Mudanças vão afetar quem entra na formalidade

As mudanças no acesso a benefícios, como prazo para seguro-desemprego de 18 meses, vão afetar principalmente quem estiver entrando no mercado formal. “A vida será mais dura”, diz Ricardo Paes de Barros, subsecretário de Assuntos Estratégicos da Presidência. No caso das pensões, o especialista em distribuição de renda defende igual rigor para o setor público…

O Globo

Manchete : Gastos de janeiro terão maior peso em 10 anos

IPTU, IPVA e material escolar têm aumentos acima da inflação

Para especialistas, pagamentos devem levar brasileiro a recorrer a poupanças ou empréstimos; energia também subirá

Janeiro começa com tributos, como IPTU e IPVA, passagens e material escolar sendo reajustados acima da inflação, que está em 6,5%. Isso levará os brasileiros a terem o pior início de ano em uma década, segundo especialistas em finanças. Para honrar gastos rotineiros desta época, alertam, será preciso queimar economias ou recorrer a empréstimos. Os reajustes de 2015 ainda devem anular o ganho real dos salários registrado no ano passado. (Pág. 13)
Reajuste de ônibus, contestado pelo MP, tem hoje 1º dia útil no Rio (Pág. 8)

Petrobras: oposição quer nova CPI

A denúncia de que a Petrobras criou empresa de fachada para fazer rede de gasodutos levou ontem a oposição a voltar a defender a criação de nova CPI. (Pág. 4)
Dívida de Santas Casas soma R$ 17 bi

Em nove anos, a dívida das Santas Casas e de hospitais filantrópicos, responsáveis por 40% do atendimento no SUS, cresceu seis vezes e hoje chega a R$ 17 bilhões. (Pág. 3)
Ricardo Noblat

A velha Dilma de sempre

Ninguém em Brasília, por mais próximo que fosse de Dilma, acertaria um bolão que perguntasse assim: “No segundo governo, quanto tempo a presidenta levará para desautorizar publicamente um dos seus auxiliares?”. O mais esperto dos apostadores talvez cravasse “uma semana”. E logo seria apontado como desafeto de Dilma. Resposta certa: menos de um dia. A vítima: Nelson Barbosa, ministro do Planejamento. (Pág. 2)
Editorial

Tema em discussão : O renascimento da indústria naval

Altos e baixos

A nova farra naval acabará em algum momento, pois o dirigismo estatal nunca deu certo para valer (Pág. 10)
————————————————————————————

O Estado de S.Paulo

Manchete: TSE acaba com sigilo bancário dos partidos

Bronca de Dilma leva ministro a ter cautela

Alta dos juros rege aplicações

TCE rejeita contas de um terço dos prefeitos de SP

Fortalecida, oposição ameaça ações de Obama

Zero Hora

Manchete : Serviços essenciais serão preservados, diz Piratini

Apesar do temor provocado por decreto que suspende pagamentos a fornecedores, assinado por Sartori na sexta-feira, governo afirma que não há risco a atividades vitais. (Notícias | 13)
Um perfil do secretariado e do ministério

Sartori e Dilma deram preferência a políticos na montagem de equipes. (Notícias | 8 e 9)
Fraude na Saúde

Próteses implantadas em troca de comissão. (Notícias | 16)
————————————————————————————

VALOR

Manchete: Governo transfere gasto de 2014 e dificulta ajuste

O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, toma posse hoje com uma herança inesperada: o ex-secretário do Tesouro Nacional, Arno Augustin, que havia prometido repasses ao setor elétrico em dezembro, “pedalou” R$ 1,25 bilhão para janeiro e transferiu ao caixa que será gerenciado pelo novo ministro um problema que pode somar R$ 6 bilhões…

CEF paga mais para captar em LCI

Câmbio eleva rentabilidade na exportação

Composição do ministério põe em dúvida o “volta Lula”

Conveniência define dez tendências da TI

Brasil Econômico

Manchete : “Perspectivas de crescimento, e muito baixo, só em 2017”

A previsão é do economista Affonso Celso Pastore, para quem a presidenta Dilma Rousseff resistirá a qualquer pressão política com o objetivo de fazer o ajuste fiscal necessário. “Ou a presidente Dilma morde a bala, aguenta o Levy e passa um ano ou dois de ajuste para colocar o Brasil em rota de retomada com estabilidade de preços, ou ela desiste”. Para este ano, a estimativa do ex-presidente do Banco Central é de crescimento ainda menor do que em 2014 e a taxa de investimento não sobe mais que os atuais 17% do PIB. (Págs. 4 a 7)
Nelson Barbosa – Restrição no curto prazo para obter crescimento

