Manchete dos Jornais neste domingo, 16 de agosto de 2015
Postado por: Equipe Portal Cambé Em 16th agosto 2015

Protestos põem à prova aliança de Dilma para garantir a estabilidade
Sucesso do pacto do governo com o presidente do Senado para manter a governabilidade depende do “tamanho” das manifestações deste domingo…


 

O Globo

Manchete: Classe C adia sonhos para manter padrão de vida
Mais afetadas pela crise, famílias deixam casa própria e faculdade para depois
Inflação e recessão podem levar a um retrocesso nos avanços sociais, afirmam especialistas
A recessão, a alta da inflação e o aperto do crédito estão levando a nova classe média a adiar sonhos para manter o padrão de vida, informam GLAUCE CAVALCANTI, MARCELLO CORRÊA e DOUGLAS MOTA. Na lista de cortes para ajustar o orçamento, o ingresso dos filhos na universidade, a compra da casa própria e até os planos de abrir um negócio ficam para depois. Para Marcelo Neri, ex-ministro da Secretaria de Assuntos Estratégicos e especialista no tema, “há sinais de que a classe média diminuiu”. Em entrevista a FLÁVIA OLIVEIRA, Neri pondera que dificilmente todas as conquistas da última década serão perdidas. (Págs. 35 a 37)

Número de pessoas que recorrem ao penhor cresce 17% (Pág. 40)

Só 27% dos inquéritos viram denúncia
Assim como os outros crimes no Brasil, menos de um terço dos inquéritos policiais sobre corrupção e colarinho branco resulta em denúncia à Justiça Federal. A maioria dos procedimentos acaba arquivada. (Pág. 3)

Adesão e rejeição
Duas mulheres de 40 anos, ambas com emprego, expõem pontos de vista antagônicos sobre o protesto de hoje. (Pág. 6)
Merval Pereira
Protesto pode dimensionar crise, mas não é decisivo. (Pág. 4)
Elio Gaspari
Agenda Brasil de Renan, Levy e Dilma é xepa de feira. (Pág. 7)
Ancelmo Gois
Servidores discutem o fim do Ministério da Cultura. (Pág. 14)


O Estado de S. Paulo

Manchete: Manifestações põem à prova fôlego político de Dilma
Tamanho e alcance de protestos são vistos como determinantes por Planalto e adversários para futuro do governo
Com a crise política dando sinais de trégua, o governo avalia que as manifestações contra a presidente Dilma Rousseff, marcadas para hoje, serão menores que as de março e abril, mas nem por isso menos preocupantes. Embora as ameaças de impeachment tenham esfriado na semana passada, após ações do Planalto, Senado e até Judiciário, o temor é de que haja confronto nas ruas, causando clima de instabilidade. Movimentos que lideram protestos apostam, porém, numa subida de tom contra Dilma e PT e calculam que 251 cidades terão atos. O tamanho e o alcance das manifestações são vistos como determinantes por Planalto e adversários. Se forem um sucesso, podem fortalecer parlamentares pró-impeachment. Se forem fracos, o governo poderá tentar trocar a página da crise pela da “agenda positiva”, apesar da Operação Lava Jato. Levantamento revela que, embora redes sociais indiquem mobilização menor, a insatisfação com o governo é crescente e a popularidade de Dilma está muito baixa. (Pág. Política A4)

Dora Kramer: O amanhã impreciso
Não há concordância sobre a arquitetura de uma eventual transição. (Pág. A6)

Eliane Cantanhêde: É hoje o dia!
Governo ganhou fôlego, mas há dois mundos: o político e o real, das manifestações. (Pág. A8)

Novas viagens ao Nordeste
A presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Lula discutiram ontem as manifestações de hoje e uma agenda de viagens ao Nordeste. (Pág. A4)

“O PSDB não marcha unido”
Entrevista: Sérgio Fausto
CIENTISTA POLÍTICO
Para o superintendente executivo do Instituto FHC, Sérgio Fausto, o PSDB carece de diretriz política e enfrenta déficit de credibilidade entre eleitores. “A crise do PT não se traduz automaticamente num novo ciclo vitorioso do PSDB.” Ele avalia que o partido se aproximou de grupos anti-Dilma com medo de ser punido nas urnas, mas “não marcha unido em direção aos movimentos”. (Pág. Política A6)

