A incontrolável terceirização na Esplanada

Órgãos de fiscalização divergem sobre gastos do governo. O Itamaraty e o Ministério Público do Trabalho levam calote de R$ 111 mil.

Cela de Dirceu é maior e tem TV, dizem deputados 

Maior do que a dos demais detentos, a cela de José Dirceu na Papuda tem chuveiro quente, micro-ondas e TV. 0 petista assistia a Real Madrid e Bayem, quando parlamentares o visitaram. Deputados relataram que outras celas têm equipamentos similares…

Nova dose: Cerveja e refrigerante devem subir

Previsão é de alta de 1,3% em junho, após segundo reajuste no imposto sobre bebidas num intervalo de dois meses…

Dívida de brasileiros é recorde, aponta BC

Enquanto o governo defende a ampliação do crédito para estimular a economia, dados do Banco Central indicam o risco do superendividamento dos brasileiros. Após dois anos de queda, a inadimplência voltou a subir em março. “Não há espaço para otimismo”, alerta André Perfeito, economista-chefe da Gradual Investimentos…

O Estado de S. Paulo

PF vê influência de doleiro sobre Padilha

A Polícia Federal aponta “influência política” do doleiro Alberto Youssef – alvo maior da Operação Lava Jato – sobre o ex-ministro da Saúde Alexandre Padilha, pré-candidato ao governo de São Paulo pelo PT. A suspeita decorre de diálogo interceptado pela PF, entre Primo, como Youssef é conhecido, e a doleira Nelma Mitsue Penasso Kodama, no dia 5 de março, através de um aplicativo de mensagem instantânea.

Ela questiona Youssef se ele “tem acesso atualmente” ao delegado-geral da Polícia Civil paulista e cita o nome Maurício Blazeck, que ocupa o cargo desde novembro de 2012. Nelma diz que “queria um cargo para um amigo” dela no Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic).

“Se o Padilha ganhar o governo ajudo ele e muito”, respondeu o doleiro. Para a PF, o diálogo grampeado “indica possivelmente que (Youssef) tem influência política junto ao candidato ao governo de São Paulo, Alexandre Padilha”.

“Tá bom. Eu quero então acesso ao delegado geral de sp prá um cargo”, finalizou Nelma.

Em outro momento, ela solicita a Youssef que entre em contato através do skype e indica o contato: ‘joaquina_apazza”. A PF conclui que os dois “possivelmente passaram a conversar através deste dispositivo”.

Labogen. Padilha não é investigado pela Lava Jato, mas o nome dele é citado em outros documentos da PF. No relatório principal, que resultou na ordem de prisão de Youssef e seu grupo, os investigadores revelam o empenho do doleiro para emplacar o laboratório Labogen Química Fina em negócio milionário da Saúde, na gestão do petista. A PF juntou aos autos cópia do projeto de Parceria de Desenvolvimento Produtivo (PDP) do ministério e anexou uma fotografia do ex-ministro em um evento.

Em um relatório, a PF transcreve diálogos entre o doleiro e o deputado André Vargas, que se desfiliou do PT na sexta feira. Numa conversa com Youssef, o parlamentar diz que foi Padilha quem indicou um ex-assessor na Saúde para ocupar cargo no Labogen.

A nova citação a Padilha consta de relatório complementar de monitoramento telemático número 8/14. O trecho em que Nelma indaga Youssef se ele tem acesso ao delegado a PF intitulou “influência governo São Paulo”. O grampo alcançou 512 mensagens entre Youssef, que se identifica por ‘Jaiminho’, e Nelma no período de 28 de fevereiro a 14 de março, no âmbito da Operação Dolce Vita, desdobramento da Lava Jato – foram quatro investigações simultâneas, cada uma relacionada a um grupo de doleiros.

