Manchete dos Jornais nesta sexta-feira, 22 de janeiro de 2016
Postado por: Equipe Portal Cambé Em 22nd janeiro 2016

Dólar atinge maior valor desde o início do Plano Real
O dólar foi afetado pela manutenção da taxa básica de juros e fechou o dia com alta de 1,72%, cotado a R$ 4,1720, o maior valor nominal (sem considerar a inflação) desde o início do Plano Real, em 1994. Para o mercado, houve interferência política na decisão do Banco Central. A Bolsa, influenciada pelo aumento do preço do petróleo, que subiu 4,16% em Nova York, terminou o dia com ganho de 0,19% no Ibovespa.

Estimativa para a inflação aumenta com Selic estável
Mudança repentina na política do BC já faz mercado rever índices; dólar tem nova alta e fecha em R$ 4,166
A opção do Banco Central por manter a Selic (taxa básica de juros) em 14,25% elevou as expectativas de inflação para os próximos anos. Economistas avaliam que a repentina mudança de rota da política monetária reduz a previsibilidade do mercado, prejudicando o controle inflacionário.


O Globo

Manchete : Dólar atinge maior valor desde o Plano Real
Moeda dispara e fecha a R$ 4,16 Mercado reage mal à manutenção dos juros e põe credibilidade do BC em xeque. Projeção de inflação sobe
O dólar fechou cotado a R$ 4,16 ontem, o maior valor desde o lançamento do Plano Real, em 1994. Nas casas de câmbio, chegou a R$ 4,70, nos cartões pré-pagos. A forte subida (1,51%) foi provocada pela desconfiança do mercado sobre a disposição do Banco Central de conter a escalada dos preços, após guinada de discurso que levou à manutenção dos juros em 14,25% ao ano, na quarta-feira. Para analistas, a credibilidade da instituição ruiu. Projeções já apontam inflação de até 10% em 2016. Para o governo, críticas são de “viúvas do ex-ministro Joaquim Levy”. (Pág. 19 e Míriam Leitão)

Brasil cortou 1,54 milhão de empregos com carteira em 2015
No pior desempenho do mercado de trabalho desde 1992, as empresas cortaram 1,542 milhão de empregos com carteira assinada em 2015. Indústria e construção civil foram os setores que mais demitiram. O Rio teve o 3º pior resultado entre os estados, com dispensa de 183.686 trabalhadores. (Pág. 20)

União vai injetar R$ 6 bi na Eletrobras
A Eletrobras será capitalizada em R$ 6 bilhões, para melhorar indicadores de seis distribuidoras de energia e privatizá-las, informa DANILO FARIELLO. (Pág. 22)

FGTS-Petrobras virou ‘mico’
Os fundos FGTS-Petrobras, criados há 15 anos, já rendem menos do que o Fundo de Garantia, pior aplicação do mercado. (Pág. 19)

‘Dirceu gastava R$ 1 milhão/mês’
O delator Milton Pascowitch reafirmou à Justiça, em delação, ter pagado propina ao ex-ministro José Dirceu e disse que a empresa do petista “chegava a gastar R$ 1 milhão por mês”. (Pág. 5 e Merval Pereira)

Microcefalia avança no Rio
Dos 166 casos de microcefalia relacionados ao vírus zika no Estado do Rio, 92 ocorreram na capital. Nos EUA, 12 pessoas que visitaram países com epidemia de zika contraíram a doença. (Pág. 10)


O Estado de S. Paulo

Manchete : País fecha 1,5 milhão de vagas e analistas preveem piora
Indústria foi setor que mais cortou; governo acredita em reversão da crise
O Brasil fechou 1,5 milhão de postos de trabalho com carteira assinada em 2015. O resultado do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) é o pior dos últimos 24 anos, segundo o Ministério do Trabalho e Previdência. Analistas de mercado já esperam para este ano um desempenho semelhante ou até pior. A indústria foi responsável pelo maior número de cortes de vagas – 608,9 mil. A construção civil ficou em segundo, com menos 417 mil. O único setor que mais contratou do que demitiu foi a agricultura, com saldo positivo de 9,8 mil. O estoque de empregos no País caiu 3,7%, retrocedendo ao patamar de 2012. Só em dezembro, foram encerradas 596 mil vagas. De acordo com o ministro do Trabalho e Previdência Social, Miguel Rossetto, o resultado de 2015 foi pior que o esperado pelo governo, mas “não foi capaz de destruir as conquistas dos trabalhadores dos últimos anos”. Ele disse esperar reversão da crise e retomada das contratações. (ECONOMIA / PÁG. B1)

