O celular mais caro do mundo; Brasil ocupa a 62ª posição, entre 160 países, no ranking de desenvolvimento da telefonia, acesso à internet e outros serviços de telecomunicações. O brasileiro paga a telefonia celular mais cara do mundo….-Partidos vão tirar mais dinheiro do seu bolso; É dinheiro que sai do bolso dos trabalhadores, na forma de impostos, e poderia ser usado para melhorar escolas, hospitais, estradas. Em vez disso, vai bancar campanhas eleitorais no ano que vem. Além do dinheiro público, as siglas têm direito a tempo de rádio e tevê e a doações feitas por pessoas físicas e empresas…-Vândalos expulsam professores da rua; Manifestação transcorria em paz, no Rio, até black blocs partirem para o confronto com PMs e começarem a destruir caixas eletrônicos. Também houve protesto e tumultos em São Paulo…

O Globo

Manchete: Batalha nas ruas – Vândalos sufocam protesto, de novo

Black blocs infiltrados em manifestação levam caos ao Centro Prédios públicos e agências bancárias foram atacados por baderneiros e até ônibus foi queimado Grupos de black blocs infiltrados conseguiram dominar, mais uma vez, manifestação de professores e levaram caos ao Centro do Rio, ontem à noite. O protesto, que começou de forma pacífica e reuniu milhares de pessoas, acabou em cenas de vandalismo que se repetiram da Cinelândia à Lapa. Pelo menos cinco agências bancárias foram depredadas, houve tentativa de invasão à Câmara de Vereadores, um ônibus foi incendiado e barricadas feitas com lixo foram queimadas. A fachada do prédio onde funciona o Consulado de Angola foi depredada. Restaurantes e bares da Lapa fecharam às pressas. A PM reduziu o número de policiais mandados ao local e, desta vez, demorou para reprimir a ação dos mascarados. Em São Paulo, manifestação em apoio aos professores do Rio também terminou em quebra-quebra. (Págs. 1 e 9 a 11) Os Black blocs provocaram a polícia (Págs. 1 e Pedro Doria, 9)

Enade: 30% dos cursos reprovados

Nas universidades avaliadas pelo MEC, um em cada 3 cursos teve notas 1 e 2, uma piora em relação a 2009; particulares respondem por 91% das más avaliações. No Rio, reprovação foi de 36%. (Págs. 1 e 3)

Conta salgada: Celular no Brasil é o mais caro

O Brasil tem a tarifa de celular mais alta do mundo, segundo pesquisa em 157 países feita pela União Internacional de Telecomunicações (UIT) em parceria com a Anatel. O consumidor paga US$ 0,71 (R$ 1,56) por minuto para falar com um número da mesma operadora. (Págs. 1 e 23)

Novo colunista: O avanço da ‘política uterina’

Em sua estreia como colunista, José Casado conta que, no Orçamento da União, já foram identificados 134 casos de repasses a entidades privadas dirigidas por autoridades públicas. (Págs. 1 e 19)

Fantasma americano: Risco de calote de US$ 78 bilhões

Com a paralisia administrativa e o impasse político, os EUA podem dar calote de US$ 78 bi, se o Congresso, até dia 17, não elevar o teto da dívida. (Págs. 1 e 21)

Dança partidária: PT aposta em crise entre PSB e Rede

Os petístas apostam em um desentendimento entre Marina e Eduardo Campos sobre a chapa em 2014, o que poderia favorecer Dilma. (Págs. 1 e 4 a 6)

Porões da contravenção: Castor tornou-se aliado da ditadura

A metalúrgica do bicheiro Castor de Andrade foi comprada pelo Grupo Coroa-Brastel numa operação com aval da Ditadura. (Págs. 1 e 8)

Vice no comando: Cristina sofrerá cirurgia na cabeça

A presidente da Argentina terá coágulo removido hoje. O vice, Amado Boudou, que enfrenta processos por corrupção, assumiu. (Págs. 1 e 27)

