Manchete dos Jornais neste sábado, 09 de janeiro de 2016
Postado por: Equipe Portal Cambé Em 9th janeiro 2016

Ato tem confronto e depredação em SP
A primeira manifestação do Movimento Passe Livre contra o reajuste da tarifa de ônibus, trens e metrô de São Paulo acabou em depredação e confronto entre black blocs e Polícia Militar. A confusão deixou rastro de destruição, com focos de incêndio e depredação de veículos e agências bancárias. Motoristas de ônibus foram obrigados a atravessar os coletivos na rua–os veículos foram depredados. A confusão começou na confluência das Avenidas Tiradentes e 23 de Maio, sob o Terminal Bandeira, se espalhou e chegou à Paulista. Black blocs usaram barricadas, garrafas e pedras;a PM revidou com bombas. Até as 23h, havia pelo menos 3 PMs e um manifestante feridos. Dezessete pessoas foram detidas. Hoje a passagem sobe para R$ 3,80. No Rio também houve confronto. …


O Globo

Manchete: Inflação é a mais alta em 13 anos, e BC deve elevar juros
Preços subiram 10,67% em 2015, puxados por luz, gasolina e alimentos
Tombini culpa política fiscal por sexto ano seguido de descumprimento da meta. Analistas preveem novo estouro este ano, com variação acima de 7%
Pressionada pelo aumento da conta de luz, dos combustíveis e dos alimentos, a inflação medida pelo IPCA teve alta de 10,67% em 2015, o maior patamar em 13 anos, segundo o IBGE. Para os mais pobres, o custo de vida subiu ainda mais: 11,28% pelo INPC. Foi o sexto ano seguido de descumprimento da meta de inflação. Para evitar nova escalada dos preços em 2016, o presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, sinalizou que a instituição voltará a subir os juros. Analistas acreditam que, ainda assim, a taxa deverá superar o teto fixado, ficando acima de 7%. Em carta à Fazenda para explicar o estouro da meta, Tombini culpou a condução da política fiscal. (Pág. 17 a 19)

No mês da eleição, Cunha fez 6 cobranças à OAS
Mensagens trocadas entre o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, e o ex-presidente da OAS Léo Pinheiro mostram que o deputado atuou em benefício da empreiteira no Congresso. Nos celulares de Pinheiro, condenado a 16 anos de prisão na Lava-Jato, a PF achou anotações que revelam pauta de 13 itens a serem tratados com o deputado. Entre eles, duas medidas provisórias. Durante seis dias no mês das eleições, em outubro de 2014, Cunha mandou mensagens a Pinheiro cobrando recursos para a campanha de Henrique Alves (PMDB) ao governo do Rio Grande do Norte. (Pág. 3)

Levy será diretor financeiro do Banco Mundial em Washington
Vinte e um dias após deixar o comando da Fazenda, o ex-ministro Joaquim Levy tem emprego novo. Na próxima segunda-feira, ele será formalmente anunciado como diretor financeiro (CFO, na sigla em inglês) do Banco Mundial, em Washington. A família dele já vive na capital americana, onde Levy trabalhou anteriormente em dois organismos multilaterais, o Fundo Monetário Internacional (FMI) e o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). (Pág. 20)

Míriam Leitão
Taxa em 10% resume o fracasso de Dilma e do PT. (PÁG. 18)
Merval Pereira
Usar reservas cambiais não faz sentido, dizem economistas. (Pág. 4)
Luiz Roberto Cunha
Em 2016, trocaremos “tarifaço” de 2015 por “impostaço”. (Pág. 18)

Protestos acabam em vandalismo
Um protesto contra o aumento da passagem de ônibus em São Paulo, que passou de R$ 3,50 para R$ 3,80, levou tumulto e vandalismo às ruas da capital. Pelo menos dois policiais ficaram feridos e um manifestante foi atingido por bala de borracha. No Rio também houve manifestação e confrontos. (Pág. 7)

Crise é municipal, estadual e federal
Pacientes travam luta diária para marcar de consultas a cirurgias nas 356 unidades de saúde das redes municipal, estadual e federal no Rio. Crise no atendimento é geral. (Pág. 8)

Ancelmo Gois
MP desvia bilhões da Saúde para o BNDES. (Pág. 10)

Ajuda externa contra o zika
Pesquisadores do Instituto Pasteur do Senegal, que combateram o ebola na África, estão no Brasil para ajudar equipe da USP a criar vacina contra o zika. (Pág. 12)


