Manchete dos Jornais neste sábado, 28 de janeiro de 2017

95

Os presídios não fazem parte da agenda política
Os partidos políticos estão se lixando para as penitenciárias. Nos 13 anos de PT, o número de presos foi multiplicado por 2,6. O PSDB governa SP desde 1995: mais de 220 mil presos e vigência plena do regime de isolamento. Não há políticas públicas para um encarceramento menos caótico e brutal….

Do caos para contêineres
A PM retomou o controle do presídio de Alcaçuz, em Natal, onde pelo menos 28 presos foram mortos. Os detentos ficarão provisoriamente em contêineres…

——————————————————————————————–

O Globo

Manchete : Foragido, Eike tenta negociar condições para se entregar
Advogado vai à PF, mas MP nega acordo
Acusado de pagar propina ao ex-governador Sérgio Cabral, empresário estaria em Nova York
Foragido desde quinta-feira, após a decretação de sua prisão num desdobramento da Lava-Jato, o empresário Eike Batista tenta negociar, por meio de seus advogados, condições para se entregar à PF. O Ministério Público nega acordo. Acusado de pagar propina de US$ 16,5 milhões ao ex-governador Sérgio Cabral, Eike não tem curso superior e pode acabar preso em cela comum, o que ele tenta evitar. (Pág. 3)

Sem saída, Cabral cogita delatar
Preso há mais de dois meses e com diversas provas contra ele, o ex-governador Cabral já cogita tentar negociar delação, mas MP pode resistir. (Pág.4)

Supremo conclui depoimentos da Odebrecht (Pág. 6)

Até republicanos reagem a ameaças comerciais de Trump ao México (Pág. 24)

Pente-fino para elevar receitas da Previdência
EXCLUSIVO
O governo prepara uma revisão de isenções e reduções de impostos que afetam a arrecadação do INSS, informa Cristiane Jungblut. Em 2016, as renúncias somaram R$ 43 bilhões, quase o mesmo que o rombo da Previdência urbana. (Pág.19)

Rio recorre ao STF por socorro
O governo do Rio tenta no STF permissão para que a ajuda financeira da União ocorra antes do aval do Legislativo. Equipe do Ministério da Fazenda vai acompanhar o cumprimento de metas do acordo. (Pág. 8)

Fundações e autarquias têm 2.845 comissionados (Pág. 9)

Miriam Leitão
Rio vai pegar empréstimo até com banco chinês. (Pág.20)

Ancelmo Gois
Chinesa compra a Concremat
Maior empresa de engenharia do Rio, a Concremat vendeu 80% de suas ações à chinesa CCCC. O negócio mostra que estrangeiros aproveitam a crise para entrar no setor de construção no país. (Pág.12)

Do caos para contêineres
A PM retomou o controle do presídio de Alcaçuz, em Natal, onde pelo menos 28 presos foram mortos. Os detentos ficarão provisoriamente em contêineres. (Pág.7)


O Estado de S. Paulo

Manchete : Odebrecht conclui delação e STF prepara homologação
Expectativa é de que última etapa antes do início das investigações seja encerrada entre segunda e terça-feira
A expectativa no Supremo Tribunal Federal (STF) e no Planalto é de que as delações da Odebrecht sejam homologadas pela presidente da Corte, ministra Cármen Lúcia, entre segunda e terça-feira. Ontem, os juízes auxiliares do ministro Teori Zavascki, morto no dia 19, encerraram as audiências com os 77 delatores da empreiteira.

Esse é o último passo antes da homologação dos acordos firmados por executivos e ex-executivos com o Ministério Público Federal. Cármen Lúcia exerce o papel de plantonista no recesso do Judiciário, que termina na quarta-feira. Nessa condição, responde pelas medidas urgentes e pode decidir sozinha. Essa legitimidade foi reforçada pelo pedido de urgência protocolado pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot. Após essa etapa, o MPF pode usar as delações para iniciar investigações formais contra autoridades e políticos com foro. (Política / Pág. A4)

‘Ninguém deseja ser relator’
O ministro do STF Gilmar Mendes disse que “é lenda urbana” a versão de que teria pedido à presidente da Corte, Cármen Lúcia, para assumir a relatoria da Lava Jato. “Não sei de onde vocês tiraram isso”, afirmou. (Página A4)

MPF recupera 10% da propina paga por Eike a Cabral
A suposta propina paga pelo empresário Eike Batista ao ex-governador Sérgio Cabral (PMDB-RJ) praticamente “evaporou”, segundo o procurador da República Sérgio Pinel. Dos US$ 16,5 milhões repassados em ações da Vale, da Petrobrás e da Ambev, foi recuperado apenas US$ 1,6 milhão. (Política / Pág. A6)

Trump barra entrada nos EUA de sírios e de refugiados
Decreto do presidente Donald Trump proíbe a concessão de vistos para sírios e barra a entrada de refugiados de qualquer procedência por quatro meses. A imigração de países envolvidos com terrorismo fica suspensa por 90 dias. Trump disse que objetivo é impedir a entrada de “terroristas estrangeiros”. (Internacional / Pág. A10)