Marina diz que Lula é bala de prata do PT

A provável candidata a vice-presidente da República pelo PSB, Marina Silva, disse, nesta terça-feira, 29, em Salvador, que o ex-presidente Lula é uma bala de prata que o PT tem, e que isso é inquestionável. A declaração se deu em resposta a uma pergunta sobre eventual candidatura de Lula à Presidência, face às seguidas quedas na popularidade da presidente Dilma Rousseff, que deverá concorrer à reeleição, em outubro.

“O problema é que a bala de prata não pode falhar, quando ela falha, tudo desmorona. O presidente Lula tem que avaliar e o próprio PT tem que ver. Se eles acham que o governo da presidente Dilma está tão ruim, se acham que foi um erro tê-la como candidata, eles farão uma substituição. Se não tiverem essa avaliação irão apoiá-la”, analisou Marina.

Aliados na Câmara pressionam Renan por CPI mista

A oposição recebeu o reforço nesta terça-feira de grande parte da base aliada na Câmara, inclusive do presidente Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), para pressionar o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), a instalar uma CPI mista da Petrobras. Ameaçaram levá-lo ao Conselho de Ética e à Procuradoria-Geral da República caso não permita a participação dos deputados na investigação, além de apelar a um novo recurso ao Supremo Tribunal Federal.

Calheiros resistiu e, com o respaldo do Palácio do Planalto e do ministro e correligionário Edison Lobão (Minas e Energia), decidiu adiar qualquer decisão sobre a instalação de uma CPI mista. A reação na Câmara foi imediata. Alves fez três reuniões com a oposição ao longo do dia para discutir cada passo da pressão sobre Renan. Foi ele quem sugeriu incluir nas movimentações os líderes da base que assinaram o requerimento, como o do PMDB, Eduardo Cunha (RJ), que comanda também o blocão que reúne partidos da base rebelados contra o governo.

Apesar das pressões, Renan faz o jogo do governo e tenta ganhar tempo. Marcou para a próxima terça-feira uma reunião com os líderes do Senado e da Câmara para discutir um cronograma de instalação da CPI mista. Confirmou também a disposição de recorrer da decisão da ministra do STF Rosa Weber que determinou a instalação da investigação exclusiva da Petrobras no Senado.

Ministra denuncia ‘intolerância’ no debate sobre liberdade

A ministra Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal, disse nesta terça-feira, 29, que há no País “uma intolerância enorme para tudo o que seja diferente” e que “não adianta querer ser livre e abrir mão de pensar”.

Diante de uma plateia de professores e alunos do Instituto Brasileiro de Mercado de Capitais (Ibmec), no Rio, a ministra advertiu: “Temos um Estado democrático, mas a pergunta é se temos uma sociedade tão democráticas quando a Constituição pressupõe. Hoje noto uma intolerância enorme para tudo que seja diferente, é uma tragédia para a democracia e o exercício da liberdade. Não adianta querer ser livre e abrir mão de pensar”.

A fala da ministra abriu o seminário Comunicação e Mercado no Brasil: Desafios e Oportunidades, que o Ibmec promove junto com o Instituto Palavra Aberta.

O Globo

Relatório da Receita revela caminho do dinheiro da Petrobras até Youssef

Relatório da Receita Federal mostra como parte do dinheiro que saiu da Petrobras para pagamento ao Consórcio Nacional Camargo Correa para a construção da refinaria Abreu e Lima caiu em uma das contas da MO Consultoria, uma das empresas do doleiro Alberto Youssef. O documento aponta que o consórcio liderado pela Camargo Correa, uma das sete maiores empreiteiras do país, pagou R$ 26 milhões para a MO entre 2009 e 2013. Os pagamentos teriam sido feitos em operações triangulares com a Sanko Sider e a Sanko Serviços. Segundo a polícia, a MO é uma empresa fictícia e teria sido criada apenas para lavagem de dinheiro.