O Estado de S. Paulo

Manchete: Inflação vai a 10,67%; BC culpa governo por estouro da meta
Taxa foi a maior em 13 anos; BC responsabiliza câmbio, correção de preços e indefinição da política fiscal
A inflação oficial encerrou 2015 no maior patamar em 13 anos por causa, sobretudo, da correção de preços de energia elétrica e combustíveis, represados em anos anteriores justamente para conter a inflação. O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) subiu para 10,67%, taxa mais elevada desde 2002 (12,53%).Em carta ao ministro da Fazenda para explicar por que não foi possível manter a inflação no limite de 6,5% estabelecido pelo governo, o Banco Central culpou o câmbio, a correção dos preços administrados pelo governo e as indefinições da política fiscal pelo aumento do índice. Para este ano, é previsto novo estouro da meta. Com a voltada inflação aos dois dígitos, a defasagem da tabela do Imposto de Renda alcançou 72,2% em 20 anos. Com rentabilidade de 8,07%, a poupança perdeu da inflação no ano passado pela primeira vez desde 2002. (ECONOMIA Págs. .B1 e B3)

Análise :: Celso Ming

Herança para 2016
A inflação de quase 11% em 2015, por si só, cria campo de inércia que tende a puxar para cima a de 2016. A expectativa do mercado é a de que a inflação dos próximos 12 meses também estoure o teto da meta. (Pág. B2)

Ato tem confronto e depredação em SP
A primeira manifestação do Movimento Passe Livre contra o reajuste da tarifa de ônibus, trens e metrô de São Paulo acabou em depredação e confronto entre black blocs e Polícia Militar. A confusão deixou rastro de destruição, com focos de incêndio e depredação de veículos e agências bancárias. Motoristas de ônibus foram obrigados a atravessar os coletivos na rua–os veículos foram depredados. A confusão começou na confluência das Avenidas Tiradentes e 23 de Maio, sob o Terminal Bandeira, se espalhou e chegou à Paulista. Black blocs usaram barricadas, garrafas e pedras;a PM revidou com bombas. Até as 23h, havia pelo menos 3 PMs e um manifestante feridos. Dezessete pessoas foram detidas. Hoje a passagem sobe para R$ 3,80. No Rio também houve confronto. (METRÓPOLE Págs. A13 e A14)

Obra da OAS com Wagner foi superfaturada, aponta TCU

O Tribunal de Contas da União (TCU) identificou uma série de irregularidades – em especial superfaturamento – no contrato de obras que levou o empreiteiro da OAS Léo Pinheiro a pedir que o hoje ministro Jaques Wagner (Casa Civil) atuasse para que o Ministério dos Transportes liberasse R$ 41,76 milhões adicionais para obra em Salvador quando era governador da Bahia. O projeto passou por diversas auditorias do TCU desde a licitação, em 2008. Wagner não se manifestou ontem sobre o assunto. (POLÍTICA Pág. A4)

Verba desviada
Segundo o ex-diretor da Petrobrás Nestor Cerveró, Jaques Wagner recebeu “grande aporte de recursos” na campanha ao governo da Bahia em 2006. O dinheiro teria sido desviado da estatal. (Pág. A5)

Imagens viram foco de disputa na Venezuela

As imagens dos presidentes Hugo Chávez e Nicolás Maduro e do herói nacional Simón Bolívar retiradas da Assembleia Nacional venezuelana por ordem do novo presidente do Parlamento, o oposicionista Henry Ramos Allup, viraram foco de disputa política e tema de mobilização e peregrinação chavista, informa o enviado especial Ricardo Galhardo. (INTERNACIONAL Pág. A9)

Cientistas preveem surto de zika vírus até abril (METRÓPOLE Pág. A15)

Barack Obama
Responsabilidade de todos
Uma reforma na política de armas com base no bom senso não ocorrerá neste Congresso. Mas há passos que podemos dar agora para salvar vidas. (VISÃO GLOBAL Pág. A11)

Notas & Informações
Inflação de erros e desmandos
O grande espetáculo da irresponsabilidade foi a devastação das contas públicas. (Pág. A3)

