Manchete dos Jornais nesta Terça-Feira, segunda-feira, 12 de Janeiro de 2016
Postado por: Equipe Portal Cambé Em 12th janeiro 2016

Lava Jato faz Temer se unir a Dilma em defesa no TSE
Advogados que cuidam das ações que podem levar à cassação dos mandatos da presidente Dilma Rousseff e do vice Michel Temer pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) disseram ontem que devem elaborar estratégia de defesa conjunta contra a acusação de abuso do poder político e econômico na campanha de 2014. A Operação Lava Jato apura suposto uso de recursos da corrupção na Petrobrás


 O Globo

Manchete :: Setor aéreo já reduz a oferta de voos
Mercado deve sofrer primeira retração em 13 anos em 2016
Procura por passagens cai há quatro meses. Com prejuízo acumulado de R$ 13 bilhões, empresas demitiram 2.400 desde 2011
A forte recessão brasileira agravou a crise do setor aéreo, que deverá ter em 2016 a primeira retração em 13 anos. As empresas reduzem a oferta de voos há três meses consecutivos e planejam encolher a malha em até 9% nos próximos trimestres, informa DANIELLE NOGUEIRA. O ajuste é necessário porque a procura por passagens recua há quatro meses. Só em novembro, a queda foi de 7,5%, a maior desde agosto de 2003. Em cinco anos, com custos pressionados pela escalada do dólar, o setor amargou prejuízo de R$ 13 bilhões e demitiu 2.400 funcionários. (Pág. 17)

Bolsa tem 4ª perda seguida e recua ao patamar de 2009

Ações caem 1,63%, com incerteza na China e queda do petróleo. Dólar sobe para R$ 4,05
Com recuo de 1,63%, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou ontem pela primeira vez desde 17 de março de 2009 abaixo dos 40 mil pontos. O dólar voltou a subir, cotado a R$ 4,05. O mercado brasileiro foi influenciado pela Bolsa de Xangai, que teve seu pior resultado em quatro meses, e pelo preço do barril do petróleo, que registrou a menor cotação em 12 anos. (Pág. 20)

Brasil na lanterninha

Desempenho da economia brasileira só não será pior em 2016 do que o da Venezuela, dizem analistas ouvidos pela agência Bloomberg. (Pág. 19)

Crise chega ao menu popular
A crise entrou no cardápio dos restaurantes populares do Rio. Sem repasses do estado, empresas cortaram carne, frutas e refresco. (Pág. 10)

Migração de doente superlota hospitais
A crise na rede de saúde pública do Rio, com falta de médicos e remédios nos hospitais estaduais, é agravada pela migração de pacientes de cidades vizinhas para unidades municipais. Só no Hospital Souza Aguiar, o maior da capital, 24% das internações nos primeiros dez meses de 2015 foram de doentes “importados”. (Pág. 8)

Vinda de físico foi erro, diz ministro
O ministro da Educação, Aloízio Mercadante, disse que a entrada no país do físico franco-argelino Adlène Hicheur, que trabalha na UFRJ, deveria ter sido impedida em 2013. Hicheur cumpriu pena na França por associação com o terror e se diz inocente. (Pág.22)

Cerveró: gestão FH teve propina
Ao negociar delação premiada, o ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró disse que a compra de um grupo de energia argentino envolveu propina de US$ 100 milhões ao governo FH. Para o ex-presidente, a acusação é vaga e não pode ser provada. (Pág. 4)

Coluna : Míriam Leitão
Sozinho, BC não vai levar a inflação à meta. (Pág. 18)


O Estado de S. Paulo


Manchete : Justiça venezuelana anula atos do Legislativo e agrava crise

Para Corte, oposição descumpriu sentença que impugnou candidatura de 3 deputados; parlamentares reagem
O Tribunal Supremo de Justiça da Venezuela declarou nulos os atos da nova Assembleia Nacional, de maioria oposicionista, horas depois da criação de uma comissão para investigar a nomeação de ministros para a mais alta Corte do país no governo Nicolás Maduro. O motivo da decisão foi o fato de o presidente da Assembleia, Henry Ramos Allup, ter dado posse a três deputados oposicionistas cujas candidaturas foram impugnadas. Com eles, a oposição obteve 112 das 167 cadeiras da Casa e a maioria qualificada de dois terços. O segundo-vice-presidente da Assembleia, Simón Calzadilla, disse que “não há condição de aceitar a sentença absolutamente política”. O tribunal declarou nulos “absolutamente todos os atos” do Legislativo enquanto forem mantidos os deputados. O governo deve enviar hoje ao Parlamento Decreto de Emergência com pacote de medidas econômicas. (Internacional/pág.A8)

Governo avalia retomada de subsídios setoriais
Apesar de o ministro Nelson Barbosa (Fazenda) ter mantido o discurso de continuidade do ajuste fiscal, o governo pode voltar a dar subsídios setoriais. Para as micro e pequenas empresas, a ajuda virá com linha de crédito a juros baixos no BNDES. O governo ainda estuda plano de renovar frota para estimular a indústria automotiva e linhas de crédito em bancos públicos para empresas exportadoras. (Economia / pág. B4)