Arrecadação federal é a menor desde 2010 (Economia / Pág. B6)

Após 14 dias, controle de Alcaçuz é retomado (Metrópole / Pág. A19)

Bancos tomam de volta R$ 10 bi em imóveis por inadimplência
O total de imóveis retomados por bancos por inadimplência no financiamento disparou com a crise. Segundo dados levantados pelo Banco Central, o valor do estoque em posse de instituições financeiras cresceu de R$ 6,5 bilhões em novembro de 2015 para R$ 9,8 bilhões no mesmo mês de 2016, alta de 49%. Só no Estado de São Paulo, pelo menos 14.184 imóveis foram tirados de mutuários no ano passado – em 2015, haviam sido 4.083. (Economia / Pág. B8)

Conta de luz embute 20% de subsídios
A cada R$ 100 pagos na conta de luz, R$ 20 são para cobrir subsídios no setor elétrico. Em 2016, consumidores recolheram R$ 18,29 bilhões para sustentar políticas sociais do governo. Página B1)

NOTAS & INFORMAÇOES
Campeão da roubalheira
Só o BNDES contribuiu com US$ 6 bilhões para os planos mirabolantes de Eike Batista. (Página A3)

O PIB americano e Trump
EUA podem ser jogados na aventura de um líder populista sem noção aparente de limites. (Página A3)
————————————————————————————

Folha de S. Paulo

Manchete : Odebrecht vai pagar multas milionárias de delatores
Executivos pressionam empresa a fim de desbloquear bens; cifra supera R$ 500 mi
A Odebrecht se comprometeu a pagar as multas aplicadas pela Operação Lava Jato aos 77 executivos e acionistas do grupo que aderiram à delação premiada.

O valor passa de R$ 500 milhões, apurou a Folha.
A multa foi calculada a partir dos salários e bônus que eles receberam da Odebrecht nos últimos dez anos, muitas vezes após a empreiteira garantir contratos de obras públicas a partir do pagamento de propina.
Os delatores pressionam pela quitação das multas, pois só assim terão seus bens e contas desbloqueados. Mas a empresa só vai efetivar o pagamento após a homologação dos acordos.
A morte do ministro do Supremo Teori Zavascki, em acidente aéreo no dia 19, lançou dúvidas sobre o calendário da homologação.
A presidente do STF, Cármen Lúcia, ainda não decidiu como será feita a substituição de Teori na relatoria da Lava Jato na corte.
A Odebrecht declarou que não se manifesta sobre o tema. A empresa reafirmou seu compromisso de colaborar com a Justiça e disse que está implantando as melhores práticas éticas. (Poder A4)

Marqueteiro diz que Dilma o alertou de que seria preso
Em tentativa de destravar acordo de delação com a Lava Jato, o marqueteiro João Santana, que atuou nas campanhas de Dilma Rousseff em 2010 e 2014, disse que recebeu recado da então presidente, em fevereiro de 2016, de que ele seria preso.
A Folha apurou que até agora os fatos relatados por Santana não interessaram aos procuradores. (Poder A5)

Eike quer negociar sua segurança para poder se entregar
Com prisão decretada pela Justiça Federal do Rio, Eike Batista está disposto a se entregar desde que não tenha que ir para uma prisão comum, onde considera que sua vida estaria em risco.
Sem curso superior, o empresário, suspeito de pagar propina de US$ 16,5 milhões ao ex-governador Sérgio Cabral, não tem direito a uma ala mais segura. (Poder A6)

Citação na Lava Jato é invenção, afirma favorito ao Senado
Favorito para assumir a chefia do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE) diz que a Lava Jato criou prerrogativa de culpa sobre políticos antes que se prove o conteúdo das delações. Ele afirmou à Folha que delatores “criam, inventam e mentem”.
Citado por ex-executivo da Odebrecht, que o acusa de ter recebido propina, nega: “Sei o que não fiz”. (Poder A8)

Luis Francisco Carvalho Filho
Os presídios não fazem parte da agenda política
Os partidos políticos estão se lixando para as penitenciárias. Nos 13 anos de PT, o número de presos foi multiplicado por 2,6. O PSDB governa SP desde 1995: mais de 220 mil presos e vigência plena do regime de isolamento. Não há políticas públicas para um encarceramento menos caótico e brutal. (Cotidiano B2)

Polícia recupera o controle da penitenciária de alcaçuz, no RN. (Cotidiano B3)

Trump veta entrada de cidadãos de sete países islâmicos
Decreto assinado pelo presidente Donald Trump suspende a admissão de refugiados e barra a entrada nos EUA de cidadãos de sete países de maioria muçulmana. Os afetados são Iêmen, Irã, Iraque, Líbia, Síria, Somália e Sudão. (Mundo A9)

Editoriais
“Ilusões desfeitas”, sobre mandado de prisão do empresário Eike Batista, e “Prisões retomadas”, a respeito da crise penitenciária brasileira. (Opinião A2)
————————————————————————————




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *