Manchete dos Jornais nesta terça-feira, 01 de setembro de 2015
Postado por: Equipe Portal Cambé Em 1st setembro 2015

Palavras fortes
O ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) Augusto Nardes, relator do processo que analisa as contas de 2014 da presidente Dilma, disse ontem em palestra a empresários de São Paulo que as pedaladas fiscais não podem mais ocorrer e afirmou: “Temos que dar um basta”. Ele usou metáfora de bússola quebrada para indicar que o governo “não tem rumo”. Para o senador Aécio Neves (PSDB), Dilma assinou seu “definitivo atestado de incompetência” ao enviar proposta de Orçamento deficitário ao Congresso…


O Globo

Manchete: Governo eleva impostos, mas não evita rombo
Proposta de orçamento para 2016 prevê buraco de R$ 30,5 bi
Pela primeira vez na História, o governo enviou ontem ao Congresso uma proposta de Orçamento em que prevê gastar mais do que deve arrecadar no ano que vem, deixando um déficit de R$ 30,5 bilhões. O texto propõe aumento de impostos sobre eletrônicos, bebidas e operações do BNDES.
Para o ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, será necessário “enfrentar” os gastos obrigatórios, como Previdência e salários do funcionalismo. O vice-presidente Michel Temer disse que não há estratégia para conseguir receita. O relator-geral do Orçamento, deputado Ricardo Barros (PP), propôs reavaliar o reajuste dos servidores no próximo ano. A presidente Dilma se reuniu com líderes aliados na Câmara e disse que está disposta a ir ao Congresso para explicar o Orçamento.
Parlamentares governistas elogiaram o que chamaram de transparência na proposta orçamentária, enquanto a oposição estuda tentar devolver o texto ao Executivo. (Págs. 3 a 6)

Dirceu se cala na CPI e na PF
Em depoimentos à CPI da Petrobras e à Policia Federal, o ex-ministro José Dirceu, já condenado no mensalão e preso na Lava-Jato, ouviu muitas perguntas mas nada respondeu, alegando cumprir orientação do advogado. Quatro delatores confirmaram participação da Odebrecht no escândalo. (Pág. 8)

Gás de botijão tem alta de 15%
A Petrobras aumentou em 15% o preço do GLP, gás de cozinha vendido em botijão. Segundo analistas, o reajuste nas refinarias deve ser repassado integralmente ao valor final do produto. (Pág. 21)

Mais lares com TV do que com água
O acesso a bens como geladeira e máquina de lavar cresceu mais do que a melhoria da infraestrutura. Há hoje no Brasil mais casas com TV do que conectadas à rede de água local. (Pág. 22)

Reitor fala em greve histórica
Em meio à crise de recursos na UFRJ, o reitor Roberto Leher chamou a greve dos alunos de histórica e prometeu priorizar alojamento estudantil, bandejão e bolsas. (Pág. 23)

Levy e Barbosa em rota de colisão
Com o país em recessão, o ministro Joaquim Levy (Fazenda) disse que o governo tem de ser firme no corte de gastos, mas Nelson Barbosa (Planejamento) alegou que os cortes já foram feitos. (Pág. 4)

Para economistas, déficit mostra desorganização
A proposta de Orçamento da União com déficit mostra o tamanho da desorganização das finanças públicas do país, afirmam economistas. O déficit fiscal tomará mais difícil a tarefa do BC de manter a inflação sob controle e deve prolongar a manutenção dos juros num patamar elevado, adiando a retomada do crescimento econômico. O país poderá ter três anos seguidos de rombo nas contas públicas, pois houve déficit em 2014 e caminha para fechar no vermelho este ano. A proposta de Orçamento foi mal recebida nos mercados financeiros, e o dólar subiu para R$ 3,629. (Pág. 19)

Um megadesafio para Merkel
A chanceler Angela Merkel disse que a crise migratória é uma tarefa nacional e um dos maiores desafios da Alemanha pós-reunificação. (Pág. 25)

Míriam Leião
Espaço para Joaquim Levy no governo tem ficado cada vez menor. (Pág. 20)
Merval Pereira
Dilma pede ajuda e admite publicamente falência governamental. (Pág. 4)
Ancelmo Gois
Ideia de recriar CPMF partiu de “keynesianos” do governo. (Pág. 12)
Marco Antonio Villa
Crise se estende porque classe dirigente não achou uma saída segura. (Pág. 16)
José Casado
ONG denunciou ao MP em janeiro de 2014 pedaladas que o BC omitiu. (Pág. 17)
Editorial
Orçamento torna urgentes as reformas (Pág. 16)


