Manchete dos Jornais nesta terça-feira 16 de fevereiro de 2016
Postado por: Equipe Portal Cambé Em 16th fevereiro 2016

Governo e 17 Estados cortam recursos contra epidemias
Redução entre 2014 e 2015 afetou combate a doenças como dengue e zika
Governo federal, 17 Estados e o Distrito Federal cortaram gastos em prevenção e controle de doenças infecciosas em 2015, quando o país entrou em alerta por causa da epidemia de dengue e de casos de microcefalia associada ao vírus da zika. Segundo levantamento da Folha, desembolsos federais caíram 9,2% entre 2014 e 2015, de R$ 5,1 bilhões para R$4,6 bilhões. Já as despesas estaduais cortaram até 85% no período. Estado com mais casos confirmados de microcefalia associada ao zika, Pernambuco gastou 29% a menos (de R$ 33,7 mi para R$ 24,1 mi). Esses recursos são usados em campanhas de prevenção, combate a vetores (caso do mosquito Aedes aegytpi), manutenção de laboratórios, entre outras ações. Em 2015, a epidemia de dengue bateu recorde no Brasil, com 1,6 milhão de casos notificados e 863 mortes. Procurado, o Ministério da Saúde diz ser “equivocada” a análise da Folha. A pasta fala em alta de 29% das despesas autorizadas (não necessariamente realizadas). A Folha optou por considerar somente os gastos efetivos. Os Estados dizem que ações não foram realizadas por falta de verba…


O Globo

Manchete: Nova manobra pode livrar Cunha no Conselho
PTB substitui opositor por um aliado do presidente da Câmara
Relator da Lava-Jato no Supremo, ministro Teori Zavascki retira o sigilo de um dos inquéritos sobre o deputado na Corte
Na primeira reunião do ano, marcada para hoje, o Conselho de Ética da Câmara deverá mudar a composição de forças no processo de cassação do presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), investigado na Lava-Jato. Uma manobra do PTB trocará o deputado Arnaldo Faria de Sá, opositor de Cunha, por Nilton Capixaba, que deve votar contra a abertura do processo de cassação. Hoje, o placar está em apertados 11 a 9 contra o presidente da Casa. Cunha negou interferência na nova manobra. (Pág. 5)

Moro ao TSE: há prova de propina para doações
Responsável pela Lava-Jato, o juiz Sérgio Moro enviou ao TSE, em outubro, dados que, segundo ele, comprovam o uso de propinas por desvios na Petrobras como doações eleitorais registradas. As informações foram incluídas num dos processos que pedem a cassação do mandato da presidente Dilma no TSE. (Pág. 3 e Merval Pereira)

Petistas se reúnem, mas evitam falar de Lula
Com a presença do ex-presidente, o Conselho do Instituto Lula se reuniu ontem pela primeira vez após as denúncias sobre obras de empreiteiras em tríplex e no sítio frequentado pela família Lula da Silva. Apesar de ter sido anunciado como um encontro para tratar da defesa do petista, o assunto não foi debatido. (Pág. 4)

Dilma deve aceitar nova regra no pré-sal
A presidente Dilma recuou e, segundo interlocutores, já aceita mudar as regras do pré-sal para acabar com a exigência de que a Petrobras tenha fatia mínima de 30% nos campos. O governo quer que seja apresentada uma emenda à proposta do senador José Serra (PSDB-SP) sobre o tema para que a Petrobras tenha a opção de manter os 30% em alguns campos. (Pág. 17)

Míriam Leitão
Mudança tardia, para consertar erro inicial. (Pág. 18)

(Pág. 6)

A penúria do Rio Sem Homofobia
O Rio Sem Homofobia do estado foi desmantelado. Os quatro centros do programa foram fechados e 60 funcionários, demitidos. A redução coincide com a chegada de evangélico à secretaria. (Pág. 7)


O Estado de S. Paulo

Manchete: Moro diz ao TSE que há prova de propina em campanha do PT
Juiz da Lava Jato atrela ‘esquema criminoso da Petrobrás’ a ‘doações eleitorais registradas’; governo alega que menção não se refere a Dilma
O juiz Sérgio Moro informou ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que, em sentença da 13.ª Vara Federal, em Curitiba, ficou “comprovado o direcionamento de propinas acertadas no esquema criminoso da Petrobrás para doações eleitorais registradas”. O ofício do responsável pela Operação Lava Jato atendeu a solicitação da corte, que tem quatro procedimentos abertos a pedido do PSDB para apurar irregularidades na campanha de 2014 da presidente Dilma Rousseff. A sentença se refere a processo contra executivos da Mendes Junior e Setal Óleo e Gás e envolve suposto repasse de R$4 milhões ao PT por meio do ex-tesoureiro João Vaccari Neto, preso em março. “Por ora, é a única sentença prolatada que teve fato da espécie como objeto.” O governo alega que o ofício de Moro não cita a campanha de Dilma e os tesoureiros do PT e do comitê da reeleição eram diferentes. Quem cuidou das contas da campanha foi Edinho Silva. (Política/ Pág. A4)

Janot não viu gravidade na ação
Em agosto, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, não viu a “gravidade necessária” para impugnação do mandato de Dilma Rousseff e pediu que o TSE julgasse improcedente pedido do PSDB. (Pág. A4)

