Crise na saúde: Médicos prometem paralisação; Protesto, hoje e amanhã, é contra Ato Médico e vinda de profissionais estrangeiros…- Programa do governo atrai 4.657 médicos; Primeira rodada de inscrições para trabalhar no interior do País cobre apenas 30% da demanda. Do total, 766 são estrangeiros…- Fundos de pensão querem prazo para enfrentar déficit; Com a redução da taxa básica de juros, o teto da meta de rentabilidade dos fundos de pensão foi reduzido de 6% para 4,5% no fim de 2012, ajuste que será feito de forma escalonada até 2018. Essa redução pode causar um rombo na conta de alguns planos ou agravar o problema dos que já estavam no negativo. Quando a meta é reduzida e a rentabilidade é menor, o ativo da fundação cai, enquanto o passivo permanece no mesmo patamar em respeito a contratos e planos antigos…

 

O Globo

Manchete: A revolução de Francisco – Papa moderniza discurso sobre gays, mulheres e divorciados

Pontífice considerou a viagem um sucesso e disse que brasileiros têm um grande coração
“Se uma pessoa é gay, procura Deus e tem boa vontade, quem sou eu, por caridade, para julgá-la?”
“A mulher na Igreja é mais importante que os bispos e os padres. Acredito que falta uma especificação teológica”
“Os divorciados podem fazer a comunhão. Não na segunda união. Este problema deve ser estudado”
No voo de volta do Rio, onde participou da Jornada Mundial da Juventude, para Roma, o Papa Francisco fez declarações que surpreenderam vaticanistas, ao defender os homossexuais, ao pregar um papel mais ativo das mulheres na Igreja e ao prometer que a complexa questão dos divorciados será analisada pela cúpula da instituição. O Pontífice defendeu os homossexuais, dizendo que “eles não devem ser discriminados e devem ser integrados à sociedade” E perguntou: “Se uma pessoa é gay, procura Deus e tem boa vontade, quem sou eu, por caridade, para julgá-la?” Sobre as mulheres, pregou que tenham um papel mais ativo na Igreja, mesmo descartando a possibilidade de que celebrem missas: “A mulher na igreja é mais importante que os bispos e os padres.” O fato de muitos divorciados, num segundo casamento, terem negada a comunhão foi chamado de problema pelo Papa. Ativistas gays elogiaram o discurso, considerado capaz de reduzir o preconceito. Teólogos afirmaram que o discurso do Papa já começa a aproximar a Igreja do mundo moderno, mas questionam se isso será seguido pela instituição. (Págs. 1, 8 e Editorial “Um homem sereno que não fala para sectários”)

Artigo: Luiz Paulo Horta O Pontífice do encontro De que maneira a visita do Papa poderá afetar a realidade do catolicismo no Brasil? (Págs. 1 e 12)
Entrevista Fernando Altemeyer Junior.
Um discurso acessível Papa mostrou que Evangelho pode ser traduzido sintonizando o diálogo com o povo. (Págs. 1 e 11)

Lixo: em 4 dias, menos que na noite de réveillon.

De terça a domingo passado, a Comlurb recolheu, em locais por onde passaram os fiéis da Jornada Mundial da Juventude, 245 toneladas de lixo. Menos do que no último réveillon em Copacabana, quando foram coletadas 380 toneladas de lixo. (Págs. 1 e 14)

Balanço da fornada em números:
Nove milhões: Pessoas reunidas em celebrações em Copacabana. Três milhões: Passageiros que usaram o metrô nos dias da JMJ. R$ 1,2 bilhão: Dinheiro gasto pelos peregrinos na cidade. Arquitetos criticam obras no Campus Fidei
Arquitetos condenam falta de infraestrutura do lugar, mas prefeito Eduardo Paes — que voltou a afirmar que não sabe a quem pertence o terreno — garantiu que obra não resultará em adensamento do bairro. (Págs. 1 e 15)