O Estado de S. Paulo

Manchete : Dilma busca apoio para cobrir déficit de R$ 30,5 bi
Proposta de Orçamento para 2016 inclui previsão de aumento de impostos e corte de gastos sociais, como PAC
Com déficit no Orçamento de R$ 30,5 bilhões e sem alternativa para bancar gastos públicos, a presidente Dilma Rousseff decidiu buscar no Congresso aval para o projeto de lei orçamentário de 2016 que eleva impostos de celulares e bebidas, entre outros, e corta gastos em programas sociais, como Ciência Sem Fronteiras, PAC e Minha Casa Minha Vida. O déficit pode pôr em risco o grau de investimento do Brasil avaliado por agências internacionais. Dilma se reuniu separadamente com líderes da base para pedir apoio. A oposição cogita recorrer ao STF contra a previsão, sob argumento de que fere a Lei de Responsabilidade Fiscal, ou pressionar o presidente do Congresso, Renan Calheiros, a devolver o projeto. Renan pediu mobilização de Congresso, governo e sociedade para encontrar saídas. A empresários, o vice-presidente Michel Temer afirmou que ninguém suporta mais imposto. (Política / Págs. A4 a A6)

Mercado reage com tensão
Moeda americana fechou a R$ 3,633, cotação mais elevada desde fevereiro de 2003. O Ibovespa encerrou o dia em baixa de 1,12%. (Economia / Pág. B1)

Análises
Celso Ming : Acredite se quiser
O realismo fiscal até seria boa notícia se inspirasse crédito, mas a presidente apresenta um diagnóstico por ida (Pág. B2)

José Paulo Kupfer : A hora da verdade
Previsão de déficit primário sinaliza, em tom dramático, a necessidade de uma reforma fiscal (Pág. B5)

Planalto adia meta de inflação para 2017
O governo desistiu de levar a inflação ao centro da meta, de 4,5%, no fim de 2016. Agora estima que a alta de preços será de 5,4% e só chegará ao centro da meta em 2017. (Pág. A6)

CENÁRIO
Salário mínimo. Deve ser de R$ 865,50 em 2016, um reajuste de quase 10% em relação ao atual.
Inflação. Governo estima que atingirá 5,4% no ano que vem e só chegará ao centro da meta em 2017. Mercado trabalha com a previsão de 5,51%.
Previdência social. Déficit deve passar dos R$ 56,7 bilhões registrados no fim de 2014 para RS 88,9 bilhões no final deste ano e R$ 124,9 bilhões em dezembro de 2016.
PIB. Previsão de crescimento da economia foi reduzida para apenas 0,2% no próximo ano.
Arrecadação. Aposta do governo é obter R$ 10 bilhões a mais com concessões e R$ 11,3 bilhões com revisão de PIS/Cofins sobre informática e de IOF sobre bebidas e operações do BNDES.

Lado a lado
Dilma mandou Joaquim Levy e Nelson Barbosa anunciar juntos a proposta de Orçamento para não alimentar especulações. Levy defendia corte maior de gasto. Barbosa apostava em nova CPMF. (Pág. A4)

Gilmar Mendes afirma que despacho de Janot é ‘ridículo’
Vice-presidente do TSE, o ministro Gilmar Mendes classificou como “ridículo” o despacho em que o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, arquivou pedido de investigação da campanha à reeleição da presidente Dilma Rousseff. Mendes evitou comentar se a decisão de Janot teria sido motivada por um “acordão” firmado entre governo e Procuradoria, como tem acusado a oposição, mas disse que a fundamentação para o arquivamento “vai de infantil a pueril”. (Política/ Pág. A6)

PF vai indiciar Dirceu no caso Petrobrás
A PF vai indiciar José Dirceu por corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa na Operação Lava Jato. Preso em Curitiba, Dirceu depôs ontem na CPI da Petrobrás. Por orientação de sua defesa, ele não respondeu às perguntas dos parlamentares. (Política / Pág. A7)

