Manchete dos Jornais nesta terça-feira, 17 de maio de 2016
Postado por: Equipe Portal Cambé Em 17th maio 2016

Nova equipe quer propor legalização de cassinos
Ministros próximos a Michel Temer, como Henrique Eduardo Alves (Turismo) e Geddel Vieira Lima (Secretaria de Governo), querem propor a legalização de jogos de azar, como bingos, cassino e jogo do bicho, para aumentar as receitas da União. “Seria uma nova CPMF”, diz Alves. Segundo ele, o presidente interino é “simpático” a ideia, mas ainda não tratou dela. O Ministério Público Federal se opõe à medida por ver risco de incentivo à lavagem de dinheiro e à corrupção…

Ministro quer falar de aborto com igreja
O ministro da Saúde, Ricardo Barros, quer envolver as igrejas na discussão sobre aborto. Ele reconheceu que o País enfrenta problema relacionado ao tema. “É uma entre outras mazelas que precisam ser cuidadas pelo poder público.”…


O Globo

Manchete : Temer troca comando de BNDES, Petrobras e BB
Maria Silvia Bastos Marques será presidente do banco de fomento
Petrolífera também terá nova liderança, e Pedro Parente, que foi ministro da Casa Civil de Fernando Henrique Cardoso, é cotado para o cargo. Gustavo do Vale, ex-Infraero, assumirá o Banco do Brasil
O presidente interino, Michel Temer, começou a mudar o comando dos principais bancos estatais. A economista Maria Silvia Bastos Marques, que foi presidente da CSN e da Empresa Olímpica Municipal, vai comandar o BNDES. Temer fora criticado pela ausência feminina em cargos de primeiro escalão. A escolha de Maria Silvia, primeira mulher na presidência do banco, agradou a empresários, que destacaram seu perfil técnico e a experiência nos setores público e privado. Temer também já decidiu trocar o comando da Petrobras, e o mais cotado para o cargo é Pedro Parente, que foi ministro da Casa Civil no governo Fernando Henrique. Para a presidência do Banco do Brasil, com o aval do ministro Henrique Meirelles (Fazenda), o escolhido é Gustavo do Vale, atual presidente da Infraero. O nome de consenso para a Caixa Econômica Federal é Gilberto Occhi, ex-ministro da Integração e das Cidades. (Pág. 17)

Déficit deve subir R$ 15 bi com Eletrobras
A dificuldade da Eletrobras para mensurar as perdas com corrupção em seu balanço contábil deve elevar o déficit nas contas públicas em R$ 15 bilhões. A estatal tem até amanhã para apresentar seus números auditados nos Estados Unidos e já admitiu que dificilmente conseguirá cumprir o prazo. Sem isso, poderá ser forçada a resgatar todos os títulos negociados nos EUA. Segundo técnicos, a despesa chegará a R$ 15 bilhões. (Pág. 19)

Novo governo revê atos na Educação e Bolsa Família (Pág. 3)

Proposta para a Previdência deve sair em 1 mês (Pág. 5)

Ministro da Justiça é desautorizado 4 dias após posse (Pág. 4)

PF indicia presidente da Gerdau
A PF indiciou o empresário André Gerdau Johannpeter, presidente do Grupo Gerdau, e mais 18 pessoas investigadas na Operação Zelotes por corrupção ativa, corrupção passiva, lavagem de dinheiro e tráfico de influência. A Zelotes apura irregularidades no Carf, órgão que analisa multas da Receita. (Pág. 20)

Secretário de Educação cai
A crise na educação do Estado do Rio derrubou o secretário da pasta, Luiz Antonio Neto. Para o lugar dele, vai Wagner Victer, que estava na Faetec e já foi presidente da Cedae. (Pág. 9)

Pegadinha oficial
O prefeito de SP, Fernando Haddad (PT), divulgou agenda falsa para dar um trote no historiador Marco Antonio Villa, crítico de sua gestão. (Pág. 6)

Maduro na rota da radicalização
O presidente Maduro, da Venezuela, aumentou poderes de órgãos oficiais ao declarar estado de exceção. A medida, porém, não foi bem recebida em meios militares. (Pág. 21)

Colunistas
MERVAL PEREIRA – Começam as reações à campanha petista de difamação (Pág. 4)

MÍRIAM LEITÃO – Reformas urgentes em um governo provisório (Pág. 18)

ILIMAR FRANCO – Temer já desmentiu declarações de três ministros (Pág. 2)