Lula: ‘Não aguento mais falar disso’
Alvo de investigações sobre um apartamento no Guarujá e um sítio em Atibaia (SP), o ex-presidente Lula desabafou em reunião do conselho consultivo da presidência do PT: “O Luiz Marinho vai lá em casa e só quer falar disso. Chego no Instituto para trabalhar e só falam disso. Não aguento mais”, disse.(Pág. A5)

PTB manobra e ajuda Cunha no Conselho de Ética
Em mais um ato para tentar salvar o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), o líder do PTB, Jovair Arantes (GO), indicou o deputado Nilton Capixaba (RO) para a vaga do partido no Conselho de Ética. A indicação foi feita após Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP) renunciar ao posto, em troca da promessa de ser indicado à presidência da Comissão de Seguridade Social da Casa. Faria de Sá era favorável à cassação do mandato de Cunha. (Política/ Pág. A7)

Brasil vai propor livre-comércio de carros à Argentina
O Brasil apresentará ao governo argentino, na quinta-feira, proposta de acordo de livre-comércio no setor automotivo. O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Armando Monteiro, aposta na postura mais liberal de Mauricio Macri para costurar a proposta. (Economia/ Pág. B1)

Dilma estuda multa para quem barrar agente
A presidente Dilma Rousseff encomendou à Advocacia-Geral da União estudo para saber se é possível multar quem não permitir entrada de agente de saúde em casa ou for negligente na eliminação de focos do Aedes aegypti. (Metrópole/ Pág. A13)

Notas & Informações
Libelo contra o lulopetismo
Rodrigo Janot não deixa dúvidas a respeito das bases podres do “presidencialismo de coalizão”. (Pág. A3)

Leniência com a corrupção
Medida Provisória 703 foi duro golpe contra os brasileiros que anseiam pela diminuição da impunidade. (Pág. A3)


Estado de Minas

Manchete: FLANELINHAS SEM CONTROLE
Guardadores ilegais de carro se multiplicam em BH diante da falta de fiscalização e impunidade
Achaques, ameaças, constrangimento e cobrança de “mensalidade” de motoristas,tudo facilitado pela ineficiência do poder público  em controlar a ação de flanelinhas.Apenas
os lavadores e guardadores de carro cadastrados pela prefeitura já tomam conta de 50% das vias no perímetro da Avenida do Contorno. Desde 1999, entretanto, o número de
legalizados na Região Centro-Sul caiu de 2,7 mil para 1,1 mil. Enquanto isso, os clandestinos proliferam, inclusive em locais de eventos. No Hiper centro da capital, a redução
gradual de vagas e a fiscalização insuficiente criam situações absurdas. Flanelinhas viraram donos de vagas e manobram carros e motos, além de pôr cones ou baldes para
marcar vagas, como na Rua Pa que quer( abaixo). Segundo a prefeitura, nos últimos dois anos, foram feitas 45 operações em conjunto coma PM e 83 flanelinhas foram detidos…


Folha de S. Paulo

Manchete: Governo e 17 Estados cortam recursos contra epidemias
Redução entre 2014 e 2015 afetou combate a doenças como dengue e zika
Governo federal, 17 Estados e o Distrito Federal cortaram gastos em prevenção e controle de doenças infecciosas em 2015, quando o país entrou em alerta por causa da epidemia de dengue e de casos de microcefalia associada ao vírus da zika. Segundo levantamento da Folha, desembolsos federais caíram 9,2% entre 2014 e 2015, de R$ 5,1 bilhões para R$4,6 bilhões. Já as despesas estaduais cortaram até 85% no período. Estado com mais casos confirmados de microcefalia associada ao zika, Pernambuco gastou 29% a menos (de R$ 33,7 mi para R$ 24,1 mi). Esses recursos são usados em campanhas de prevenção, combate a vetores (caso do mosquito Aedes aegytpi), manutenção de laboratórios, entre outras ações. Em 2015, a epidemia de dengue bateu recorde no Brasil, com 1,6 milhão de casos notificados e 863 mortes. Procurado, o Ministério da Saúde diz ser “equivocada” a análise da Folha. A pasta fala em alta de 29% das despesas autorizadas (não necessariamente realizadas). A Folha optou por considerar somente os gastos efetivos. Os Estados dizem que ações não foram realizadas por falta de verba. (Cotidiano B1)

Dilma quer multar imóvel reincidente em foco de aedes
A presidente Dilma estuda aplicar multa federal a donos de propriedades que sejam reincidentes no flagrante a focos do mosquito Aedes aegypti. Alvo são imóveis abandonados e fechados, em que moradores recusam a entrada de agentes. (Cotidiano B3)

PT desiste de falar em reunião sobre ataques a Lula
O presidente do PT, Rui Falcão, disse que as denúncias contra o ex-presidente Lula não foram abordadas em reunião do conselho político da sigla, diferentemente do que estava previsto. Há pressões internas no partido para que esclarecimentos sejam feitos. (Poder A4)

Está comprovado o elo entre doações e petrolão, diz Moro
O juiz Sergio Moro, responsável pelas ações da Lava Jato, informou ao Tribunal Superior Eleitoral, em despacho em 6 de outubro, estar “comprovado” que propinas do petrolão abasteceram campanhas políticas via doações oficiais. (Poder A5)

Editorial
Leia “O bolo a dividir”, acerca de readequação dos gastos na área social. (Opinião A2)


Edição: Equipe Fenatracoop, Terça-Feira 16 de Fevereiro de 2016

Compartilhe nossa Matéria