Trem de Cumbica fica só para 2018
Prometida para 2014 e depois 2016, a Linha 13 da CPTM, entre zona leste e aeroporto de Cumbica, vai atrasar. Ficará para 2017 ou 2018, segundo o governador Geraldo Alckmin. (Metrópole / Pág. A11)
Colômbia cobra OEA sobre Venezuela (Internacional/Pág. A8)

Estiagem nas represas em agosto é recorde (Metrópole/Pág. A13)

Notas&Informações
Atestado de incompetência
O que se pode esperar de um governo que é incapaz de pagar suas próprias contas? (Pág. A3)

Um cenário de desastre
A retração da economia, o buraco nas contas do setor público e a previsão de déficit do orçamento assustam (Pág. A3)


Estado de Minas

Manchete: Nem prevenção, nem punição
Motorista infrator não perde a carteira, e quem bebe e causa acidente grave tem punição leve Dois casos em que álcool e direção causaram sérios desastres em BH são exemplos da omissão do poder público e da impunidade.A Polícia Civil informou que o colombiano César Martinez Loaiza, acusado de dirigir alcoolizado e causar a batida que matou o engenheiro Daniel de Oliveira Lacerda, domingo, soma 72 pontos na carteira,tendo atingido 21, que deveriam levar à suspensão do documento, em março de 2014. Paralelamente, a polícia também informou que a promotora Diandra Lamounier, causadora do acidente em que amodelo Paola Antonini perdeu uma perna, será indiciada apenas por lesão corporal culposa (sem intenção) e embriaguez ao volante.Assim, a motorista infratora fica sujeita a pena deuma cinco anos deprisão.Mas,por ser ré primária e ter bons antecedentes, deverá sofrer punições alternativas, longe da cadeia. Pág. 13 e 14

Palavras fortes
O ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) Augusto Nardes, relator do processo que analisa as contas de 2014 da presidente Dilma, disse ontem em palestra a empresários de São Paulo que as pedaladas fiscais não podem mais ocorrer e afirmou: “Temos que dar um basta”. Ele usou metáfora de bússola quebrada para indicar que o governo “não tem rumo”. Para o senador Aécio Neves (PSDB), Dilma assinou seu “definitivo atestado de incompetência” ao enviar proposta de Orçamento deficitário ao Congresso. Pág. 4

Números fracos
Pela primeira vez, o governo entregou ao Congresso um Orçamento prevendo gastos maiores que as receitas. O déficit previsto para 2016 equivale a 0,5% do PIB. O ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, afirmou que o Planalto elevará a arrecadação revendo tributos sobre computadores, smartphones, vinhos e bebidas destiladas. O salário mínimo proposto é de R$ 865,50. O vice-presidente Michel Temer se mostrou temerário como rombo, mas defendeu a decisão por considerá-la transparente. Pág. 8 e Editorial, na 6

Alerta contra a baixa umidade
O clima seco e quente castiga BH.A umidade do ar chegou a 14%, a mais baixa do ano e perto do estado de emergência (menos de 12%). Os consultoresLeonardo e Aloísio foram à fonte na Praça da Liberdade (E) amenizar o desconforto do terno sob calor de 31,5°C. Na Grande BH, represasseguem em queda. No Centro-Oeste, Pará de Minas sofre com falta d’água e problemas com concessionária. Pág. 16

47 Mulheres assassinadas por mês em MG Pág. 15


 Gazeta do Povo

GOVERNABILIDADE
Manchete: Governo usa déficit nas contas para “convencer” o Congresso
Com o fracasso da recriação da CPMF, o governo decidiu propor um orçamento com déficit de R$ 30,5 bilhões na tentativa de sensibilizar deputados e senadores na votação de projetos que reduzem arrecadação. A medida polêmica não convenceu congressistas. O presidente da Câmara, Eduardo Cunha, pautou duas propostas indigestas para o governo: o projeto do Supersimples e uma emenda constitucional que impede a União de impor ou transferir encargo ou prestação de serviços a estados e municípios sem especificar como vai repassar recursos para cobrir essas despesas.

BALANÇO
Cota para negros beneficia 7% dos alunos da UFPR
Após dez anos da implantação das cotas na UFPR, cerca de 30% dos 48,6 mil estudantes que adentraram a universidade foram beneficiados por essa política. Mas a maioria dos cotistas entrou pelo sistema de cotas sociais (23%). As cotas raciais representam apenas 7%.