O fiasco do PAC 2015

Há sempre enorme distância entre o previsto, o que está em andamento e o porcentual concluído. (Pág. A3)


capa

JUDICIÁRIO
Em ano quente na política, Supremo e TSE mudam de mãos
PODER LEGISLATIVO
O Congresso foi turbulento em 2015, mas até que produtivo
DOMÍNIO PÚBLICO
“Minha Luta”, a autobiografia de Hitler, de volta às prateleiras
SAÚDE
É preciso falar sobre as reações adversas da pílula anticoncepcional
LITORAL DO PARANÁ
Casal se mobiliza por melhorias na Ilha do Mel
CRISE MIGRATÓRIA
Ataques a mulheres em Colônia aumentam pressão contra refugiados
ENSINO SUPERIOR
Vestibular da UFPR teve predominância paranaense e avanço do sistema de cotas
TECNOLOGIA
Ajuste fiscal deve reduzir investimento de empresas em inovação
MERCADO
Café em cápsulas cria mercado bilionário
SMARTPHONES
Marca de celulares Motorola vai deixar de existir
VAREJO
Walmart demite 252 funcionários na região de Curitiba e Londrina
EX-MINISTRO
Joaquim Levy será diretor financeiro do Banco Mundial


Folha de S. Paulo

Manchete: Inflação em 2015, de 10,67%, é a mais elevada desde 2002
Preços controlados e alimentos pressionam índice; tendência para 2016 é de novo estouro da meta
Pressionada pelos itens administrados pelo governo, como energia elétrica e gasolina, e pelos preços dos alimentos, a inflação fechou 2015 em 10,67%, bem acima do teto da meta fixada pelo governo, de 6,5%no ano. O IPCA, índice oficial do país, não era tão alto desde 2002, ano final do governo Fernando Henrique (PSDB), quando atingiu 12,53%. Os preços controlados por governos subiram 18%. São itens como energia (51%),gasolina (20%) e ônibus (15%), que haviam sido represados em 2014, ano de eleição. Alimentos e bebidas também tiveram forte reajuste (12%). O presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, publicou carta com explicações sobre o não cumprimento da meta. Para analistas, a inflação deve continuar a subir em 2016, com intensidade menor, mas com novo estouro do teto. (Mercado Pág. A11)

Análise
Inflação fora de controle foi gestada em 2010, ano da 1ª eleição de Dilma, escreve Gustavo Patu. (Pág A13)

‘Tarifaços’ estaduais pressionam controle de preços neste ano
A inflação será pressionada neste ano por aumentos em série de impostos estaduais —governos tentam reverter a queda da arrecadação. Reajustes atingiram setores como combustíveis e energia elétrica. (Mercado Pág. A14)

ANP quer elevar royalties a fim de beneficiar Estados
A ANP (agência de petróleo) quer mudar o cálculo dos royalties (compensações financeiras) pagos por petroleiras, e destinados a Estados e municípios. A medida pode custar R$ 1 bilhão por ano à Petrobras. (Mercado Pág. A18)

Citações a Wagner põem fim a período de calmaria

Planalto e oposição avaliam que a série de citações ao ministro Jaques Wagner (Casa Civil),no âmbito da Lava Jato, finda um período de calmaria e põe o Executivo de novo como protagonista do escândalo de corrupção na Petrobras. Há consenso de que a agenda positiva planejada para antes da volta do debate sobre o impeachment será prejudicada. (Poder Pág. A4)

Mônica Bergamo
Cinemas na Paulista dizem ter perdido público com a interdição da via (Pág. C2)

Editoriais
Leia “Colapso industrial”, sobre queda da produção manufatureira, e “É de chorar”, acerca de medidas para restringir o comércio de armas nos EUA. (Opinião Pág. A2)

Ato contra alta de tarifa termina em depredação em SP
Acabou em vandalismo e correria o primeiro grande protesto do ano contra a alta das tarifas de transporte em São Paulo, que passa a valer hoje (9).O ato convocado pelo MPL( Movimento Passe Livre) começou de forma pacífica, mas mascarados entraram em confronto com a PM e destruíram ônibus e agências bancárias. (Cotidiano b3)

Auditores sugerem motivação política em cortes de verba
Depois de delegados da Polícia Federal, auditores da Receita passaram a criticar cortes de verbas —o órgão perdeu R$ 680 milhões em 2016. Em nota, sindicato da categoria insinua motivação política em razão de investigações sobre políticos e familiares do ex- presidente Lula. A Receita não quis comentar as críticas. (Poder Pág. A5)


Edição: Equipe Fenatracoop, Sábado, 09 de Janeiro de 2016

Compartilhe nossa Matéria