O relatório com o fluxograma do dinheiro serviu de base a uma das denúncias do Ministério Público Federal contra o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa, contra Youssef e mais oito supostos cúmplices dos dois. Na semana passada, o juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba acolheu a denúncia e abriu processo contra os acusados. Na segunda etapa da investigação, a Polícia Federal deverá concentrar a apuração sobre a Camargo e outras empresas que fizeram repasses a MO.

De 2009 a 2013, a Camargo Correa e outras empresas vinculadas a construção da refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco repassaram R$ 90 milhões a MO de Youssef, conforme mostrou o GLOBO na edição de ontem. Pelo laudo da polícia, em 2009, a Petrobras pagou R$ 1.029 bilhão ao consórcio da Camargo Correa encarregada da execução de parte das obras da Abreu e Lima. A partir daí, a Camargo transferiu R$ 3,6 milhões para a Sanko Sider Com. Imp Exportação. Na sequência a Sanko repassou R$ 3,1 milhões para a MO.

Em 2010, a Petrobras repassou mais R$ 919 milhões para o consórcio da Camargo. O consórcio transferiu, então, R$ 8 milhões para Sanko Sides, que transferiu R$ 2,5 milhões para a MO. A Sanko Sider transferiu ainda mais R$ 935 mil para a empreiteira Rigidez e R$ 1,7 milhão para a Muranno Brasil Marketing, estas duas últimas empresas também suspeitas de serem ligadas a Youssef. Na continuidade dos repasses em em operações triangulares, a Petrobras pagou R$ 513 milhões a Camargo, que repassou R$ 16,3 milhões para a Sanko Sider e R$ 11,5 milhões para Sanko Serviços. Deste total, R$ 18,1 caíram na conta da MO.

Em 2012, a Petrobras desembolsou R$ 472 milhões. A Camargo repassou R$ 28,7 milhões para a Sanko Sider e R$ 2,9 milhões para a Sanko Serviços. A partir daí o dinheiro foi repartido : R$ R$ 5,1 milhões foram para a MO, R$ 1,6 milhão para a empreiteira Rigidez e R$ 3,27 milhões para a Muranno Brasil Marketing. Auditores do Tribunal de Contas da União identificaram superfaturamento de mais de R$ 650 milhões nas obras do consórcio. Os dados do TCU também estão sendo usados como base para acusação contra Youssef, Costa e outros suspeitos de envolvimento com desvios de dinheiro da Petrobras. Em resposta ao jornal, a Camargo nega que tenha repassado dinheiro à s empresas de Youssef.

Queda de Dilma Rousseff na pesquisa CNT/MDA desorienta PT

O clima de perplexidade e desorientação tomou conta na terça-feira do PT e dos partidos da base aliada com a divulgação da pesquisa CNT/MDA que confirmou a tendência acelerada de queda da aprovação e de intenções de voto da presidente Dilma Rousseff. Pela primeira vez, a pesquisa aponta para a possibilidade de realização de um segundo turno nas eleições de outubro.

Os analistas ressaltaram que a rejeição a Dilma chegou aos 43,1% e que ela foi afetada pelo escândalo da Petrobras. E o pior: para os articuladores petistas, não há uma saída à vista. Nada do que foi feito na área de comunicação e lançamento de programas estancou a queda. E até mesmo a substituição do nome de Dilma pelo do ex-presidente Lula poderia ser eleitoralmente desastrosa.

Dilma também perdeu popularidade, tanto na avaliação do seu governo como na de seu desempenho pessoal. Segundo a pesquisa CNT/MDA, Dilma ainda venceria os adversários Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB) num segundo turno, mas vem perdendo votos continuamente. E o auge da crise da Petrobras ainda está por vir, com a instalação da CPI que investigará a estatal e terá o governo como alvo.

— Ninguém sabe o que fazer. Se Dilma cair abaixo de 30%, as chances de vitória são quase inexistentes. Ao PT, agora, só cabe ficar observando e esperando dela um gesto. Lula não pode chegar e dizer: eu serei o candidato. Dilma tem que tomar a iniciativa de chamar Lula — diz um dos estrategistas do PT.