JOSÉ CASADO – Efeito impeachment na eleição municipal tende a piorar crise do PT (Pág. 15)

GIL CASTELLO BRANCO – Meirelles terá de usar remédios extremos na economia (Pág. 14)

MARCUS – FAUSTINI Temer já se mostra pior do que Dilma quando o assunto é cultura (SEGUNDO CADERNO)


O Estado de S. Paulo

Manchete : Temer põe economista pró-privatização no BNDES
Nome de Maria Silvia Bastos Marques, ex-CSN, é anunciado após críticas à falta de mulheres no governo
A economista Maria Silvia Bastos Marques vai substituir Luciano Coutinho na presidência do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). O anúncio foi feito ontem, em comunicado da Presidência da República, após várias críticas à falta de mulheres no Ministério de Michel Temer (PMDB). Com fama de “trator” no mundo dos negócios, Maria Silvia volta ao banco onde atuou como diretora de 1991 a 1992, no governo Fernando Collor. Sua carreira inclui também a presidência da siderúrgica CSN e da Icatu Seguros e o comando da Empresa Olímpica Municipal, órgão da Prefeitura do Rio responsável por coordenar a construção das instalações olímpicas. Sua chegada ao BNDES sugere uma guinada da instituição para as concessões ao setor privado na área de infraestrutura. “O presidente Michel Temer a escolheu pela sua competência”, disse o ministro do Planejamento, Romero Jucá, a quem Maria Silvia se reportará. (Economia B1 e B3)

Reforma da Previdência
Um grupo de trabalho com representantes de centrais sindicais e do governo vai discutir a reforma previdenciária e em 30 dias deve apresentar uma proposta de alteração nas regras. ( B4)

Governo procura mulher para Cultura
Para amenizar o desgaste, Michel Temer fez várias nomeações femininas para o segundo escalão. E busca uma mulher para a Secretaria Nacional de Cultura. (Caderno2 C8)

Planalto dá cargo a assessor e advogado de Eduardo Cunha
Dois assessores de Eduardo Cunha (PMDB-RJ), afastado da Câmara por ordem do STF, foram confirmados em postos estratégicos do governo. O advogado Gustavo do Vale Rocha foi nomeado para o cargo de subchefe para Assuntos Jurídicos da Casa Civil. Carlos Henrique Sobral, assessor especial de Cunha até a semana passada, assumiu como chefe de gabinete do ministro da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima. Aliados do ex-presidente também atuam para que André Moura (PSC-SE) seja o novo líder do governo na Casa. (Política A4)

Ministro da Justiça é desautorizado
O presidente em exercício Michel Temer afirmou, em nota, que manterá a tradição de indicar para o comando do Ministério Público Federal o procurador mais votado pela categoria. Ele desautorizou o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, que, em entrevista, havia dito que o presidente tem a prerrogativa constitucional de escolher um nome para a instituição independentemente da preferência da classe. (A5)

PGR pede investigação de presidente do STJ
O presidente do STJ, Francisco Falcão, e o ministro do tribunal Marcelo Navarro também são alvo do pedido feito pela Procuradoria-Geral da República (PGR) ao Supremo Tribunal Federal para investigar Dilma Rousseff por supostamente tentar obstruir a Operação Lava Jato. O documento tem como base delação de Delcídio Amaral. (Política A9)

PF indicia André Gerdau e mais 18 por corrupção
O empresário André Gerdau e mais 18 investigados da Operação Zelotes, incluindo integrantes do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais e diretores da siderúrgica Gerdau, foram indiciados por suspeita de tentar sonegar R$ 1,5 bilhão. (Economia B6)

Ministro quer falar de aborto com igreja
O ministro da Saúde, Ricardo Barros, quer envolver as igrejas na discussão sobre aborto. Ele reconheceu que o País enfrenta problema relacionado ao tema. “É uma entre outras mazelas que precisam ser cuidadas pelo poder público.” (Metrópole A14)

Temer acalma COI após crítica aos Jogos (Esportes A16)

José Paulo Kupfer
Pedras a remover – Os desequilíbrios fiscais não são suscetíveis de correção apenas com a aplicação de princípios da boa gestão ou a adoção de cortes nos orçamentos (Economia B5)

Arnaldo Jabor
As ilusões perdidas – Nossa democracia está em dificultosa construção, frágil, difícil de entender por um país que já começou excludente (Caderno2 C8)

