Manchete dos Jornais neste domingo, 27 de março de 2016
Postado por: Equipe Portal Cambé Em 27th março 2016

Para OAB, tese de golpe ofende STF
O presidente do Conselho Federal da OAB, Claudio Lamachia, disse que a afirmação do governo “de que há um golpe em curso” é ofensiva ao Supremo…

Celso de Mello e OAB rechaçam tese do governo de golpismo
O decano do Supremo, ministro Celso de Mello, disse que o impeachment não é golpe e que o objetivo da Lava- Jato é “expurgar a corrupção que tomou conta de governo e grandes empresas”. É o terceiro ministro do STF que rechaça a tese de golpe do governo. Para o presidente da OAB, Claudio Lamachia, impeachment “é remédio jurídico da democracia’.’


O Globo

Manchete: Grupo de Temer diz ter 80% dos votos para rompimento
Desembarque do PMDB já é dado como certo também pelo Planalto
Outros partidos aliados ameaçam sair da base; governo teme um efeito dominó

Aliados do vice-presidente Michel Temer diziam ontem já ter 80% dos votos do partido pelo rompimento com o governo Dilma. O Planalto também já está convencido de que o partido vai desembarcar e teme efeito dominó entre aliados. Até terça-feira, quando será decidido o rompimento, Temer buscará ainda mais adesões. Além do PMDB, o PP também já prepara afastamento, mesmo com a tática do Planalto de distribuir ministérios, informam EDUARDO BRESCIANI, JÚNIA GAMA e SIMONE IGLESIAS. Líderes de outras siglas da base, como PSD e PR, avisaram à presidente Dilma que não garantem o apoio das bancadas no processo de impeachment. (Pág. 3)

Celso de Mello e OAB rechaçam tese do governo de golpismo
O decano do Supremo, ministro Celso de Mello, disse que o impeachment não é golpe e que o objetivo da Lava- Jato é “expurgar a corrupção que tomou conta de governo e grandes empresas”. É o terceiro ministro do STF que rechaça a tese de golpe do governo. Para o presidente da OAB, Claudio Lamachia, impeachment “é remédio jurídico da democracia’.’ (Págs. 4 e 8)

O corrupto mora ao lado
Todos condenam a corrupção e milhares têm saído às ruas para protestar contra esse mal. Mas, segundo pesquisa do Data Popular, 70% dos brasileiros admitem já ter cometido pequenos delitos e 80% dizem conhecer um corrupto. Analistas comentam a tolerância com o que o brasileiro gosta de chamar de jeitinho. (Págs. 6 e 7)

Elio Gaspari
Michel Temer é a solução porque evita a eleição. (Pág. 9)
Merval Pereira
Narrativa de golpe feita por apoiadores de Dilma é ridícula. (Pág. 4)
Míriam Leitão
Crise tornou inimigas ideias que são complementares. (Pág. 30)
Cacá Diegues
Vamos nos matar se ódio por quem pensa diferente continuar. (Pág. 19)
Fernando Gabeira
O Brasil amadureceu para não cultivar bandidos. (Segundo Caderno)
Lauro Jardim
Lava-Jato enfrentará festival de pedidos de desmembramentos. (Pág. 2)

Brasil perde metade do potencial de crescimento
A crise reduziu a capacidade de expansão da economia a menos de 1%, metade da que havia em 2013. Investimento em queda, crescimento menor da população e baixa produtividade inibiram o potencial de avanço que o país terá quando a recessão for superada. (Pág. 29)

‘Aprovação é um dano irreparável’
O oncologista Carlos Gil diz que a aprovação da fosfoetanolamina pelo Congresso, sem testes clínicos e sem aval da Anvisa, é dano irreparável para a ciência brasileira. Para ele, a agência está sendo humilhada. (Pág. 38)


O Estado de S. Paulo

Manchete : Plano do PMDB corta subsídio e gasto público
O PMDB prepara uma ampliação do documento ‘Uma Ponte para o Futuro’, lançado no ano passado com propostas para retomada do crescimento econômico. As medidas agora em discussão com dezenas de economistas tratam de cortes de subsídios, revisão de despesas na área social, mudanças na concessão de bolsas de estudos e até alternativas para tornar o SUS mais eficiente. Os especialistas também discutem a criação de uma comissão com integrantes do Legislativo e do Executivo para monitorar o orçamento. Extra oficialmente, quem teve acesso aos textos avalia que se trata de um plano de governo em gestação, informa Alexa Salomão. Entre os nomes cotados para uma eventual nomeação para o Ministério da Fazenda estão Henrique Meirelles e Armínio Fraga, mas há dúvidas se eles aceitariam o cargo. (Política/Pág. A4)

