Voto em Lula resiste a escândalos e condenação
Petista amplia vantagens no 2° turno, mas maioria não elegeria um indicado seu, diz Datafolha
A um ano das eleições, o ex-presidente Lula mantêm vantagem expressiva sobre os adversários na corrida presidencial, mesmo após condenação na Justiça e novas acusações de corrupção do ex-ministro Antonio Palocci.  O único que mantêm igualdade com ele nesses cenários é o juiz Sérgio Moro.

CONTRADIÇÃO

Eleitores querem nome experiente e com ficha limpa
Os brasileiros que votarão em 2018 disseram ao Datafolha que buscam um candidato a presidente com passado limpo (87% consideram muito importante) e experiência administrativa (relevante para 79%).
——————————————————————–

O Globo

Manchete : Aumento da violência ‘expulsa’ serviços de favelas
Sem atendimento, furto de energia volta a crescer nas comunidades
De clínicas da família e agências bancárias até bibliotecas e escolas de música, moradores perdem conquistas que demoraram anos para obter; teleféricos do Alemão e da Providência estão parados
A situação é de “falência total”, como constatou um líder comunitário do Complexo do Alemão. Com o recrudescimento da violência e o enfraquecimento das UPPs, as favelas do Rio estão sofrendo intenso processo de esvaziamento: clínicas da família, centros sociais, escolas técnicas, lojas, agências bancárias e lotéricas fecharam; serviços básicos que tinham sido reconquistados estão interrompidos; e obras foram paralisadas, relata RAFAEL GALDO. Como a Light não consegue entrar nas comunidades, os furtos de energia multiplicaram. (Pág. 9)

Um prefeito cassado por semana
Desde a eleição municipal de 2016, o Brasil teve um prefeito cassado por semana, revela JUSSARA SOARES. Abuso de poder econômico e político, compra de voto e desrespeito à Lei da Ficha Limpa são os motivos. O número não inclui os que governam graças a recursos na Justiça. (Pág. 3)

Prenda-me se for capaz
Com uma série de recursos processuais e até fugindo do país, condenados por corrupção retardam ao máximo o cumprimento da pena. (Pág. 6)

‘Brasil é cheio de meia-entrada’
Para o presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, país deve rever a “meia-entrada nos juros”: metade tem crédito subsidiado, e os demais pagam taxas altas. (Págs. 32 e 33)

Colunistas
ANCELMO GOIS
No Rio, maioria dos feridos em confronto é por fuzil. (Pág.16)

Lauro Jardim
Delação de Palocci volta a ser negociada (Pág. 2)

Merval Pereira
Alteração no Refis é desfaçatez (Pág. 4)

Míriam Leitão
Política vive total inversão de valores (Pág. 30)

Cacá Diegues
Lula foi de herói a chefe populista como qualquer um. (Pág. 19)

Artur Xexéo
Só os políticos não admitem a corrupção (segundo Caderno)

————————————————————————————

O Estado de S. Paulo

Manchete : Onda de roubos de celular se espalha e atinge metade das ruas de São Paulo
Levantamento inédito feito pelo ‘Estado’ revela a geografia e a dinâmica de um dos crimes que mais atingem o morador da capital paulista
Metade das vias da cidade de São Paulo teve ao menos um roubo de celular registrado do início de 2016 até agosto deste ano, segundo mapeamento realizado pelo Estado. São cerca de 32 mil ruas afetadas por mais de 208 mil ocorrências de um dos crimes que atingem o morador da capital com mais frequência. Ainda que a região central tenha a maior incidência, o roubo do aparelho ocorre em todas as partes da cidade. Os locais que concentram a maior parte dos crimes variam de acordo com o horário, seguindo a dinâmica da cidade. Com o dia claro, as vias que aparecem no topo dos registros são as grandes avenidas que ligam os bairros à zona central. À noite, as vítimas são pedestres que circulam nos bares do centro. (Metrópole A16 e A17)

PT atuou para evitar delação de Palocci
Emissários procuraram familiares do ex-aliado de Lula
Petistas muito próximos ao ex-presidente Lula procuraram, em Ribeirão Preto (SP), parentes do ex-ministro da Fazenda e da Casa Civil Antonio Palocci, preso em Curitiba há um ano, para convencê-lo a desistir de um acordo de delação premiada com a Lava Jato, informa Ricardo Galhardo. Por meio de suas assessorias, Lula e o PT negam. (Política A4)