Brasil e racismo em Frankfurt

Paulo Lins, único negro, diz a jornal alemão que os levados à feira não representam país. (Págs. 1 e Segundo Caderno)

————————————————————————————

O Estado de S. Paulo

Manchete: Ex-ministro de Dilma vai chefiar programa de Campos

Fernando Bezerra será coordenador de propostas de governo da chapa liderada por ex-aliados de Lula Formada por dois ex-ministros de Lula, a chapa que poderá ter Eduardo Campos e Marina Silva na corrida à Presidência pelo PSB em 2014 terá como coordenador de programa o ex-ministro Fernando Bezerra (Integração Nacional), que deixou há uma semana o governo Dilma Rousseff. Caberá a ele organizar o programa que sairá dos debates entre o PSB e sua proposta de uma nova economia e política social para o País e os “sonháticos” da Rede Sustentabilidade – partido que foi rejeitado pelo TSE. O PSB já abriu vagas na sua Executiva para integrantes da Rede. Governador de Pernambuco e presidente nacional do PSB, Eduardo Campos usou conceitos caros aos seguidores de Marina Silva para defender a aliança. Ele disse que seu partido e a Rede estão em acordo no que é “fundamental”. Pego de surpresa pela aliança, o PSDB já revê a possibilidade de ceder palanques para a chapa do PSB em São Paulo e Minas Gerais, aliado nos dois Estados. (Págs. 1 e Política A4 a A6) Dora Kramer Política na veia O acordo fechado na sexta-feira à noite entre Campos e Marina é um ponto fora da curva no padrão lamacento em vigor. (Págs. 1 e Política A6) Celso Ming Apareceu o Wally! A oposição parece ter nova cara. É provável que novidade política terá alguma influência sobre a economia. (Págs. 1 e Economia B2)

Cristina será operada hoje para retirada de hematoma

A presidente da Argentina, Cristina Kirchner, será operada hoje para a remoção de um hematoma, entre membranas perto do cérebro, causado por um traumatismo craniano ocorrido em 12 de agosto. Cristina deixou o hospital no sábado após vários exames, mas no domingo à noite ela sentiu fortes dores de cabeça e um formigamento no braço esquerdo. O vice-presidente Amado Boudou assumiu ontem a chefia do governo. (Págs. 1 e Internacional A10)

Paraná ameaça ir à Justiça contra plano sobre porto

O governo do Paraná pode questionar na Justiça a proposta da Secretaria de Portos para o arrendamento de áreas no Porto de Paranaguá. Antes de buscar a via legal, o Paraná tentará um acordo nesta semana. O principal ponto da discórdia é a licitação de três grandes áreas, já ocupadas, por apenas uma operadora em um armazém de 100 mil toneladas de grãos. (Págs. 1 e Economia B1)

Canadá é chamado para explicar espionagem

O embaixador do Canadá, Jamal Khokhar, foi convocado pelo governo brasileiro a dar explicações sobre a denúncia de que a agência canadense de inteligência teria espionado o Ministério de Minas e Energia. O chanceler Luiz Alberto Figueiredo manifestou a Khokhar o “repúdio” do governo a essa “grave e inaceitável violação” da soberania nacional. (Págs. 1 e Política A9)

Violência em São Paulo e Rio

Integrante do grupo Black Blocs agita bandeira sobre viatura policial tombada na Avenida Rio Branco, no centro de São Paulo; os mascarados enfrentaram a polícia durante protesto de professores e estudantes que se solidarizavam com professores do Rio. No centro da capital carioca, também houve depredações, bombas e confrontos durante tentativa de invasão da Câmara Municipal. (Págs. 1 e Metrópole A14)

País tem a tarifa de celular mais cara

O Brasil tem a tarifa de chamadas de celular mais cara do mundo e 5 vezes superior à dos espanhóis, revela informe da União Internacional de Telecomunicações. (Págs. 1 e Economia B13)