IDH: Rio muito longe dos melhores no país

No Rio, de 92 municípios, 63 tiveram índice de Desenvolvimento Humano (IDH) abaixo da média nacional. Apesar de ter o segundo PIB do país, o estado é o quarto em bem-estar. Já a capital está em 45º lugar no ranking das Nações Unidas. Com isso, fica de fora da “elite” dos municípios, de muito alto desenvolvimento. Nesse seleto grupo está apenas Niterói, em sétimo lugar. O governador Sérgio Cabral disse que, com os investimentos que o estado está recebendo, o IDH deve subir. No Brasil, a educação deu o maior salto, mas está abaixo de renda e saúde. (Págs. 1 e 25 a 28)

Cabral promete agora não demolir Júlio De Lamare (Págs. 1 e Esportes)

Renascimento indígena

Série de lançamentos sobre a cultura indígena brasileira revela a atualidade de tradições milenares e indica caminhos diferentes para a sustentabilidade. (Págs. 1 e Revista Amanhã)
————————————————————————————

O Estado de S. Paulo

Manchete: Papa acolhe gays, diz que não pode julgá-los e ataca lobby na Igreja

Francisco afirmou não condenar um homossexual de boa vontade que procura Deus; no voo para Roma, o pontífice tratou de temas polêmicos, como divórcio
Em entrevista de quase 1h30 no voo para Roma, o papa Francisco disse que os gays não devem ser discriminados, mas sim integrados à sociedade, e que o Vaticano se prepara para acolher divorciados, facilitando a anulação de casamentos. “Se uma pessoa é gay, procura Deus e tem boa vontade, quem sou eu para julgá-la”, declarou. Francisco, porém, afirmou que não haverá nova posição da Santa Sé sobre ordenação de mulheres, aborto ou casamento gay. O papa criticou lobbies na Igreja: “O problema não é ter essa tendência (homossexual). O problema é fazer lobby, o lobby dos avaros, dos políticos, dos maçons, tantos lobbies. Esse é o pior problema”. Para o presidente da Associação da Parada do Orgulho LGBT de SP, Fernando Quaresma, a “declaração representa um grande avanço”. Descontraído, Francisco afirmou ainda ser uma pessoa “normal”, que “peca”. (Págs. 1 e Metrópole A11 e A14)

Rio recebeu 2 mi de turistas na Jornada
No balanço da Jornada Mundial da Juventude, a prefeitura do Rio diz que a cidade bateu recordes. Recebeu 2 milhões de turistas e a economia movimentou R$ 1.2 bilhão. (Págs. 1 e A14)

IDH municipal avança em 20 anos; educação ainda é desafio

Em 20 anos, o índice de Desenvolvimento Humano dos Municípios brasileiros (IDHM) avançou 47,8%. De um país dominado por municípios que não chegavam a alcançar um desenvolvimento médio – mais de 80% eram classificados, em 1991, como de índice muito baixo – o Brasil hoje chegou a 1/3 altamente desenvolvido. No entanto, apesar de um avanço de 128%, o índice de educação continua sendo apenas médio. (Págs. 1 e Metrópole A15 a A18)

Contraste
24 municípios e a capital de SP têm IDHM muito alto
39 cidades de SP têm índice baixo em educação
Análise
José R. de Toledo e Amanda Rossi
Índices e popularidade
Da sustentação dos avanços obtidos dependem o futuro do Norte e do Nordeste e a reeleição de Dilma. (Págs. 1 e A15)

Topo do ranking: Exemplo no ABC

Pela terceira vez consecutiva, São Caetano do Sul, no ABC, apresentou o maior IDH do País, de 0,862. Escolas do município têm grade comparável à de colégios particulares e a prefeitura oferece diversos serviços. (Págs. 1 e A18)

Sob pressão, STF retoma julgamento do mensalão

A retomada do julgamento do mensalão pelo STF prevista para meados de agosto deve ser pautada por entraves jurídicos e temores de eventuais manifestações nas ruas. Ministros reconhecem haver erros e inconsistência no acórdão – decisão final publicada no Diário Oficial da Justiça – que traz a condenação de 25 réus. Na quinta, o presidente do Supremo, Joaquim Barbosa, anuncia a data do retorno do caso. (Págs. 1 e Política A4)

