2ª instância da Lava Jato está alinhada ao MPF
Análise das decisões da 8.ª Turma do TRF-4, a segunda instância da Lava Jato, mostra um colegiado em sintonia com os pedidos dos procuradores – mais até do que com as sentenças do juiz Moro….Sai Janot Entra Dodge
Ao entregar a cadeira para Raquel Dodge, Rodrigo Janot, 60, entra para a galeria dos procuradores-gerais com destaque ímpar e uma montanha-russa de polêmicas. O mineiro, que deixa o cargo hoje, teve embates com a PF, fechou número recorde de delações (ao todo, foram 159 acordos) e foi o primeiro a denunciar o presidente no exercício do cargo…
————————————————————

O Globo

Manchete : Sem reforma, Supremo pode barrar coligações
Congresso não chegou a consenso sobre mudanças
Até líderes de partidos admitem que modificações poderão acabar sendo feitas pelo Judiciário

Diante do impasse no Congresso que pode impedir a aprovação de uma reforma política a tempo de valer nas eleições de 2018, o Supremo Tribunal Federal se prepara para tentar garantir, ao menos, o fim das coligações proporcionais. Já há uma articulação, que envolve parlamentares e integrantes do STF, para julgar ação que trata do tema. Pelo menos três ministros do STF se declararam contra as alianças proporcionais. Líderes partidários na Câmara e no Senado reconhecem que, se o Congresso não atuar, o Supremo fará as modificações por conta própria. (Pág. 3)

Raquel Dodge trocará dois procuradores da Lava-Jato
A nova procuradora-geral da República, Raquel Dodge, que tomará posse amanhã, já decidiu trocar dois procuradores da força-tarefa da equipe montada por Rodrigo Janot para a Lava-Jato. Rodrigo Telles e Fernando Júnior receberam ontem sinalização de que serão substituídos. Dos dez integrantes do grupo, três já haviam se antecipado e saíram. Outros três estão perto de fazer isso. (Pág. 4)

Hartung pode ser candidato no Rio
Está em curso uma articulação, que envolve Armínio Fraga, para que o governador do Espírito Santo, Paulo Hartung, dispute o governo do Rio. Lauro Jardim, (Pág. 2)

Em busca de graduação no exterior
Em meio à recessão, à violência e à penúria nas universidades brasileiras, jovens têm ido cada vez mais fazer graduação no exterior. Ano passado, foram 62,8 mil, ou 50% a mais do que em 2015. (Págs. 29 e 30)

————————————————————————————

O Estado de S. Paulo

Manchete : BNDES ameaça ir ao TCU para evitar devolução de R$ 180 bi
Recursos foram pedidos pelo governo e serviriam para reduzir dívida da União; banco alega que antecipação de pagamentos poderia trazer riscos à instituição
O embate entre o BNDES e o governo federal pode evoluir para uma disputa oficial. O motivo do confronto é o pedido da equipe econômica para que o banco devolva ao Tesouro Nacional, entre 2017 e 2018, R$ 180 bilhões que foram repassados à instituição financeira. Os recursos serviriam para o governo reduzir a dívida pública bruta. O comando do BNDES é contra a devolução do dinheiro e ameaça apelar ao Tribunal de Contas da União (TCU). Antes disso, como última cartada, vai apresentar ao governo uma série de documentos que indicam que a antecipação do pagamento dos empréstimos pode trazer risco aos interesses da instituição. A União pediu a devolução de R$ 50 bilhões este ano e de R$ 130 bilhões em 2018. O presidente do banco, Paulo Rabello de Castro, defende o pagamento por meio de ativos do BNDES, como ações de empresas, mas a proposta já foi rejeitada pela equipe econômica do governo Temer. (Economia B1)

Banco quer mudar foco
Sem abandonar a infraestrutura, intenção é financiar projetos de tecnologia e de formação de pessoas. (B4)

2ª instância da Lava Jato está alinhada ao MPF
Análise das decisões da 8.ª Turma do TRF-4, a segunda instância da Lava Jato, mostra um colegiado em sintonia com os pedidos dos procuradores – mais até do que com as sentenças do juiz Moro. (Política A7)

