Manchete dos Jornais neste sábado, 03 de março de 2016
Postado por: Equipe Portal Cambé Em 5th março 2016

Lava Jato obriga Lula a depor
Os investigadores suspeitam que os R$ 30 milhões recebidos por Lula, desde 2011, como pagamento de palestras e doações a seu instituto, sejam fruto de desvios da Petrobras. A operação cumpriu 33 mandados de busca e apreensão, inclusive em imóveis ligados a Lula. Segundo a PF, o Instituto Lula, que tem isenção fiscal, teria repassado R$ 1 milhão à G4, empresa de um dos filhos do ex-presidente. O procurador Carlos Fernando afirmou que “qualquer um no Brasil está sujeito a ser investigado’. De acordo com o despacho do juiz Sérgio Moro, há “fundada suspeita” de que o principal líder petista “teria recebido benefícios materiais, de forma sub-reptícia, de empreiteiras envolvidas na Operação Lava Jato, especificamente em reformas e benfeitorias de imóveis de sua propriedade”. Foram cumpridos mandados de busca e apreensão em diversos locais, entre eles o apartamento de Lula e o Instituto Lula…
PF, MP e Receita mostraram solidez das instituições…


O Globo

Manchete : Lava-Jato força Lula a depor, e petista apela à militância
Justiça quebra sigilo, e PF faz buscas em imóveis ligados a ex-presidente
Prestes a completar dois anos, a Lava-Jato chegou à porta do ex-presidente Lula. Por força de um mandado de condução coercitiva, ele foi obrigado a depor, durante três horas, numa sala do Aeroporto de Congonhas (SP). Os investigadores suspeitam que os R$ 30 milhões recebidos por Lula, desde 2011, como pagamento de palestras e doações a seu instituto, sejam fruto de desvios da Petrobras. A operação cumpriu 33 mandados de busca e apreensão, inclusive em imóveis ligados a Lula. Segundo a PF, o Instituto Lula, que tem isenção fiscal, teria repassado R$ 1 milhão à G4, empresa de um dos filhos do ex-presidente. O procurador Carlos Fernando afirmou que “qualquer um no Brasil está sujeito a ser investigado’; Lula reagiu afirmando que se sentiu prisioneiro e convocou militantes às ruas: “A jararaca está viva.” (Pág.3 a 12)

Oposição ameaça paralisar Congresso
Depois da ação policial em torno do ex-presidente Lula, a oposição decidiu obstruir as votações no Congresso até que seja aberta a Comissão de Impeachment. Do lado do governo, ministros anunciaram que vão sair a campo para defender Lula e o PT. O depoimento do petista à PF ganhou repercussão mundial e despertou solidariedade de presidentes latino-americanos. (Pág.9 a 12)

Dilma se concentra na própria defesa
A presidente Dilma se disse “indignada” com a ação policial envolvendo o ex-presidente Lula, mas seu pronunciamento, ontem, privilegiou a defesa das acusações feitas a ela pelo senador Delcídio Amaral, em delação. (Pág.7)

Bolsa sobe 4%, e dólar cai para R$ 3,761 (Pags. 23 a 26)

Merval Pereira
Com nova fase,emerge o chefe da organização criminosa. (Pág.4)
Ancelmo Gois
Em um dia triste, o sonho de uma nação esmoreceu. (Pág. 4)
Míriam Leitão
PF, MP e Receita mostraram solidez das instituições. (Pág. 24)
Jorge Bastos Moreno
Destino de Dilma está colado ao de Lula. (Pág. 8)
Frei Betto
Depoimento não transforma ninguém em réu e criminoso. (Pág. 11)
Luiz Antônio Novaes
O cerco à casa de Lula, a ética e o favor. (Pág. 2)
Pedro Doria
Condução de ex-presidente é forte, mas não inédita. (Pág. 11)
José Casado
Corrosão do governo ocorre sob as piores condições. (Pág. 10)
Editorial
‘Uma reafirmação de princípios republicanos’ (Pág.20)


O Estado de S. Paulo

Manchete: Lava Jato obriga Lula a depor; ex-presidente ataca ‘elites’
O ex-presidente Lula foi obrigado a prestar depoimento à Polícia Federal no inquérito da Lava Jato que investiga desvios e corrupção na Petrobrás. Policiais chegaram ao apartamento de São Bernardo por volta de 6 horas da manhã. Lula foi ouvido por autoridades da força-tarefa durante quase três horas, em uma sala do Aeroporto de Congonhas. As ações da Operação Aletheia – que em grego significa “em busca da verdade” – provocaram reações nas ruas – houve confrontos entre apoiadores e manifestantes contrários ao ex- presidente –, no mercado financeiro e no ambiente político. De acordo com o despacho do juiz Sérgio Moro, há “fundada suspeita” de que o principal líder petista “teria recebido benefícios materiais, de forma sub-reptícia, de empreiteiras envolvidas na Operação Lava Jato, especificamente em reformas e benfeitorias de imóveis de sua propriedade”. Foram cumpridos mandados de busca e apreensão em diversos locais, entre eles o apartamento de Lula e o Instituto Lula. Em pronunciamento no Diretório Nacional do PT, Lula convocou a militância a defender o partido, atacou Sérgio Moro, a imprensa e as “elites”. “Me senti um prisioneiro. Fiquei magoado, ofendido”, disse. À noite, em discurso a militantes, Lula comparou a condução coercitiva a um “sequestro”. (Política/ Págs. A4 a A17)