Queda na arrecadação
A crise afetou fortemente o pagamento de impostos por empresas e pessoas físicas. O total arrecadado pela Receita Federal em 2015 foi de R$ 1,22 trilhão, 5,62% menos do que em 2014. PÁG. B3

Dólar atinge maior valor desde o início do Plano Real
O dólar foi afetado pela manutenção da taxa básica de juros e fechou o dia com alta de 1,72%, cotado a R$ 4,1720, o maior valor nominal (sem considerar a inflação) desde o início do Plano Real, em 1994. Para o mercado, houve interferência política na decisão do Banco Central. A Bolsa, influenciada pelo aumento do preço do petróleo, que subiu 4,16% em Nova York, terminou o dia com ganho de 0,19% no Ibovespa.(ECONOMIA / Pág. B4)

Manutenção de juro fortalece Tombini, avalia mercado
A decisão do Copom de manter a taxa de juros em 14,25% ao ano, enquanto o mercado esperava elevação, afetou a credibilidade do Banco Central, mas não enfraquece o presidente Alexandre Tombini no cargo, segundo analistas consultados pelo Broadcast. A avaliação é de que ele está politicamente forte, já que a mudança de posição atende à pressão do governo. Apesar de o resultado não ter sido unânime, não há divergências na diretoria do BC e o clima é de coesão.(Economia/ Pág.B4)

‘O problema são os emergentes’
Ex-economista-chefe do FMI, Kenneth Rogoff disse, em Davos, que a queda do petróleo é boa para o crescimento global. Para ele, Brasil e Rússia são os emergentes em pior situação. (Pág. B5)

Direto da Fonte
O pacote de incentivo ao consumo que o ministro da Fazenda, Nelson Barbosa, está montando incluiria uma fórmula pela qual a garantia de compra seria o FGTS do comprador.
(CADERNO2 / Pág. C2)

Macri ‘vende’ Argentina pós-populismo em Davos
O presidente argentino, Mauricio Macri, chegou a Davos para apresentar uma Argentina pós-populista, disposta a negociar com credores, fazer ajustes e com oportunidades de investimento, informa Rolf Kuntz. Sobre a recessão brasileira, disse que afeta seu país, mas a desvantagem pode ser atenuada se investimentos dirigidos ao Brasil forem para a Argentina.(ECONOMIA / Pág. B7)

Samarco aceita acordo para reduzir danos (Metrópole a15)

Ato do MPL tem bombas e feridos
O quinto ato do Movimento Passe Livre contra o aumento da tarifa no transporte terminou em confronto de PM e manifestantes na Praça da República, bombas e pelo menos nove feridos. O protesto, que teve adesão menor que os anteriores, também foi marcado pelo fechamento do Terminal Parque Dom Pedro II.(METRÓPOLE / Pág. A13)

Injusto, ineficiente e caro :: Marcos Mendes e Bernard Appy
A alternativa às reformas é a estagnação econômica e a consolidação da desigualdade extrema.(ESPAÇO ABERTO / Pág. A2)

Notas & Informações
A desmoralização do BC
O BC permaneceu, até há poucos dias, como um raro fator de segurança. Isso acabou.(Pág. A3)

Delator diz que Vaccari cuidava de propinas da Petrobrás
O lobista Milton Pascowitch afirmou anteontem à Justiça Federal que o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto assumiu em 2010 o controle do pagamento de propinas ao partido no esquema de corrupção da Petrobrás, substituindo José Dirceu. Ele disse ter entregue dinheiro com “malinha de rodinha” a Vaccari no Diretório Nacional do PT, em São Paulo.
(POLÍTICA / Pág. A4)