Notas & Informações
Bem ao estilo lulopetista
A grande proeza dos petistas em 13 anos no poder foi criar a mais ousada elite de amigos do alheio. (Pág. A3)

O BC e os erros de Dilma

Que mais pode fazer o BC, quando há tão pouca confiança na gestão das contas públicas? (Pág. A3)

Cerveró cita propina de US$100 milhões a governo FHC
Em documento apreendido pela Operação Lava Jato no gabinete do senador Delcídio Amaral (PT-MS),o ex-diretor da Petrobrás Nestor Cerveró afirma que a venda da petrolífera argentina Pérez Companc à estatal brasileira envolveu propina de US$ 100 milhões para o governo Fernando Henrique Cardoso(PSDB). O ex-presidente disse
que as declarações são “vagas” e “não trazem elementos que permitam verificação”. (Política / Pág. A6)

Lava Jato faz Temer se unir a Dilma em defesa no TSE
Advogados que cuidam das ações que podem levar à cassação dos mandatos da presidente Dilma Rousseff e do vice Michel Temer pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) disseram ontem que devem elaborar estratégia de defesa conjunta contra a acusação de abuso do poder político e econômico na campanha de 2014. A Operação Lava Jato apura suposto uso de recursos da corrupção na Petrobrás. (Política / Pág. A4)


capa

SETE MESES DEPOIS
Controle de frequência por biometria ainda não atinge 100% dos funcionários do HC
ENSINO
Método da “sala de aula invertida” troca os papéis de casa e da escola
CURITIBA
Em meio à greve, Urbs e empresas cogitam rompimento de contrato
CHUVAS
Sobe para 25 o número de trechos interditados em estradas do Paraná
ATENÇÃO
Chuvas do fim de semana deixam ao menos 140 desalojados no Paraná
EXAME
Médias das provas do Enem 2015 caem; desempenho individual sobe
EXAME
MEC estuda separar Enem entre prova de certificação e vestibular
TRIBUTOS
Indústria ganha um ano para cumprir nova regra do Fisco
PREVIDÊNCIA
Reajuste de aposentadorias custará R$ 21 bi,5 bilhões ao governo em 2016
SETOR AUTOMOTIVO
Programa de renovação da frota pode ter subsídio do governo federal
TRIBUTAÇÃO
Defasagem na tabela do Imposto de Renda chega a 72,2%, diz sindicato
CRISE
Pedidos de recuperação judicial crescem 55% em 2015 no país


Folha de S. Paulo

Manchete : Cerveró liga Lula a contrato investigado pela Lava Jato
Ex-diretor da Petrobras diz que ex-presidente o recompensou com cargo
O ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró disse em delação que o então presidente Lula deu-lhe um cargo público em 2008 como forma de agradecimento, informam Rubens Valente, Aguirre Talento e Márcio Falcão. O motivo, segundo ele, foi a ajuda prestada para quitar um empréstimo de R$ 12 milhões que é considerado fraudulento pela Lava Jato. Em 2004, o fazendeiro José Carlos Bumlai, amigo de Lula, obteve empréstimo do Banco Schahin e disse ter repassado R$ 6 milhões para empresário de Santo André (SP) que teria informações comprometedoras do PT. Depois, sob o comando de Cerveró, a diretoria internacional da Petrobras contratou a Schahin Engenharia para fornecimento de um navio- sonda com preço estimado em US$ 616 milhões. De acordo com investigadores, o contrato seria uma retribuição do PT ao grupo Schahin pelo empréstimo. Cerveró disse que, ao sair da função, Lula o indicou para a BR Distribuidora por ele ter “viabilizado”o negócio. Também atribuiu a Lula decisão de ter“concedido influência sobre a BR Distribuidora” ao senador Fernando Collor (PTB-AL). Lula não se manifestou. (Poder a4)

Ex-diretor cita Renan Calheiros
Em depoimento, Nestor Cerveró, ex-executivo da Petrobras, relatou duas reuniões, em 2009 e 2012, com a presença do presidente do Senado, Renan Calheiros, em que o tema foi propina. Cerveró disse que o peemedebista reclamou da “falta de repasse”. É a primeira vez que ele é acusado de ter pessoalmente tratado de suborno relacionado ao petrolão. Renan nega. (Poder a5)

Delator envolve o governo FHC

Ao negociar sua delação premiada,o ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró citou um caso de pagamento de propina para o governo do presidente Fernando Henrique Cardoso (1995-2002). Segundo ele, a aquisição do grupo de energia argentino PeCom pela Petrobras envolveu US$ 100 milhões. Cerveró não disse quem recebeu a verba. Para FHC,as afirmações são “vagas”. (Poder a6)

Fundos pagam R$ 1 bi à gestora de Cumbica para saldar dívidas
Concessionária do aeroporto de Guarulhos e de rodovias, a Invepar recebeu R$ 1 bilhão de três fundos de pensão para saldar dívidas. Previ (BB), Petros (Petrobras) e Funcef (Caixa) são sócias da empresa em parceria com a OAS, em crise após a investigação da Lava Jato. Interessada na fatia da empreiteira, a Brookfield investiu outros R$ 500 milhões. (Mercado a13)


Edição: Equipe Fenatracoop, Segunda-Feira,  12 de Janeiro de 2016

Compartilhe nossa Matéria