Empresários se articulam para influenciar eleição
O mundo empresarial se movimenta para estruturar uma rede capaz de influenciar o resultado das próximas eleições – da disputa no Legislativo à corrida presidencial. O movimento mais oficial é o Renova Brasil, que se dedica à mudança do perfil do Congresso. (Economia B1)

Eliane Cantanhêde
Janot venceu
Missão mais urgente de Raquel Dodge é reativar imparcialidade. (Política A6)

Vera Magalhães
Corte suprema?
Passou da hora de o STF unificar seus procedimentos. (Política A8)

Celso Ming
Multiplicação das classes médias
No mundo, ela cresce à razão de 140 milhões por ano. (Economia B2)

Notas&Informações
Sem reformas, desastre fiscal – Os bons efeitos da recuperação já aparecem na arrecadação, mas o governo terá de batalhar por meta fiscal (A3)

Desfazendo o erro – O desembargador Fábio Prieto, do TRF, suspendeu as ações de prefeituras relativas ao Fundef (A3)

————————————————————————————

Folha de S. Paulo

Manchete : Voto em Lula resiste a escândalos e condenação
Petista amplia vantagens no 2° turno, mas maioria não elegeria um indicado seu, diz Datafolha
A um ano das eleições, o ex-presidente Lula mantêm vantagem expressiva sobre os adversários na corrida presidencial, mesmo após condenação na Justiça e novas acusações de corrupção do ex-ministro Antonio Palocci. Em pesquisa estimulada, feita pelo Datafolha nos dias 27 e 28 de setembro, o petista lidera todos os cenários em que participa da disputa, com ao menos 35% das intenções de voto. A margem de erro é de dois pontos. No levantamento, Lula tem o dobro de intenções de voto do segundo colocado, Jair Bolsonaro (PSC-RJ). O deputado, que oscila entre 16% e 17%, aparece empatado com Marina Silva (Rede), que varia entre 13% e 14%. O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, e o prefeito João Doria, que disputam a indicação pelo PSDB, alcançam 8% das intenções de voto, quando confrontados com o ex-presidente petista, Bolsonaro e Marina. Nas simulações de segundo turno, Lula ampliou a vantagem sobre os adversários, inclusive sobre Marina, com quem empatava. O único que mantêm igualdade com ele nesses cenários é o juiz Sérgio Moro. (Poder A4)

Eleitores querem nome experiente e com ficha limpa
Os brasileiros que votarão em 2018 disseram ao Datafolha que buscam um candidato a presidente com passado limpo (87% consideram muito importante) e experiência administrativa (relevante para 79%). (Poder A5)

Crise e corrupção fazem apoio à democracia cair (Poder A6)

Sou candidato a continuar prefeito, 2018 está longe
ENTREVISTA – JOÃO DORIA
Possível candidato do PSDB à Presidência, João Doria desconversa: “O ano que vem está longe. Sou candidato a continuar sendo prefeito de São Paulo”. Para ele, Lula ê o rival a ser batido, independentemente de ser ou não impedido de concorrer pela Justiça. (Poder A8)

Prefeito governa a cidade em ritmo de realityshow (Cotidiano B6)

No RJ, ‘traficantes evangélicos’ fazem ataques a terreiros
Em Nova Iguaçu (RJ), traficantes que se dizem evangélicos atacaram em setembro a casa da mãe de santo Carmen de Oxum. O caso é um dos oito registrados na região desde agosto. O Conselho de Pastores do Rio diz que ser evangélico e traficante é contradição. (Cotidiano B1)

Ilustríssima
Estudos põem em dúvida a redução da desigualdade no Brasil (Pág. 4)

Houve melhorias, mas concentração de renda perdura, analisa Vinicius Torres Freire (Pág. 4)

Editoriais
Leia “A um ano do pleito”, sobre resultados da nova pesquisa do Data-folha, e “Como tratar o câncer”, acerca da incidência da doença no país. (Opinião a2)

————————————————————————————

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.