Manchete dos Jornais neste sábado, 17 de setembro de 2016
Postado por: Equipe Portal Cambé Em 17th setembro 2016

RÉU CONFESSO – A vida dura dos políticos ladrões
O ex-presidente Lula causou polêmica ao dizer que um político, “por mais ladrão que seja”, tem que encarar o povo na rua, enquanto um servidor concursado tem “emprego garantido para o resto da vida”. O presidente de uma das maiores associações de apoio a concursos considerou a declaração absurda…

QUEM TEM CORAGEM? – SE ATÉ A SIGLA “PT” ESTÃO OCULTANDO NA CAMPANHA!Candidatos petistas serão orientados a defender Lula na TV
O PT vai orientar seus candidatos a prefeito a lerem uma nota em defesa do ex-presidente Lula, denunciado na Lava Jato nesta semana, no rádio e na TV. O partido fará um texto base, mas os políticos poderão criar sua própria mensagem. O presidente da sigla, Rui Falcão, diz que a veiculação não é obrigatória e que não haverá constrangimento…


O Globo

Manchete: Receita vai rastrear brasileiro que declara ter mudado do país
Cresce número de contribuintes que entregam declaração definitiva de saída
Fisco buscará indícios de mudança fictícia para evitar tributação após tratado internacional
O número de pessoas que desistiram de ter domicílio fiscal no Brasil cresceu 67% nos últimos dois anos. Esse aumento coincide com a entrada em vigor da Lei de Repatriação, encaminhada em 2015 e aprovada este ano. A lei permite que brasileiros tragam recursos do exterior pagando menos impostos, já que um tratado internacional assinado pelo Brasil e mais de cem países prevê um aperto na fiscalização a partir de 2017. Técnicos da Receita veem indícios de que parte dos contribuintes está vendendo seu patrimônio e saindo do país de forma fictícia, apenas para não pagar imposto, e vai monitorar essas operações. (Pág. 21)

Acusações a Lula são anexadas à denúncia
Delatores ouvidos pela Lava-Jato relataram envolvimento de ex-presidente, que aponta falta de provas
O Ministério Público anexou à denúncia contra o ex-presidente Lula depoimentos de delatores que acusam o petista de ter atuado no loteamento de cargos na Petrobras, destinado a levantar verbas para o PT e partidos aliados. Os procuradores sustentam que Lula é o “comandante máximo” do esquema. O ex-presidente diz que não há provas e que a Lava-Jato atua politicamente. No depoimento, o ex-senador Delcídio Amaral afirmou que Lula acomodou o PMDB na estatal para escapar do impeachment no mensalão. O ex-deputado Pedro Corrêa disse que o petista interferiu na nomeação de Paulo Roberto Costa na diretoria da estatal, que, segundo ele, atendeu “aos interesses do PP na arrecadação de propina”. (Pág. 3 e Merval Pereira)

A vida dura dos políticos ladrões
O ex-presidente Lula causou polêmica ao dizer que um político, “por mais ladrão que seja”, tem que encarar o povo na rua, enquanto um servidor concursado tem “emprego garantido para o resto da vida”. O presidente de uma das maiores associações de apoio a concursos considerou a declaração absurda. (Pág. 4)

Crivella: suspeita de gráfica fantasma
A gráfica identificada no material de campanha do candidato do PRB a prefeito, Marcelo Crivella, não existe no endereço declarado, revelam BRUNO GÓES E GUSTAVO SCHMITT. Crivella alega que o material foi feito por uma subcontratada, mas, para o TRE, o CNPJ de terceirizados deve constar do material. (Pág. 8)

Referendo sofre novo adiamento
Autoridades eleitorais adiaram outra vez o anúncio da próxima fase do referendo sobre o mandato do presidente Maduro. A oposição foi às ruas. (Pág. 26)

Laboratórios em colapso no Rio
A falta de recursos no Estado do Rio paralisa pesquisas essenciais para doenças como câncer, tuberculose, asma e Alzheimer, relata ANA LUCIA AZEVEDO. (Pág. 29)

Oito denunciados por terrorismo (Pág. 12)


O Estado de S. Paulo

Manchete: Petrobrás quer cortar hora extra, jornada e salário
‘Reforma trabalhista’ proposta pela estatal aos funcionários também prevê congelamento de benefícios; sindicatos prometem ‘resposta dura’ contra pacote
A Petrobrás apresentou aos funcionários proposta de “reforma trabalhista” própria. O plano inclui diminuição da jornada de trabalho com corte de salários e redução à metade do valor das horas extras. A estatal também quer congelar benefícios, reajustando apenas as gratificações, mas em patamar abaixo da inflação. Sindicatos prometem uma “resposta dura” contra o pacote. No último ano, a estatal já havia tentado reduzir as jornadas de trabalho e benefícios, sem sucesso. Desta vez, o plano é oferecer opção aos servidores administrativos para reduzir de oito para seis horas a jornada, com corte de 25% nos salários – eles poderiam aderir ou não ao regime. A proposta salarial apresentada ontem ainda prevê congelamento da remuneração básica e reajuste de 4,97% na tabela de gratificações. Esse aumento seria concedido apenas a funcionários que ganham até R$ 9 mil. Os demais receberiam aumento fixo de R$ 447. Os sindicatos pedem reajustes salariais entre 13,4% e 19%. (Econommia/Págs. B1 e B3)