Metrô quer demitir para manter passagem congelada

O governo de São Paulo decidiu montar um plano de demissão voluntária (PDV) no Metrô para lidar com os efeitos do congelamento do preço da tarifa em R$ 3, anunciado em junho. Pela previsão orçamentária, o Metrô receberá R$ 3,8 bilhões em investimentos em 2014. (Págs. 1 e Metrópole A18)

Série de atentados amplia crise no Egito (Págs. 1 e Internacional A13)

Enade dá nota baixa a 30% dos cursos (Págs. 1 e Metrópole A16)

Rubens Barbosa

Brasil-EUA, hora da verdade De forma pragmática, Washington e Brasília deveriam dar um tratamento de choque na relação entre os dois países. (Págs. 1 e Espaço Aberto A2)

José Paulo Kupfer

Concessões e seus dilemas Não é nada trivial estabelecer o ponto de equilíbrio entre o estímulo ao investimento e a capacidade de pagamento do serviço. (Págs. 1 e Economia B4)

Notas & Informações

Mais um sonho desfeito A fusão da Oi com a Portugal Telecom é o fracasso de mais um sonho de grandeza do governo Lula. (Págs. 1 e A3)

————————————————————————————

Correio Braziliense

Manchete: Partidos vão tirar mais dinheiro do seu bolso

A criação do Pros, do Solidariedade e o troca-troca partidário dos últimos dias vão custar caro aos brasileiros. Pelo Orçamento que tramita no Congresso, em 2014 serão destinados R$ 264,3 milhões aos cofres dos 32 partidos existentes no país. Mas deputados e senadores acham pouco e já se articulam para elevar o valor. Se forem bem-sucedidos — e quase sempre são quando legislam em causa própria —, o volume de recursos será o maior de todos os tempos: R$ 364 milhões. É dinheiro que sai do bolso dos trabalhadores, na forma de impostos, e poderia ser usado para melhorar escolas, hospitais, estradas. Em vez disso, vai bancar campanhas eleitorais no ano que vem. Além do dinheiro público, as siglas têm direito a tempo de rádio e tevê e a doações feitas por pessoas físicas e empresas. (Págs. 1 e 2)

Oposição exige que Ideli explique uso de helicóptero do Samu (Págs. 1, 5 e Visão do Correio, 12)

O casamento do barulho

A união de Marina Silva com Eduardo Campos desnorteou toda a cena política nacional. Tanto o PT de Dilma e Lula quanto o PSDB de Aécio e FHC e até seguidores da ex-ministra foram pegos de surpresa. Lula convocou reunião para discutir o impacto da nova aliança. Ele avalia que passaram a ser reais as chances de Eduardo na briga pela Presidência. (Págs. 1, 3 e 4)

Reguffe será candidato a governador

O PDT decidiu, em reunião plenária, lançar o deputado federal na disputa pelo Governo do Distrito Federal em 2014. Proporcionalmente, ele foi o parlamentar mais votado do país em 2010. (Págs. 1 e 19)

Enade dá nota baixa a 43% dos cursos no DF

O desempenho foi pior que a média brasileira: no país, um em cada três cursos avaliados foi reprovado. A UnB se destacou no exame, com nove graduações analisadas e aprovadas. Cinco obtiveram a nota máxima. (Págs. 1 e 22)

Brasileiro paga a ligação mais cara do mundo

O país com 1,25 aparelho por habitante tem, também, a tarifa mais elevada do planeta. Estudo mostra que o custo do minuto no Brasil chega a ser 70 vezes superior ao de Hong Kong. (Págs. 1 e 10)

Cristina Kirchner na mesa de cirurgia

Às vésperas das eleições, a presidente argentina se afasta da campanha para drenagem de um hematoma no cérebro. (Págs. 1 e 14)