Subsídios podem criar ‘esqueleto’ no Tesouro

Pagamentos devidos pelo Tesouro em subsídios e subvenções a programas como Minha Casa, Minha Vida e empréstimos a juros abaixo dos de mercado do BNDES que ficaram de anos anteriores cresceram 48,6% desde 2012. Eles já chegam a R$ 15,9 bilhões e podem estar formando um novo “esqueleto” nas contas públicas, afirma o economista Mansueto Almeida, do Ipea. Além do BNDES, os principais credores são a Caixa e o BB. (Págs. 1 e Economia B1)

Palestinos e Israel retomam diálogo

Depois de três anos, os governos palestino e de Israel retomaram ontem as conversações de paz. O presidente americano, Barack Obama, pediu boa-fé. (Págs. 1 e Internacional A8)

Comissão dá aval para Afif acumular cargos (Págs. 1 e Política A6)

Governo muda regra de leilão de aeroportos (Págs. 1 e Economia B6)

Carandiru: ‘Vi mar de cadáveres’

No primeiro dia do julgamento dos acusados por 73 das 111 mortes no Complexo do Carandiru, em 1992, testemunha falou que viu um “mar de cadáveres”. (Págs. 1 e Metrópole A20)

José Paulo Kupfer

Nem tão fora da curva
As economias emergentes, que sob a ampla liderança da China – está sim fora da curva – sustentaram a expansão global, entraram em baixa. (Págs. 1 e Economia B4)

Arnaldo Jabor

Acabou a ‘pax lulista’
O inimigo do País é a aliança entre ideologia “de esquerda sindicalista” e a oligarquia “de direita”. Continua no horizonte a vitória do partido do Mesmo. (Págs. 1 e Caderno 2, C8)

Notas & Informações

A mensagem de Francisco
Que os jovens superem o desgosto com a política e sejam “protagonistas da História”. (Págs. 1 e A3)
————————————————————————————

Correio Braziliense

Manchete: Que falta faz uma escola padrão Fifa

O Brasil avançou 45,7% no Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) em duas décadas. Vive-se mais, a renda subiu, mas o pais ainda precisa melhorar muito na educação.
Os jovens que saíram às ruas em junho cobrando ensino de qualidade estavam certos. O Atlas de Desenvolvimento Humano no Brasil2013 mostra que, entre 1991 e 2010, o país saiu de um IDHM de 0,493 (muito baixo) para 0,727 (alto). Três fatores compõem o índice: longevidade, renda e educação. Esse último quesito é o único que ainda não atingiu um patamar considerado alto, apesar de registrar a maior evolução do período (128%). Puxada, vale ressaltar, por mais matrículas, o que não significa um ensino melhor. Dona da mais elevada renda per capita, Brasília figura em primeiro lugar no IDHM do Centro-Oeste e na 9a posição no ranking nacional. Já o Distrito Federal desponta como detentor dos melhores indicadores entre as unidades da Federação. (Págs. 1 e 6,7 e 21)

“Se uma pessoa é gay, busca Deus e tem boa vontade, quem sou eu para julgá-la?”

A resposta do papa a uma jornalista, na viagem de volta para o Vaticano, abriu uma discussão mundial. “O problema é o lobby por essa orientação, ou lobbies de pessoas ambiciosas, lobbies políticos’’, observou Francisco, Especialistas avaliam que, ao tocar em uma das questões mais sensíveis da Igreja Católica, ele reforça os sinais de que o seu pontificado caminha em direção ao que cansou de falar durante a visita ao Brasil: padres e bispos devem ir às ruas e, por meio da justiça social, abraçar os excluídos sem nenhum tipo de preconceito. “Os gays também são filhos de Deus. São nossos irmãos. Claro que é o começo de uma abertura”, comentou o vaticanista Giancarlo Nardi, que teme a reação dos conservadores. No Brasil e no mundo, grupos gays comemoram. “Recebi com bastante alegria e surpresa as declarações do papa Francisco”, disse Carlos Magno, presidente da Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais.(Págs. 1 e 2 a 4 e visão do Correio)

Terras públicas: Ex-distrital é demitida sob suspeita de fraude

Indiciada pela PF num suposto esquema de demarcação de áreas em Vicente Pires, Lúcia Carvalho foi exonerada da Secretaria de Patrimônio da União. O advogado da ex-presidente da Câmara pelo PT alegou divergências técnicas no caso. (Págs. 1 e 25)

Nove meses para discutir paz no Oriente Médio (Págs. 1 e 14)

