Sarney informa a Dilma que não disputará reeleição – Depois de 59 anos de vida pública, o senador José Sarney (PMDB-AP) comunicou segunda-feira à presidente Dilma Rousseff que desistiu de disputar a reeleição ao Senado em outubro…

Ministro diz que se reuniu com 30 ‘black blocs’ em SP – O ministro Gilberto Carvalho (Secretaria-Geral da Presidência), articulador do governo junto a movimentos sociais, revelou à Folha que teve uma reunião com 30 adeptos da tática “black bloc” em São Paulo, pouco antes do início da Copa do Mundo…

‘Acho o mais difícil’, afirma Felipão sobre próximo adversário – “Freguês” do Brasil em Copas, o Chile é temido por Luiz Felipe Scolari. “Se pudesse escolher, escolheria outro [rival]. Acho o Chile o mais difícil.”…

O GLOBO

Argentina pede mais prazo para negociar

Movida a Neymar

Petrobras manteve custos da refinaria Abreu Lima em segredo

A Petrobras trabalhou com um orçamento sigiloso de contratação de serviços e equipamentos para a Refinaria de Abreu e Lima, em Pernambuco. Várias vezes o Tribunal de Contas da União (TCU) pediu as estimativas de custos, mas só começou a receber a documentação anos depois do início das obras.

A empresa ocultou, também, os estudos de viabilidade econômica, técnica e ambiental do empreendimento, cujos gastos foram multiplicados por nove nos últimos onze anos: o orçamento inicial de US$ 2,3 bilhões passou a US$ 18,5 bilhões e poderá chegar a US$ 20,1 bilhões até a inauguração, marcada para novembro, conforme projeções da estatal.

O tribunal começou a fazer auditorias rotineiras em Abreu e Lima em 2008. Quando localizava indícios de erros ou sobrepreços, solicitava à Petrobras documentação complementar, sobretudo as estimativas de custos (“referências de precificação”) nas quais ela teria se baseado para realizar as contrações.

PT estranha aliança de peemedebistas com DEM e vê riscos para palanque de Dilma no Rio

Apesar de mais um revés no Rio, com a perda de espaço para a campanha à reeleição da presidente Dilma Rousseff, o Palácio do Planalto e a direção nacional do PT tentaram minimizar o problema, dando um caráter regional à aliança formal do PMDB com os tucanos no estado. A presidente Dilma Rousseff e o comando de sua campanha à reeleição não foram comunicados previamente da entrada do vereador Cesar Maia (DEM) na chapa do governador Luiz Fernando Pezão (PMDB).

Embora o entorno de Dilma ainda se escore na promessa de Pezão, do ex-governador Sérgio Cabral e do prefeito Eduardo Paes de que farão campanha para ela, há quem ache que, na prática, isso não vai acontecer:

– Eu duvido. Depois dessa aí, já era. É um casamento em que os dois moram juntos, mas não têm mais nada a ver. Acabou o clima – disse o deputado federal Edson Santos (PT-RJ).

O vice-prefeito do Rio, Adilson Pires (PT), disse que parte do PMDB fluminense está com Dilma.

– A começar pelo prefeito Eduardo Paes, temos do nosso lado muitos prefeitos do PMDB do Estado do Rio, como o prefeito de Caxias, Alexandre Cardoso – disse Adilson Pires, que preferiu não “bater” na aliança anunciada pelo governador Pezão com Cesar Maia.

PMDB e PT lutam por apoio de Crivella, que não tem alianças

Após fechar o apoio do DEM à candidatura do governador Luiz Fernando Pezão à reeleição, o PMDB busca um acordo com o candidato do PRB ao Palácio Guanabara, senador Marcelo Crivella, de olho num eventual segundo turno. O presidente estadual do PMDB, Jorge Picciani, iniciou conversas com Crivella, por meio de interlocutores, para que as duas candidaturas caminhem juntas num embate contra o líder nas pesquisas de intenções de voto, o ex-governador Anthony Garotinho (PR).

O senador do PRB também é assediado pelo PT, que busca uma aliança com o PRB já para o primeiro turno. Os petistas desejam que Crivella desista da disputa, mesmo estando em segundo lugar nas pesquisas.

Isolado na disputa pelo Palácio Guanabara – o PRB não fechou nenhuma aliança -, Crivella foi convencido por líderes políticos de seu partido a negociar com o PMDB. Crivella está disposto a garantir seu apoio aos peemedebistas no segundo turno.

