Manchete dos Jornais neste sábado, 18 de junho de 2016
Postado por: Equipe Portal Cambé Em 18th junho 2016

A 49 dias da Olimpíada, Rio decreta calamidade pública
Medida abre brecha para socorro federal, que avalizou medida, de R$ 2,9 bi
A 49 dias dos Jogos Olímpicos, o governador interino do Rio, Francisco Dornelles (PP), decretou estado de calamidade pública em razão da grave crise econômica. Avalizada pelo presidente interino, Michel Temer (PMDB), a medida permite que o Estado receba verbas para concluir obras ligadas à Olimpíada e adote medidas excepcionais, como corte de serviços públicos essenciais. O decreto contorna proibição de contrair empréstimos aplicada ao Rio em maio. O socorro federal de quase R$2,9 bilhões deve ser destinado ao metrô e à segurança. Parte dos especialistas ouvidos pela Folha afirmou que essa medida só pode ser adotado em desastres naturais. A crise das finanças do Rio gera atraso de salários de servidores e fechamento de emergências em hospitais. O Comitê Organizador da Rio-2016 disse que a medida não afeta os Jogos…


O Globo

Manchete: Janot pede investigação sobre mais um ministro de Temer
Mendonça Filho, da Educação, é acusado de receber propina de empreiteira
Presidente interino faz reunião com Geddel e Padilha e determina que integrantes do primeiro escalão se demitam caso tenham qualquer envolvimento com a Lava-Jato, para evitar novos constrangimentos ao governo
Depois das demissões de Romero Jucá e Henrique Alves, mais um ministro de Temer está sob investigação da Lava- Jato: Mendonça Filho (DEMPE), da Educação. O procurador- geral da República, Rodrigo Janot, pediu autorização ao STF para apurar se Mendonça recebeu propina de R$ 100 mil da empreiteira UTC, em 2014. O presidente interino, Michel Temer, determinou que todo ministro que tiver envolvimento com irregularidades deve pedir demissão do governo. (Pág. 3)

ZUENIR VENTURA
Cunha se desconcerta porque só conjugava verbo trair na voz ativa. (Pág. 17)

JORGE BASTOS MORENO
Henrique Alves chorou com Cunha antes de pedir demissão. (Pág. 3)

Delator faz acusações a Aldo Rebelo
Em delação, o ex-deputado Pedro Corrêa detalhou a corrupção no Minha Casa Minha Vida e disse que o ex-ministro Aldo Rebelo (PCdoB), que nomeou um diretor, sabia da arrecadação de propina. (Pág. 4)

Cunha discute renúncia à presidência
Após o Conselho de Ética aprovar sua cassação, o deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) se reunirá com aliados segunda- feira para discutir uma saída para tentar preservar o mandato, que poderá ser a renúncia dele à presidência da Câmara. (Pág. 6)

PT ameaçava empresas, afirma procurador
Em documento enviado ao STF, o procurador Rodrigo Janot afirma que o PT tinha o hábito de ameaçar empresas com contratos com o governo para obter doações ao partido. Ele citou o ex-ministro Edinho Silva. (Pág. 4)

Rio decreta calamidade, e União libera R$ 2,9 bi
Medida permite repasse de recursos para o estado concluir a Linha 4 do metrô e pagar salários atrasados. Dornelles alega que situação financeira poderia comprometer

Olimpíada e levar a colapso de serviços
Depois de o governo estadual decretar estado de calamidade pública, alegando que a crise financeira ameaça compromissos olímpicos e poderia levar ao colapso de serviços essenciais, a União vai liberar R$ 2,9 bilhões para o Rio. O dinheiro será usado para concluir a Linha 4 do metrô e pagar salários atrasados e horas extras de policiais. Para especialistas, a medida, pouco comum, é corajosa e necessária para que o estado, hoje inadimplente, possa equilibrar as finanças e pegar empréstimos com bancos federais, sem ferir a lei. O governador em exercício, Francisco Dornelles, disse que tomará “medidas duras”. Para a Firjan será necessário um amplo ajuste. (Pág. 10)

Merval Pereira
O estrago está consumado. Não há como evitar o desgaste da imagem do país. (Pág. 4)

Ancelmo Gois
Dornelles quer repassar para a prefeitura do Rio o Municipal e o Maracanã. (Pág. 12)

Crise em Angola afeta Brasil
Empresas brasileiras que operam em Angola relatam dificuldade para remeter dólares ao Brasil, revela JOÃO SORIMA NETO. (Pág. 19)

Romário diz que será candidato
O senador Romário disse ao presidente de seu partido, o PSB, que será candidato à prefeitura do Rio, como informou o blog de LAURO JARDIM. Ele vai formalizar a decisão segunda-feira. (Pág. 7)


O Estado de S. Paulo

Manchete: Após acordo com Temer, Estado do Rio decreta calamidade
A 49 dias da Olimpíada, medida reduz exigências para liberação de verbas
Em grave crise, o Rio de Janeiro decretou estado de calamidade pública a 49 dias do início da Olimpíada. A medida inédita permite socorro financeiro da União sem necessidade de cumprir exigências e foi acertada em jantar anteontem entre o presidente em exercício, Michel Temer, o governador interino do Rio, Francisco Dornelles(PP), o ministro da Fazenda,Henrique Meirelles, e a secretária do Tesouro Nacional, Ana Paula Vescovi. Com dificuldades para cumprir obrigações assumidas para os eventos esportivos, o Estado pleiteia emergencialmente pelo menos R$ 3 bilhões. A União estuda a edição de medidas provisórias para acelerar a liberação de recursos. Segundo Dornelles, a decisão abre caminho a “medidas duras na área financeira”. Ele negou, porém, que o Rio dará calote. Segundo especialistas, a medida desobriga o Estado de cumprir a Lei de Responsabilidade Fiscal e executar gastos obrigatórios em serviços essenciais. Também libera contratos sem licitação. (Economia/Págs. B1, B3 e B4)