Mais uma vítima do Brasil no trem da Espanha (Págs. 1 e 15)

————————————————————————————

Valor Econômico

Manchete: Fundos de pensão querem prazo para enfrentar déficit

Fundos de previdência fechada e aberta querem que o governo flexibilize e dê prazo maior para regras editadas no ano passado, num cenário bastante diverso do atual. Fundos de pensão fechados pedem mais tempo para equacionar um déficit que alcançou R$ 12,8 bilhões no fim do primeiro trimestre, 43% superior ao de dezembro. Planos abertos querem usar derivativos para diminuir a volatilidade nas cotas dos fundos.
Com a redução da taxa básica de juros, o teto da meta de rentabilidade dos fundos de pensão foi reduzido de 6% para 4,5% no fim de 2012, ajuste que será feito de forma escalonada até 2018. Essa redução pode causar um rombo na conta de alguns planos ou agravar o problema dos que já estavam no negativo. Quando a meta é reduzida e a rentabilidade é menor, o ativo da fundação cai, enquanto o passivo permanece no mesmo patamar em respeito a contratos e planos antigos. (Págs. 1 e C1)

Vendas de shoppings desaceleram

A queda no ritmo de crescimento dos shopping centers no segundo trimestre, prevista por analistas, começa a se confirmar com a publicação dos primeiros resultados das empresas de capital aberto, que tiveram desempenho ruim na bolsa ontem. As ações dessas companhias registraram desvalorização superior à retração do Ibovespa, de 0,42%. A BR Malls fechou em queda de 2,93%. Multiplan caiu 2,34% e a Aliansce, 3,37%. Há sinais de que julho registra taxa de crescimento nas vendas acima da de junho, apurou o Valor. Mas as empresas preferem esperar dados consolidados para fazer uma avaliação mais precisa. (Págs. 1 e B1)

Mercado subestima a inflação

São infundadas as críticas ao formato da pesquisa Focus, conduzida semanalmente pelo Banco Central, de que os representantes do mercado financeiro jogam para cima as projeções de inflação para forçar a adoção de uma política monetária mais restritiva, com taxas de juros mais altas, favoráveis aos bancos. É o que afirma o estudo de um economista do BC, Tito Nícias Teixeira da Silva Filho. De acordo com o trabalho, os analistas consultados pelo Focus têm, na verdade, tendência a subestimar a inflação.
O boletim Focus é uma pesquisa de expectativas feita com cerca de cem analistas e departamentos econômicos do setor privado. As expectativas de inflação fora de controle são a principal razão do aperto monetário conduzido neste momento pelo BC. (Págs. 1 e A4)

Plástico ou cimento?

Surubim, município de 60 mil habitantes no interior de Pernambuco, começou a receber nos últimos dois meses 1.300 cisternas de polietileno, doadas pelo Ministério da Integração Nacional no âmbito do programa Água para Todos. Muitas estão armazenadas no campo de futebol da cidade.
O município está no centro de uma discussão sobre qual a melhor cisterna, a de cimento ou a de plástico. Essa disputa foi deflagrada em Brasília. O Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) apoia as de cimento, uma tecnologia já bastante conhecida na região. O Ministério da Integração prefere as de polietileno. Os repórteres Daniela Chiaretti e Murillo Camarotto visitaram famílias beneficiadas e mostram os dois lados do debate. (Págs. 1 e A14)

Uma nova fase de Carajás, 46 anos depois

Amanhã completam-se 46 anos do descobrimento das jazidas de ferro de Carajás, no Pará, com a chegada na região, no dia 31 de julho de 1967, do geólogo Breno Augusto dos Santos.
A descoberta, inesperada, mudaria a história da Vale. Quase cinco décadas depois, a empresa se prepara para dar um salto na produção de minério de ferro com base em novas tecnologias de extração e de beneficiamento no projeto batizado de S11D, na Serra Sul. “Carajás vai inaugurar uma nova fase”, diz Santos. (Págs.1 e B6)

