Manchete dos Jornais neste sábado, 03 de setembro de 2016
Postado por: Equipe Portal Cambé Em 3rd setembro 2016

Maia: decisão do Senado é o que Cunha ‘sempre quis’
O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, afirmou ontem que a decisão do Senado que livrou a ex-presidente Dilma da proibição de ocupar cargos públicos é o que o deputado Eduardo Cunha “sempre quis”. Maia encomendou análise técnica, mas, para ele, o fatiamento do julgamento da petista pode ser repetido na votação de cassação de Cunha. Dez ações questionam a decisão do Senado, sendo uma assinada pelo PMDB do presidente Michel Temer. Na China, Temer minimizou a polêmica, que chamou de “pequenos embaraços”. Mas ela pode ter impacto: o ex-senador Delcídio Amaral, cassado, recorreu para ter o direito de se candidatar. (Págs. 3 e 4)
Após impeachment, PT defende novas eleições…


O Estado de S. Paulo

Manchete : Pressionado, Temer dá aval a ação no STF contra acordão
PMDB assina mandado de segurança que tenta anular decisão de manter os direitos políticos de Dilma Rousseff
Com aval do presidente Michel Temer, o PMDB decidiu aderir ao mandado de segurança protocolado por outros quatro partidos da base aliada no Supremo Tribunal Federal (STF) pela anulação da votação do Senado que isentou a ex-presidente Dilma Rousseff da inabilitação para assumir cargos públicos por oito anos. PSDB, DEM, PPS e Solidariedade também assinam o pedido. O argumento é de que o desmembramento da votação, realizada na quarta-feira, “fere a Constituição”. O caso provocou divisão na base governista. A estratégia para poupar Dilma foi traçada pelo PT com a ajuda do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). Doze dos 19 senadores peemedebistas votaram pela “anistia” à ex-presidente. Em viagem oficial à China, Temer buscava ontem um meio de desfazer a ideia de que teria dado aval ao que o governo chama de “manobra”. (Política . A4 e A5)

Coluna do Estadão
O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, pediu estudo sobre divisão de votação em cassação, como ocorreu com Dilma. (Pág. 4)

Após saída de Dilma, PT passa a defender novas eleições
No primeiro balanço após o impeachment de Dilma Rousseff, o PT decidiu ontem levantar a bandeira das “Diretas- Já”. O objetivo é manter as mobilizações e “colocar fim” ao governo Michel Temer (PMDB). Em resolução aprovada por consenso, a Executiva Nacional do partido, com a presença do ex-presidente Lula, defendeu uma “firme, incansável e enérgica oposição” a Temer. (Política A7)

País apresenta a chineses US$ 269 bi em ‘oportunidades’
O governo apresentou a investidores, em Xangai, oportunidades que devem demandar aportes de US$ 269 bilhões até 2019, informam os enviados especiais Cláudia Trevisan e Fernando Nakagawa. Entre os setores que necessitam de investimentos, e que devem ser concedidos à iniciativa privada, estão petróleo e gás, energia, ferrovias, telecomunicações, estradas, saneamento e aeroportos. (Economia B1 e B3)

Produção industrial sobe pelo 5º mês
Dados do IBGE mostram que a produção industrial brasileira avançou 0,1% entre junho e julho. Foi a quinta alta mensal consecutiva, o que não ocorria desde 2012. O movimento, no entanto, não recupera as perdas de 2015. ( B7)

Justiça suspende multa por falta de farol baixo
A Justiça Federal concedeu ontem liminar suspendendo a cobrança de multas para motoristas que não usam farol baixo durante o dia nas estradas brasileiras. A lei vigora desde 8 de julho. As autuações já aplicadas, porém, estão mantidas pela ordem judicial. (Metrópole A 15)

Foto-legenda – Protesto e depredação
Manifestante ataca loja na Avenida Rebouças, zona oeste de São Paulo, durante protesto contra o governo. Oito pessoas foram detidas. (Política A6)

MP espera demissão de Neschling do Municipal (Metrópole A16)

Artigos e Colunas
Flávio Tavares – E agora? (Espaço Aberto A2)

Miguel Reale Júnior – Alegria e seriedade (Espaço Aberto A2)

João Domingos – Falsa compaixão e lambança (Política A6)

Celso Ming – Em busca de uma atitude (Economia B2)

Notas&Informações
Os inimigos da democracia – Para que a democracia funcione, é preciso que os cidadãos acatem as decisões da maioria (A3)

O fiasco da campanha petista – EUA, China e Argentina reconhecem Temer como presidente, e pretendem tocar a vida adiante (A3)


O Globo

Manchete : Governo pretende propor mudança de regras no FGTS
Fazenda quer usar Fundo também para financiar seguro-desemprego
Avaliação é que a atual remuneração aos trabalhadores é baixa
O governo pretende mudar o modelo do FGTS. O Fundo de Garantia seria usado para financiar o seguro-desemprego e para criar aposentadoria complementar aos trabalhadores do setor privado, informa GERALDA DOCA. O Tesouro Nacional abriu licitação para selecionar um estudo sobre a reforma do Fundo. Para a equipe econômica, a remuneração do FGTS é baixa, o que estimula os saques e uma rotatividade excessiva no mercado de trabalho. Além disso, os gastos com seguro-desemprego pressionam as contas públicas. (Pág. 21)

País busca negócios na China
Em visita à China, sua primeira viagem internacional como presidente, Michel Temer tem uma série de encontros bilaterais para tentar atrair investimentos e abrir mercados para as exportações brasileiras. No G-20, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, apresentou um levantamento com oportunidades de investimentos de US$ 269 bilhões no país nos próximos quatro anos. (Págs. 23)