Dobra número de mortes em chacinas em SP
Com 38 mortes, o número de vítimas em chacinas da Região Metropolitana de São Paulo mais que dobrou no primeiro semestre, sobre igual período de 2014. Ontem, famílias protestaram durante enterros em Osasco. (Págs. Metrópole A21 e A23)

Fusp paga R$ 2,3 mi a empresas de docentes (Pág. Metrópole A24)

Cinturões de consumo
Clientes em banca de roupas em Santo Antônio de Jesus (BA). Consumo das famílias deve ser fraco em 2015, mas perspectiva é favorável no longo prazo e, até 2024, é previsto um incremento de cerca de R$ 800 bilhões, informa Márcia De Chiara. O crescimento será mais acelerado nas cidades próximas a capitais. (Págs. Economia B8 e B9)

MP denuncia dissidentes por calúnia na Lava Jato
O Ministério Público Federal denunciou à Justiça por calúnia o delegado e o agente da Polícia Federal que afirmaram haver irregularidades e coação envolvendo a cúpula de delegados da Operação Lava Jato. Eles são acusados de se associarem “para ofender a honra dos colegas” ao apontarem grampos ilegais na cela do doleiro Alberto Youssef, peça-chave do esquema de desvios na Petrobrás. (Pág. Política A10)

Cuba, um país desconectado
Para contornar a restrição de conexão à internet e a ausência de TV a cabo, cubanos compram compilações de conteúdos obtidos na internet, informa Cláudia Trevisan, enviada especial. (Pág. Internacional A14)

Suely Caldas: O calote que vem dos pampas
Como o RS, o quarto Estado mais rico do País, pode falir? É o script de um filme já visto e que governadores e prefeitos insistem em reprisar. (Pág. Economia B2)

Notas & Informações
A legitimidade de Dilma
Diálogo, para a presidente e seus apoiadores, só vale quando é conversa entre amigos. (Pág. A3)


Gazeta do Povo

PROTESTOS
Protestos põem à prova aliança de Dilma para garantir a estabilidade
Sucesso do pacto do governo com o presidente do Senado para manter a governabilidade depende do “tamanho” das manifestações deste domingo

ESPORTIVA
Para ir às Olimpíadas, vale até vender o carro

COMPORTAMENTO
Semeando cartas na era digital
Elisangela Martins é um símbolo de dedicação ao papel e à caneta em um mundo dominado pela internet. Ao longo de 20 anos, ela manteve correspondência com mais de 500 pessoas e acumula um acervo que passa de duas mil cartas, com carimbo dos mais diversos lugares.

CONTAS PÚBLICAS
Ajuste fiscal do governo esbarra no orçamento
As despesas previstas no orçamento da União que não podem ser cortadas crescem rápido e já somam quase 90% das receitas. Com a aprovação pela Câmara de mais gastos, como a vinculação dos salários de várias carreiras do setor público à remuneração dos ministros do Supremo Tribunal Federal, o ajuste de contas do governo fica ameaçado.

MÍDIAS SOCIAIS
Curitiba vai reunir estrelas da mídia social brasileira
O Curitiba Social Media, no próximo dia 22, contará com debates e workshops sobre as principais tendências do mercado digital e da internet. O evento, no Centro de Convenções de Curitiba, terá a presença de nomes populares da internet brasileira para falar sobre tecnologia, inovação, produção de conteúdo, cinema e fotografia.

TRÂNSITO
Limite menor de velocidade nas ruas reduz a gravidade de acidentes de trânsito

OPERAÇÃO PUBLICANO
Auditor acusa Ratinho Jr. de barrar fiscalização de empresa pela Receita

CADERNO G
Vila São Paulo quer de volta a biblioteca

TURISMO
As termas e o trem entre Piratuba e Marcelino Ramos

VIVER BEM
Moda de novela
Saiba como foi criado o figurino de quatro personagens famosas, como a vilã Odete Roitman