Direito: A nova lei do amor em família

Depois que a Justiça do DF, em decisão inédita, permitiu que uma filha de 54 anos acrescentasse o nome do pai de criação na certidão de nascimento, a estudante Milena Aguiar se animou a requerer o acréscimo do nome do padrasto em documentos pessoais. Para especialistas, a medida é uma quebra de paradigmas no direito de família. (Págs. 1 e 21)

Vândalos expulsam professores da rua

Manifestação transcorria em paz, no Rio, até black blocs partirem para o confronto com PMs e começarem a destruir caixas eletrônicos. Também houve protesto e tumultos em São Paulo. (Págs. 1 e 7)

————————————————————————————

Valor Econômico

Manchete: Governo prepara venda de ativos da BNDESPar

Diante do risco de rebaixamento da nota de crédito do país, o governo prepara operação de venda de ativos da carteira do Banco Nacional Desenvolvimento Econômico Social (BNDES) para reduzir o valor do repasse que o Tesouro Nacional fará ao banco neste ano. A equipe econômica também estuda reformular o papel do banco e reduzir seu peso na economia. A mudança é motivada por uma necessidade fiscal – as autoridades temem o contínuo aumento da dívida pública bruta provocada pelos sucessivos aportes de recursos aos bancos estatais, principalmente ao BNDES, e um possível rebaixamento do risco soberano por parte das agências de rating – e pela constatação de que o ciclo da crise iniciada em 2007 nas economias avançadas está próximo do fim, o que não justifica mais o uso de instituições oficiais para expandir o crédito. (Págs. 1 e A3)

Emperra a reforma das cotas no FMI

Um dos principais pontos defendidos pelo Brasil junto ao Fundo Monetário Internacional (FMI) – a reforma do sistema de quotas – não deve evoluir no encontro anual que vai acontecer nesta semana. Assim, o governo vai usar a reunião para tentar obter avanços em metas consideradas prioritárias para o país no âmbito dos Brics. Representantes do Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul devem tratar de duas questões de interesse direto do Brasil. A primeira é a criação do Banco de Desenvolvimento dos Brics. A segunda é o Arranjo Contingente de Reservas (CRA, da sigla em inglês), um fundo que servirá para ajudar os países do grupo a obter financiamento em períodos de retração do crédito internacional. (Págs. 1 e C14)

Disputa por depósitos judiciais

Bancos privados se articulam para tentar aprovar na Câmara dos Deputados, na votação de hoje do projeto do novo Código de Processo Civil, emenda para acabar com a exclusividade dos bancos estatais nos depósitos judiciais. É uma disputa que envolve pelo menos R$ 135 bilhões, hoje em poder de Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e bancos estaduais. Essa contenda é a principal, mas não a única polêmica sobre o novo Código, em discussão há quatro anos no Congresso. Outra controvérsia envolve emenda do deputado Alfredo Kaefer (PSDB-PR), para limitar o uso da penhora on-line. Para ele, há “abuso” no uso desse instrumento. “Tem juízes que sequestram valores imprescindíveis para a sobrevivência das pequenas e médias empresas”, diz. (Págs. 1 e A12)

Ociosidade à vista nas montadoras

As montadoras instaladas no país têm capacidade para produzir cerca de 4,6 milhões de veículos por ano. Estudo da consultoria Roland Berger estima que em 2017 o país estará apto a produzir 6,8 milhões de veículos por ano. Num cenário otimista, o mercado doméstico, principal atrativo dos investimentos das empresas, estará em 5,8 milhões de unidades. Previsões mais conservadoras indicam que as vendas internas em 2017 podem não passar das 4,4 milhões. Ou seja, vai sobrar capacidade de produção de veículos. A pressão não virá de fábricas como da Audi, Mercedes e BMW, com projetos pequenos, mas das linhas de carros populares. (Págs. 1 e B4)