José Sarney desiste de concorrer ao Senado, dizem aliados

O ex-presidente e senador José Sarney (PMDB-AP) não deverá se candidatar à reeleição em outubro. A informação foi divulgada nesta segunda-feira pelo assessor dele no Amapá e confirmada ao GLOBO pelo presidente do PMDB no estado, o ex-senador Gilvam Borges.

Segundo Borges, a primeira pessoa a saber da desistência de Sarney — pela boca do próprio — foi a presidente Dilma Rousseff, com quem o ex-presidente viajou de Brasília para Macapá. Em seguida, Sarney teria comunicado aos partidos aliados.

— Houve um comunicado do próprio presidente Sarney hoje aos partidos aliados de que ele declinaria da candidatura ao Senado. Isso é fato. Mas estamos todos sob o impacto dessa decisão. Estamos órfãos. Esperamos que essa decisão não seja irreversível — disse Gilvam, informando que Sarney confirmou sua ida à convenção estadual de sexta-feira.

O anúncio oficial da assessoria foi feito depois que Sarney esteve com Dilma na entrega de casas do programa Minha Casa Minha Vida e foi vaiado. O Amapá é reduto eleitoral do ex-presidente.

 

FOLHA DE S.PAULO

Brasil muda, goleia e pega Chile na primeira decisão

Com 2 de Neymar e Fernandinho no lugar de Paulinho, seleção escapa da invicta Holanda no mata-mata

Aos 14 minutos do primeiro tempo do jogo em Brasília, Neymar recebeu um empurrão do camaronês Nyom e se estatelou fora do gramado. O craque brasileiro se levantou preocupado, olhando o braço esquerdo. Nyom quis fazer as pazes, porém o camisa 10 virou o rosto.

Mas a provocação gerou uma reação. Dois minutos depois, Neymar abriu o placar da partida que o Brasil venceria por 4 a 1 a já eliminada seleção africana. Foi o 100º gol desta Copa –no 100º jogo do Brasil em Copas. O resultado fez a seleção chegar aos sete pontos e se classificar para as oitavas de final. O rival será o Chile, no sábado, em Belo Horizonte.

Neymar queria mais e marcaria mais um gol ainda no primeiro tempo, com o placar em 1 a 1, resultado que começava a incomodar a seleção.

O novo show do atacante do Barcelona teve direito a chapéu duplo e passe de costas. Os dois gols também fizeram Neymar se tornar o sexto maior artilheiro da história da seleção, com 35 gols pela equipe principal, ultrapassando Rivaldo (34). Pelé lidera com 77 gols, e o próximo alvo de Neymar é Bebeto (39). O camisa 10 também se isolou na artilharia do Mundial, com quatro gols.

Sarney informa a Dilma que não disputará reeleição

Depois de 59 anos de vida pública, o senador José Sarney (PMDB-AP) comunicou segunda-feira à presidente Dilma Rousseff que desistiu de disputar a reeleição ao Senado em outubro.

A decisão, se levada a cabo, encerra uma das mais longevas carreiras políticas brasileiras. O senador, que tem 84 anos, disse que a saúde frágil de sua mulher, Marly, lhe fez optar por não concorrer mais a cargo público.

Em nota divulgada por assessores de Sarney no Amapá, o peemedebista afirma que “chegou a hora de parar um pouco com o ritmo de vida pública” que consumiu 60 anos de sua vida e lhe “afastou da convivência familiar”.

Senador ainda tentou viabilizar nova eleição, mas temeu derrota

Há anos José Sarney vem sinalizando que iria se aposentar da política eleitoral. Numa entrevista publicada pela Folha em 31 de dezembro de 2012, disse: “Na minha idade, não posso jamais pensar em ser candidato novamente ao Senado (…) Mandatos eletivos não vou ter mais”.

Mas o político maranhense –radicado eleitoralmente no Amapá– agia sempre de maneira oposta. Nos últimos cerca de 30 dias, Sarney tentou de todas as formas rearticular suas forças políticas para viabilizar mais uma eleição. Tinha poucas esperanças. Nesta segunda (23), vieram as vaias contra ele durante a passagem da presidente Dilma por Macapá. A inviabilidade do projeto ficou evidente. Até o seu aliado mais heterodoxo, o PT, não teria mais como acolhê-lo.

No seu entorno, ninguém duvida: se tivesse segurança de vitória, Sarney disputaria a eleição. Só anunciou a aposentadoria pois não quer ser expelido da política com uma derrota eleitoral nas costas.

