira-Mar, Nem, que ordenou a invasão na Rocinha, e Marcinho VP. O ministro Jungmann (Defesa) disse que as Forças Armadas deixam hoje a Rocinha. Ele acha que a situação foi normalizada. (Págs. 8 e 9)

Governo antecipa R$ 15,9 bi do PIS
Valor seria liberado até 2018. Em outra medida de estímulo, juro do consignado de servidor é reduzido
Para tentar reforçar uma agenda positiva na economia, o governo antecipou para este ano a liberação de R$ 15,9 bilhões do PIS/Pasep, que ocorreria até março de 2018. As novas regras do PIS/Pasep reduziram a idade mínima para o saque de 70 para 65 anos (homens) e 62 anos (mulheres). Além disso, o governo reduziu o teto dos juros cobrados em empréstimos consignados para servidores, aposentados e pensionistas, de 2,2% para 2,05% ao mês. O governo prevê redução de R$ 5 bilhões dos juros a serem pagos. Mas analistas veem impacto pequeno para o consumidor e efeito residual no PIB. (Pág. 17)

Programa da Saúde elevou uso de álcool
O programa #Tamojunto, criado pelo Ministério da Saúde para prevenir o uso de drogas entre alunos de escolas públicas, acabou tendo efeito contrário: elevou em 30% o risco de os jovens usarem álcool pela primeira vez, relata VINICIUS SASSINE. A constatação é de estudo do governo. O programa foi suspenso. (PÁGINA 27)

Denúncia contra Temer terá aliado
O tucano Bonifácio de Andrada, que vai relatar a 2ª denúncia contra Temer, é aliado de Aécio e votou a favor do presidente na primeira denúncia. (Pág. 3)

A mais baixa popularidade
Governo Temer bate recorde de rejeição e só é aprovado por 3% dos brasileiros. (Pág. 3)

MÍRIAM LEITÃO
Economia melhora, mas apoio ao governo diminui. (Pág. 18)

EDITORIAL
‘Senado deve recorrer ao Supremo e não confrontá-lo’ (Pág. 14)

Senado tenta acordo com STF
O Senado quer negociar com o Supremo uma solução para a crise aberta pelo afastamento de Aécio e seu recolhimento domiciliar noturno. (Pág. 6)

MERVAL PEREIRA
Não cabe ao Senado desacatar uma decisão do STF. (Pág. 4)

MP apura se Lula obstruiu a Justiça
Após Glaucos da Costamarques confirmar em petição ao juiz Moro que assinou de uma só vez os recibos de aluguel, a Lava-Jato apura se Lula tentou obstruir a Justiça. (Pág. 4)

————————————————————————————

O Estado de S. Paulo

Manchete: Servidores tentam barrar ação que limita teto salarial
Categorias como as dos juízes e dos auditores fiscais pedem que ‘indenizações’ sejam excluídas de cálculo
A nova investida do governo para tentar impor limite aos “penduricalhos” que elevam salários de servidores públicos para além do teto de R$ 33,7 mil mensais do funcionalismo deflagrou disputa com categorias como as de juízes, procuradores e auditores fiscais estaduais. Representantes de associações e sindicatos pediram ao relator do texto, deputado Rubens Bueno (PPS-PR), alterações na proposta com o objetivo de livrar do alcance do teto verbas como auxílio-moradia, auxílio-creche e bônus de eficiência, considerados por eles “indenizações”. Bueno, no entanto, diz que não fará concessões. As entidades dizem que não se opõem à regulamentação do teto salarial, mas que é preciso respeitar “aspectos técnicos”, como a diferença entre remuneração e verbas indenizatórias. A implementação do teto do funcionalismo foi uma das medidas anunciadas em agosto pelo governo para tentar conter o crescimento dos gastos com pessoal. (ECONOMIA / PÁG. B1)

Tesouro alerta para risco nas contas
Diante da resistência da direção do BNDES em pagar ao Tesouro Nacional R$ 130 bilhões em 2018, o governo deflagrou ofensiva para mostrar os riscos de a operação não ser realizada. O perigo é o descumprimento de regra que impede a emissão de dívida para o pagamento de despesas correntes. “Não temos plano B”, disse a secretária do Tesouro, Ana Paula Vescovi. (PÁG. B3)

Senado tenta ganhar tempo em impasse com o STF
O Senado adiou para terça-feira a votação que pode derrubar a decisão do Supremo Tribunal Federal que afastou o senador Aécio Neves (PSDB-MG) do mandato e determinou seu recolhimento noturno. O requerimento que pedia urgência na análise do caso foi aprovado, mas aliados do tucano não conseguiram margem segura de votos para levar o assunto ao plenário. (POLÍTICA / PÁG. A4)

Engenheiro diz ter assinado em hospital recibos de Lula
A defesa do engenheiro Glaucos da Costamarques quer pedir ao Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, o registro de entrada do advogado de Luiz Inácio Lula da Silva, Roberto Teixeira, e do contador João Muniz Leite. Costamarques diz ter assinado no hospital, em novembro de 2015, recibos retroativos referentes ao aluguel de apartamento utilizado por Lula. (POLÍTICA / PÁG. A8)