UE quer acordo com o Brasil para enfrentar os chineses

A União Europeia (UE) quer um acordo com o Brasil sobre matérias-primas estratégicas na área industrial como reação ao crescente controle chinês no mercado global de commodities. Em entrevista ao Valor PRO, serviço de informação em tempo real do Valor, o vice-presidente da Comissão Europeia e comissário de Indústria e Empreendedorismo, Antonio Tajani, disse que o tema faz parte de sua agenda na visita que fará ao Brasil na quinta e sexta-feira. “Há uma situação em que a China tenta ter monopólio de matérias-primas industriais e é preciso impedir isso”, afirmou Tajani, que estará em Brasília para preparar o encontro UE-Brasil, marcado para fevereiro em Bruxelas, onde gostaria de assinar um acordo. (Págs. 1 e A16)

Produtividade cresce menos nas lavouras de grãos

A despeito do excepcional desempenho do agronegócio, a produtividade das lavouras brasileiras cresceu em ritmo mais lento – ou mesmo caiu – na última década. De acordo com dados da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), o rendimento das plantações de grãos e fibras cresceu, em média, 2,56% entre as safras 2003/04 e 2012/13, ante 4,24% nos dez anos anteriores. As dificuldades impostas por novas pragas (como a ferrugem da soja), mudanças no uso da terra e as barreiras à incorporação de novas tecnologias levaram a ganhos mais modestos no campo. Carro-chefe do agronegócio, a soja explicita essa tendência. Na última década, a produtividade média da cultura cresceu, em média, 1,03% ao ano, ante uma taxa de 2,89% entre 1993/94 e 2002/03 e de 3,69% entre 1983/84 e 1992/93. (Págs. 1 e B12)

ANP rejeita pedido de adiamento de produção à OGX (Págs. 1 e B3)

Gargalo aeroportuário

Para a companhia aérea Emirates, a demanda nas rotas que ligam os Emirados Árabes ao Brasil está reprimida e poderia dobrar se o país tivesse aeroportos capazes de receber o Airbus 380. (Págs. 1 e B1)

Bilhões para energia solar

A multinacional americana New Generation Power (GNP) e o Grupo Léros, de São Paulo, planejam megausina solar em Taubaté (SP), que poderá demandar investimento de R$ 2 bilhões. (Págs. 1 e B2)

O celular mais caro do mundo

Brasil ocupa a 62ª posição, entre 160 países, no ranking de desenvolvimento da telefonia, acesso à internet e outros serviços de telecomunicações. O brasileiro paga a telefonia celular mais cara do mundo. (Págs. 1 e B6)

Ricos e classe média ganham força

Estudo do Boston Consulting Group aponta para nova mudança no perfil de consumo dos brasileiros até 2020. O grande movimento será o avanço da classe C em direção à B, que somados à classe A formarão 37,3% dos lares do país. (Págs. 1 e B8)

A vida após o Fed

Política restritiva nos EUA não será necessariamente ruim para ativos brasileiros, mas exige atenção ao portfólio. À medida que o cenário se definir, ativos mais líquidos e defensivos podem dar lugar ao risco. (Págs. 1, D1 e D2)

O “novo normal” nos investimentos

Taxas de fertilidade mais baixas e populações em idade produtiva menores nos países desenvolvidos vão pressionar o crescimento econômico nos próximos anos. Foco do investidor deve estar nos setores de saúde, seguros e tecnologia. (Págs. 1 e D2)

‘Chamada a cobrar’

Após 25 anos, a Justiça reconheceu Adenor Martins de Araújo como único inventor do sistema automático de Discagem Direta a Cobrar (DDC), ex-funcionário da antiga Telecomunicações de Santa Catarina (Telesc), que agora irá receber royalties. (Págs. 1 e E1)

Férias para advogados

Projeto em tramitação na Câmara prevê férias para advogados, durante as quais os prazos processuais do profissional ficarão suspensos. O novo Código de Processo Civil, que será votado hoje, também prevê férias, entre 20 de dezembro e 20 de janeiro. (Págs. 1 e E1)