Há também, entre os petistas, uma certa irritação com a teimosia da presidente Dilma em seguir surda aos apelos por mudanças em seu governo.

— Manda falar com o João Santana! — desabafa um desses petistas, referindo-se ao marqueteiro que banca a estratégia de Dilma.

Lobista de doleiro foi ao Ministério da Saúde um dia após Lava-Jato

Um dia depois de a Operação Lava-Jato, da Polícia Federal, prender o doleiro Alberto Youssef, o representante do laboratório do doleiro em Brasília, Marcus Cezar Ferreira de Moura, reuniu-se no Ministério da Saúde com o diretor do Departamento do Complexo Industrial e de Inovação em Saúde, Eduardo Jorge Valadares. A Lava-Jato foi deflagrada em 17 de março, quando houve 18 prisões preventivas, entre elas a de Youssef. No dia 18, Moura foi recebido pelo diretor do ministério.

Moura representava a Labogen S/A Química Fina e Biotecnologia, usada pelo doleiro para lavar dinheiro, conforme a investigação da PF. A polícia apura se o lobista foi indicado para o laboratório pelo ex-ministro da Saúde Alexandre Padilha, pré-candidato do PT ao governo de São Paulo. A suspeita se baseia numa troca de mensagens entre o deputado paranaense André Vargas, que se desfiliou do PT semana passada, e Youssef.

Moura é ex-servidor do Ministério da Saúde, onde exerceu o cargo de coordenador de Promoção e Eventos entre maio e agosto de 2011. A nomeação foi feita por Padilha. Dois anos e meio depois, um relatório da PF relacionado à Operação Lava-Jato transcreve uma conversa por mensagens entre Vargas e Youssef. O deputado diz ter encontrado o executivo para a Labogen e afirma que “foi o Padilha quem indicou”. A referência era ao ex-servidor do ministério, que começou a trabalhar como representante do laboratório em Brasília a partir de dezembro. Tanto Vargas quanto Padilha negaram a indicação.

Correio Braziliense

Manchete: Cela de Dirceu tem chuveiro quente, TV e micro-ondas

Ao chegar à Penitenciária da Papuda, Integrantes da Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados encontraram o ex-ministro José Dirceu assistindo à partida em que o Real Madrid goleou o Bayern por 4 x 0. O objetivo era comprovar que o petista não tem regalias na cadela e pressionar a Justiça a liberá-lo para trabalhar fora do presídio durante o dia. Ao fim da missão, parlamentares expressaram opiniões divergentes. Os governistas disseram não haver privilégios. Os de oposição afirmaram que a cela onde ele cumpre pena, sozinho, tem televisão de plasma, chuveiro quente, micro-ondas e é maior (mede 23m²) que as demais (15m²). Apesar de menores, todas as outras abrigam até 12 detentos. (Págs. 1, 5 e veja, no site do Correio, vídeo em que Dirceu reclama do regime fechado)

Dilma cai, Aécio e Eduardo sobem e há chance de 2° turno

Pesquisa do CNT/MDA aponta, pela primeira vez no ano, a possibilidade de a eleição para presidente da República ser disputada em 2º turno. Juntos, Aécio, Eduardo e candidatos nanicos chegam a 34,4% contra 36,4% de Dilma. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais. Num cenário com apenas os três principais candidatos, Dilma aparece com 37%; Aécio, 21,6%; e Eduardo, 11,8%. (Págs. 1, 2,3 e 9)

Dívida de brasileiros é recorde, aponta BC

Enquanto o governo defende a ampliação do crédito para estimular a economia, dados do Banco Central indicam o risco do superendividamento dos brasileiros. Após dois anos de queda, a inadimplência voltou a subir em março. “Não há espaço para otimismo”, alerta André Perfeito, economista-chefe da Gradual Investimentos. (Págs. 1 e 8)