Apreensão de droga triplica no Aeroporto de Cumbica
Em dez anos, a apreensão de drogas mais do que triplicou no Aeroporto de Guarulhos. Dados apontam que 1,49 tonelada de droga, principalmente cocaína, foi apreendida até agosto em Cumbica, informa Luiz Fernando Toledo. E apenas 10 (4,1%) dos 232 presos eram donos do entorpecente apreendido. O restante eram “mulas” – pessoas contratadas apenas para o transporte. (METRÓPOLE / PÁG. A16)

Renan afirma à PF que Cunha quis incriminá-lo (Política / Pág. A4)

Empresários lançam fundo para candidatos (Direto da Fonte / Pág. C2)

Forças Armadas vão deixar Rocinha hoje (Metrópole / Pág. A17)

Eliane Cantanhêde
A moda agora é esconder dinheiro vivo em apartamentos, casas, depósitos e… contêineres. (POLÍTICA / PÁG. A6)

Notas & Informações
Uma chance para o Supremo
O Supremo Tribunal Federal ganhou oportunidade de ouro para desfazer o grave erro cometido ao suspender das funções parlamentares o senador Aécio Neves. (PÁG. A3)

Leilões, ajuste e crescimento
Com arrecadação de R$ 15,9 bilhões, os leilões devem produzir bons efeitos a curto e a longo prazo. (PÁG. A3)

————————————————————————————

Folha de S. Paulo

Manchete : Déficit nas contas põe governo em situação de risco
Sucessivos rombos podem resultar em descumprimento de regra constitucional; dependência do BNDES cresce
Os sucessivos rombos nas contas públicas e o forte corte nos investimentos podem levar o governo a descum-prir a partir de 2018 regra prevista na Constituição. A chamada “regra de ouro” proíbe a União de emitir dívida em um volume superior às despesas de capital. O objetivo é evitar que o Estado se endivide demais para pagar gastos correntes, como o com pessoal e manutenção da máquina (consumo de água e energia), o que empurraria a conta para as próximas gerações. Esse risco cresceu com o agravamento da situação fiscal — neste ano, o rombo é de R$ 85,8 bilhões, pior resultado da série iniciada em 1997. O governo tem emitido mais títulos para financiar despesas. Nos 12 meses encerrados em agosto, a emissão de dívidas superou os investimentos em R$ 7 bilhões. Em 2017, a situação será resolvida com o retorno de R$ 50 bilhões do BNDES ao Tesouro. Em 2018, se a devolução de verba do banco não subir, não há solução para o problema, admite o governo. “Hoje, não temos plano B. A discussão é em tomo da necessidade do cumprimento de uma regra constitucional”, diz a secretária do Tesouro, Ana Paula Vescovi. O descumprimento da Constituição configura crime de responsabilidade do presidente da República. Para Marcos Lisboa, presidente do Insper e colunista da Folha, o quadro reforça a pressão por reformas que reduzam gastos obrigatórios do governo, como Previdência, despesas com pessoal e subsídios. (Mercado A16)

Aliado vai relatar denúncia contra Temer na Câmara
O deputado governista Bonifácio de Andrada (PSDB-MG) será o relator, em comissão da Câmara, da segunda denúncia contra Temer. A escolha, ontem, ampliou o racha entre os tucanos. O parecer de Andrada servirá de base para a votação definitiva, em plenário, que deve ocorrer no fim de outubro, diz o presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM). (Poder A4)

Supremo julgará o afastamento de parlamentares
A presidente do STF, ministra Cármen Lúcia, disse que será prioridade julgar ação que pede que sanções contra parlamentares sejam submetidas ao Congresso. Ontem, os senadores decidiram deixar para a próxima semana a votação sobre o afastamento do senador Aécio Neves (PSDB-MG) e a determinação de seu recolhimento noturno. (Poder A5)

Projeto de lei prevê reajuste em plano de saúde para idoso (Metrópole B1)

Ataque populista é pior ameaça, afirma reitor de jornalismo
O maior desafio do jornalismo hoje é resistir aos ataques raivosos de governos populistas e à proliferação de “fake news”, afirma Steve Coll, reitor da Faculdade de Jornalismo da Universidade Columbia, nos EUA. Para ele, a questão é ainda mais urgente que a dificuldade de encontrar modelo viável de financiamento na era da internet. (Mundo A15)

Reinaldo Azevedo
Escola é lugar de debate de ideias, não de repressão
Por pouco o Brasil não saltou, nas escolas, da condição de Estado laico para a de Estado ateu. Roberto Barroso, o relator no STF, votou pela proibição do ensino religioso. Acha que professor expressar crença religiosa agride a laicidade do Estado. Fui professor. A escola é um lugar de debate e confronto de ideias, não de repressão do Estado. (Poder A8)

Editoriais
Leia “Infraestrutura à venda”, a respeito de leilões do governo, e “Avaliar os servidores”, sobre projeto para medir eficiência do funcionalismo. (Opinião a2)

————————————————————————————

Responda

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.