O Globo

Manchete: Sem verba, intervenção suspende 63 ações no Rio
Burocracia trava liberação de R$ 1,2 bilhão em Brasília
Nomeação de parte da equipe do interventor, general Braga Netto, ainda não foi publicada no Diário Oficial

A intervenção federal na Segurança do Rio ainda não recebeu a verba de R$ 1,2 bilhão prometida pelo presidente Michel Temer há duas semanas. O problema, segundo o interventor, general Walter Braga Netto, é burocrático: parte de sua equipe não teve a nomeação publicada no Diário Oficial. Sem o dinheiro, 63 operações tiveram que ser suspensas. A questão foi discutida ontem em reunião no Ministério da Defesa com 20 deputados da bancada fluminense, que cobraram plano de trabalho e informações sobre o uso da verba. Em nota, a Casa Civil disse que os cargos pretendidos pela intervenção estão sendo criados pelo Planejamento, e terão que ser aprovados pelo Congresso. (PÁGINA 21)

Nomeação de Moreira Franco dificulta venda da Eletrobras
Maia diz que governo escolheu nome sem ‘boa articulação’ no Congresso
Principal projeto do governo federal para arrecadar ao menos R$ 12 bilhões neste ano, a privatização da Eletrobras deve ter o andamento prejudicado na Câmara dos Deputados com a ida de Moreira Franco para o Ministério de Minas e Energia. O presidente da Casa, Rodrigo Maia, disse que o governo escolheu uma pessoa que “não tem boa articulação” no Congresso. O mercado reagiu mal às mudanças na equipe técnica da pasta. Moreira disse que espera a contribuição de Maia para aprovar o projeto, que tramita há quase um mês na comissão especial. (PÁGINA 23)

Polícia acha digitais em balas do caso Marielle
Investigadores conseguiram colher digitais em cápsulas encontradas na cena do assassinato da vereadora Marielle Franco. Elas podem ser confrontadas com as digitais de um eventual suspeito, mas, por estarem fragmentadas, dificultam a pesquisa no banco de dados das polícias. (PÁGINA 17)

Rediscussão de prisão em segunda instância é adiada
O ministro Marco Aurélio Mello frustrou a defesa do ex-presidente Lula sobre a possibilidade de que o STF retomasse hoje o debate sobre prisão em segunda instância, adiado por no mínimo uma semana, a pedido do autor da ação. (PÁGINA 3)

Elio Gaspari
Temer recebeu sugestão de sábio para antecipar eleições. (PÁGINA 14)

STF decide na terça-feira se Aécio vira réu por propina (PÁGINA 6)

Supremo manda Cabral de volta para prisão do Rio
Por 3 votos a 1, a Segunda Turma do STF determinou a volta de Sérgio Cabral para um presídio do Rio. Em janeiro, ele havia sido transferido para Curitiba. (PÁGINA 4)

Tentativa de resgate de presos deixa 21 mortos no Pará
Menos de 24 horas após o registro de 14 homicídios em Belém, 21 pessoas morreram numa tentativa de resgate de presos em penitenciária da capital paraense. (PÁGINA 12)

Bancos facilitam quitação de dívida do cheque especial
Os bancos prometem oferecer uma linha de crédito mais barata para parcelar o débito de correntistas que usarem 15% ou mais do limite do cheque especial por 30 dias seguidos. Em dezembro, 3,7 milhões de pessoas estavam nessa situação. (PÁGINA 24)

Trump desiste de ir à Cúpula das Américas
Em mais um sinal da relação tensa que mantém com os países latino-americanos, o presidente Donald Trump cancelou sua ida à Cúpula das Américas, que começa na sexta, em Lima. Seu vice, Mike Pence, fará uma visita ao Brasil em maio. (PÁGINA 27)

————————————————————————————

O Estado de S. Paulo

Manchete: Moro diz que STF impediu ‘um grande retrocesso’
Supremo ‘merece elogios’ por ter negado habeas corpus a Lula, afirma juiz; Corte adia análise da 2ª instância
Responsável pelos processos da Lava Jato em Curitiba, o juiz Sérgio Moro afirmou no Fórum da Liberdade, em Porto Alegre, que jurisprudência “não se muda ao sabor do acaso”. A declaração foi feita depois de o juiz elogiar o voto da ministra do Supremo Tribunal Federal Rosa Weber contrário ao habeas corpus do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Moro afirmou que a Corte “merece todos os elogios”, por ter impedido um “grande retrocesso”. “A ministra fez um voto muito eloquente, especialmente para quem é da área. ‘Olha, você não pode variar os seus critérios de interpretação da lei, de julgamento, segundo muda o acusado ou sem que haja uma razão relevante para a mudança de jurisprudência’. Isso é segurança jurídica, isso é estado de direito”, disse. O ministro do STF Marco Aurélio Mello atendeu a pedido do PEN e suspendeu por cinco dias a tramitação da ação que quer barrar a prisão após condenação em segunda instância. (POLÍTICA / PÁG. A8)

Amigo recolhia propina de Temer, diz MP
O Ministério Público Federal afirmou, em aditamento de denúncia, que o advogado e ex-assessor do Palácio do Planalto José Yunes e o coronel da reserva da PM João Baptista de Lima Filho auxiliavam integrantes do MDB na arrecadação de propina, em especial para o presidente Michel Temer. (PÁG. A6)

Juíza veta visitas a Lula em Curitiba
Senadores e governadores não tiveram acesso ao ex-presidente. Segundo magistrada, ‘não há fundamento para a flexibilização do regime geral de visitas’. (PÁG. A9)

Lava Jato pede para investigar Alckmin em SP
Força-tarefa da Lava Jato em São Paulo pediu ao vice-procurador Luciano Mariz Maia que investigações sobre o ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB) deixem o STJ e passem a ser feitas na primeira instância. Alckmin é citado como beneficiário de recursos de campanha por delatores da Odebrecht. (PÁG. A4)