OAS pagou mudança do ex-presidente
A OAS pagou durante 5 anos o aluguel de dez guarda-móveis usados para armazenar parte da mudança do ex-presidente Lula quando ele deixou o Planalto, no final de seu mandato. A empreiteira desembolsou R$ 1,3 milhão pelos contêineres. O presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto, indicou a empreiteira como pagante por ser “apoiadora” do instituto. (Pág. A6)

Dilma defende petista e rebate Delcídio
Dilma Rousseff classificou ação contra Lula de “exagero”. Também acusou senador de agir por “vingança”. (Pág. A13)

Dólar cai e Bolsa tem a maior alta desde 2008
O dólar caiu 1,12%, para R$ 3,76. Na semana,a Bolsa subiu 18,1%, maior alta semanal desde 2008. (Economia/ Pág. B1)

Lula nunca foi claro sobre temas difíceis
Em 1989, quando foi revelado que tinha uma filha fora do casamento, Lula reagiu com manifesta indignação. Foi o começo de uma postura de muita reserva – e às vezes de tergiversação – quando se abordam questões consideradas desagradáveis, informa o repórter Luiz Maklouf Carvalho. (Pág. A14)

Janot oferece segunda denúncia contra Cunha
Em denúncia ao STF, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) é acusado pelo MP de receber propina. (Pág. A19)

Justiça barra nomeação de novo ministro
Por decisão liminar, Wellington César Lima e Silva foi impedido de assumir o Ministério da Justiça. (Pág. A18)

Entrevistas
José Álvaro Moisés
Desafio à impunidade
É um processo com a emergência de integridade que passa, pela primeira vez, a enfrentar a tradição de impunidade que sempre persistiu no Brasil. (Pág. A11)

Claudio Couto
Grupos em luta extrema
Esse episódio tende a tornar os movimentos de rua potencialmente mais radicalizados, com a possibilidade, inclusive, de enfrentamento. (Pág. A11)

Análises
Eliane Cantanhêde
É o fim do projeto do PT
O dia 4 de março de 2016 é profundamente triste, mas um marco: ninguém, nem mesmo Lula, está acima da lei. (Pág. A13)

Dora Kramer
De corpo presente. Ou ausente
O governo Dilma está morto. Morreu de morte matada quando escolheu o caminho do ilegal e do imoral. (Pág. A14)

Notas & Informações
Os males que Lula faz
Lula é o exemplo vivo – muito vivo – dos males que podem advir a uma Nação despreocupada. (Pág. A3)

Indústria sem fôlego
O prolongamento da crise política e a insistência na política econômica tornam difícil de prever melhora. (Pág. A3)


Folha de S. Paulo

Manchete: Lava Jato atinge Lula e o obriga a depor; ex-presidente vê perseguição
Na 24ª fase da Lava Jato, a Polícia Federal realizou buscas e apreensões em endereços ligados ao ex-presidente Lula (PT), investigado sob suspeita de ter sido um dos principais beneficiados do esquema de desvios na Petrobras. Os sigilos bancários e fiscal dele, de seu instituto e de sua empresa de palestras foram quebrados. O petista foi levado por agentes de sua casa, em são Bernardo do Campo (SP), em cumprimento a um mandado de condução coercitiva (depoimento obrigatório). Investigadores suspeitam que ele tenha obtido favores de empreiteiras e do pecuarista José Carlos Bumlai (como obras em tríplex de Guarujá e em sítio de Atibaia), além de recursos via contratos fictícios. A ação atingiu também familiares e pessoas ligadas ao ex-presidente. Em pronunciamento na sede do PT, após ser liberado, Lula disse ter se sentido “prisioneiro” e alvo de perseguição. Não rebateu acusações, já negadas anteriormente, e convocou militantes a defenderem partido e governo. Afirmou ter dúvidas sobre candidatar-se à presidência em 2018, mas se disse decidido a sair às ruas do país. As reações se sucederam ao longo do dia. Procuradores disseram que ninguém está acima das leis na República. A presidente Dilma declarou-se inconformada e criticou a condução coercitiva, que dividiu especialistas ouvidos pela Folha. Manifestantes pró e anti-Lula entraram em confronto. A bolsa subiu 4% e o dólar caiu 2% (R$ 3,73). Para a oposição, a ação foi “o começo do fim”. (Poder)

Hélio Schwartsman
Nome sugere que polícia assume viés místico-religioso. (Opinião A2)
André Singer
Coerção policial visa animar quem deseja extinguir o lulismo. (Opinião A3)

Assessor da Presidência levou dinheiro para sítio
Um pequeno empreiteiro disse à Lava Jato que Rogério Aurélio Pimentel, assessor de Lula, fez no fim de 2010, quando o petista ainda era presidente, pagamentos no valor de R$ 167 mil em dinheiro vivo para quitar obras. Pimentel foi uma das pessoas conduzidas para prestar depoimento à PF nesta sexta (4) na Lava Jato. A força- tarefa aponta a suspeita de que Lula seja o real dono do sítio. A defesa de Pimentel não foi localizada. (Poder A7)

Igor Gielow
Reação de Lula inclui marca imortalizada por alemães radicais (Opinião A2)
Demétrio Magnoli
Crítica do Planalto a decisão judicial abre precedente perigoso (Poder A14)
Editoriais
Leia “Vitimização”, sobre cerco das investigações em torno de Lula, e “Mortes pra lá de suspeitas”, acerca de dúvidas em taxa de homicídios de SP. (Opinião A2)
Foto-legenda: Sem diálogo
Manifestantes pró e contra Lula brigam perto do aeroporto de Congonhas (zona sul de SP), onde o petista depôs à PF; a PM interveio para separar os grupos (Poder A11)


Edição: Equipe Fenatracoop, Sábado 05 de Março de 2016

Compartilhe nossa Matéria