União gasta 39% de sua receita com o funcionalismo
Dados do Ministério do Planejamento mostram que as despesas com o pagamento dos servidores públicos federais em 2015 foi o maior em 17 anos. O governo gastou, na média de janeiro a novembro,39,2% de suas receitas com o funcionalismo dos três Poderes. (Economia/Págs. B1 e B3)

‘Que bucha pegou o Teori’
Perfil – Teori Zavascki
Com mais de 40 anos de carreira, o juiz já acumula ao menos 32 inquéritos da Lava Jato sob sua relatoria, seis denúncias oferecidas e uma já recebida como ação penal. (Política/Pág. A8)

Para OAB, tese de golpe ofende STF
O presidente do Conselho Federal da OAB, Claudio Lamachia, disse que a afirmação do governo “de que há um golpe em curso” é ofensiva ao Supremo. (Política/Pág. A7)

País registra 210 vírus transmitidos por insetos
Os vírus da dengue, chikungunya e zika não estão sozinhos no grupo dos que causam infecção e são transmitidos por insetos. Registros do Instituto Evandro Chagas mostram que, por esse meio, circulam no País 210 vírus, mais que o dobro da década de 80. (Metrópole/Pág. A14)

Da voz das urnas à voz das ruas : Carlos Ayres Brito
O direito de reunião incorpora um tipo de liberdade de expressão que passa a concretizar em grau maior o princípio da “cidadania”. (Espaço Aberto/Pág.A2)

A derrocada : Gustavo H. B. Franco
Boa parte da contrariedade com o governo tem a ver com a sensação de que fomos enganados e que durante as eleições Dilma ocultou problemas. (Economia/Pág.B5)

Notas & Informações
Um Nero mambembe
Lula reduz a cinzas sua própria biografia, o pouco que restou da Presidência de Dilma e o PT. (Pág. A3)

Apenas a lei
Os lulopetistas e seus cúmplices são agora patronos da Constituição, protegendo-a dos “golpistas”. (Pág.A3)

Liquidação de helicópteros
Com a crise econômica, os empresários brasileiros têm aceitado até trocar helicópteros por imóveis e carros de luxo para se livrar do alto custo de manutenção dos aparelhos. (Economia/Pág. B6)


Folha de S. Paulo

Manchete: Governo Dilma teme ‘efeito manada’ entre os partidos
Rui Falcão, presidente nacional do PT, diz que legenda quer ‘paz’, mas está pronta para a ‘guerra’
Dando como certa a debandada do PMDB, seu maior aliado e partido do vice- presidente Michel Temer, o governo Dilma Rousseff teme agora o “efeito manada” de outras siglas de sua base de apoio no Congresso. Os alvos dessa preocupação são PP, PR e PSD. Juntos, os três partidos somam 121 deputados e têm dito que não veem sinal de reação do Palácio do Planalto. Dirigentes dessas siglas vêm sendo pressionados por parlamentares de sua base a deixar o governo. Para barrar o processo de impeachment, Dilma precisa de 171 votos de deputados na Câmara. O PMDB conta com 69 parlamentares. Encontro recente do ministro Gilberto Kassab(Cidades), presidente do PSD, com Temer também deixou o governo alarmado. Cerca de 70% da bancada do partido apoia o impeachment da presidente Dilma. Como parte do isolamento do governo, o ex-presidente Lula teve frustradas duas tentativas recentes de se encontrar com Temer. O presidente do PT, Rui Falcão, disse que o partido está pronto para lutar contra o impeachment. “Queremos a paz, mas não tememos a guerra.” (Poder A4)

Temendo calotes, bancos reservam R$ 148 bilhões
Os cinco maiores bancos brasileiros reservaram em seus balanços R$ 148 bilhões para fazer frente aos calotes registrados em 2015 e aos que podem vir a afetar suas atividades neste ano. O volume de reservas sugere a expectativa de uma quebradeira de empresas e de aumento do desemprego. Foram provisionados R$ 23 bilhões só para a eventual inadimplência de clientes que hoje pagam em dia. Segundo dados da Austin Asis, esse valor é o dobro do reservado em 2014. Banco do Brasil, Itaú, Bradesco, Caixa e Santander não quiseram falar abertamente sobre o assunto. (Mercado Pág. 1)

Antonio Prata
Falta à esquerda admitir o desastre do governo Dilma
Compartilho posts e subscrevo abaixo-assinados clamando por respeito às leis e à democracia. Mas venho ficando cada vez mais aflito com as linhas que faltam, aquelas em que a esquerda admitiria claramente que o governo Dilma é um desastre. (Cotidiano B6)

Editoriais
Leia “Dizer o óbvio”, sobre atitudes irresponsáveis durante a crise política, e “Paradoxo a sanear”, a respeito de falta de acesso à rede de esgoto. (Opinião A2)


Edição: Equipe Fenatracoop, Domingo 27 de Março de 2016

Compartilhe nossa Matéria