Brasil perde 1,5 mi de vagas formais
O emprego com carteira assinada perdeu 1,5 milhão de vagas no Brasil em 2015, no primeiro dado negativo registrado pela Relação Anual de Informações Sociais em 24 anos. Houve queda de 3,05% no estoque de trabalhadores formais na comparação com o ano anterior. (Pág. B5)

PT quer candidato defendendo Lula
O PT determinou que candidatos a prefeito do partido usem seus espaços no horário eleitoral gratuito para defender o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. (Política/Pág. A4)

Nas ruas, a duas semanas das eleições
Café no Largo 13 de Maio
Celso Russomanno (PRB) fez caminhada e tomou café em padaria na zona sul. (Pág. A6)

Corpo a corpo em Paraisópolis
Enquanto Marta Suplicy (PMDB) fazia campanha, filho Supla a provocava na web. (Pág. A6)

Beija-mão em Pinheiros
João Doria (PSDB) busca votos enquanto espera apoio de caciques tucanos. (Pág. A7)

Futebol na região central
Fernando Haddad (PT) visita a Comunidade Esportiva Novo Glicério, no centro. (Pág. A6)

Oposição volta às ruas na Venezuela (Internacional/A12)

Adriana Fernandes
Temer muda tom e veta na íntegra o aumento de 67% dos defensores públicos federais. (Economia/Pág. B4)

Notas & Informações
Uma briga necessária
Sem uma base comprometida com a recuperação fiscal, os esforços do Executivo serão ineficazes. (Pág. A3)

Acerto que se impõe
A dívida dos Estados precisa de alguma solução que vá além do alívio temporário. (Pág. A3)


Folha de S. Paulo

Manchete: Brasil perdeu 1,5 mi de vagas de trabalho no ano passado
Queda é a mais profunda desde 1985; jovens representam 76% dos cortes
O Brasil perdeu 1,5 milhão de vagas de trabalho formais em 2015, a pior queda de toda a série histórica, iniciada em 1985. O recuo foi de 3,05% em relação ao ano anterior. Esse é o primeiro resultado negativo desde 1992, quando foram fechadas 738 mil vagas formais, segundo dados entregues pelas empresas ao Ministério do Trabalho, divulgados nesta sexta (16). No total, o Brasil encerrou 2015 com 48,06 milhões de empregos com carteira assinada. No ano anterior, o país registrou o maior índice da série, 49,57 milhões. A retração dos índices de confiança e a queda nas receitas fez muitas empresas fecharem postos formais.

Os trabalhadores entre 18 e 24 anos representam 1,1 milhão dos cortes —cerca de três quartos do total. Os jovens sofrem mais porque são a parcela menos qualificada, experiente e produtiva, além do custo de demissão menor. Houve alta de 1,4% dos postos na faixa dos 50 aos 64 anos e de 8,6% na faixa daqueles com mais de 65 anos. Os dados podem sinalizar a retomada de confiança de alguns setores, que recontratam os mais qualificados, ou o retomo à atividade profissional de pessoas que já haviam deixado de trabalhar. Os rendimentos médios reais caíram 2,56% entre 2014 e 2015, de R$ 2.725,28 para R$ 2.655,60. (Mercado A19)

Candidatos petistas serão orientados a defender Lula na TV
O PT vai orientar seus candidatos a prefeito a lerem uma nota em defesa do ex-presidente Lula, denunciado na Lava Jato nesta semana, no rádio e na TV. O partido fará um texto base, mas os políticos poderão criar sua própria mensagem. O presidente da sigla, Rui Falcão, diz que a veiculação não é obrigatória e que não haverá constrangimento. (Poder A4)

Demétio Magnoli
Lava Jato não pode isentar expansão do compadriolulista
A Lava Jato parece hipnotizada pela conexão óbvia entre presentes oferecidos aos Lula da Silva e a “advocacia administrativa” do petista à OAS e à Odebrecht. Eventuais provas levariam Lula a condenações menores. Mas soterrariam a incrível história da expansão do capitalismo brasileiro de compadrio na América Latina e África. (Poder A10)

Oito suspeitos de planejar atentado nos Jogos do Rio são denunciados (Esportes B13)

Editoriais
Leia “Propostas enfermas”, sobre promessas de candidatos a prefeito de São Paulo para a saúde, e “Dura lição”, acerca da ineficiência na educação. (Opinião A2)


Edição: Equipe Fenatracoop, Sábado, 17 de Setembro de 2016

Compartilhe nossa Matéria