Fortuna de famílias ricas é, na média, de R$ 9,4 mi

Existem no Brasil 5.732 famílias ricas que investem seus recursos por meio dos gestores de patrimônio. Elas têm ao todo R$ 53 bilhões aplicados – em média, portanto, cada uma tem R$ 9,4 milhões sob gestão. O nível historicamente baixo dos juros e a bolsa vacilante são vistos como um ambiente propulsor para os gestores que oferecem tratamento privilegiado aos clientes, em geral altos executivos, proprietários de empresas ou que venderam bens.
Discretos, esses gestores – também conhecidos como “family offices” – vão passar a divulgar estatísticas consolidadas do segmento semestralmente. Os primeiros dados, repassados ao Valor, são referentes a dezembro de 2012, reunidos pela Anbima em 19 gestores. Até o fim do ano, o repasse das informações deve se tornar obrigatório para todas as 23 casas que aderem ao código de regulação e melhores práticas da atividade. (Págs. 1 e D1)

Brasil quer vender mais à ONU

Os empresários organizam uma ofensiva para aumentar a participação brasileira nas compras realizadas pela ONU. Só no ano passado, as Nações Unidas adquiriram quase US$ 3 bilhões em bens e serviços por meio de concorrências públicas. (Págs. 1 e A2)

Governo vai licitar linhas de ônibus

Após decisão da Justiça, o governo federal voltou atrás em sua decisão de renovar a exploração do serviço de transporte rodoviário interestadual de passageiros por meio de autorizações e vai retomar o processo de licitação das linhas. (Págs. 1 e A4)

Fila de banco

O Tribunal Regional Federal da 1ª Região reverteu decisão de primeira instância e considerou constitucional lei municipal de Manaus que estipula tempo máximo 45 minutos de espera dos clientes para atendimento em bancos. (Págs. 1 e El)

Ideias

Delfim Netto
Intuitivamente, sabemos que produto potencial deve existir. O problema é achar um bom caminho para encontrá-lo. (Págs. 1 e A2)
José Eli da Veiga
É perfeitamente possível cortar as asas das legendas de aluguel sem reduzir a liberdade constitucional para criação de partidos. (Págs.1 e A13)

Governo agiliza procedimentos em investigação antidumping (Págs. 1 e A2)

Michael Dell amplia ofensiva para fechar o capital da empresa (Págs. 1 e B2)

Pelo segundo ano seguido, Petrobras deve frustrar meta de produção, diz Kovarsky (Págs. 1 e B8)

————————————————————————————

Estado de Minas

Manchete: Educação freia avanço

Mesmo com a maior taxa de crescimento, o setor ainda trava o desenvolvimento do país.
O desempenho de Minas Gerais no índice de Desenvolvimento Humano dos Municípios reflete a realidade do Brasil pelas desigualdades regionais. Na comparação com longevidade e renda, a educação ainda deixa a desejar nos 5.565 municípios brasileiros, que registraram avanço de 47%, segundo o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), em parceria com o Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas (Ipea) e Fundação João Pinheiro (FJP).
BH tem menos analfabetos
Capital mineira tem a menor taxa (2,99%) em Minas de pessoas acima de 18 anos que não sabem ler e escrever. Crisólita, no Vale do Jequitinhonha, registra a maior (38,27%).
Onde a vida é mais longa
A maior expectativa de vida (78 anos) é da população de Nova Lima, na Grande BH. A menor (68 anos) é a dos moradores de Santa Helena de Minas, no Vale do Mucuri.
Quem tem a maior renda
Os moradores de Nova Lima têm também a maior renda per capita (R$ 1.731,84) de Minas. São João das Missões, no Norte do estado, registra a menor(R$181,77). (Págs. 1 e 3 e 4)

Falha diminui inscrições de mineiros no mais médicos

Prefeitos disseram que problemas no site do programa do Ministério da Saúde impediram a solicitação de profissionais para atuar em suas cidades. Estado teve 495 cidades mineiras cadastradas. (Págs. 1 e 19)

Vaticano: Papa defende respeito aos homossexuais

Francisco surpreendeu jornalistas em voo de volta à Itália ao falar abertamente em entrevista coletiva sobre sua aceitação à diversidade sexual. “Se uma pessoa é gay e procura Deus e a boa vontade divina, quem sou eu para julgá-la?”. (Págs. 1 e 5)