EDUCAÇÃO
Inscrições para o Enem registram queda de 11,2%O
Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2015 registrou queda no número de estudantes inscritos pela primeira vez desde 2007. Ao todo, 7.746.057 candidatos farão as provas em outubro, número 11,2% menor do que o registrado no exame do ano anterior, quando 8.722.356 se inscreveram.

LAVA JATO
Dirceu fica em silêncio e frustra deputados da CPI
O primeiro dia da CPI da Petrobras em Curitiba foi marcado pelo silêncio dos depoentes. Nenhum dos cinco investigados na Lava Jato convocados aceitaram falar. Além do ex-ministro José Dirceu, também foi convocado o presidente da Andrade Gutierrez, Otávio Marques de Azevedo.

PETROBRAS
Maioria acha que Dilma sabia da corrupção na Petrobras
A maior parte dos brasileiros acompanha as investigações da Operação Lava Jato e acredita que a presidente Dilma Rousseff o ex-presidente Lula sabiam dos casos de corrupção na Petrobras, segundo levantamento do instituto Paraná Pesquisas.


Zero Hora

Manchete : Impostos e cortes para reduzir déficit de 2016
Orçamento da União tem rombo de R$ 30,5 bilhões e inclui aumento de alíquotas sobre eletrônicos e bebidas para elevar receita. Salário mínimo previsto é de R$ 865,50 (Notícias | 12 e 2)

Servidores podem estender greve até sexta-feira
Integrantes da Brigada Militar decidiram só atender urgências. Funcionários da Susepe ameaçam “abandonar” cadeias

Para garantir salários – SARTORI ENVIARÁ PROJETO QUE AMPLIA USO DE DEPÓSITO JUDICIAL
(Notícias | 6 a 10 e 21)


Folha de S. Paulo

Manchete : Governo prevê deficit de R$ 30 bilhões e aumento de tributos
Dilma faz apelo a aliados para elevar receitas e evitar ‘rombo fiscal’
Após enviar proposta de Orçamento para2016 prevendo deficit inédito de R$ 30,5 bilhões, o governo conta com o aumento de tributos e vendas de ativos para tentar evitar que o buraco nas contas se aprofunde. A presidente Dilma Rousseff fez apelo a parlamentares aliados, pedindo “saídas para o rombo fiscal”. Para aumentar as receitas, sendo R$ 11 bilhões em tributos, o Planalto precisará convencer o Legislativo, aumentando assim sua dependência em relação ao PMDB. Em São Paulo, o vice-presidente Michel Temer (PMDB) disse a empresários que “ninguém suporta mais” a elevação da carga tributária no Brasil, evidenciando seu distanciamento do comando do governo. A oposição criticou o envio do Orçamento com previsão de deficit. Para PSDB e DEM, o governo deixou de fazer os cortes necessários e jogou no colo do Congresso a responsabilidade de encontrar fonte de receita que suporte o rombo nas contas. O mercado também reagiu mal ao anúncio. O dólar fechou em R$ 3,63 e a Bolsa teve baixa de 1,12% com o receio da perda do selo de bom pagador do país. (Poder a4)

Foto-legenda : Mudo
O ex-ministro José Dirceu (PT) ficou em silêncio durante sessão da CPI da Petrobras, em Curitiba; ele está preso desde 3 de agosto sob acusação de envolvimento no petrolão (Poder a8)

Empresas criticam atrasos em crédito para concessões
Concessionárias reclamam de dificuldades para obter financiamento de longo prazo, prometido pelo governo, para construir cinco rodovias, orçadas em R$ 30 bilhões. O BNDES, responsável pela maior parte do crédito, nega o impasse. (Mercado a11)

Petrobras reajusta preço do gás de botijão em 15% (Mercado A15)

Gustavo Patu
Executivo se arrisca ao transferir tarefa para o Congresso
Ao passar a tarefa de fechar as contas fiscais ao Legislativo, o governo assumiu o risco de criar impasse capaz de atrasar por meses a aprovação da lei orçamentária e agravar a incerteza dos mercados. O Congresso nunca quis saber de discutir prioridades e buscar fontes palpáveis de recursos. (Poder a5)

Editoriais
Leia “Abominável rotina”, a respeito de deficiências nas investigações de chacinas, e “Gado verde”, sobre baixa produtividade da pecuária brasileira. (Opinião A2)


Edição: Equipe Fenatracoop, 01 de Setembro de 2015, ás 08:08

Compartilhe nossa Matéria