Ministro diz que se reuniu com 30 ‘black blocs’ em SP

O ministro Gilberto Carvalho (Secretaria-Geral da Presidência), articulador do governo junto a movimentos sociais, revelou à Folha que teve uma reunião com 30 adeptos da tática “black bloc” em São Paulo, pouco antes do início da Copa do Mundo.

Segundo ele, o encontro foi “muito tenso”. “Mas não violento, respeitoso até. Porque havia um acordo de conversa. Para eles, o PSOL e o PSTU são conservadores, são à direita, e nós somos traidores, aqueles que enganam as pessoas com reformas que não vão trazer nenhuma mudança.”

Carvalho afirmou ter dito ao grupo que a tática, que prega a destruição do patrimônio público e privado como forma de protesto, o “isola”.

O ministro Gilberto Carvalho (Secretaria-Geral da Presidência) disse que teve reunião com 30 adeptos da tática “black bloc” em São Paulo. Segundo ele, o encontro, que ocorreu pouco antes da Copa, foi “muito tenso” e terminou sem acordo

Menina de 5 anos ‘tortura’ Aécio com vuvuzela em jogo do Brasil

“Alguém dá R$ 50 nessa vuvuzela?” O apelo foi disparado em tom de brincadeira pelo candidato do PSDB à Presidência, senador Aécio Neves (MG), durante o jogo disputado entre as seleções de Brasil e Camarões.

Nada, no entanto, continha a pequena Dominique. Cabelos com maria-chiquinha, a filha de cinco anos do presidente da Força Sindical, Miguel Torres, atormentou o mineiro durante a partida, nesta segunda-feira (23).

Para PSOL, não é hora de protestar contra a Copa

Depois de incentivar manifestações e flertar com o slogan “não vai ter Copa”, o PSOL agora diz que passou a hora de protestar contra o evento. “Não é mais o momento. As pessoas querem assistir aos jogos. É natural”, afirma a candidata a presidente da República pelo partido, Luciana Genro.

Em entrevista à Folha e ao UOL, ela diz que o PSOL ainda “apoiará qualquer movimento que surja de categorias organizadas”, mas não vai “inventar processos que não sejam reais, que não venham de fato de uma necessidade objetiva de um setor”.

Protesto anti-Copa acaba em confusão na avenida Paulista

Um protesto contra a Copa do Mundo realizado nesta segunda-feira (23) na avenida Paulista, em São Paulo, acabou em tumulto após a detenção do professor de inglês Rafael Marques Lusvarghi, 29. O professor resistiu à ação, e outros manifestantes tentaram evitar que ele fosse levado pela Polícia Civil.

Na confusão, segundo manifestantes, dois tiros foram disparados para o alto por um homem não identificado. A Secretaria da Segurança afirmou que vai apurar se houve disparos e qual foi a origem.

‘Acho o mais difícil’, afirma Felipão sobre próximo adversário

“Freguês” do Brasil em Copas, o Chile é temido por Luiz Felipe Scolari. “Se pudesse escolher, escolheria outro [rival]. Acho o Chile o mais difícil.”

‘O campeão voltou’

Torcida de Brasília resgata grito de guerra da Copa das Confederações

PVC

Fernandinho entrou e mudou o jogo

Tostão

Na frente, tudo continua escuro

 

VALOR ECONÔMICO

Bancos apertam controles para deter inadimplência

Depois de atingir níveis historicamente baixos neste ano, a inadimplência ameaça voltar a subir. Cenários traçados por economistas – e pelas próprias instituições financeiras – para o fim de 2014 contemplam um patamar mais elevado do calote bancário

Concessões vão ter R$ 299 bi de 2015 a 2017

O próximo governo será o maior beneficiado pelos investimentos do atual programa de concessões. Levantamento da Seae, do Ministério da Fazenda, obtido pelo Valor PRO, mostra que o pico dos investimentos em infraestrutura se concentra entre 2015 e 2017, somando R$ 299,2 bilhões

Vaiado em evento com Dilma, Sarney diz que se aposentará

Senador, que foi hostilizado em cerimônia no Amapá, avisa a interlocutores que não disputará reeleição

Presidente faz discurso contundente em entrega de casas em Macapá

Oficializada candidata à reeleição em convenção no sábado, a presidente Dilma Rousseff fez ontem em Macapá sua primeira incursão pública e adotou, ao lado do governador Camilo Capiberibe, um discurso político contundente em um de seus últimos atos para promoção de ações do governo antes do início da campanha eleitoral, no dia 6 de julho.