Ideias

Delfim Netto Os potenciais investidores temem que a aparente pouca importância dada às reformas torne a dívida insustentável. (Págs. 1 e A2) George Soros Reeleição de Merkel foi uma vitória de Pirro. O status quo na zona do euro não é tolerável nem estável. (Págs. 1 e A15)

————————————————————————————

Estado de Minas

Manchete: Abrigos para moradores de rua – Não há mais vagas

Cresce o número de sem-teto em BH e todas as instituições para acolhê-los estão lotadas A ofensiva anunciada pelo prefeito Marcio Lacerda para retirar mendigos que vivem sob viadutos e nas calçadas da capital esbarra num enorme obstáculo: a prefeitura não tem para onde levá-los. Os quatro locais especializados nesse atendimento têm 680 vagas, todas ocupadas, enquanto 1.164 era o número apontado pelo último Censo da População de Rua, de 2005. Atualmente, a Pastoral de Rua estima que o contingente passe de 2 mil. No Albergue Tia Branca, que tem 400 vagas, 140 pessoas foram recusadas só em setembro. Para amenizar o problema, hoje será criado um centro para receber pacientes com alta hospitalar que não têm para onde ir e, até o fim do ano, abertas 124 vagas com a inauguração de dois abrigos. (Págs. 1 e 19)

Marina cai na rede de antigos adversários

A Rede, partido de Marina Silva, que não conseguiu aprovação do TSE, não aceitaria em seus quadros os 27 dos 30 deputados federais do PSB que ajudaram a aprovar na Câmara o novo Código Florestal, considerado por ela porta aberta ao desmatamento. Agora, companheiros de legenda, terão que caminhar juntos na campanha para as eleições de 2014. (Págs. 1 e 3)

PDT perde nove deputados federais, verba e tempo de TV (Págs. 1 e 5)

Ensino superior: Maioria dos cursos de MG tira nota boa

Dos 689 cursos superiores do estado avaliados pelo MEC, 47,7% tiveram nota 3. Pontuação vai de 1 a 5 e 6,5% receberam nota máxima, entre eles o de direito da Universidade Federal de Ouro Preto. Com 4 ficaram 23%, 19% com 2 e 1,1% com 1. Outros 2,4% não obtiveram conceito. (Págs. 1 e 21)

Etanol: Ainda ignorado

Crescimento da safra de cana e a baixa aceitação do açúcar no exterior favorecem a produção de etanol. Preço passou a ser vantajoso na competição com gasolina, mas ainda não seduz o consumidor. (Págs. 1 e 10)

Mais Médicos: Idioma adia trabalho de estrangeiros em Passos (Págs. 1 e 19)

Quebradeira e ataque à Câmara do Rio

Depois de manifestação de professores, mascarados promoveram quebradeira ontem à noite nas ruas do Rio e incendiaram, com bombas caseiras, a porta da sede do Legislativo municipal. Em São Paulo houve também violência nas ruas. (Págs. 1 e 7)

Em crise, Eike devolve museu ao governo de Minas (Págs. 1 e 2)

————————————————————————————

Jornal do Commercio

Manchete: Medicina da UFPE chega a Caruaru

Graduação será aberta no Agreste com 80 vagas no segundo semestre de 2014. Instituição detalhou seu vestibular e vagas de cotistas vão dobrar. Veja, ainda, o resultado do Enade. (Págs. 1, 8 e Cidades 1)

Hora de afinar o discurso entre Eduardo Campos e Marina Silva

Casamento gay e aborto são pontos que jogam contradição na união entre PSB e Rede, firmada sábado. Mas o governador lembra que aliança é programática e ambos reconhecem as diferenças que têm. (Págs. 1 e 3 a 7)

Tarifa de celular do País é a mais cara do mundo

União Internacional de Telecomunicações revelou dado em informe anual. (Págs. 1 e Economia 6)