Governo volta a atrasar salários
O governo do Rio atrasou novamente neste mês o pagamento de salário de servidores ativos, inativos e pensionistas. Sem dinheiro em caixa, quitou só 70% da folha de pagamento. (Pág. B4)

Dornelles ganhou R$ 9 mi para abafar CPI, diz delator
O ex-deputado Pedro Corrêa (PP-PE) afirmou em delação premiada que o governador interino do Rio, Francisco Dornelles, recebeu R$ 9 milhões para abafar a CPI da Petrobrás, aberta em 2009 pelo Senado. Corrêa contou que o dinheiro foi entregue pela Queiroz Galvão e disse ter confirmado o pagamento com Renato Duque, ex-diretor da estatal, quando estava preso no Paraná. Em nota, Dornelles afirmou que “não comenta declarações absurdas e ridículas”. (Política/Pág. A4)

Corrêa cita Aécio
Pedro Corrêa disse em delação que Aécio Neves (PSDB-MG) foi um dos responsáveis por indicar diretor da Petrobrás no governo FHC. (Pág. A5)

Suíça manda dados de conta de ex-ministro para Lava Jato
A Suíça enviou ao Brasil documentos e extratos bancários envolvendo o ex-ministro do Turismo Henrique Eduardo Alves. Ele deixou o cargo anteontem, após ser informado de que os dados sobre sua conta no país já eram de conhecimento da Lava Jato. Na Europa, fontes dizem que depósitos na conta variavam de US$ 700 mil a US$ 1 milhão. Há suspeita de propina. O dinheiro está bloqueado e o nome do banco não foi revelado. Alves refutou “qualquer ilação” sobre conta no exterior em seu nome. (Política/Pág. A7)

Mendonça Filho na mira de Janot
O procurador-geral Rodrigo Janot disse ao STF haver indícios de que o ministro da Educação, Mendonça Filho (DEM-PE), recebeu propina em 2014. (Pág. A6)

Colunistas

João Domingos
História mostra que proposta de plebiscito de Dilma não tem possibilidade de êxito. (Política/Pág. A5)

Adriana Fernandes
Maior ousadia do teto para despesas é desvincular gastos com saúde e educação. (Economia/Pág. B5)

Notas & Informações
Dure o tempo que durar
Lava Jato deve ir até que todos os que exploraram a democracia para se locupletar paguem. (PÁG. A3)

Novo regime fiscal
Persiste risco de que, por interesses eleitorais, PEC seja modificada a tal ponto que perderá eficácia. (PÁG. A3)


Folha de S. Paulo

Manchete: A 49 dias da Olimpíada, Rio decreta calamidade pública
Medida abre brecha para socorro federal, que avalizou medida, de R$ 2,9 bi
A 49 dias dos Jogos Olímpicos, o governador interino do Rio, Francisco Dornelles (PP), decretou estado de calamidade pública em razão da grave crise econômica. Avalizada pelo presidente interino, Michel Temer (PMDB), a medida permite que o Estado receba verbas para concluir obras ligadas à Olimpíada e adote medidas excepcionais, como corte de serviços públicos essenciais. O decreto contorna proibição de contrair empréstimos aplicada ao Rio em maio. O socorro federal de quase R$2,9 bilhões deve ser destinado ao metrô e à segurança. Parte dos especialistas ouvidos pela Folha afirmou que essa medida só pode ser adotado em desastres naturais. A crise das finanças do Rio gera atraso de salários de servidores e fechamento de emergências em hospitais. O Comitê Organizador da Rio-2016 disse que a medida não afeta os Jogos. (Mercado a18)

Conta na Suíça derrubou 3º ministro de Michel Temer
O ex-ministro do Turismo Henrique Eduardo Alves entregou o cargo na quinta (16) depois de ter recebido informações de que a Lava Jato havia achado conta bancária em seu nome na Suíça. Investigadores suspeitam que a conta era usada para receber propina no exterior. Alves foi aconselhado por aliados a pedir demissão, dado o risco de que a divulgação do caso constrangesse o presidente interino Michel Temer. (Poder a4)

Um ano no cárcere
Antes“arrogante”, Marcelo Odebrecht, cuja prisão faz um ano neste domingo (19), virou“gente boa” na definição de policiais federais. A mudança de comportamento do ex-presidente da Odebrecht, que inclui contar piadas, ocorreu após a empreiteira fechar acordo de delação na Lava Jato. (Poder a8)

Cunha é multado em R$ 100 mil por inconsistência no Imposto de Renda (Poder a6)

SUS deixa de tratar 40% dos cânceres no prazo legal
Quatro em cada dez pessoas com câncer que têm seus diagnósticos registrados em sistema do governo federal esperam mais do que 60 dias para começar o tratamento da doença. Lei sancionada em 2012 prevê o atendimento no prazo, mas é descumprida. Especialistas dizem que demora pode agravar situação do paciente. (Cotidiano b1)

Pagar precatório com depósitos provoca polêmica
Proposta aprovada no Senado deve facilitar o pagamento de R$ 103 bilhões em precatórios (ações perdidas pelo ente público). O texto, porém, tem pontos polêmicos, ao permitir o uso por governos de depósitos judiciais relativos a processos particulares. (Mercado a22)

Editorial
Leia, “Sombras sobre o Rio”, sobre exclusão da Rússia das provas olímpicas de atletismo. (Opinião a2)


Edição: Equipe Fenatracoop, Sábado, 18 de Junho de 2016

Compartilhe nossa Matéria