Comando da campanha à reeleição provoca fissuras entre petistas

São Paulo é o campo de batalha decisivo

PT tenta recuperar terreno onde sua rejeição é maior

Acordos nos Estados decepcionam e prejudicam, diz aliado de Marina

Isolado dentro do PSB, Rede Sustentabilidade tenta lançar candidato ao Senado em São Paulo

Supremo julga recursos de presos do mensalão

Estão pautados pedidos dos petistas José Genoino, José Dirceu, Delúbio Soares, do ex-deputado Romeu Queiroz e do advogado Rogério Tolentino

Manobra de Aécio redefine alianças para eleições no RJ

A reviravolta das convenções realizadas no Rio de Janeiro no fim de semana redefiniu o papel do prefeito da capital, Eduardo Paes, no tabuleiro político do Estado para as eleições presidenciais. Prefeito de 39,7% do eleitorado bate de frente com ‘Aezão’

Aécio acusa governo de querer acabar com FAT

A tecnologia avança dentro e fora de campo

Talvez esta não venha a ser a “Copa das Copas”, mas certamente será o Mundial mais tecnológico – e não apenas nas arenas. Nas concentrações e centros de treinamento softwares monitoraram o desempenho dos atletas para extrair o máximo de cada jogador e evitar lesões

Favoritismo

Em Brasília, Neymar comemora seu segundo gol na vitória sobre Camarões por 4 a 1. Esse resultado, que classifica a seleção para as oitavas de final contra o Chile, reforçou o favoritismo do Brasil nas casas de apostas. Neymar, com quatro gols, ganhou a preferência dos apostadores para ser o artilheiro do Mundial

Gestores buscam ‘pequenos milionários’

Itaú Unibanco, Bradesco, Banco do Brasil e Santander ampliaram suas estruturas e os produtos voltados aos clientes com aplicações de até R$ 10 milhões. A avaliação dos gestores é que esses clientes tendem a acumular patrimônio e ascender às categorias superiores do segmento de “private banking”

 

O ESTADO DE S.PAULO

Neymar decide e Brasil pega o Chile no sábado

Com excelente atuação do craque, que marcou 2 gols e lidera a artilharia da Copa, a seleção goleou Camarões por 4 a 1 e se classificou em1º no Grupo A. Fred desencantou e fez um gol. Fernandinho substituiu Paulinho, melhorou o time e fechou o placar. O chileno Valdivia disse temer a arbitragem no jogo contra o Brasil.

Favorita, Holanda encara o México

Sarney anuncia a aliados que não disputará reeleição

Aos84 anos –60na política –, José Sarney(PMDB-P) disse a aliados que não tentará se reeleger ao Senado, pois quer ficar mais com a mulher, Marli, que está doente. Mas pesquisas apontam rejeição ao seu nome no Amapá, onde ontem ele foi vaiado em evento com a presidente Dilma Rousseff.

CORREIO BRAZILIENSE

Com a bênção do Mané

Neymar dá show, faz dois nos 4×1 sobre Camarões e assume a artilharia da Copa. Que venhao Chile

Golpe no Congresso engorda as indenizações

Deputados dão golpe com férias de servidores e geram prejuízo de R$1 milhão

Primeiro, a promoção, com reajustes de até 1.300% no salário. Pouco tempo depois, a surpresa: o servidor é demitido e recebe o pagamento calculado sobre polpudos vencimentos. O último ato da fraude: o funcionário é recontratado, meses depois. E tudo isso tem o aval dos deputados.

No centro do poder, em Brasília, parlamentares encontraram um novo esquema para onerar a máquina pública. Em uma canetada, servidores lotados nos gabinetes da Câmara dos Deputados veem os salários aumentarem em até 1.300% poucos dias antes de serem exonerados. Apesar de recente, a alteração no contracheque garante ao funcionário o dinheiro de férias não gozadas, além de um terço desse benefício, calculado em cima do maior e último valor. Nos últimos 12 meses, a prática, que não é ilegal, pode ter causado prejuízo de pelo menos R$ 1.131.443,10 aos cofres públicos.

Levantamento do Centro de Coordenação e Documentação da Câmara, feito a pedido do Correio a partir da Lei de Acesso à Informação, revela a frequência nas alterações salariais dos servidores antes das demissões. Nos últimos 12 meses, foram registrados 422 casos de funcionários que tiveram vencimentos aumentados, 198 deles foram dispensados num intervalo de dois meses após o reajuste. A saída desses servidores, porém, é momentânea. Passados 90 dias, prazo estipulado pela Casa da recontratação, a maioria retorna para o mesmo gabinete com salários inferiores aos da demissão.