Folha de S. Paulo

Manchete: Dilma encara atos em situação menos frágil
Aproximação com o Senado e trunfos em tribunais trazem alívio à petista
A presidente Dilma Rousseff (PT), cujo governo tem reprovação recorde, enfrenta neste domingo (16) uma terceira onda de protestos no país. O clima político, no entanto, ficou mais favorável para a petista nos últimos dias. O Planalto avalia que o risco de impeachment está, por ora, mais longe.
Dilma ganhou fôlego em razão do novo prazo recebido para explicar ao TCU (Tribunal de Contas da União) possíveis irregularidades nas contas de 2014 e da suspensão da ação contra seu mandato no TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Ela ainda se aproximou do Senado ao abraçar um pacote anticrise.
Os partidos de oposição, porém, prometem engrossar os protestos, marcados em mais de 250 cidades.
Os manifestantes optaram por fortalecer os atos no Nordeste, reduto do FT. Para os organizadores, se a adesão aumentar na região, o desgaste do governo ficará mais evidente.
Como estratégia de defesa, alem de viagens para o Nordeste e de encontros com movimentos sociais realizados na última semana, o PT aposta suas fichas na manifestação pró-Dilma convocada para quinta (20). (Pág. Poder A4)

Brasil em crise
Quem vai
Organizadores nem governo se arriscam a prever adesão (Pág. A4)
Quem são
Ajuste fiscal e papel da oposição dividem grupos (Pág. A8)
16.ago.92
Há 23 anos, protestos pediam queda de Collor (Pág. A8)
Ação
Empresários intensificam ponte direta com Temer (Pág. Mercado 1)

Reação
Sociedade não pode ficar parada, diz ministra do Supremo (Pág. A10)
José Simão
É hoje! Coxinhas x Mandiocas (Pág. Ilustrada C7)
Visões da Crise
Angela Alonso

PRESIDENTE DO CEBRAP
Deste lazer cívico resultarão selfies para o Facebook (Pág. A14)

BERNARDO GUIMARÃES
ECONOMISTA DA FGV
O que as pessoas querem no lugar do que ternos hoje? (Pág. A14)

IVAN SANT’ANNA
ESCRITOR
O governo se tornou uma gangue; fugir da PF já é lucrou (Pág. A14)

Gustavo Patu: Em três momentos, economia alimentou reprovação (Pág. Mercado 5)

Domingos Savio: Como reparar os danos a Aécio no caso de Cláudio?
O Ministério Público pediu o arquivamento da investigação sobre a obra do aeródromo em Cláudio (MG). E agora? Coma repor os fatos e reparar prejuízos tão danosos a Aécio Neves? (Pág. Opinião A3)

Liberar posse de drogas não eleva consumo
Estudos realizados em países que descriminalizaram a posse de drogas para consumo próprio, sem legalizar o comércio, mostram que a mudança não tem impacto no consumo.
Na quarta (19), o STF pode decidir pela liberação da posse de substâncias ilícitas par a uso pessoal. (Pág. Cotidiano C7)

Chacina de Osasco
Fabiana Lima Silva chora durante enterro do irmão Rodrigo, morto na quinta; Promotoria e polícia se unem para agilizar apuração. (Pág. Cotidiano B16)

Editoriais
Leia “De Itamar a Dilma”, sobre crise política e econômica que afeta o país e necessidade de haver uma agenda para destravar o desenvolvimento. (Pág. Opinião A2)


Estado de Minas

Manchete: O caminho da devastação
Incêndios, desmatamento e poluição destroem vegetação às margens das BRs 381 e 040 em Minas…
Levantamento feito com base em dados de satélites com pilados por ONG aponta que, em um ano, houve perda de 1.054 hectares da vegetação localizada a até 100 metros das margens das duas rodovias federais mais movimentadas do estado.A área devastada é três vezesmaior que a do Parque dasMangabeiras, emBeloHorizonte. Queimadas como a que ocorreuna quarta-feirana BR-381, entre BHe JoãoMonlevade (foto), sãoprincipalproblema,maspoluição e desmatamento tambémtêmimpacto sobre omeio ambiente e afetamaténascentes. Especialista cobra conscientização de motoristas e fiscalização mais efetiva por parte de autoridades e concessionárias. Pág. 17,18

População volta às ruas em protestos contra dilma
Manifestações contra a presidente, a corrupçãoeo arrocho estão marcadas para hoje em 257 cidades do país, 34 em Minas. Em Belo Horizonte, uma carreata convocou moradores para o protesto na capital. A concentração será na Praça da Liberdade, às 10h. Pág. 3