Tecnologia chega à zona rural
O número de startups no campo quadruplicou nos últimos dois anos. O setor aposta em soluções tecnológicas para a agricultura, como internet das coisas, big data e softwares de monitoramento. (Economia B9)

Depressão de alunos preocupa universidades (Metrópole A17)

Vera Magalhães
Quando a máfia briga
Antonio Palocci era o elo que levava o dinheiro das empreiteiras a Lula. (Política A8)

Celso Ming
A revolução do automóvel
Conectividade, automação, sustentabilidade e segurança são prioridades do carro do futuro. (Economia B2)

Notas&Informações
O STF escaldado – O procurador-geral da República deixa o cargo, mas antes de ir cria um novo imbróglio, a segunda denúncia contra Temer, que exige do Supremo Tribunal Federal medidas excepcionais de prudência (A3)

Entre a emergência e o ajuste – Governo corre para fechar a conta com déficit de R$ 159 bi (A3)

————————————————————————————

Folha de S. Paulo

Manchete : Dois professores são atacados por dia em SP
Boletins de ocorrência mostram que agressões ocorrem dentro das escolas
No Estado de São Paulo, quase dois professores são agredidos a cada dia, em média, nos locais de trabalho, relatam Angela Pinho e Daniel Mariani. As informações foram obtidas pela reportagem por meio da Lei de Acesso à Informação. Foram registradas 178 queixas de docentes em delegacias no primeiro semestre de 2017, todas em datas do calendário escolar — dias úteis de fevereiro a junho. As agressões ocorreram em creches, escolas e universidades, públicas e particulares. Houve educadores atingidos com lixeiras, carteiras escolares, cadeiras, socos e pontapés. Um aluno é apontado como responsável pela agressão em pelo menos um de cada quatro casos — a maioria dos registros não identifica quem foi o autor. Vítima de uma rasteira, professora da zona leste de São Paulo bateu a cabeça e parou na UTI de hospital. Para especialistas, dois fatores explicam as agressões: a desconexão entre estudantes e escola e a violência na sociedade. (Cotidiano B1)

Depoimentos de Palocci sobre Lula têm contradições
Antonio Palocci deu à Justiça versões divergentes sobre encontro em que, segundo ele, Lula selou pacto com a Odebrecht para obter favores pessoais e sustentar suas atividades políticas após deixar a Presidência, informa Ricardo Balthazar. O ex-ministro, que negocia desde abril acordo de delação, relatou datas e valores diferentes ao citar reunião de Lula com Emílio Odebrecht, patriarca do grupo. A defesa do ex-presidente pretende explorar essas contradições. (Poder A4)

Sai Janot Entra Dodge
Ao entregar a cadeira para Raquel Dodge, Rodrigo Janot, 60, entra para a galeria dos procuradores-gerais com destaque ímpar e uma montanha-russa de polêmicas. O mineiro, que deixa o cargo hoje, teve embates com a PF, fechou número recorde de delações (ao todo, foram 159 acordos) e foi o primeiro a denunciar o presidente no exercício do cargo. (Poder A8)

Agronegócio, em alta, tem desafio de preservar imagem
Em meio à atual crise econômica do país, o agronegócio destoa. O setor tem dado mais espaço para as mulheres em cargos de gestão e é o que mais capta mão de obra. Por outro lado, sua imagem é prejudicada pelo desmata-mento e por denúncias de corrupção. (Especial pág. 1)

Samuel Pessôa
As bananas e nossa visão equivocada de desenvolvimento
Continuamos a ter visão ufanista equivocada do desenvolvimento econômico. República de bananas, para mim, sempre representou países com péssima institucionalidade. Para parte dos economistas brasileiros, porém, o que caracteriza essas repúblicas são as bananas, ou melhor, a exportação de matérias-primas. Esse critério incluiria no grupo países como Canadá e Austrália. (Mercado pág. 8)

Editoriais
Leia “Cronicamente desigual”, sobre pesquisas recentes que mostram estabilidade na vergonhosa concentração de renda do país neste início de século. (Opinião a2)

————————————————————————————

Responda

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.