Lotada no gabinete do deputado Alberto Filho (PMDB-MA), a servidora Áurea Helena Oliveira Matos viu o salário passar de R$ 2.220 para R$ 10.190 em agosto do ano passado. Dois dias após o reajuste de 359%, Áurea foi demitida. Vencido o tempo legal para a recontratação, Áurea voltou para o mesmo gabinete, novamente com salário de R$ 2.220. Lá, outras duas pessoas tiveram aumento, saíram e também retornaram após três meses. Em um dos casos, o reajuste foi de 712%, de R$ 1.470 para R$ 12.940. Em conversa com o Correio, na segunda-feira da semana passada, Áurea justificou a rápida saída do gabinete para “fazer uma cirurgia”. No mesmo dia, o chefe de gabinete, Jaime Ferreira Lopes, confirmou se tratar de um “acordo” para garantir aos servidores uma indenização na demissão porque funcionários comissionados “não têm direito a indenizações trabalhistas”. Jaime prometeu ainda colocar a reportagem em contato com o deputado, mas não atendeu mais às ligações do Correio.

Ao ser exonerado, o servidor tem direito a receber a indenização referente às férias não gozadas, além de um terço de férias, tudo em cima do maior salário. Se no contracheque a remuneração é de R$ 12.940 e o servidor tem dois meses de férias acumuladas, ele recebe R$ 25.880, mais um terço de férias de R$ 4.313, chegando a um total de R$ 30 mil. Acordado com o parlamentar, três meses depois, o servidor é novamente contratado e retorna para as atividades normalmente.

Entre cada 10 escolas públicas, apenas três têm quadras de futebol

Área para a prática de esportes coletivos está ausente em sete de cada 10 estabelecimentos educacionais públicos de ensinos fundamental e médio no Brasil. Professores e alunos improvisam em pátios, estacionamentos e descampados

No país da Copa do Mundo, arrebatado atualmente pelo espetáculo do futebol rolando em casa, a estrutura para a prática de esportes nas escolas está longe de ser campeã. Dados levantados a pedido do Correio pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), ligado ao Ministério da Educação (MEC), mostram que praticamente sete em cada 10 colégios públicos de ensino fundamental e médio no Brasil não têm quadras poliesportivas. Em 40% do estabelecimentos que contam com esse espaço, o local carece de cobertura. Resta a alunos e professores improvisar aulas tão importantes no aspecto físico, social e mental.

“Há um ganho cardiorrespiratório e biológico muito grande com as atividades na escola, especialmente se esse aluno não tem acesso à prática esportiva supervisionada em outros espaços. Sem falar na questão psicológica e social, já que o esporte no contexto educacional trabalha também conceitos como a lealdade, a ética, a não discriminação, a competitividade respeitosa”, destaca Daniel Cantanhede Behmoiras, coordenador do curso de educação física da Universidade de Brasília (UnB). De acordo com ele, que tem experiência de sete anos lecionando em escolas públicas do Distrito Federal, ter um local adequado para o incentivo ao esporte nos colégios é fundamental. “Respeita a saúde do professor e dos estudantes.”

Apesar das vantagens evidentes de se ter um espaço apropriado para os esportes coletivos nas escolas, a proporção de estabelecimentos educacionais com quadras subiu apenas cinco pontos percentuais entre 2010 e 2013 no país — de 28,5% para 33,4%.

A maioria permanece obrigada a ministrar as aulas em pátios, estacionamentos ou descampados. De tão precária a situação, o governo federal anunciou que financiaria a construção de quadras esportivas por meio da segunda edição do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2). A meta informada foi criar 6.116 quadras cobertas e cobrir 4 mil já existentes até 2014

Governo já admite crescimento do PIB abaixo do estimado em 2014

O governo jogou a toalha e, diante de sinais cada vez mais claros de enfraquecimento da economia, já admite perseguir um crescimento menor em 2014. A expectativa do mercado financeiro e até de integrantes da equipe econômica da presidente Dilma Rousseff é que o Banco Central (BC) revisará de 2% para algo em torno de 1,5% a estimativa de alta do Produto Interno Bruto (PIB) no ano.

A nova projeção será divulgada na quinta-feira, durante apresentação, pelo BC, do relatório trimestral de inflação. O documento contém projeções para diversos indicadores econômicos, como o próprio o custo de vida, o PIB e as contas públicas. Em março, a instituição anunciou a previsão de expansão da economia de 2%. Mesmo naquela época, o número já era considerado excessivamente otimista pelo mercado financeiro, que apostava numa alta de, no máximo, 1,7%.

CONGRESSOEMFOCO

Edição: Equipe Fenatracoop

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.