STF decide se Aécio será réu por corrupção
A Primeira Turma do Supremo marcou para o dia 17 o julgamento que decidirá se o senador Aécio Neves (PSDB-MG) se tornará ou não réu por corrupção e obstrução de Justiça, com base na delação da J&F. Ontem, o STJ manteve condenação do ex-governador Eduardo Azeredo (PSDB) a 20 anos de prisão. (PÁG. A4)

Bancos vão oferecer alternativa a endividados no cheque especial
A partir de 1.º de julho, os bancos vão oferecer opção mais barata para quem usar 15% do limite da conta corrente por 30 dias seguidos. Os clientes não serão obrigados a aderir. A mudança foi desenhada pelas instituições financeiras após o BC ter cobrado redução do custo do crédito. (ECONOMIA / PÁG. B1)

Tentativa de resgate deixa 21 mortos em cadeia no Pará
Tentativa de resgate de presos do Centro de Recuperação Penitenciário do Pará III, na região metropolitana de Belém, deixou 21 mortos – entre eles, um agente penitenciário. Outros quatro funcionários ficaram feridos. Relatório de março alertava para o risco de fuga. (METRÓPOLE / PÁG. A12)

Inflação sobe 0,09% em março e surpreende (ECONOMIA / PÁG. B5)

Vera Magalhães
Rosa Weber fala, sim. Nos votos. E o voto no HC de Lula traz os fundamentos que permitem decifrar seu pensamento. (POLÍTICA / PÁG. A6)

Notas & Informações
Ficha nº 700004553820
Valerá para o sr. Lula da Silva a regra que vale para todos os detentos: visita familiar semanal, franqueada somente a presença dos advogados a qualquer dia e hora. (PÁG. A3)

Janela indecente

Cerca de 80 dos 513 deputados – ou seja, 16% da composição total da Câmara – aproveitaram-se para mudar de partido. (PÁG. A3)

————————————————————————————

Folha de S. Paulo

Manchete: Fundador do Facebook não convence Senado ao depor
Mark Zuckerberg fala a congressistas nos EUA sobre violação de privacidade
O fundador do Facebook, Mark Zuckerberg, respondeu por quase cinco horas ontem a questionamentos do Senado dos Estados Unidos sobre a utilização indevida de dados de usuários por empresas por meio da rede social. Ele foi convocado a depor após vir à tona que ao menos 87 milhões de pessoas tiveram informações violadas via aplicativo usado pela consultoria Cambridge Analytica para, a partir delas, formatar campanhas políticas. Pressionado, Zuckerberg reiterou a promessa de fazer mais para proteger dados de usuários e disse que aceitaria que sua equipe trabalhasse com legisladores para criar a “regulação certa” para companhias de tecnologia. Ele também tentou afastar a leitura de que a empresa virou corporação de mídia, o que elevaria responsabilidades. A maioria dos senadores não pareceu convencida de que as intenções do executivo são genuínas. (Mundo A16)

Tentativa de fuga em prisão do Pará mata ao menos 21
Ao menos 21 pessoas morreram durante tentativa de fuga em massa de um presídio superlotado do Pará, classificado como vulnerável por inspeção externa. Cinco mortos são criminosos que atuavam no resgate de detentos, 15 são presos e 1 é agente prisional —há 4 feridos. O episódio no Complexo de Santa Izabel ocorreu em semana marcada por violência na Grande Belém, com 12 assassinatos em cinco horas. (Cotidiano B1)

Países americanos avaliam rejeitar a eleição venezuelana
Ausente da Cúpula das Américas, que começa hoje em Lima, a Venezuela será alvo de documento de países da região, informam Sylvia Colombo e Patrícia Campos Mello. O texto dirá que os governos não reconhecem as eleições presidenciais de 20 de maio e criticará o regime de Nicolás Maduro. (Mundo A18)

Supremo julgará denúncia que pode tornar Aécio réu
O STF julgará na próxima terça (17) denúncia da Procuradoria-Geral da República contra o senador Aécio Neves (PSDB), acusado de corrupção passiva e obstrução à Justiça em investigação derivada da delação da JBS. Se ela for acatada, Aécio vira réu. O tucano diz ser vítima de situação forjada. (Poder A6)

Relator adia no STF ação sobre prisão em 2º grau
O ministro Marco Aurélio, relator no Supremo de ação que discute as prisões após condenação em 2ª instância, decidiu suspendê-la por cinco dias. Com isso, não levará o tema ao plenário hoje. O julgamento pode beneficiar o ex-presidente Lula. (Poder A6)

Governadores são barrados ao tentarem visitar Lula em Curitiba. (A8)

Inflação desacelera e vai a 0,09%, mais baixa para março desde o Plano Real (Mercado A25)

Nova taxa de juros é salvação para o BNDES
Dyogo Oliveira, novo presidente do BNDES, diz que a nova taxa de juros do banco —a TLP, sem subsídios do Tesouro— salvará a instituição de se desmilinguir. “Com a TLP, há mais instrumentos para captar, fazer hedge, securitização. O banco não tem mais limite.” (Mercado A26)

Hélio Schwartsman
Morosidade das cortes superiores prejudica Lava Jato
A Lava Jato tem viés contra o PT? A questão aqui é que, enquanto juizes das instâncias iniciais podem ser rápidos, quem tem direito a foro (parlamentares, ministros, governadores) se vê blindado pela morosidade das cortes superiores. E disso petistas têm razão em reclamar. (Opinião A4)

Editorial
Leia “Risco orçamentário”, sobre desmanche de medidas de ajuste. (Opinião A3)

————————————————————————————

Responda

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.