capa (1)MORTE DE FISICULTURISTA
Caso Renata Muggiatti: namorado tem prisão preventiva revogada pela Justiça
MAIS DE UM ANO DE ATRASO
Novo prédio do IML de Curitiba ainda não tem data para ser entregue
JUSTIÇA
Shopping Palladium obtém extensão de liminar para barrar entrada de adolescentes
JUSTIÇA BRASILEIRA
Crítico da morosidade da justiça, procurador prevê que caso Carli só terá fim em 2026
RODOVIAS
Preço do pedágio tinha de cair 50% e número de obras dobrar, diz Fiep
EM TRÊS ANOS
Pesquisadores vão desenvolver soro contra o vírus zika
EPIDEMIA
Notificações da dengue chegam com atraso de uma semana ou mais à Sesa
TRANSPORTE PÚBLICO
Motoristas e cobradores de 12 das 30 empresas de Curitiba e região ainda estão sem vale
QUADRO NEGRO
MP investiga contratos da Valor Construtora em Bituruna
OPERAÇÃO QUADRO NEGRO
Valor Construtora abandonou obra do PAC em União da Vitória
ELEIÇÕES 2016
”Eu ainda tenho muito o que aprender para poder ser como o meu pai”, diz Requião Filho
INVESTIGAÇÃO
Chega ao Planalto intimação para Dilma depor como testemunha na Operação Zelotes
TRABALHO
Paraná fecha 75 mil vagas de emprego em 2015
POLÍTICA MONETÁRIA
Para analistas, Tombini se fortalece no cargo
INVESTIMENTO
Fundo cambial é aposta arriscada para 2016 mesmo com dólar alto
ESTATAL
“Nova Petrobras”, mais enxuta, terá mudanças a partir de março
TRIBUTOS
Arrecadação federal cai 5,6% em 2015 e atinge menor valor desde 2010
AVIAÇÃO
Azul vai estrear voo para Lisboa em maio


Folha de S. Paulo

Manchete : Estimativa para a inflação aumenta com Selic estável
Mudança repentina na política do BC já faz mercado rever índices; dólar tem nova alta e fecha em R$ 4,166
A opção do Banco Central por manter a Selic (taxa básica de juros) em 14,25% elevou as expectativas de inflação para os próximos anos. Economistas avaliam que a repentina mudança de rota da política monetária reduz a previsibilidade do mercado, prejudicando o controle inflacionário. O aumento dos juros é uma das ferramentas para combater a alta de preços. Os índices da “inflação implícita”, calculada com base nas taxas de retorno dos títulos da dívida do governo e que servem como referência da inflação projetada pelo mercado, subiram. Títulos com vencimento em um ano indicavam inflação de 9,68% ontem, contra 9,41% há quatro dias, antes do anúncio do BC. Para janeiro de 2018, a projeção saltou de 9,94% para 10,66%. Economista da consultoria Tendências considera que a atual taxa de juros pode acelerar a alta de preços devido aos efeitos no câmbio. O dólar foi a R$ 4,166. Gustavo Loyola, ex-presidente do BC, disse existirem “muitas evidências” de que o órgão foi influenciado politicamente para manter a Selic inalterada, o que, segundo ele, prejudica a sua credibilidade.(Mercado a14)

Brasileiros perdem 1,5 milhão de vagas de trabalho em 2015
O Brasil fechou 1,5 milhão de vagas de trabalho em 2015, o pior resultado desde 1992, quando começou a série estatística do governo. O saldo negativo, puxado principalmente pelas demissões na indústria e na construção civil, praticamente anulou o saldo positivo das contratações formais dos dois anos anteriores.( Mercado a18)

Odebrecht busca atrasa rLava Jato, rebate procurador
Procurador da Lava Jato, Carlos dos Santos Lima diz que a defesa de Marcelo Odebrecht quer atrasar o processo ao acusar a força-tarefa de manipular transcrição de delator sobre o empreiteiro. Segundo Lima, a fala em questão não fundamentou a acusação de envolvimento dele no esquema.(Poder a4)

Após panelaços, PT retira Dilma e Lula de inserções de TV
A cúpula do PT decidiu não incluir a presidente Dilma e o antecessor, Lula, em inserções de TV do partido que irão ao ar em fevereiro. No ano passado, a aparição dos dois foi acompanhada por panelaços em diversas cidades do país. O PT justifica que usará o tempo para defender a sigla. (Poder a8)

Barragem tinha mais lama do que Samarco relatou, diz projetista (Cotidiano B3)

Editoriais (Opinião a2)

Leia “Sem crédito”, sobre dificuldades para a expansão de financiamentos, e “Nova aposta da Sabesp”, acerca de aumento da captação no Cantareira.


Edição: Equipe Fenatracoop, Sexta-Feira,  22 de Janeiro de 2016

Compartilhe nossa Matéria