Notas&Informações
Um Itamaraty altivo – Parece que os tempos de política externa ditada por interesses de um partido ficaram para trás (a3)

A importância dos símbolos – Ausência de mulheres no Ministério foi um erro cometido por um grupo de políticos experientes (a3)


Folha de S. Paulo

Manchete : Tamanho do SUS precisa ser revisto, diz ministro
Para Ricardo Barros (Saúde), país não será capaz de sustentar todos os direitos
O ministro da Saúde, Ricardo Barros (PP-PR), afirmou que o Brasil não vai mais conseguir sustentar todos os direitos determinados pela Constituição, como o acesso universal ao sistema público de saúde, e precisará rever o modelo no futuro. “Vamos ter que repactuar, [como] outros países que tiveram que repactuar as obrigações do Estado porque ele não tinha mais capacidade de sustentá- las”, disse a Cláudia Collucci. “Não adianta lutar por direitos que não poderão ser entregues pelo Estado.” Segundo ele, não há capacidade financeira suficiente que permita suprir todas as garantias constitucionais. “Temos que chegar ao ponto do equilíbrio entre o que o Estado tem condições de suprir e o que o cidadão tem direito de receber.” Barros afirmou que a melhoria dos sistemas de informação e de gestão será a marcada sua administração. Ele pediu agilidade à Agência Nacional de Saúde para evitar que a judicialização eleve custo de operadoras e valor dos planos. (Cotidiano B1)

Nova equipe quer propor legalização de cassinos
Ministros próximos a Michel Temer, como Henrique Eduardo Alves (Turismo) e Geddel Vieira Lima (Secretaria de Governo), querem propor a legalização de jogos de azar, como bingos, cassino e jogo do bicho, para aumentar as receitas da União. “Seria uma nova CPMF”, diz Alves. Segundo ele, o presidente interino é “simpático” a ideia, mas ainda não tratou dela. O Ministério Público Federal se opõe à medida por ver risco de incentivo à lavagem de dinheiro e à corrupção. (Poder a4)

Index Novo Governo
Pedro Parente é sondado para presidir Petrobras (Mercado a14)

Temer desautoriza Moraes sobre escolha de procurador (Poder A5)

Com mudança, diretor da Abin pede demissão (Poder a5)

Protesto ocupa prédio da Funarte contra fim do MinC (Ilustrada c4)

Após críticas, Temer escolhe mulher para chefiar BNDES
Após críticas à falta de mulheres no ministério, o presidente interino, Michel Temer, escolheu a economista Maria Silvia Bastos Marques, 59, para comandar o BNDES. Ex-presidente da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) e ex-secretária municipal de finanças do Rio, ela será a primeira mulher a chefiar a instituição, da qual já foi diretora. (Mercado a11)

Serra estuda fechar embaixadas na África e no Caribe
O novo ministro das Relações Exteriores, José Serra, estuda fechar postos diplomáticos abertos durante os governos petistas. O tucano encomendou um estudo ao Itamaraty sobre custos e utilidades de embaixadas, sobretudo as na África e no Caribe, marcas da política externa de Lula. (Mundo a9)

Polícia Federal indicia presidente do Grupo Gerdau
A PF indiciou o presidente da Gerdau, André Gerdau, e mais 18 pessoas na Zelotes, sob acusação de corrupção e lavagem de dinheiro. A suspeita é de esquema de propina a membros do Carf, que julga recursos de autuados pela Receita Federal. A Gerdau nega. (Poder a8)

Logotipo da nova gestão usa versão desatualizada da bandeira do Brasil
O logotipo do governo Temer se baseia em uma versão da bandeira do Brasil que deixou de ser usada em 1968, no regime militar. Nela, há cinco estrelas a menos do que na atual. O publicitário Elsinho Mouco, responsável pela peça, não foi encontrado. (Poder a7)

Abílio Diniz
O momento é de pensar menos em si e mais no país
Presidente Temer, a tarefa é árdua, mas você pode fazer. É preciso atacar em três frentes. Primeiro, garantir a continuidade da Lava Jato. Segundo, reequilibrar as contas públicas. Terceiro, encaminhar reformas estruturais. (Opinião a3)

Editoriais
Leia “Rombo estatal”, a respeito de perdas de empresas do governo sob Dilma, e “Respeitar a lista”, acerca de método de escolha do chefe do MPF. (Opinião A2)


Edição: Equipe Fenatracoop, Terça-Feira,  17 de Maio de 2016

Compartilhe nossa Matéria