Represas melhoram, mas queda de tarifa é incerta
Apesar de alta no nível de reservatórios e desligamento de termelétricas, governo aguarda período chuvoso para mudar sistema tarifário. Pág. 10


Zero Hora

Manchete: Dilma, a oposição e a crise
Qual a sua posição sobre o atual governo e o futuro do país?
( ) Dilma deve seguir na Presidência e tem meu apoio
( ) Ruim com ela, pior sem ela
( ) Dilma deve sair e Temer deve comandar o governo
( ) Fora Dilma e Temer; novas eleições para presidente

ZH ouviu líderes e especialistas para montar um diagrama da cena política brasileira. Confira o que defendem e como atuam os diversos grupos. Também criamos o “Jogo da Crise”, no qual você dá as suas opiniões e descobre com qual dos grupos está mais alinhado. (Págs. 11 a 13 e 20)

Com a palavra ? ELISEU PADILHA
“O governo tem de ser humilde para recolher os recados das manifestações.” (Págs. 8 a 10)


Veja

Manchete: A república do pixuleco
A Lava-Jato chega à esplanada dos Ministérios
Exclusivo: A empresa do ex-presidente Lula faturou 27 milhões de reais – 10 deles de construtoras investigadas no petrolão. (Pág. 1)


Época

Manchete: Reprimir não funciona
O Supremo Tribunal Federal começa nesta semana o julgamento que promete pôr fim a uma política atrasada: criminalizar o uso de drogas. (Pág. 1)

Trégua em meio à tormenta
Os bastidores do acordo entre Dilma Rousseff e os senadores do PMDB, num momento de novas manifestações e investigações da Lava Jato. (Pág. 1)

Exclusivo: A conta secreta na Suíça da agência de comunicação do PT (Pág. 1)


ISTOÉ

Manchete: Conexão cerveja
Os maiores indícios de propina do petrolão nas campanhas de Dilma
Documentos obtidos por ISTOÉ mostram como o empresário Walter Faria, dono da itaipava, estreitou suas relações com o amigo Lula, passou a receber dinheiro desviado da Petrobras e se transformou em um dos maiores financiadores das campanhas do PT. Em 2014, ele repassou R$ 17,5 milhões para a conta eleitoral da presidente. (Pág. 1)


ISTOÉ Dinheiro

Manchete: As empresas que batem um bolão na crise
A recessão na economia afeta a todos no Brasil, mas algumas companhias estão conseguindo driblar as concorrentes, ganhar mercado e aumentar receitas e lucros. À DINHEIRO, elas contam como viraram esse jogo.

Alpargatas
Comandada por Márcio Utsch, dona da Havaianas e da Topper, dobra lucros e dá salto de 16% nas exportações.

Tenda
Construtora mineira planeja lançamentos de R$ 1 bilhão, quase duas vezes mais que em 2014.

Toyota
Vendas do Corolla aceleram 22% e montadora investe para produzir 50% mais Etios.
E mais: As tacadas de Ambev, Lojas Renner, Raia Drogasil, Sulamérica e Wickbold entre outras. (Pág. 1)
Lemann: “Deixem seus filhos fazerem burradas” (Pág. 1)

Economia: Plano Renan chega em boa hora (Pág. 1)


Carta Capital

Manchete: Caos
Quem quer e quem não quer
Como se posicionam as forças políticas, econômicas e sociais diante da crise

Mino Carta
Se o golpe não convém, ressuscite-se s conciliação (Pág. 1)

Lava Jato: Novas evidências contra o vice-almirante Othon Pinheiro (Pág. 1)

Negócios: Jovens e inovadoras empresas driblam a recessão (Pág. 1)

Argentina: O kirchnerismo sobrevive, confirmam as eleições primárias (Pág. 1)


EXAME

Manchete: A revanche do Bradesco
Com uma agressividade incomum, o Bradesco vence a disputa para comprar o HSBC e encosta no Itaú na luta para ser o maior banco privado do país. Como isso muda a competição no mercado financeiro brasileiro. (Pág. 1)

Economia
Dá, sim, para sair da crise profunda em que o país se meteu. Mas o governo precisa querer… (Pág. 1)


Edição: Equipe Fenatracoop, 16 de Agosto de 2015, ás 10:10

 

Compartilhe nossa Matéria