————————————————————————————

Jornal do Commercio

Manchete: Um salto em 20 anos

Índice de Desenvolvimento Humano dos Municípios brasileiros (IDHM), divulgado pela ONU, avança 47,5% entre 1991 e 2010. Antes, mais de 80% das cidades tinham classificação baixa. Hoje, um terço é altamente desenvolvido. Educação ainda é gargalo.
Renda, longevidade e educação
Índice, que mede qualidade de vida, é composto por três indicadores: renda, longevidade e educação. Neste último, desigualdade entre Norte e Sul é alta.
Recife na 210ª colocação
Melhor qualidade de vida no Nordeste está em Fernando de Noronha. Recife é a capital mais bem avaliada na região, com índice de 0,772 (alto).
Norte e Nordeste melhoram
Estão no Norte e Nordeste as cidades que tiveram maior crescimento do IDHM. Mesmo assim, os piores índices ainda ficam nessas regiões. (Págs. 1 e 6)

Papa: “Quem sou eu para julgar os gays?”

Em entrevista no voo de volta a Roma, Francisco fez declarações surpreendentes e achou a viagem ao Brasil um sucesso. Militantes LGBT comemoraram. (Págs. 1, 8 e 9)

Programa do governo atrai 4.657 médicos

Primeira rodada de inscrições para trabalhar no interior do País cobre apenas 30% da demanda. Do total, 766 são estrangeiros. (Págs. 1 e 7)

Sobrepreço de R$ 2 bilhões na refinaria

Segundo o TCU, obra em Suape incluiu serviços não previstos originalmente por causa de erros cometidos pela Petrobras. (Págs. 1 e Economia 1)

Surto de diarreia

Além do Sertão, cidades da Zona da Mata estão sofrendo por conta da má qualidade da água. (Págs. 1 e Cidades 3)

Oriente Médio

Israel e Palestina iniciaram ontem, nos EUA, as primeiras conversações de paz diretas em três anos. (Págs. 1 e 12)

————————————————————————————

Zero Hora

Manchete: Índice da ONU é alerta para educação no RS

Calculado com base em longevidade, educação e renda, IDH municipal mostra que o Estado e o Brasil melhoraram, mas o ensino continua sendo um desafio. (Págs. 1 e 26 e 27)

Na volta: Frase do Papa infla debate sobre gays

Declaração celebrada por entidades ligadas a homossexuais é minimizada por religiosos conservadores.
“Se uma pessoa é gay, procura Deus e tem boa vontade, quem sou eu para julgá-la?”. (Págs. 1 e 4 e 5)

Ônibus caro: Tarifa acima da inflação no Interior

Em 10 anos, nove maiores cidades fora da Grande Porto Alegre tiveram aumento médio de 105,29%. (Págs. 1 e 30 e 31)

Crise na saúde: Médicos prometem paralisação

Protesto, hoje e amanhã, é contra Ato Médico e vinda de profissionais estrangeiros. (Págs. 1 e 29)

————————————————————————————

Brasil Econômico

Manchete: Falta de regra deixa R$ 18 bi de elétrica sem dono

Bens, como geradores e linhas de transmissão, que após a renovação antecipada das concessões deixaram de ser das empresas, ainda não foram passadas para o governo. A falta de normas fez com que municípios e estados parassem de recolher impostos sobre este patrimônio, que hoje não está mais no balanço das companhias nem da União. (Págs. 1 e 6)

Lâmpada LED sem sotaque

A FLC inaugura em novembro a primeira fábrica brasileira do produto, hoje importado da China, e um centro de pesquisa. Roberto Gabrielli, diretor da empresa, quer tornar a tecnologia mais acessível. (Págs. 1 e 14)

Bancos: Cadastro positivo sai do papel

Depois de dez anos, o banco de dados de bons pagadores entra em vigor na quinta-feira. (Págs. 1 e 20)

Dumping: Processo com mais agilidade

Marco regulatório prevê menos prazo para processos pela defesa da concorrência. (Págs. 1 e 9)

Tecnologia: Cavalo de troia rouba dados de autenticação bancária enviados por clientes, por meio de SMS (Págs. 1 e 17)

Ações: Brasil Econômico refaz as contas das empresas que mais perderam valor de mercado nos últimos meses (Págs. 1 e 21)

Clipping Radiobrás

Edição: Equipe Fenatracoop

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.