O novo ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão não arrisca prever o tempo para o aperto fiscal, mas garantiu que os acordos com os servidores serão preservados. O governo vai manter as regras atuais para o salário mínimo. (Pág. 3)
Apenas 17% dos recursos para mobilidade foram gastos

Falta de projetos qualificados atrasa a aplicação de verbas federais destinadas a municípios e estados. (Pág. 9)
Receitas de exportação de níquel, nióbio e cobre em alta

Na contramão do minério de ferro, com queda de preço de 46%, vendas de outras commodities disparam. (Pág. 8)
Mosaico Político

Gilberto Nascimento

PRB DO RIO FICOU CONTRARIADO

Nas primeiras informações divulgadas sobre o novo ministro do Esporte, deputado George Hilton (PRB-MG), alguns veículos de comunicação atribuíram sua indicação ao senador Marcelo Crivella (PRB-RJ). Logo depois do Natal, o senador, em nota, negou. Afirmou não ter tido “essa honra”. (Pág. 2)
————————————————————————————

Folha de S. Paulo

Manchete : No NE, negro corre 5 vezes o risco de morte de um branco

Ranking de vulnerabilidade de jovens de 12 a 29 anos é liderado pela Paraíba

No Nordeste, um jovem negro tem cinco vezes o risco de um jovem branco de ser morto. É o que indica o Índice de Vulnerabilidade Juvenil à Violência e Desigualdade. A pesquisa foi realizada pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública a pedido do governo federal, que deverá divulgar os dados nos próximos dias. Com exceção do Paraná, todas as unidades da Federação apontam mais perigo para o negro de 12 a 29 anos do que para o branco. Paraíba, o pior caso, a chance de assassinato de um negro é 13,4 vezes a de um branco. Em todo o Brasil, o risco de um negro ser assassinado é 2,5 vezes o de um branco, informa Fernanda Mona. Entre os Estados situados abaixo da média nacional estão Rio Grande do Sul (1,7). São Paulo (1,5), Santa Catarina (1,4) e Paraná. (0,7). O estudo usou registros de 2012 do Datasus (banco de dados do Sistema Único de Saúde), em que a informação sobre a cor é preenchida por agentes de saúde. O risco de morte violenta foi ponderada com a proporção de pretos, pardos e brancos na população de cada região. (Cotidiano C1)
Regra agiliza julgamento de políticos no Supremo

Mudança adotada pelo Supremo Tribunal Federal acelerou o julgamento de deputados federais e senadores por crimes comuns. Desde junho, ao menos 55 processos foram analisados. Para desafogar a pauta do plenário, os casos passaram para as turmas internas, compostas por cinco ministros. A regra valerá para denúncias surgidas do escândalo da Petrobras. (Poder A4)
Não existe mais latifúndio no Brasil, afirma nova ministra

A ministra Kátia Abreu (Agricultura) afirma que o Brasil precisa de uma reforma agrária pontual, não de massa. “O latifúndio não existe mais”, diz, em entrevista a Mônica Bergamo. A senadora (PMDB-TO) não se preocupa com a redução de gastos prevista para 2015. “Não tenho medo dos cortes do Joaquim Levy (ministro da Fazenda). Ele vai investir em carne boa” . (Pág. A10)
Mudanças vão afetar quem entra na formalidade

As mudanças no acesso a benefícios, como prazo para seguro-desemprego de 18 meses, vão afetar principalmente quem estiver entrando no mercado formal. “A vida será mais dura”, diz Ricardo Paes de Barros, subsecretário de Assuntos Estratégicos da Presidência. No caso das pensões, o especialista em distribuição de renda defende igual rigor para o setor público. (Mercado B3)
Poluição na baía de Guanabara já é o maior temor para os Jogos. (Esporte C6)

Pedro Diniz

Patrulha virtual criticou vestido ‘verde-pamonha’

A polícia das redes sociais comentou a escolha de Kátia Abreu para a posse: vestido verde com cinto vermelho. O contraste realçou mais a luminescência do tom. A produção foi comparada a uma pamonha, que é amarrada ao meio como no look da ministra. (Ilustrada E4)
Ricardo Balthazar

Dilma e Alckmin são gêmeos na retórica da posse (Opinião A2)
Editoriais

Leia “Gestão processual”, acerca de desempenho individual de juízes ao julgar processos, e “Jogo sujo”, sobre administração de clubes de futebol. (Opinião A2)

EBC

Equipe Fenatracoop

Portal Cambé, site de informações e serviços de Cambé – PR.

Responda

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.