Como evitar erros no último dia do Imposto de Renda (Págs. 1 e 10)

A incontrolável terceirização na Esplanada

Órgãos de fiscalização divergem sobre gastos do governo. O Itamaraty e o Ministério Público do Trabalho levam calote de R$ 111 mil. (Págs. 1 e 11)

Iêmen acusa brasileiros na Al-Qaeda

O governo do Iêmen afirmou haver brasileiros entre insurgentes da Al-Qaeda mortos durante operação militar. O Itamaraty tenta confirmar. (Págs. 1 e 15)

————————————————————————————

Zero Hora

 

Manchete: Petrobras – Renan marca CPI exclusiva e põe em debate CPI mista

Na mesma terça em que quer instalar comissão sobre estatal,como pede a oposição, presidente do Senado discutirá investigação ampla, como propõe o governo. (Págs. 1 e 6)

Fotolegenda: Está demarcada a tensão

Índios protestam em Faxinalzinho, onde dois agricultores morreram em conflito por terras que terá mediação de Brasília. (Págs. 1, 4 e 5)

Luz x chuva: ONS admite ações para economia de energia

Em estudo, redução voluntária de consumo na indústria e campanha de conscientização. (Págs. 1 e 18)

Nova dose: Cerveja e refrigerante devem subir

Previsão é de alta de 1,3% em junho, após segundo reajuste no imposto sobre bebidas num intervalo de dois meses. (Págs. 1 e 12)

Reta final: Milhões ainda não fecharam com o Leão

A poucas horas do fim do prazo, confira o que não pode ser esquecido na declaração de Imposto de Renda. (Págs. 1 e 21)

————————————————————————————

Brasil Econômico

 

Manchete: CPI da Petrobras já atinge popularidade de Dilma Rousseff

A Comissão Parlamentar de Inquérito para apurar irregularidades na gestão da estatal começa os trabalhos na próxima terça-feira, mas seu efeito já chegou às pesquisas de avaliação do governo e da disputa da eleição presidencial. Na enquete da CNT/MDA, Dilma Rousseff cai de 43,7% para 37% das intenções de voto. Analistas acreditam que a eleição está a um passo de ter segundo turno, mas a presidenta ainda é a favorita. (Págs. 1, 4, 5 e Octávio Costa, 40)

Susep também vai criar produtos

Em parceria com seguradoras, o órgão regulador vai reunir técnicos e consumidores para formular novos produtos. O presidente da Susep, Roberto Westenberger, acredita que o setor de seguros vai dobrar de tamanho nos próximos cinco anos. (Págs. 1, 30 e 31)

Resultados: Itaú teve lucro de R$ 4,5 bi no 1º trimestre

Graças à redução da inadimplência com a concessão de crédito de menor risco, o resultado do banco foi 29% superior ao de igual período de 2013. A instituição diz que vai intensificar a política mais conservadora, com a substituição de linhas de crédito. (Págs. 1 e 26)

MPF implica Bovespa no caso OGX

Edemir Pinto, presidente da BM&FBovespa, vai ser investigado por não ter aplicado a autorregulação na venda de ações da petroleira por Eike Batista, então controlador da empresa. O pedido ao MPF foi feito pelos minoritários. (Págs. 1 e 28)

Modem 3G perde força mas não some

O avanço dos smartphones e a migração para tecnologia 4G reduziram o uso do dispositivo. Mas, como a banda larga fixa do país ainda não chega a todas as áreas, o modem continuará a ter espaço. (Págs. 1, 14 e 15)

Automania: A queda nas vendas no mercado de carros novos está aquecendo os negócios com os usados (Págs. 1 e 24)

————————————————————————————

Folha de S. Paulo

 

Manchete: “Sei da lealdade dele a mim” diz Dilma sobre “Volta, Lula”

Petista tenta se contrapor a campanha para que ex-presidente seja candidato do PT à Presidência.