Privatização da BR-232 começa com contradições (Págs. 1 e Economia 5)

Bancários recusam reajuste de 7,1% e greve vai continuar (Págs. 1 e Economia 2)

Pinga-fogo: Sheila Borges

Ainda forte Ninguém pode subestimar o potencial do PT. Dilma tem o poder da caneta e o PT, um legado que não pode ser negado. (Págs. 1 e 4)

————————————————————————————

Zero Hora

Manchete: Fala o chefão da Copa

“Houve um compromisso do presidente Lula de que a Copa fosse jogada em 12 estádios. Isso significa multiplicar por 12 o número de problemas potenciais.” “Na próxima escolha da sede, temos de pedir que o acordo não seja assinado só pelo presidente, mas pelo Congresso.” “Não faz sentido, tenho de admitir, gastar muito dinheiro em um estádio só para um evento.” Jérôme Valcke visitou o Beira-Rio, elogiou o andamento das obras e comentou críticas sobre a realização do Mundial no Brasil. (Págs. 1, 4, 5 e 43 – Diogo Olivier)

Universidades: 5 cursos gaúchos no topo do Enade

Em 2012, MEC avaliou 17 carreiras em faculdades do país. (Págs. 1, 26 e 27)

Alianças: Aécio e Campos em busca de apoio no RS

Ingresso de Marina no PSB acelera negociações ao Piratini. (Págs. 1 e 6)

Polêmica: STJ discute hoje “pensão para amante” (Págs. 1 e 29)

Argentina: Cristina Kirchner passará por cirurgia

Presidente ficará 30 dias afastada para tratar hematoma no crânio. (Págs. 1 e 25)

————————————————————————————

Brasil Econômico

Manchete: Bolsas do governo são o motor do ensino privado

Com uma megafusão e dois lançamentos de ações em curso, o setor de educação se consolida com parte dos recursos vindos do financiamento federal a alunos de curso superior no Brasil. Depois da criação de grandes conglomerados, a partir da aquisição de pequenas empresas e participação de investidores estrangeiros, analistas acreditam que a tendência agora é a associação entre os maiores grupos. Especialistas, porém, veem riscos à qualidade do ensino. (Págs. 1, 12 e 13)

‘A indústria do tabaco quer impedir a indústria da saúde’

Diretor-presidente da Anvisa, Dirceu Barbano atribui ao lobby das empresas de cigarro ação direta de inconstitucionalidade a ser julgada pelo STF questionando o papel regulador da Agência. Ele reconhece que a burocracia ainda faz com que o prazo para registro de produtos seja lento e teme que os avanços obtidos pela Anvisa em 15 anos sejam perdidos. (Págs. 1, 6 e 7)

Eleição: Associação de Marina e Campos é incógnita

Cientistas políticos concordam que cenário muda, mas alertam que migração de eleitores dependerá muito do novo discurso da ex-senadora. (Págs. 1 e 3) Sem palpite: Ibope pesquisa eleitorado no próximo dia 20 (Págs. 1 e 32) Para PT, personalidades diferentes podem dar confusão (Págs. 1 e 2)

Reforma: Dança de cadeiras na Esplanada

Em dezembro, presidenta Dilma substituirá os ministros que vão disputar as eleições, entre eles, os da Casa Civil, da Saúde e do Desenvolvimento. (Págs. 1, 4 e 5)

Aéreas: Pacote de ajuda não deve sair do papel

Desoneração de PIS e Cofins e a mudança no cálculo do querosene não serão aprovadas. Analista diz que saída é aumentar capital estrangeiro. (Págs. 1 e 15)

Risco EUA: As consequências de um default podem ser piores do que o Lehman Brothers (Págs. 1 e 25)

Clipping Radiobrás

Edição: Equipe Fenatracoop

Portal Cambé, site de informações e serviços de Cambé – PR.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.