Maia: decisão do Senado é o que Cunha ‘sempre quis’
O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, afirmou ontem que a decisão do Senado que livrou a ex-presidente Dilma da proibição de ocupar cargos públicos é o que o deputado Eduardo Cunha “sempre quis”. Maia encomendou análise técnica, mas, para ele, o fatiamento do julgamento da petista pode ser repetido na votação de cassação de Cunha. Dez ações questionam a decisão do Senado, sendo uma assinada pelo PMDB do presidente Michel Temer. Na China, Temer minimizou a polêmica, que chamou de “pequenos embaraços”. Mas ela pode ter impacto: o ex-senador Delcídio Amaral, cassado, recorreu para ter o direito de se candidatar. (Págs. 3 e 4)
Após impeachment, PT defende novas eleições (Pág. 7)

Dilma planeja temporada em Ipanema (Pág. 6)

Governo substitui comando da EBC e depois recua (Pág. 8)

Homem que depredou carro da polícia de SP era fugitivo (Pág. 6)

Pesticida é achado em Itatiaia
Com natureza exuberante, o alto da Serra da Mantiqueira, no Parque do Itatiaia, está contaminado pelo pesticida endosulfan, proibido no país dede 2014. Cientistas da UFRJ descobriram que as chuvas levam o veneno até a região preservada, revela ANA LUCIA AZEVEDO. A partir de agora, será estudado o impacto da substância no meio ambiente. (Pág. 11)

Candidatos têm milhões no colchão
Dados do TSE sobre os registros de candidaturas mostram que, juntos, 24 postulantes a prefeituras de capitais disseram manter um total de R$ 4,5 milhões em espécie, decisão sem nenhum sentido econômico. (Pág. 9)

Grupo planejou envenenar água
Troca de mensagens entre 14 suspeitos de terrorismo presos antes da Olimpíada revela que eles planejavam contaminar a água da cidade, instalar células na fronteira do país e conseguir recursos com saques. (Pág. 15)

Colunas
MERVAL PEREIRA – Tendência do STF é não interferir (Pág. 4)

MÍRIAM LEITÃO – As fases do PT na economia (Pág. 22)

ZUENIR VENTURA – Só aqui golpe tem acordão (Pág. 19)

ANA MARIA MACHADO – Farsa oculta manobras (Pág. 18)


Folha de S. Paulo

Manchete : Temer busca na China dar legitimidade ao governo
Presidente e sua equipe falam de um “novo Brasil”, estável e responsável
O presidente Michel Temer (PMDB) dedicou o início da viagem à China a um esforço para se legitimar internacionalmente, relata a enviada Johanna Nublat. Temer e sua equipe adotaram um discurso de reunificação e de estabilidade e tentaram transmitir a imagem de um “novo Brasil”. “É um país seguro e estável, não há conflitos políticos ou religiosos”, disse o ministro Henrique Meirelles (Fazenda) em Xangai, durante seminário para empresários do Brasil e da China. Ele considerou que o processo que resultou na deposição de Dilma Rousseff (PT) foi feito “em paz, dentro das normas da Constituição”. Temer afirmou que o “fundamento central” de seu govemo é a responsabilidade —fiscal, monetária e política. Ele disse que no período em que governou como interino 0 país avançou. “As expectativas dos agentes econômicos melhoraram, a confiança foi restabelecida e os indicadores começaram a se recuperar.” Segundo o chanceler José Serra, 0 presidente chinês, Xi Jinping, convidou Temer para uma nova visita ao país, em data a ser marcada. O peemedebista participará da cúpula do G20 a partir deste sábado (3). (Poder A4)

Marqueteiro do novo governo cria campanha “Bora, Temer” para se contrapor ao “Fora, Temer”. (A5)

Planalto monitora atuação de grupos violentos em atos
O Gabinete de Segurança Institucional, ligado à Presidência, tem monitorado ações de grupos violentos, adeptos da tática “blackbloc” de depredar patrimônio, em atos anti-Michel Temer. Em São Paulo, um suspeito de destruir carro da polícia em protesto na quarta-feira (31) foi preso. Manifestação contra o presidente deve ocorrer neste domingo (4), na avenida Paulista. (Poder A6)

Produção do setor industrial tem 5° mês de expansão
A indústria iniciou o segundo semestre com uma ligeira alta na produção, que subiu 0,1% em julho em relação ao mês anterior, na quinta alta consecutiva. Analistas esperam lenta recuperação do setor. O uso da capacidade instalada da indústria está em 76,9%, o menor já registrado pela CNI, cuja pesquisa se iniciou em 2013. (Mercado A17)

OMS diz que não houve casos de zika na Rio-2016 (Esporte B9)

Justiça suspende multa por dirigir sem farol de dia
A Justiça Federal em Brasília proibiu a aplicação de multas a quem dirigir sem os faróis ligados em rodovias durante o dia. A liminar vale para todo 0 país. O Ministério das Cidades afirma que vai pedir a suspensão da liminar. (Cotidiano B1)

Marcos Sawaya Jank
Sustentabilidade poderia se tornar a marca do Brasil
Campanhas ou megaeventos tipo Olimpíada contribuem para fixar a imagem de um país. Mas a construção de um diferencial deve vir de ações reais. A sustentabilidade poderia se tomar a bandeira brasileira. (Mercado A23)

Editoriais
Leia “Pacote precipitado”, sobre medidas propostas pelo Ministério Público, e “Dívida antiga e vencida”, acerca de combate ao analfabetismo. (Opinião A2)


Edição: Equipe Fenatracoop, Sábado, 03 de Setembro de 2016

Compartilhe nossa Matéria