Em jantar com jornalistas esportivos no Palácio da Alvorada, a presidente Dilma Rousseff procurou afastar rumores de que será substituída por seu antecessor, Luiz Inácio Lula da Silva, na candidatura do PT à Presidência da República.

“Nada me separa dele e nada o separa de mim. Sei da lealdade dele a mim, e ele da minha lealdade a ele”, disse Dilma. A presidente disse que não há fato que possa romper sua aliança com Lula, de quem foi ministra por dois mandatos.

A cúpula da campanha dilmista espera que o Encontro Nacional do PT, que será realizado nesta sexta-feira, crie fato político para espantar o “volta, Lula”, movimento que conta com apoio de políticos de partidos aliados e empresários.

Amanhã, no Dia do Trabalho, pronunciamento da presidente em rede de TV terá forte tom político. Pesquisa divulgada ontem mostrou queda da petista, avanço de Aécio Neves (PSDB) e oscilação para cima de Eduardo Campos (PSB).

Sobre a Copa, Dilma afirmou ser possível agir com equilíbrio se houver protestos e que está tranquila em relação ao funcionamento dos aeroportos no Mundial, embora nenhuma obra nas cidades-sedes tenha terminado no prazo. (Págs. 1 e Poder A4 e A6)

 

Elio Gaspari: Presidente desliza pelo ‘modo PT’ de aparelhar Estado

A erosão de Dilma Rousseff deve-se mais a como o PT aparelha o Estado do que a ela mesma que carrega cruzes do passado (malfeitorias do PT) e do futuro (o “Volta, Lula”). (Págs. 1 e Poder A6)

 

Renan anuncia que vai instalar CPI da Petrobras só no Senado

Para tentar evitar a CPI mista da Petrobras (com deputados e senadores), Renan Calheiros (PMDB-AL) determinou a instalação da comissão só no Senado e marcou o início para terça-feira.

Assim, governistas creem que os debates trarão menos ataques à presidente Dilma em ano eleitoral. A oposição insiste na CPI mista e ameaça denunciar Renan ao Ministério Público. (Págs. 1 e Poder A8)

 

Cela de Dirceu é maior e tem TV, dizem deputados

Maior do que a dos demais detentos, a cela de José Dirceu na Papuda tem chuveiro quente, micro-ondas e TV. 0 petista assistia a Real Madrid e Bayem, quando parlamentares o visitaram. Deputados relataram que outras celas têm equipamentos similares. (Págs. 1 e Poder A7)

 

Editoriais: Leia “Dinheiro curto”, a respeito de arrecadação do governo federal, e “O drama dos haitianos”, sobre imbróglio político e imigrantes do país no Brasil. (Págs.1 e Opinião A2)

Em clima de tensão, Iraque elege hoje seu Parlamento

Num ambiente tenso, com postos de controle por toda Bagdá, ruas fechadas e toque de recolher, o Iraque realiza hoje eleições parlamentares, relata Samy Adghirni. A votação é vista como embate acerca do premiê xiita Nuri al-Maliki, que busca o terceiro mandato.

Maliki se mantém popular com os xiitas, que dizem que ele trouxe dignidade após anos de repressão do sunita Saddam Hussein. (Págs. 1 e Mundo A11)

Protesto de sem-teto acaba em confronto na Câmara de SP

A Câmara Municipal de São Paulo foi alvo de protesto que acabou em confronto entre policiais e movimentos sem-teto. Manifestantes fizeram barricadas de fogo e lançaram pedras contra janelas. A confusão começou após o adiamento da votação do Plano Diretor. A sessão será retomada hoje. (Págs.1 e cotidiano C1)

 

Polícia prende caseiro suspeito de colaborar na morte de coronel (Págs. 1 e poder A10)

Clipping Radiobrás – congressoemfoco

Edição: Equipe Fenatracoop

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.